História The Pink Boy - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bangtan Boys, Bts, Jimin, Jungkook, Yaoi
Visualizações 6
Palavras 749
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Poesias, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Mais um capítulo, espero que gostem, é bem difícil escrever sem me emocionar, então chorar já virou cotidiano kkkkkkk
Boa Leitura a todos<3

Capítulo 4 - Você não está só


Fanfic / Fanfiction The Pink Boy - Capítulo 4 - Você não está só

A morte não é nada. 
Eu somente passei 
para o outro lado do Caminho.

Eu sou eu, vocês são vocês.
O que eu era para vocês, 
eu continuarei sendo.

Me dêem o nome 
que vocês sempre me deram, 
falem comigo 
como vocês sempre fizeram.

Vocês continuam vivendo 
no mundo das criaturas, 
eu estou vivendo 
no mundo do Criador.

O que eu posso fazer? Realmente não sei, minhas lágrimas são as únicas respostas, o sofrimento é maior que todos os outros sentimentos já sentidos...

Aqui estou eu na belíssima ponte, observando o reflexo no rio de meu pai em meu quarto se lamentando...

Ele vai até a janela e coloca uma vela na qual eu adorava colocar como decoração em meu quarto, pois exalava um cheiro maravilhoso...

-Pai... - estico minha mão em direção à vela na qual o mesmo observava, e por algum motivo ela se mexe... Mas como isso é possível? Mas eu estou no outro lado, então talvez possa ser o reflexo dela no vidro da janela.

-Filho?- meu pai observa atentamente a vela.

Comecei a movimentar mais forte o fogo da vela na qual era somente seu reflexo, pois a verdadeira chama continuava parada.

-Filho, se você estiver aqui, saiba que eu te amo...

-Eu também te amo pai... - logo após isso o reflexo de meu pai se desmancha diante de meus olhos voltando a ser a bela água brilhante na qual refletia o brilho da lua... Lua... Está igual à noite na qual fui assassinado...

-Jungkook...- Jimin apareceu e me abraçou- saiba que você não está sozinho, estou aqui para te ajudar...

 Por que Deus continua
Nos fazendo solitários? Ah, não
Mesmo que estejamos cheios de cicatrizes
Mas podemos sorrir se estivermos juntos
No fim desta estrada que caminho sozinho
O que quer que esteja por lá, vou dar um passo
Mesmo que eu fique cansado e machucado ás vezes
Está tudo bem, porque eu estou ao seu lado
Você e eu, se estivermos juntos
Podemos sorrir

Eu quero voar
Mas não tenho asas
Mas suas mãos tornam-se minhas asas
Quero esquecer a escuridão e a solidão
Com você

Essas asas vieram de dor
Mas são asas para a luz
Mesmo que seja difícil e doloroso
Se eu puder voar, vou voar
Então eu não vou ficar com medo
Você vai segurar minha mão?
Você e eu,
Se estivermos juntos
Podemos sorrir

Você nunca caminha sozinha
Sinta-me, você também não está sozinha

De dia tudo pode parecer normal, mas não é, novamente observando o reflexo de meu pai... Até que algo inesperado acontece...

-Bom dia senhora Kim- disse meu pai enquanto ia em direção da senhora que se encontrava cuidando de suas rosas.

-Bom dia Senhor Jeon- disse Kim um tanto assustada- sinto muito pelo seu filho, ele era um bom menino, seria um ótimo astrônomo no futuro!

-Espere... – meu pai a parou- Como sabia que ele estudava astronomia?

-O-oh, e-ele já havia me contado...

-Engraçado, não sabia que os dois conversavam... E, que eu me lembre, na noite de seu desaparecimento... Eu vi a senhora saindo de sua casa.

-E-Eu saí para comprar alguns ovos... Precisava fazer um bolo, estava com fome... – isso pai, o senhor está quase lá...

-Mas... A senhora não disse odiava bolos, e que faziam mal a sua saúde devida as diabetes?

-Desculpe senhor Jeon, mas eu preciso entrar- senhora Kim começou a ir com pressa para dentro de sua casa, mas meu pai a seguiu e segurou em seu braço.

-A senhora não iria se importar se eu entrasse um pouco também não é mesmo?

-Acho melhor não senhor Jeon...

-Vamos senhora Kim, ou você tem alguma coisa que não quer que eu veja?

-Não senhor Jeon, pode entrar sim- senhora Kim deu passagem para que meu pai entrasse.

Ele começou a andar por todos os lados olhando tudo, espera... Meu corpo, onde ele está? Começo a olhar e percebo que havia um cofre... Meu corpo estava lá!

-Vamos pai!- digo desesperado

-Senhora Kim, o que tem neste cofre?

-Oh, s-são heranças de família!- essa mentirosa!- Senhor Jeon acho que já está na hora do senhor ir embora.

-Okay senhora Kim, eu vou... - disse meu pai indo em direção à porta.

-Não pai! Por favor, volte! Eu estou ali! Volte!

Não me deixe, eu acredito, me alcance
Você é minha esperança sem fim

Não importa o quanto a chuva caia, não importa o que a escuridão apague

Deixe seus olhos abertos e sinta, você não está só



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...