1. Spirit Fanfics >
  2. The Possessive Wife >
  3. Blood by blood

História The Possessive Wife - Capítulo 7


Escrita por:


Capítulo 7 - Blood by blood


O clima no espaçoso quarto estava tenso. Chaerin encarava seriamente a mulher que estava agora apoiada em ambos os seus joelhos no chão enquanto a esposa flexiona os próprios próprios braços contra o apoio estofado da poltrona se erguendo levemente.

O silêncio inundado pela respiração daquelas três mulheres rapidamente foi quebrado com a voz banhada a poder e certeza.

CL - Não tenho o seu tempo, faz de uma vez! - Direciona o olhar para baixo como uma indicação ao que se referia vendo Sandara apertar os braços enquanto a admirava incrédula. Chaerin sorri.

Hb - Sim senhora! - Hwangbo murmura baixo e respira fundo engolindo em seco, se aproxima um pouco mais da mulher passando em seguida a segurar o cós das calças e a abrir o primeiro botão da mesma que aumenta ainda mais o seu sorriso.

A Lee levanta uma das suas pernas até ao ombro da mais velha a afastando repentinamente com uma das suas botas, a submissa perde o equilíbrio e cai sentada no chão sentindo a leve dor que ainda restava do chute inesperado.

CL - Beije os meus pés, Hwangbo! - Sandara se sente aliviada ainda que surpresa com as atitudes da esposa, aos poucos o nó na sua garganta desaparece, mas, infelizmente, aquela sensação não dura muito tempo.

Hb - Eu devo estar enlouquecendo... - Ri baixo fitando o chão e se levantando passando a olhar a loira de cima, agora Chaerin permanecia séria.

CL - Desculpa?

Hb - Me curvar a uma vadia como você? - Um estalo ecoa pelo ambiente. - Nem mesmo a sua esposa quer você!

CL - Contínua!

Hb - Você tem mesmo que ser muito esquisita! - Dá outro tapa na cara da loira que sorria levemente sem reação, a sensação era boa, era como se todos os problemas da mulher sumissem então repentinamente sem pensar muito a loira sente o seu corpo embater na parede depois de uma ardência no estômago e em seguida o seu pescoço é severamente apertando e a sua respiração cortada. - Nem mesmo a sua esposa te quer viva!

No mesmo instante em que a frase é proferida o barulho de uma arma sendo destravada é escutado bem próximo do ouvido da dançarina.

D - Solta ela ou eu mato você!

Hb - Você não ia me matar Dara! Isso ao menos é real? - Debocha Hwangbo.

Um disparo é ouvindo na boate inteira  e Sandara volta a apontar a arma para a mulher.

D - Você tem razão eu vou fazer muito pior. - Dispara outra bala, agora em um dos pés da mulher que grita e cai no chão assim como a loira que respira profundamente enquanto sente o seu pescoço com as próprias mãos. Minzy aparece na porta e corre até Chaerin ignorando a mulher que sangrava no chão. - Leva a Chae lá fora para pegar um ar...e já agora aumenta o volume da música.

Minzy ajuda a melhor amiga a se levantar e acene.

Mz - Só não quero mais tiros, vai afastar os clientes. - A de cabelos curtos carrega q loira até ao lado exterior da boate a encostando na parede e a deixando respirar um pouco.

CL - Obrigada Minji, estou melhor agora.

Mz - O que aconteceu lá dentro?

CL - Aquela louca tentou me estrangular e a Dara deu um tiro nela... não deixe que ela mate àquela mulher.

Mz - Porquê? Ela quase matou você!

CL - Ela tem família, não quero de a Sandara carregue esse peso nas costas.

Minzy suspira e acaricia o cabelo da líder beijando a sua bochecha.

Mz - O que você não pede sorrindo que eu não faço chorando...

CL - Namorar a Bom! - Chaerin ri e recebe um tapa no braço da mais nova.

Mz - Estou indo lá. Você fica bem aqui sozinha?

CL - Vai! Eu fico bem! - E Minji volta a entrar deixando a loira a observar o trânsito parado daquela rua, apenas alguns carros passavam, a maioria usando a rua de atalho. Nenhum daqueles estabelecimentos tinha muita movimentação de dia, mas houve um carro que surpreendeu.

O carro preto de aparência cara para bem na frente da loira e de uma das suas portas sai um homem asiático, com não muito mais de cinquenta anos e acompanhado de uma mulher ruiva que vinha mais atrás em silêncio.
O homem encara Lee seriamente que ajeita a sua postura e o cumprimenta.

CL - Senhor Park! Não sabia que estava vindo para a Coreia, muito menos para um local como este. - Se refere a boate.

SrP - Não era a minha intenção encontrar com você, sempre que olho nos seus olhos sinto como se tivesse sido um mau pai!

CL - O que não é mentira...

SrP - Me desculpa?

CL - O senhor condena o casamento da sua própria filha mas a criou sem nada do que eu dou para ela agora, amor!

SrP - Você é uma mulher doente que estragou a vida da Sandara!

CL - Do mesmo jeito que o senhor a da sua esposa?

SrP - A minha esposa é muitíssimo feliz no seu casamento. Porque você não some logo da vida da minha filha e a deixa ficar com aquele garoto Jiyong?

CL - Porque você não some logo da vida da sua esposa e a deixa ficar com alguém que a satisfaça?

SrP - Eu devia denunciar você para as autoridades!

CL - A sua família é bem grande, acha que cabemos todos na mesma cela? - Chaerin debocha.

SrP - Eu vou matar você, sua vadia viciada! - O homem tenta avançar na loira mas é impedida por Bom que o segura antes disso.

B - Pai, se comporte! Está na hora de aceitar que as suas filhas não gostam de homens.

SrP - Como assim Bommie? O que você quer dizer com filhas? - No mesmo momento Sandara e Minzy saiam do estabelecimento.

Bom anda até Minji decidida o que faz a mesma recuar assustada e a beija a força voltando a falar com o pai assim que termina.

B - Se quer repreender Sandara ou Chaerin primeiro vai ter que brigar comigo! Eu estou namorando com está mulher! - Todas se surpreendem especificamente Minji, o homem recua e se encosta na lataria do carro quando Chaeyoung chega com as amigas.

SrP - Pelo menos você! Me fala que é você a salvação... - O pai das Park interrompe o discurso no mesmo segundo em que vê o seu grupo de amigas e em como a jovem ruiva segurava a mão de uma delas enquanto servia de apoio para o braço de outra.

D - Pai, eu sou uma adulta agora, eu fiz as minhas escolhas e escolhi me casar com uma mulher, eu esperei até que o senhor conseguisse lidar com a minha família, mas se não é capaz nem mesmo disso, é melhor você sair.

SrP - Sandara... você está trocando o seu pai por...ela? - Aponta para a nora que entrelaça as suas mãos nas da esposa.

D - Eu estou escolhendo a minha felicidade.

B - Pai, o senhor ficou velho demais para a sua geração, pare de viver nesse tempo.

Rs - Eu quero pelo menos uma vez na vida jantar com a minha família reunida, toda ela...o senhor é capaz disso?

O homem respira fundo e caminha até Chaerin se curvando para a mulher que retribui o gesto, faz o mesmo com Minji e as três garotas ao redor da mais nova se despedindo das filhas com um abraço.

B - Por que se despediu de mim?

SrP - Fique com a sua...namorada, preparem esse jantar e depois me liguem. - O Park mais velho entra no carro e da partida saindo dali e Chaerin respira aliviada por não ter ficado com outro olho roxo igual a última vez.

Mz - QUE MERDA É ESSA DE QUE A GENTE NAMORA?

B - Você não quer?

Mz - Quero, quer dizer... Porque você falou isso para o seu pai?

Rs - Ih, melhor nem falar nada, essas daí resolvem a noite.

________________

Mais tarde no mesmo dia Sandara saltava e corria animada de um lado para o outro dentro da sala de jantar da mansão da família Park enquanto era observada pelas suas duas irmãs.

B - Eu sei que você está feliz, mas se acalma um pouquinho, você está atrapalhando o trabalho das pessoas.

Rs - Verdade, até parece que vai mudar muita coisa das noites de ano novo. O pai vai brigar com a Chae ela vai arranjar uma desculpa para sair e ficar esperando você sentada na calçada enquanto come batatinha.

D - Não! Hoje é diferente, eu sinto isso! - Caminha até as duas que estavam paradas lado a lado. - Vocês não viram? Agora é diferente ele desistiu de lutar!

B - Fora de contexto parece que ele vai morrer é tão-

Rs - Deprimente!

D - Achem o que quiserem eu não ligo, papai sabe que vai ter mais duas filhas gostando de peitos agora. - Toca a ponta do nariz das duas irmãs.

Rs - Eu não gosto! - Bommie toca o ombro da mais nova e acena negativamente.

B - Nem tenta o gaydar da Dara é infalível...

D - E você pensa que a Minzy não viu as câmeras de segurança? Sua safada!

B - Ela mostrou para você também? - Ambas estavam felizes pela caçula

Rs - Não é isso que estão pensando-

D - Aquela mãozinha boba hein!

B - E eu que achava que ela era mosquinha morta!

D - A tailândesa beija bem? - Fala olhando para Rosé que estava bastante vermelha e acente que sim observando os pulinhos alegres das duas mais velhas.

Rs - Vamos parar com isso? Chega?

B - Ela vem no jantar?

Rs - Todas elas.

D - As três?

B - Bom, papai aceita uma, deve aceitar três também.

Rs - Como amigas! Eu não estou namorando!

D/B - Ainda...

Rs - Fofoqueiras!

D - Falando em fofoca, desde quando Bomzy é real?

B - Bomzy?

Rs - Você e a Minji!

B - Desde hoje, fiz isso por vocês viu!

D - Mentirosa, você pode enganar todo mundo menos a mim!

B - A Minji é muito para mim, daqui a uns anos vou ficar velha e ela vai querer alguém mais nova.

Rs - Até parece! Até o papai está preservado, quem vê uma uma foto vê todas!

D - Tenho que concordar! Nós temos bons genes.

B - Mudando de assunto, não era para elas já estarem aqui?

CL - Já com saudades, Bom? - As tres olham para trás e podem ver as duas mulheres adultas vestidas em estilos totalmente inversos aos comuns.

Minzy vestia uma blusa preta fina assim como uma calça jeans azul clara e um sobretudo bege xadrez.

B - Minzy, você está...adorável!

Chaerin trajava uma blusa branca cropped e uma saia azul escura, os seus pés estavam escondidos dentro de sandálias com estilo escolar assim como as suas pernas cobertas por metade com um par de meias brancas como a neve.
Sandara sorri assim que ouve a voz da esposa mas logo é aparente os eu desanimo com o visual da esposa.

D - Chaerin meu amor, que porra é essa? Parece que você foi vomitada de dentro de um álbum do GFriend!

CL - Mas eu não estou muito mais simpática? - Sorri e faz um dois com a sua mão, Chaeyoung ri em silêncio atrás de Sandara.

D - Se você faz isso de novo eu juro que me mato.

CL - Carambolas eu me esforcei tanto!

Dara caminha até a esposa e a abraça esfregando as costas da mesma

D - Quer ir se trocar lá em cima?

CL - Porfavor... - E as duas mulheres sobem as escadas desaparecendo da vista das irmãs Park e Minzy.

B - Porque a CL parecia um lápis de cera?

Mz - Nervosismo.

B - O mesmo que você?

Mz - Eu não estou nervosa, Bom!

Rs - Você está falando igual um político. Cade as bixinhas das minhas amigas.

Mz - Lá em baixo Chaeyoung. E eu não estou falando, igual um político!

B - Sim, sim você está.

____________

D - Você está nervosa?

CL - Mais com medo de levar outro soco.

D - Ele não é mais a mesma pessoa, amor. - Fala enquanto passa um batom vermelho nos lábios da mais nova.

CL - Eu espero que você esteja certa... - Suspira dando um selinho na mulher morena na sua frente. - Me desculpa?

D - Pelo quê?

CL - Tentar fazer ciúmes em você.

D - Não tem que se desculpar Chae, já passou agora...

CL - Eu sei que eu te machuquei, você faz besteiras quando se machuca, por isso foi na boate.

D - Eu sei onde você quer chegar, mas está tudo bem, você está bem! - Sorri e se afasta para pegar um perfume.

CL - Não é comigo que me preocupo.

D - Ela já foi no hospital, continua com o emprego e tirando isso ficou com um corte na bochecha, podemos não falar mais disso hoje?

CL - Tudo bem... - Sente o líquido frio no seu pescoço e se arrepia anted de sentir o cheiro. - Dara...

D - É o seu preferido não é?

CL - Você é alérgica! - Se levanta rapidamente indo até ao banheiro e tirando o mais rapidamente possível aquele cheiro do seu corpo. - Não faz mais isso! Ele não é o meu preferido!

D - Mas você o usou com Sohee.

CL - Porque ele me lembra você! Quantas vezes me viu colocar perfume?

D - Sete?

CL - E quando foi?

D - Quando você foi para o Japão, antes da sua despedida de solteira, quando eu fui para as Filipinas, as duas vezes antes de ficar sozinha com a Chaeyoung, uma vez em França e hoje.

CL - Eu estava com você nesses dias?

D - Não...

CL - Eu só uso quando vou estar longe de você, por que eu amo o seu cheiro, Sandara. - As duas mulheres se entreolham sorridentes começando um beijo carinhoso e lento que é interrompido pelas batidas na porta.

Rs - O pai e a mãe chegaram.

Chaerin se levanta rapidamente batendo no nariz da esposa que leva a mão ao local sentindo o sangue descer alguns segundos depois.

CL - Oh, meu deus, você está bem? - Pega um lenço de papel e o encosta ao nariz da mais velha sobre o olhar da Park mais nova que ria da situação.

D - Tudo bem...

CL - Tem certeza, não está partido? - Pega outros dois lenços passando o indicador levemente na cana do nariz de Sandara.

D - Chaerin vaza! - Fala com a voz anasalada sentindo falta de ar e afastando a esposa pelos ombros. - Você está muito nervosa, vai com a Chae que eu desço daqui a pouco.

Rs - Só não quebra meu nariz! - Ri

D - Chaeyoung! - Repreende.

Sandara entra no banheiro da suite e Chaerin desce com Rosé começando aos poucos a ter uma visão das pessoas na sala de estar. A um lado do sofá estavam Lisa, Jennie e Jisoo, no meio estava Bom que afagava os ombros da única que estava tão ou mais nervosa que a propria. Na ponta do sofá em "L" estava o casal Park julgando atentamente todas as garotas  sentadas.

Felizmente o seu olhar não foi direcionando as mulheres enquanto estavam nas escadas ou Chaerin teria esquecido ate mesmo como se anda.

SraP - Tudo bem Faith? - A mulher estrangeira e elegante fala no seu coreano com sutaque e se levanta abraçando a nora que retribui com um sorriso. - Você ficou mais bonita!

CL - Ah, Obrigada, a senhora também está linda! - Chaerin sorri descontraída pela primeira vez desde que desceu para aquele ambiente. Ao contrário do pai de Sandara a sua sogra sempre era gentil e tentava tranquilizar as coisas ainda que não aceitasse completamente o casamento da filha do meio. - A Sandara vai já descer, está terminando de se arrumar.

Mz - Aconteceu alguma coisa? Ela estava arrumada quando nós chegamos. - Rosé contem o seu riso com um sorriso enquanto baixa a cabeça.

B - O que duas pessoas fazem sozinhas num quarto que ia borrar o batom da minha cunhadinha-

CL - Coisas de mulher! - Olha para Bom com um olhar enfurecido logo desviando o olhar para os sogros e forçando um sorriso. - Sabe como é...

SrP - Não precisa entrar em detalhes. - O homem força um sorriso e Chaerin se senta no pequeno sofá cinza frente ao mais a família Park. - Vamos começar de novo, com o que você trabalha Lee?

CL - Eu sou professora na escola da Chaeyoung.

SrP - Fuma?

CL - Não senhor.

SrP - Bebe?

CL - Somente em ocasiões especiais.

SrP - Sua família?

CL - O meu pai é professor e escritor, a minha irmã mais nova é modelo e a minha mãe se dedicou a cuidar da família.

SrP - Tem contato com eles?

CL - Apenas com o meu pai, eles estão fora do país.

SrP - Estrangeiro?

CL - França.

SraP - Porque não ficou com eles?

CL - Apenas o meu pai aceita o meu casamento com a sua filha não podia ficar.

D - Essa estória me parece familiar, não acha pai? - Sandara descia as escadas, estava maravilhosa e mesmo sem olhar para a mulher Chaerin sorriu até sentir a mão no seu ombro. - Estão se dando bem?

Rs - Ainda ninguém morreu então...

SrP - Não se preocupe tanto Sandara, estava apenas conversando com Faith.

D - Chaerin.

SrP - Chaerin? Não é americana?

CL - Não, na verdade nasci em Seoul, mas estudei em vários países então tenho dois nomes.

SrP - Fizeram festa de casamento?

D - Falando em casamento, desde quando vocês estão namorando Bommie? - Desvia a conversa para não ter que falar a verdade para os pais.

B - É bem recente!

SrP - qual as suas intenções com a minha filha? - Encara Minzy seriamente.

Mz - Na verdade não tive muito tempo para refletir nisso, mas eu quero a fazer feliz!

Bom sorri se convencendo de que estava apenas contente com o fato de Minzy ter aceitado o plano.
O celular de CL toca e a mesma olha a tela pedindo licença e se afastando da sala para atender.

SraP - Onde vocês se conheceram?

B - Ela era uma amiga de Chaerin e Sandara então nos tornamos amigas um tempo depois, ainda quando eu não era professora.

SrP - Qual a sua área Minzy.

Mz - Relações internacionais, atuo em Jeju, no Japão e Estados Unidos.

SrP - Assim como eu era nos meus amos de ouro, qual sua especialização?

SrP - Querido, não vamos falar disso na frente das crianças...

Js - Sem problema, nós também estamos sabendo disso tudo.

SrP - Vocês contaram para elas? - Olha para as duas filhas mais velhas que o encaram sem graça após repreender Jisoo mentalmente.

Ls - Não foram elas, a Chae é que botou a gente para não arrumarmos confusão. - Chaeyoung da um tapa no braço da garota sorrindo para o pai.

Rs - Surpresa...

É escutado um tiro do lado de fora da mansão e todos se levantam se afastando das janelas.

Mz - Eu vou ver o que está acontecendo. - Antes que a mulher pudesse se afastar Chaerin chega correndo na sala de estar com a arma na mão.

CL - Desculpem estragar a noite, mas temos um imprevisto.

SraP - Chaeyoung venha comigo e com as suas amigas para cima, é assunto dos mais velhos.

Rs - Mas mãe...

SrP - Obedeça filha.

Rosé não se pronuncia mais e apenas acena subindo as escadas atrás da matriarca seguida pelas colegas de escola.

CL - Bom, quero o Winner aqui em 10 minutos,  avise ao Bigbang para vigiar as movimentações de rudo relacionado aos Kim no Japão, quero o IKON no cassino, ninguém sai ou entra.

B - Entendido. - Bom rapidamente alerta todos os indicados através do celular.

CL - Minzy você vai atrás dele, o quero inteiro. - Minzy acena que sim e se retira indo na direção dos fundos da casa

CL - Sandara, vá para o telhado. O resto de nos vai impedir que aquele porco pegue Jennie.

SrP - Está me incluindo nisso, Faith?

CL - O senhor não parece triste com a notícia. - Coloca o mesmo comunicador que Sandara se afastando em direção a saída.

SrP - Eu não tenho direito a um?

D - Não, o senhor é bom de mira. - Sorri dando um tapinha no ombro do pai e subindo a escadaria. E é Chaerin!

O senhor Park sorri e segue Chaerin para  o pátio da mansão. Por causa de Bom todas as janelas estavam cobertas por uma película a prova de bala opaca e por isso a única pessoa que podia observar o exterior da casa era Sandara que estava agora deitada no telhado enquanto observava tudo por a mida de uma Sniper.

SrP - Você é assim tão má?

CL - Não, tenho tendência a me confundir com alvos, a sua filha me dá orientações. - Dispara acertando o braço de um homem vestido de preto que olhava para os dois mirando uma pistola sobre o muro. - Oeste, 30° graus para a direita.

SrP - Entendi. - Dispara duas vezes acertando outro dois invasores.- Porque não falaram nada da festa de casamento?

CL - Bem, o senhor socou o meu rosto quando anunciamos o nosso noivado. - Da um tiro e pode ser escutado um grito alto de dor.

SrP - Porque vocês não usam o mesmo sobrenome, é coisa de lésbicas?

CL - Na verdade uso o nome Park ja faz quase seis anos, mas parece que o Lee se tornou algo característico meu.

SrP - Você bebe?

CL - Ocasionalmente.

SrP - Fuma?

CL - Sandara tem asma, além disso odeio o cheiro.

SrP - Tem algum vício Chaerin?

CL - É inapropriado falar para o senhor. - Sandara disparou a sua primeira bala fazendo a vitima cair com peso no chão ao ter o seu peito perfurado. Chaerin olha para trás e sorri ao ver a esposa. - Eu amo ela.

Os dois continuavam a sua conversa amigável enquanto se distraiam com aquele trabalho que mais parecia um hobby recebendo respostas da mulher mais velha de vez em quando através do auricular.

Até que, os últimos tiros da noite acabam a última pessoa vestida de preto cai ao chão sangrando com um tiro nas suas costas. O autor do crime sorri satisfeito por entre os seus cabelos grisalhos enquanto todos os outros correram para assistir a loira que sangrava. Um último tiro. O mais inesperado. Agora um tiro de vingança.





Notas Finais


E então o que acham que aconteceu, e o que vai acontecer com a Chae?? É assim tão importante esconder a Jennie. Me contem o que acham nos comentários!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...