História The Pink Is The New Black - Capítulo 7


Escrita por:


Notas do Autor


Oooie gente turo pom? 😍🥰

Então voltamos aos POV da Charlotte com seus surtos e tudo mais kkkkk
Enfim no próximo será o show eu prometo, é que tem muito detalhe a ser colocado que ajudará explicar muita coisa ao longo da fic, enfim espero que estejam mesmo gostando estou fazendo com todo carinho possível.
Boa leitura e bjs 🥰🤩

Capítulo 7 - Finalmente sábado a noite


Fanfic / Fanfiction The Pink Is The New Black - Capítulo 7 - Finalmente sábado a noite

POV's CHARLOTTE

 

Sábado 10:00 p.m

 

Finalmente era sábado e eu estava em uma felicidade tão grande que parecia que nada mudaria isso, tudo estava acontecendo de acordo com o que eu queria e eu sentia que nada daria errado por nada nesse mundo, eu estava muito eufórica porém eu tinha que tentar disfarçar a todo momento para meus pais não desconfiarem que eu estava aprontando já que isso não era uma coisa do meu normal estava sendo muito difícil, mas todo o esterco valeria a pena só de saber que eu conheceria minha diva e na segunda feira eu não seria alvos dos infortúnios de Elizabeth, minhas amigas tinham ainda mais orgulho de mim por eu ser a melhor amiga que alguém poderia ter já que eu não estava realizando somente o meu sonho e sim o delas também, eu sou extremamente demais. Claro que perto de meus pais eu tinha que fingir desconforto e irritação, mas por dentro eu faltava explodir, estava tão perto de eu realizar meu sonho que eu não tinha mais palavras para descrever.

 

Olhei minha roupa várias vezes escondida em meu closet para garantir que não estava faltando nada assim como o ingresso que ainda permanecia dentro do envelope dentro da minha gaveta de calcinhas, definitivamente nada daria errado.

 

Depois de tomar meu café da manhã em silêncio total fingindo meu semblante mórbido de quem não estava feliz, vendo mamãe e papai trocarem olhares desconfortáveis o tempo todo, confesso que tive que me segurar muito para não rir. Eu ainda estava esperando pelo que meu pai iria fazer comigo, eu sei que mais sairia impune, e por conta disso eu estava muito ansiosa porque só faltava isso para eu completar meu plano, eu tinha logo que saber do que se tratava para eu já poder pensar em uma escapatória. Depois do café eu fui para meu quarto checar minhas redes sociais e saber tudo o que estava rolando nos bastidores do show da Taylor e saber o que os alunos do colégio estavam comentando, quem iria e quem não iria, enquanto isso eu esperava minhas unhas secarem, observando a tela do meu telefone as meninas conversarem no grupo.

 

Grupo Pink sex

 

Mell - Gente não estou conseguindo decidir que roupa eu vou, manas me dê um belo!! 

Tiff - Manda as opções.

Eu - Meninas sei que está tudo corrido com os preparativos, mas está tudo ok por aqui, porém a gente tem que decidir como iremos, se lembram que estou de castigo? ( Carinha triste)

Mell - É verdade amiga, ainda não pensamos nisso, você já sabe qual vai ser seu castigo?

Eu - Não, papai ainda não teve tempo para mim.

Tiff - Bem seja lá como for não vamos poder ir no seu carro então vamos combinar de ir de táxi até a entrada do show,depois a minha mãe vai buscar a gente e deixamos você aí escondida.

Eu - Okay eu vou dar um jeito aqui e me encontro com vocês na entrada do show às sete okay? Não sei como, mas eu vou eu garanto!

Mell - Sei que sim, é seu sonho amiga.

Tiff - Afinal nós somos as Pink sex e conseguimos tudo o que queremos.

Eu - Sem dúvidas ( carinha feliz)

 

Sorri torto e abandonei meu celular na cama com todo cuidado do mundo para não manchar minhas unhas, respirei fundo e me levantei da cama e logo abandonei meu quarto, eu estava muito nervosa e ansiosa, e quando eu estava assim eu ficava agitada, só queria que o dia acabasse logo e que papai me contasse logo qual seria esse maldito castigo. Rolei os olhos descendo as escadas descalça indo rumo a cozinha e quando eu fui deixar a mesma para o quintal pois pretendia me sentar na beira da piscina para desestressar Justin surgiu na minha frente do nada me fazendo tomar um grande susto e dar um pequeno pulinho o que fez o mesmo gargalhar. Rolei novamente os olhos e passei por ele saindo para fora de casa sendo seguida por ele.

 

_ Ai que susto garoto, por que não vai procurar o que fazer ehen? Me erra! - Exclamei irritada me sentando em uma das espreguiçadeira que tinha um guarda sol tapando, mas o menso parou na minha frente com aquela carinha diabólica de quem queria me irritar.

 

_ O que você está aprontando? - Perguntou mesquinho, o que me fez fazer uma pequena careta de interrogação.

 

_ Do que está falando menino? Está ficando louco? Sorri nervosa.

_ Estou apenas te observando Chay. - indagou sorrindo de modo cínico o que me fez rolar os olhos e bufar irritada.

 

_ Olha aqui Justin, eu não estou aprontando nada e mesmo se estivesse não é da sua conta, agora vai lá brincar vai! - Falei com indiferença apontando para a piscina.

 

Dei de ombros pegando um óculos de sol que tinha ali do lado e o colocando logo em seguida pego uma revista no chão e começo a olhar sem interesse só para ignorar meu irmão para ver se ele se tocava e saísse dali, mas mais eu muito certo já que quando olhei por cima do óculos ele permanecia ali parado do mesmo jeito o que me irritou um pouco.

 

_ Você está de castigo em pleno sábado e não está surtando, aí tem e eu vou descobrir e contar tudo para o papai!- Falou cruzando os braços e me olhando e esguio.

 

Respirei fundo bufando e joguei a revista novamente no chão de modo brusco e me levantei, arranquei o óculos da minha face e o encarei no fundo dos olhos o que fez ele sorrir torto sabendo que estava me incomodando, como ele  sempre ele fazia. Justin como já disse era uma praga em minha vida, vivia me atazanando e implicando comigo e quando colocava uma coisa na cabeça ele não sossegar até descobrir, mas desta vez eu tinha que impedi lo eu não podia deixar ele me atrapalhar não hoje, eu tinha que dar um jeito de me livrar desse incômodo o quanto antes para que nada desse errado.

 

_ Me deixa em paz! - Falei séria lhe dando as costas e sai andando de volta para dentro de modo ligeiro ouvindo ele gargalhar lá fora. - Idiota! - Sussurrei subindo as escadas para voltar para meu quarto porém antes mesmo de eu ir a campainha tocou estridente me dando um grande susto.

 

Bufei irritada, olhei para o lado e vi Justin correndo dali para o quintal, rolei os olhos voltando para a sala a espera de algum empregado e como estava todos demorando mordi o lábio inferior e fui eu mesma atender. Eu sabia que não era para mim já que eu não havia marcado nada com ninguém por causa do show e todos mundo que vinha aqui em casa primeiro me mandava mensagem, então ou era para mamãe ou pro papai já que só deus amigos mais íntimos os seguranças deixava passar pelo portão para conseguir tocar a campainha, mas como nenhum dos dois estavam aqui eu dispensaria rápido e logo estaria de volta para terminar meus preparativos para o show de hoje a noite que com certeza promete. Sem muito interesse destranque a abri e olhei para fora de modo distraído e não vi ninguém, franzi o cenho um tanto confusa e dei um passo para fora porém levei um grande susto com a pessoa que apareceu ali, a primeiro momento fiquei irritada pelo susto, mas depois que me dei conta de quem era, senti o ar faltar e meu coração apertar. Segurei a porta com força me preparando para bater a mesma a qualquer momento.

 

_ Oi princesa!? - Falou com um tom galanteador sorrindo de lado.

 

_ Dylan? Como entrou aqui? - Perguntei meio gaga e sem jeito o que me deixou ainda mais nervosa o que não podia estar acontecendo, pois eu estava sendo fraca perto dele de novo.

 

_ Ué o Rick me deixou entrar! - Mordeu o lábio inferior me olhando de cima a baixo o que me fez envergonhar.

 

Praguejei mentalmente a mim mesma por esquecer de avisar aos empregados da casa que Dylan e eu não tínhamos mais nada e que não era para deixar ele entrar mais aqui. Eu realmente não estava preparada para encontrar com ele de nojo, não depois de tudo o que aconteceu entre a gente, muito menos naquele dia. Dylan poderia ter o rostinho perfeito e o corpo que todas queriam, mas de anjo não tinha nada, era um sem vergonha de mão cheia e eu toda boba inocente achando que estava transando namorando com ele por ser o mais popular do colégio, ainda acabei me apaixonando, e ainda eu consegui ser enganada por mais de um ano até descobrir o ogro feio que ele é por dentro, que gosta de aproveitar das meninas inocente com esse seu jeitinho fofo e depois mostrar o grande cafajeste que ele é. Mas eu tinha que confessar que eu sentia algo muito forte por ele mesmo eu negando de todas as maneiras Dylan mexia comigo de um jeito diferente que eu não sabia explicar, então eu estava tentando usar o método de distância para o esquecer o mais rápido possível e era o que eu estava fazendo o evitando o tempo todo na escola e ignorando todas suas mensagens, até ele resolver aparecer aqui.

 

Deixa eu explicar o por que de eu ter pego toda essa raiva dele, Dylan não me traiu nem nada, bom pelo menos que eu saiba não, acontece eu por mais de meu jeito extravagante e popular eu escondia um segredo de todos que ninguém podia imaginar, apesar de eu dizer para todo mundo que nao, eu ainda era virgem, nem mesmo Tiff e Mell sabiam disso, na minha condição de a mais popular do colégio seria vergonhoso eu contar para todo mundo que eu era virgem, eu não passaria de uma perdedora, inclusive para Elizabeth que vivia esfregando na minha cara os rapazes que ela pegava. Quando comecei a namorar com Dylan ele era um anjo para mim, o modelo de namorado perfeito que deixava todas babando por ele, e eu me sentia andando nas nuvens por isso, então eu achei que podia confiar nele e dizer que eu ainda era virgem e que ele faria a nossa primeira vez ser magnífica mesmo ele não sendo mais, mas foi aí que eu errei e depois desse dia eu realmente fui descobrindo aos poucos que Dylan era um sapo disfarçado em corpo de príncipe.

 

Quando finalmente resolvemos dar o próximo passo no nosso relacionamento eu estava muito nervosa e ansiosa como qualquer adolescente normal, mas quando chegamos na hora Dylan simplesmente fingiu que não sabia que eu era virgem e simplesmente deixou seu prazer falar mais alto e fez tudo de maneira mais horrível e constrangedora o que me deixou arrasada e sem chão, ele foi grotesco e pensou somente nele mesmo em saciar seu tesão nem se importou se estava bom para mim ou não, me senti péssima um lixo, e a única reação que eu tive foi de chutá lo para bem longe de mim, juntei o restante das forças que eu ainda tinha e me vesti e sai correndo da casa dele aos prantos e depois disso eu não o vi mais. Mas foi aí que na escola, pelas outras alunas eu fui descobrindo que ele era um completo panaca nojento, que dava em cima de todas ali na escola para levar elas pra cama, mesmo estando comigo. Foi tudo tão ruim que levei dias para me recompor, aquilo ficou muito marcado em mim de uma maneira odiosa, ele simplesmente estragou tudo o de mais importante que eu tinha até então.

 

Segurei com força na porta e me preparei para bater ela bem forte em sua cara porém antes que eu pudesse fazer isso ele colocou o pé na frente impedindo tal ato e me olhou no fundo dos olhos com aquele olhar convidativo dele, engoli seco e travei.

 

_ Chay, não faz isso precisamos conversar, eu preciso me desculpar com você, eu não fiz por mal, sabe você entende que eu sou homem e esperei mais de meses por isso… eu… eu amo você! - Tentou se explicar afobado e logo ergueu sua mão e me acariciou no rosto o que me fez sentir repulsa.

 

_ Você é homem? Hmmm… - Falei com total ironia.

 

Sorri torto com sarcasmo e tirei sua mão de meu rosto o que o fez franzir o cenho e.me encarar confuso com minha atitude.

 

_ Chay, qual é isso não foi nada demais, eu nem te machuquei, só por que não fui carinhoso e todo meloso? Aff, que época você vive? Querida estamos no século vinte um essas coisas não importam mais! - Dylan sorriu torto tentando me tocar novamente e eu dei um passo para trás ainda segurando a porta o encarando com desgosto.

 

_ Você é mesmo um nojento Dylan, não sei nem como me deixei ser iludida por você esse tempo todo! Como assim não importa? Eu sou uma garota frágil e esse é meu corpo e eu exijo ser tratada com todo amor e carinho possível e você não foi homem o suficiente para isso, mas quer saber de uma coisa? Você é patético e se acha o gostosão por que é o líder do time de futebol, mas o que você não exibe por aí é o seu pênis de oito centímetros não é? - Expliquei com total raiva e sarcasmo na voz e me diverti vendo seu olhar se surpresa e indignação mudando para o de raiva e orgulho ferido.

 

_ Olha só garota vê certinho o que você fala de mim, você nem é tudo isso okay? Não passa de marmitinha do time de futebol! - Falou todo raivoso e eu soltei uma risada nasal.

 

_ Okay Barbie, eu não vou descer ao seu nível, realmente eu cheguei um dia sentir algo por você Dylan, mas depois de hoje não sinto mais nada além de ranço, primeiro se quer voltar a ter algo comigo cresça e vira homem garotinho, aí talvez eu penso pra te dar outro não enorme na sua cara, perdedor!

 

Falei isso e bati a porta com toda força em sua cara sem pensar duas vezes e a tranquei enquanto o via gritar e bufar de ódio lá fora, rolei os olhos e dei as costas para a sala e fui subindo as escadas, ainda pude ouvir um " isso não vai ficar assim Bailey", gargalhei e fui rumo ao meu quarto, respirei fundo e me joguei em minha cama pegando novamente meu celular. Confesso que por mais que eu tenha me divertido com a situação eu me senti um pouco para baixo, afinal eu realmente estava começando a gostar de Dylan, por mais que sua atitude tenha sido a.mais imatura possível, ele simplesmente acabou com minha primeira vez, fez tudo ser horrível, mas eu não poderia dar mole para ele agora, não posso pagar de otária em voltar com ele, afinal eu tenho uma reputação a zelar, de um jeito ou de outro eu daria um jeito de esquecer ele. Eu não queria ficar me acabando pelos cantos por uma pessoa que não valia nada.

 

(...)


 

As tardes na Califórnia eram sempre muito quentes e curtas então logo o sol já começava a se pôr e junto com ele minha paciência ia embora, já eram cinco horas da tarde e eu já deveria estar me arrumando porém, papai ainda não havia chego e nem mesmo tinha mencionado algo sobre o tal castigo e isso estava me agoniando muito pois estava me atrasando, eu tinha que estar impecável e eu ainda não tinha combinado com as garotas como a gente iria e elas estavam a todo vapor no whatsapp vangloriando de que iriam no melhor show da vida delas, assim como eu que sentia um enorme orgulho de mim, finalmente eu realizaria meu sonho e a única coisa que estava me impedindo era meu pai. Chequei novamente minhas roupas e estava tudo okay, já era hora do meu pai chegar para a tão reunião pois mamãe já arrumava Justin.

 

Quando finalmente vi o portão da mansão sendo abertos e o carro preto de papai entrar pelos mesmo senti meu coração disparar e uma enorme felicidade tomar conta de mim, estava chegando a hora e eu já iria poder me arrumar para conhecer minha diva perfeita. Sorri largamente e abandonei meu celular na cama e desci para o andar debaixo alegreme te até me sentar no sofá e fingir estar distraída para papai não perceber toda minha euforia, e quando a porta de abriu eu apenas desviei meu olhar para o homem a minha frente que me olhou com a sobrancelha arqueada.

 

_ E então papai, já pode me dizer o que será esse terrível castigo? Já estava mais do que na hora de você me falar, aliás não sei pra que isso tudo sendo que já tenho dezoito anos e sei cuidar de mim mesma! - Falei com certa arrogância na voz me levanto e paro de frente para ele de braços cruzados o observando soltar um sorriso nasal.

 

_ Oi minha filha tudo bem com você meu amorzinho? - Perguntou com ironia e eu rolei os olhos. - Okay Charlotte, não estou com muita paciência para suas manhãs hoje, e eu já estou super atrasado para reunião então eu vou direto ao assunto! - Falou sério passando por mim e depositando sua maleta na mesinha de vidro que fica no centro da sala.

 

Senti um certo nervosismo tomar conta de mim, afinal se tratava do dia mais importante da minha vida, nada poderia dar errado, engoli seco e o encarei o incentivando a continuar, eu estava quase tendo um ataque histérico se eu não soubesse logo o que ele tinha planejado.

 

_ Então Charlotte, sei muito bem sua idade, mas seus números não condizem com seu cérebro, pois você tem a cabecinha de uma garota mimada de treze anos e sei muito bem que não ficaria atoa em casa em pleno sábado a noite e como me desrespeitou e eu a coloquei de castigo resolvi ser mais severo, então infelizmente pelo que você procurou vou ter que te deixar com uma babá! - Explicou rígido me olhando sério.

 

_ Que???? - Senti meu ar faltar e minha voz falhar, minha visão escureceu e eu não vi mais nada somente ouvi os gritos de meu pai me chamando pelo nome. Ele não pode querer fazer isso comigo, não hoje.

 

Continua…


Notas Finais


Ain gente Charlotte bem menininha mds tá de castigo haha como será que ela vai se livrar da babá pra ir para o show? Kkkkk até o próximo :*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...