História The Perfect Wrong Way - Capítulo 13


Postado
Categorias Arrow, Chris Wood, Demi Lovato, Hailee Steinfeld, Legends of Tomorrow, Liam Payne, Liga da Justiça, Melissa Benoist, Smallville, Supergirl, The Flash
Personagens Alex Danvers, Alura Zor-El, Barry Allen (Flash), Bruce Wayne (Batman), Cat Grant, Chris Wood, Clark Kent (Superman), Demi Lovato, Diana Prince (Mulher Maravilha), Dr. Martin Stein (Nuclear / Firestorm), Dra. Caitlin Snow (Nevasca / Killer Frost), Eliza Danvers, Felicity Smoak, Hailee Steinfeld, James "Jimmy" Olsen, J'onn J'onzz "John Jones" (Caçador de Marte), Kara Zor-El (Supergirl), Lar Gand (Mon-El), Lena Luthor, Liam Payne, Melissa Benoist, Oliver Queen (Arqueiro Verde), Ronald "Ronnie" Raymond (Nuclear / Firestorm), Samantha Arias (Reign), Sara Lance (Canário Branco), Victor Stone (Ciborgue), Wally West (Kid Flash), Winslow "Winn" Schott Jr.
Tags Arrow, Batwoman, Demi Lovato, Flash, Kara Zor-el, Karamel, Lar Grand Mon El, Legends Of Tomorrow, Liam Payne, Liga Da Justiça, Melwood, Supergirl, Superman
Visualizações 20
Palavras 1.969
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Ficção, Luta, Magia, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


AVISO: Esse capítulo terá hot, então quem não gosta, pula esse, não tem muita coisa relevante para o contexto da história nele a não ser o hot.

Capítulo 13 - 13- We Can do Better


Fanfic / Fanfiction The Perfect Wrong Way - Capítulo 13 - 13- We Can do Better

“Você acha que vou embora, porque a história se repete

Nós temos visto ao redor do mundo

Ah, o que nos disseram é que isso ficará velho

Nós trairemos e nós dois iremos nos machucar

Contra todas as possibilidades, nós rezaremos para os Deuses

Para que este amor funcione”

We Can do Better - Matt Simons


POV Mon-El

Após a conversa com Kara, bem, as coisas começaram a ficar complicadas. Ela disse que precisava pensar. Pensar sobre tudo, pensar sobre nós. Ela foi pra casa para voltar a ter a vida normal que levava antes de tudo acontecer. A verdade era que Clark 2 havia a aconselhado muito sobre a raiva que ela poderia vir a sentir após todos esses eventos traumáticos que a mesma passou. Disse a ela que voltar a rotina seria o melhor a se fazer. Passaram alguns dias e ela estava relutante em voltar ao DOE. Ela estava mais focada em se reconciliar com Lena, então todos estávamos envolvidos em ajudá-la a conseguir o perdão da Luthor. Havíamos marcado uma noite de jogos, e cá comigo, era a primeira vez em muito tempo que teríamos isso, pelo menos antes da luta. Dessa vez marcamos de ir ao bar, e também iriamos usar e abusar do karaokê. Fora que dessa vez, teríamos novos rostos esse ano. Caitlin e Barry viriam. Iris disse que estava com muita dor de cabeça e que ficaria com Maddie e Hailee que ainda estavam perambulando pela terra 1 desde que Alex as deixou lá. Cisco simplesmente não deu resposta. Diana e Bruce haviam confirmado, e Arthur, bem, ele não costuma recusar bebida. Victor era mais fechado, e disse simplesmente que não. E Clark disse estar muito preocupado, mas que se desse, apareceria mais tarde. As coisas estavam começando a ficar interessantes após o segunda dose de Rum de Aldebaran que vi Kara tomando. Ela estava se empolgando demais e quando Clark 2 apareceu, as coisas ficaram estranhas. Bom, ela estava se jogando para cima dele, e isso me deixou... indignado e enciumado. E a pessoa pra quem foi planejado a noite, Lena, nem deu as caras. E as coisas ficaram mais estranhas ainda quando só sobraram eu, Kara e Clark 2 no bar. Ele estava sendo gentil e engraçado, mas sabia que ele era assim com todos, e então, fiquei mais relaxado. Então, ele fez menção de ir embora e Kara se ofereceu para acompanhá-lo, mas ele disse que não tinha necessidade. Então eu fiz questão de acompanhá-la para casa. Ela estava completamente bêbada.

POV Kara

As coisas não andavam bem entre mim e Lena, isso ficou mais claro na noite de jogos ao qual ela fez questão de não aparecer. E também não estavam indo nada bem com o Mon-El. O que ele fez, isso foi contra todas as leis da vida, mas eu não tenho muito o que fazer, não é mesmo? Pois já estou aqui, então tenho que viver da melhor maneira possível.

Então preciso arrumar outra pessoa para me distrair de olhar aquelas belas janelas que me fazem enxergar o universo que o Mon-El chama de olhos, então, Clark 2 seria uma possibilidade. Ele é um homem muito bonito, e não era exatamente o meu primo, mas ele é comprometido, e só falava da Lois Lane e como ela é incrível. Assim que ele fez menção em ir embora quis ir com ele, mas Mon-El também estava ali, então ele me dispensou. Eu estava doida para dormir com ele, isso era muito estranho, pois eu normalmente não agiria dessa maneira. Então olhei para Mon-El na minha frente e quis por um momento não estar brigada com ele. Então, ele me surpreende, se oferecendo gentilmente, para me acompanhar até meu apartamento, pois não poderia ir voando até lá bêbada do jeito que eu estava, e como não tenho carro, fomos andando. Chegando em casa, não quis ser mal-educada, então, o convidei para entrar, apesar da hora.

Mon-El- Você está bem? - Perguntou enquanto eu cambaleava até o meu quarto

Kara- É... To... só meio enrolada - disse tentando tirar minha blusa, em vão, pois do jeito que eu estava bêbada, fiquei presa com meus braços e cabeça nela- aí nossa, to presa- disse desistindo de insistir em tirar a blusa sozinha e ele riu

Mon-El- Deixa que eu te ajudo- nesse momento ele tirou minha blusa e me encarou ardentemente

Kara- Vamos ver um filme? - disse vestindo meu pijama

Mon-El- Claro- encostou no batente da porta e passou a mão na barba me encarando, e eu achei aquilo extremamente sexy

Kara- Eu escolho o filme

Mon-El- Claro que sim, você sempre escolhe

Kara- isso não é verdade, então dessa vez, eu deixo você escolher- disse indo até a cozinha para preparar um café

Mon-El- então, o que acha de Jumanji?

Kara- Porque escolheu esse? - falei sentando ao seu lado, sentindo que estava menos bêbada lhe entregando uma xicara com café

Mon-El- sei lá, só acho Karen Gillan muito gata

Kara- Cara de pau! - falei dando um tapinha no seu braço

Mon-El- Porque? - disse rindo- Está com ciúmes?- falou com uma carinha engraçada- Eu amo você, mas, não sou cego

Ops, ele havia acabado de tocar na ferida. Ele percebeu meu silencio, então, colocou o filme para passar.

Kara- Ela é realmente maravilhosa - comentei, com certo deslumbre na voz. Estava passando aquela icônica cena em que ela faz a luta dançante e derrota dois caras

Mon-El- ela não é nada, comparada a você - respondeu e eu não tive como conter uma gargalhada.

Kara- Suas cantadas já estão ficando exageradas...- respirei fundo ao ver que ele não me acompanhava no riso, e me encarava com seriedade no olhar, ele passou as mãos pelo meu rosto, descendo até o meu pescoço me puxando para mais perto dele. Enquanto ele fazia isso, eu estava travando uma batalha mental comigo mesma pensando se era uma boa deixar as coisas rolarem com ele, sem o fazer sofrer, ou me deixar envolver. Acabo não conseguindo pensar muito pois ele já estava muito perto, então decido lidar com isso pela manhã. enquanto ele me beijava docemente, sua mão foi até minha nuca, dando leves puxões em meu cabelo, depois sua mão esquerda escorregou de meu cabelo pela lateral de meu corpo e só parou ao atingir meu quadril. Me senti arrepiando dos pés à cabeça com seu toque tão familiar para mim. Seus dedos fizeram o caminho inverso, parando em meu ombro e logo trazendo consigo a manga da camiseta de pijama que eu estava vestindo, a tirando completamente, em seguida abrindo lentamente os fechos do meu soutien, o tirando sem muitas delongas. Nós já nos conhecíamos, de corpo e alma, então a vontade e voracidade que sentimos um pelo outro no momento, não permitiu que nos apegássemos em detalhes que eram completamente supérfluos. Extasiada com o momento e com os seus lábios que agora deslizavam sobre a minha pele nua, depositando beijos quentes por meu pescoço e descendo gradativamente para meu colo, minhas mãos foram de encontro a sua nuca, onde iniciaram um carinho estimulante para seus beijos que foram descendo mais e mais, até que subitamente ele parou o que estava fazendo, o que me fez abrir os olhos e o encarar, um pouco confusa. Foi quando eu entendi que ele parecia esperar algum tipo de aprovação da minha parte para levar aquilo adiante. Sem pensar muito, levantei meu corpo, passando uma perna por cada lado de suas coxas e sentando em seu colo. O sorriso um tanto tarado que surgiu nos lábios de pareceu mostrar satisfação com a situação, e o apertão que suas mãos deram em minhas coxas confirmaram minhas dúvidas.

Mon-El- achei que você quisesse ir mais devagar?

Kara- Eu queria, mas aí você apareceu com sua trepada sacana- ele riu do que eu havia acabado de falar e voltou a me beijar. O beijo era acelerado, intenso e carregado de desejo. Era como se eu tivesse esperado por aquilo a tanto tempo sem ao menos saber. Pressionei meu corpo contra o dele a fim acabar com qualquer distância ainda existente entre nós, ele pareceu tremer com o gesto. Sua mão livre repousou em meu seio descoberto, e enquanto acelerava o movimento de nossos lábios, apertou a minha bunda com força com a mão livre. Só então percebi que estava em desvantagem então comecei a puxar sua camiseta para cima afim de tirar. Partimos o beijo para que nos livrássemos da mesma, e logo em seguida voltamos a nos beijar novamente e loucamente. Em um movimento rápido me colocou deitada novamente no sofá e trouxe seu corpo para cima do meu. Seus olhos pareciam se carregar cada vez mais de luxuria e seu sorriso se identificou ao me ver apenas de calcinha embaixo de si. Ele levou a boca até um de meus seios e uma de suas mãos deslizou por minha barriga até atingir minha intimidade por baixo do tecido da única peça que ainda restava em mim. Soltei um gemido alto só sentir seus dedos me invadirem sem aviso, cravando as unhas em suas costas sem medir minha força, com a certeza de que deixaria algumas marcas por ali. Mas que diferença isso faria depois, ele se cura rapidamente de qualquer machucado, então os arranhões não seriam nada. Com baixa concentração, devido aos movimentos dele, levei as mãos até o cós de sua calça jeans, puxando-a para baixo junto com sua boxer, revelando sua ereção mais que aparente. Ele cessou as carícias e se concentrou em roçar seu pênis em minha intimidade de uma forma totalmente torturante. Percebendo que havia conseguido me torturar por tempo de mais, ele me penetrou, em seguida, começou a investir de maneira lenta e forte, arrancando-me gemidos arrastados e me fazendo arranhar seus braços fortes, e enganchar minhas pernas ao redor de seus quadris o estimulando a continuar o ótimo trabalho que estava fazendo. Ele tirava seu membro inteiro de dentro de mim e voltava a estoca-lo por inteiro fortemente e de uma só vez, até o talo. Seus urros de prazer me levavam a loucura. Soltei um gemido um tanto desesperado, pedindo para que ele fosse mais rápido, e o homem, parecendo aprovar meu pedido, o atendeu. Segurou minha cintura com as duas mãos e começou a investir com mais velocidade, porém com a mesma força de antes. Comecei a movimentar meu quadril contra o seu, intensificando o movimento e sentindo-o atingir ainda mais fundo em mim. Ele nos levantou sem nos separar, e tentou ir em direção ao quarto, mas tinham algumas coisas no caminho, então, fomos parar na cozinha e ele me colocou em cima da mesa, derrubando as frutas que estavam na cestinha em cima da mesma. Ele me estocava com tanta força que parecia que meu corpo iria desmontar ali mesmo. Senti meu corpo estremecer e contrair por inteiro enquanto a onda de prazer passava por toda sua extensão. Ele mordeu o lábio inferior de um jeito extremamente sexy ao me ver atingir o orgasmo. Ele investiu mais algumas vezes e logo senti seu membro pulsar mais forte dentro de mim, sentindo deleite quente saindo lentamente me fazendo concluir que ele havia gozado. Fomos para o quarto nos deitando um ao lado do outro na cama encarando o teto. Pensei, mas que merda eu fiz. Esquecemos de usar camisinha, apesar de que não funcionaria para nós, mas eu gostava de pensar que esse seria o único motivo que me impediria de ficar gravida. Mas, independentemente disso, eu estava feliz e completa novamente. Se eu tinha dúvidas de que ele era o homem da minha vida, ali, naquele momento, acabei com todas elas.

Kara- Eu te amo. - Foi a última coisa de que me lembro, antes de apagar, cansadamente, ao seu lado.



Continua...


Notas Finais


Gente, esse é o primeiro hot que eu escrevo, então... Já sabem, me digam se foi bom, se querem mais... Tem muita coisa boa para acontecer... Ou nem tão boa assim kkk pode não ser para o momento, mas enfim... Para ajudar na divulgação da fiz criei um Instagram, procurem lá, é @BrokenDelicate tudo junto mesmo, e a foto é a mesma do Spirit kkkk comentem o que estão achando! Eu estou numa fase Nova para a escrita, e cada coisa nova que eu aprendo, é uma conquista. Obrigado por chegarem até aqui, então... já sabem o que fazer.
Beijinhos
Broken-Delicate


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...