História The Piece... - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Victorious
Personagens André Harris, Beck Oliver, Cat Valentine, Erwin Sikowitz, Jade West, Robbie Shappiro, Tori Vega
Tags Jade, Jori, Tode, Tori
Visualizações 34
Palavras 1.807
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, LGBT, Literatura Feminina, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Universo Alternativo, Yuri (Lésbica)
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 1 - Capítulo Único


Fanfic / Fanfiction The Piece... - Capítulo 1 - Capítulo Único

Tori

Olá pessoas, meu nome Tori Vega e agora, nesse exato momento, estou indo para a aula de teatro do Mr. Shikowitz, sem querer falar nada, mas ele às vezes parece ser maluco...

- Bom, hoje iremos ter um exercício de atuação sobre como dar más notícias 

- Por quê? – pergunta Jade, a única pessoa possivelmente sã que eu conheço, admiro o seu jeito de falar o que pensa sem ter medo das conseqüências

- Para ensinar a vocês que atuar frequentemente envolve escolher sobre como dizer as coisas, como Por exemplo, como vocês dão uma má notícia a alguém e fazem parecer não tão ruim?! – Cat levanta a mão

- Dizendo em uma língua que a pessoa não entenda!

- Não Cat! 

Ele chama ela e Robbie para o palco, logo ele chama um garoto e pede para eles darem uma notícia ruim ao Tunner, o garoto, o professor entrega uns papéis para eles e diz que são notícias “aleatórias”, não sei se acredito muito nisso, mas tá valendo... Cat e Robbie começam a cantar uma música relacionada à má notícia...

Robbie: Esse tipo de notícia é sempre difícil alguém falar

Cat: Esperamos muito não te magoar

Robbie: Mas alguém passou 

Cat: É, alguém passou

Robbie: Homem ou mulher

Cat: Ninguém sabe o que é

Robbie e Cat: Alguém passou por cima do seu card

Robbie: Ele foi esmagado!

Cat: E não tem concerto!

Quando eles acabaram a música, todos nós batemos palmas, realmente foi legal e pensar que eles inventaram ali, na hora, e se sincronizaram tão bem, é difícil de acreditar

- E é assim que se dá uma má notícia – fala nosso professor – o menino está sorrindo oras – ele sai da sala e logo volta com um carrinho e em cima, uma caixa – e agora Turnê, isso é para você

- O-O meu card...

- É, foi mal, a noite, a garagem dos seus pais se parece muito com... A minha... - depois ele praticamente expulsa o garoto da sala

- Pera aí! Você realmente passou por cima do card do garoto? – pergunto.

- 3 vezes, pensei que fosse um guaxinim 

Ele começa a falar que iremos apresentar outra peça, todo mundo já ia reclamar, porém ele se antecipou

- Toda vez que eu faço uma peça, vocês criam confusão, então, dessa vez, vocês mesmo vão escolher seus papéis – ele está uma caixa de papelão com papéis dentro – André, escolhe um papel

- Tomi, menino de 10 anos e irmão gêmeo idêntico do Carter
- escolha seu papel – ele se dirige ao Back.

- Carter, menino de 10 anos e irmão gêmeo idêntico do Tomi. Acho que somos gêmeos – ele se dirige a André 

- Então minha mãe tem umas coisas para explicar – todos riem

- Jade, escolha um papel 

- Nenci, a amada esposa do astronauta Walter Swen

- Tori 

- Astronauta Walter Swen, marido de Nenci... – meu deus, meu coração parece que vai saltar pela boca...

- Eu vou ter que ser a esposa dela?

- Eu vou escolher outro papel – falo me virando para pegar outro, mas ele foge do meu alcance dizendo que não poderíamos mudar os papéis e que ele nos dava o roteiro até o final das aulas

Assim que a aula acabou, eu fui ao meu armário pegar os livros do próximo período, cheguei  a sala e avistei meu lugar, logo sentando no mesmo, a aula era de química, então todos nós tínhamos duplas e como se não fosse coincidência, quem será que era minha dupla? Isso mesmo, a Jade, meu Deus, vocês não sabes o quanto que essa guria é espetacular, claro que eu não deixo transparecer, mas, eu não aguento mais esconder isso, aquele Back fica sempre de olho na minha garota e essa peça vai me dar oportunidade para demonstrar o que eu sinto por ela…

Assim que ouço o sinal bater, todos pegam suas coisas e vão em direção ao pátio já que era intervalo, fiz o mesmo, mas com um pouco menos de pressa, afinal, o próximo período é outra aula de teatro e não estou nenhum pouco entusiasmada para isso, vamos ter que ensaiar a peça, eu sei que era para eu ficar feliz, mas saber que ela vai dizer que me ama, mas não vai ser eu, diretamente eu, vai ser só o personagem que eu estou representando, machuca, machuca saber que ela nunca vai me amar, machuca saber que provavelmente ela nunca vá me aceitar, machuca saber que quase 99,9% de certeza que ela vá me odiar depois dessa peça, pelo menos se eu contar, esse segredo é guardado a sete chaves dentro de mim, nunca me abri com ninguém sobre isso e nem pretendia me abrir, mas esse sentimento está me sufocando cada vez mai e eu não estou mais aguentando, na próxima semana é a peça, então vou fazer de tudo para demonstrar o que sinto, vou fazer isso na frente de todo mundo, provavelmente ela vá me empurrar, me bater, não sei, mas se eu não fizer isso, tenho certeza que não vou aguentar mais, não vou mais conseguir olhar para ela e saber que ela nunca vai saber como me sinto…


Quebra de tempo


- Eu te amo - fala Jade

-Eu te amo… - repito

- Corta! Mais o que é isso minha gente?! Vocês podem fazer melhor que isso, eu sei que podem! - Shikowitz nos repreenda

- Foi mal professor, mas assim não dá, não dá para fingir esse tipo de coisa - Jade

-É, ela tá certa - mesmo eu não estando fingindo, mas ok…

- Tudo bem, uma pausa, mas vocês duas, eu quero naquele bar lá, que eu esqueci o nome, às 20:00, se não aparecerem, suas notas vão sofrer as consequências

- Está bem, estaremos lá, feliz?! - Jade fala com sarcasmo na 

- Muito! - diz ele com um sorriso sinico


No bar


Resumindo a história, Shikowitz nos mandou ter um ENCONTRO juntas e só sair daqui quando o bar fechar, se não ele iria nos reprovar em teatro e como se não fosse bom o bastante, ele colocou dois "espiões" para nos vigiar, mas paciência, o lado bom, é que vou passar todo esse tempo com a Jade e como não tinha o que fazer, eu sugeri que falássemos uma da outra, eu falei que ela era bonita, mas ao contrário dela, eu falei verdadeiramente, ela também disse que eu era bonita, mas não tenho certeza se era verdade, ou isso era só o que eu queria acreditar, logo depois, chegaram dois caras nos atormentando então soltamos a bomba, cantamos, isso mesmo, cantamos uma música que os deixou de queixo caído, humilhamos eles, e como dois cachorrinhos, colocaram a cola entre as pernas e saíram resmungando…

- Esse dia foi inesquecível! - fala Jade saindo do bar rindo

- Com toda a certeza, vamos, eu te levo para casa

- Ah, ok então, não vou dispensar a carona né - ela fala rindo e eu tbm

Assim que entramos no carro, começamos a conversar sobre coisas aleatórias, qualquer coisa mesmo, desde nossas vidas, até nossos colegas, das cantorias, das aulas de teatro, até chegarmos em frente a sua casa

- Então é isso, chegamos

- É, estamos aqui… - eu vou me aproximando dela devagar - seu rosto e cabelos ficam tão lindos a luz da lua sabia?! - eu acaricio seu rosto enquanto me aproximo cada vez mais

- Tori… - ela se inclina para frente e fecha os olhos, porém o barulho da buzina do carro, que foi apertada com meu cotovelo sem querer, nos assusta e nos separamos rápido demais - eu… acho melhor eu ir - ela fala saindo do carro as pressas e entrando dentro de casa e a única coisa que consigo fazer é bater na minha própria testa, como eu consigo ser tão desastrada até nessas horas, pela mor de deus…


Na noite da peça


Estamos nos bastidores agora e estou ensaiando as minhas falas, todo bem que só vá ter gente conhecida, mas mesmo assim, imagina o quão vergonhoso seria se você errasse lá no meio da peça?! Pela mor de deus, eu to pirando e vai ser na hora do "eu te amo" eu que vou falar para ela, na frente de todos, que eu a amo…

- Amor acorda… - já estávamos no final da peça e minha amada esposa tenta acordar o esposo com a doença do sono

- Ah! Que que foi? Eu dormi de novo é?!

- Não se preocupe com isso agora meu amor, está tudo bem… eu te amo 

- Eu te amo - é agora - eu sempre te amei desde o dia que nos conhecemos…

Oho em direção a seus olhos e vejo a confusão, afinal, isso não estava nos escript, olho para Shikowitz, ele ele só me faz um confere, me incentivando a continuar

- Desde que te vi, você sempre me chamou atenção - parei com a voz de homem, me tirei o bigode, tirei o chapéu e desprendi o cabelo - sempre se destacou no meio de todos, nunca se importou com o que os outros diziam, nunca se importou em achar algum menino que gostasse de ti, ao contrário, os meninos que ainda caem aos seus pés para você percebê-los e eu aqui, sendo apenas uma boba me declarando, sendo que sei que você vai me odiar para sempre depois dessa noite, mas eu te amo, e não é como amiga, melhor amiga, muito menos como irmã, é como menina mesmo, eu te quero como namorada, não sei se meus pais aceitariam isso, mas eu to pouco de lixando para o que eles acham, eu quero seguir o meu coração e ele está direcionado para você, Jade, você roubou ele no momento em que te vi, ele bate no meu peito por você, ele se direcionou a você, no momento em que você me deu seu primeiro sorriso, esse foi o dia mais feliz da minha vida, juntamente com o primeiro dia que falei com você, eu não sou eu sem você Jade, nunca serei… Eu te amo! - nesse momento eu já estava chorando, ela já estava chorando e a plateia também, mas a única coisa que sei é que a puxei pela cintura e a beijei, um beijo cheio de paixão, um beijo cheio de saudades, um beijo que mostrava todos nossos sentimentos e sentir que ela correspondeu me deixou mais feliz ainda, quando nos separamos foi apenas por falta de ar

- Eu também te amo Tori, por que esperou todo esse tempo para me dizer isso?! 

- Nunca achei que você corresponderia

- Achou errado boba - ela ri um pouco sem graça

- Quer namorar comigo?! - e como dá para imaginar, meu sorriso era de canto a canto da boca

- Depois dessa declaração de amor?! Como poderia dizer "não"?!

Nos beijamos de novo cada vez aprofundando mais e mais o beijo, depois só ouvimos as palmas da plateia e de nossos amigos… e esse foi o dia meus amigos, que eu me tornei a mulher mais feliz do mundo!


Fim



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...