História The Power Of Love - Capítulo 11


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Tags Amor, Editora, Fotografia, Romance
Visualizações 4
Palavras 2.371
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


EU VOLTEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEI!

Primeiramente peço perdão por demorar a postar este capítulo, como informei anteriormente minha rotina mudou completamente e ficará bem mais difícil de postar.

ENFIM, MAIS UM CAPÍTULO QUE COM CERTEZA ESTÁ MAIS "EITA" DO QUE QUALQUER OUTRO DA FIC INTEIRA.

Boa leitura!

Capítulo 11 - Culpa


O final de semana ainda não tinha acabado e eu acordei quase a tarde com crianças brincado na rua, em partes era bom, já que eu deveria ter acordado há muitas horas atrás, mas foi ruim pelo simples fato de eu odiar quando algum barulho me acorda, ou seja, meu humor logo de cara não foi um dos melhores. A raiva pós-sono passou no momento em que olhei pela janela e vi Sebastian, seu irmão Chris e as crianças brincando com as dos vizinhos.

Me arrumei rapidamente e logo fui cumprimentá-los, a primeira coisa que eu fiz foi prestar atenção em Sebastian para ter convicção de que ele não sentia algo por mim, mas infelizmente ainda tinha minhas dúvidas e com isso, acabei me sentando ao lado de Chris na calçada, talvez tenha sido chato da minha parte, mas de todas as coisas que poderiam acontecer, a que menos ou nunca podia era eu magoar um amigo que eu amo tanto.

Ficamos um bom tempo conversando, finalmente eu estava rindo apesar do coração ainda doer, mas eu já estava mais tranquila, fora que as crianças me alegraram mais ainda, ou seja, o que me fez acordar bufando ajudou a me animar. Não demorou muito para Chris entrar, pois lá de fora ouviu seu celular tocar, então fiquei a sós com Sebastian e não me senti confortável, por mais idiota que eu fosse, ainda estava com medo dele sentir algo por mim e tudo o que mais me preocupava era a nossa amizade.

Algumas horas se passaram e infelizmente sempre tinha algo ruim para acontecer, dessa vez eu estava sozinha com as meninas na rua, até que avisto um carro e reconheço a placa. Era o Jeremy. A emoção foi tanta que parecia que minha pressão tinha caído, minhas pernas nunca ficaram tão trêmulas igual aquele dia, meu coração parecia que queria pular para fora do meu peito a qualquer custo, cinquenta por cento tomado pelo amor e o restante por mágoa. Ele saiu do carro e veio em minha direção.

- Oi, Kiara.

- Oi, Jeremy. O que quer?

- Eu vim conversar contigo.

- Desculpe, Jeremy, mas eu acho que nós não temos nada para conversar.

Maldita hora em que Sebastian aparecem naquele momento, obviamente pensei em todos os finais infelizes possíveis.  

- O que você quer com ela? – Disse Sebastian, para Jeremy.

- Sebastian, está tudo bem. Ele não fez nada, só quer conversar.

- Para que? Pedir perdão e fazer merda de novo? Kiara, acorde! Ele não está nem aí para você.

- Sebastian, acho legal você querer defendê-la, mas tem certos assuntos que você não tem que se intrometer e deixá-la resolver. Ela teve um relacionamento comigo e é ela que vai decidir conversar comigo ou não.

Tudo que eu pude pensar é que ia dar merda, como sempre, eu deveria me acostumar, mas ainda não me acostumei. Chris estava ali sem entender nada do que estava acontecendo, então Sebastian fez um resumo e ali se iniciava uma discussão, Chris continuava sem entender nada e eu comecei a ficar cada vez mais nervosa.

- Kiara, será que dá para gente conversar ou não? Eu não vim aqui à toa e para ficar ouvindo merda desse cara.

- Jeremy, pare, por favor. Tudo bem se quiser conversar, nós vamos, mas pare de discutir, não quero brigas aqui, ainda mais na frente das crianças.

- Eu particularmente não estou nem aí, só quero fazer o que eu vim fazer que é conversar com você sobre o que aconteceu.

Por um momento Sebastian me encarou indignado e de certa forma aquilo me incomodou, mas eu sentia que precisava ter essa conversa com Jeremy.

- Me desculpe, Seb!

Ele abaixou a cabeça e concordou, por um momento eu achei que eles simplesmente iam parar de discutir ali mesmo, mas o Jeremy tinha que abrir a boca.

- Sebastian, por que está tão incomodado pelo fato da gente tentar conversar? Está incomodado pelo fato da gente se amar?

- Se isso é amor, imagine se fosse ódio. – Comentou Chris.

- Cala a boca, cara! Eu nem te conheço, o que te dá o direito de se intrometer no assunto?

- A partir do momento em que você ataca o meu irmão de forma desnecessária pelo fato dele querer abrir os olhos de uma amiga que está completamente cega por um idiota. Algo mais?

- E por que ele faz tanta questão de se intrometer? Ele é apaixonado por ela, é? É só o que falta. 

PUTA QUE PARIU! ERA SÓ O QUE FALTAVA EU TER RAZÃO EM RELAÇÃO AO SEBASTIAN E ISSO CAUSAR MAIS ATRITO.

- É apaixonado por ela?

Após a pergunta de Jeremy, era impossível alguém que estava ali esperar uma resposta. Olhávamos para ele esperando que ele negasse, porém ele não disse absolutamente nada, o que me deixava mais nervosa. Tive mais convicção dos seus sentimentos quando ele abaixou a cabeça e entrou em sua casa.

- Eu sabia que tinha algo errado nessa amizade. – Disse Jeremy.

Foi exatamente neste exato momento que eu me liguei do que estava acontecendo e percebi que o Sebastian tinha razão.

- Não tem nada de errado na nossa amizade, Jeremy. A única coisa que tem de errado na minha vida é você.

- Agora resolver ir pela cabeça dele? Tudo bem, depois não fique chorando e me mandando mensagem.

- Eu nunca fiz isso, por qual motivo eu faria agora?

- Eu sei que um dia você vai fazer. Você mais do que ninguém sabe que não vai arrumar alguém igual a mim.

- Eu posso deduzir que não é a intenção dela – Disse Chris, que quase me fez rir.

Jeremy se irrita e vai embora. Eu sei que era necessário cortar o mal pela raiz naquele momento, mas ao mesmo tempo eu me sentia mal, independente de qualquer coisa eu ainda o amava e vê-lo partir de novo me machucava. Naquele momento Chris me abraçou e me deu um beijo na testa.

- Deixa esse cara para lá, você vai arrumar alguém que te ame de verdade.

- Não sei, talvez ele tenha razão. Ele era maravilhoso para mim, eu que estraguei tudo, um exemplo foi quando eu soube que a ex dele esperava um filho dele, ao invés de sentar e conversar fiz escândalo e saí para a rua no meio da madrugada.

- Pelo amor de Deus, ele mentiu para você e te maltratou! Sebastian me contou tudo.

- Como é que é? Por que ele te contou?

Eu fiquei brava com o Sebastian na hora, não tinha necessidade de contar todas as coisas que aconteciam comigo para o seu irmão, mesmo que o Chris seja uma pessoa de confiança.

- Não fique brava com ele. Todo esse tempo que você sofreu por causa de um babaca ele estava sofrendo também, ele não está mais aguentando te ver chorar por causa de um filho da puta qualquer que faz de tudo para te deixar mal. Ele se importa muito com você e me contou essas coisas porque ele também está esgotado. Você por acaso sabe dos problemas dele? Ele tem te contado alguma coisa?

- Não.

- Pelo fato de não querer se importar com os problemas dele e sim com o seu.

Eu fiquei por um tempo em silêncio, as crianças perceberam que o clima estava meio tenso naquele momento logo entraram, eu e Chris ficamos a sós. Até achei que Sebastian apareceria lá fora após a partida de Jeremy, mas não saiu.

- Você acha que ele é apaixonado por mim? Por favor, diga que eu estou errada em pensar isso.

- E se ele estiver?

- Não pode acontecer isso.

- E por que não?

- Ele é meu amigo, Chris. Somos praticamente irmãos.

E foi nessa hora que Sebastian saiu, o que fez com que nossa conversa parasse por ali. Ele estava visivelmente chateado com toda aquela situação.

- Você realmente quer saber a verdade, Kiara? – Perguntou Sebastian

Eu o olhava fixamente e tinha medo do que vinha a seguir, temi a resposta dele, eu não queria ter razão e muito menos magoá-lo. Não disse que queria saber, mesmo que eu não quisesse de nada em relação a isso, mas eu não consegui dizer absolutamente nada, ainda mais depois do que ele respondeu.

- Eu sempre fui apaixonado por você. Desde o início da nossa amizade.

Eu pensei que teria uma reação melhor diante toda a situação, mas eu realmente fiquei travada na hora, eu deduzia aquela resposta, mas não esperava e obviamente não acreditei.

- Não se preocupe, eu também não quero aceitar isso.

- Seb, e-e-eu sinto muito, mas...

- Eu sei, você não sente o mesmo e só me vê como um amigo. Você já disse isso e eu já entendi.

Eu olhava para Sebastian e ele olhava para todos os lados, menos para mim. Eu tentei me aproximar dele, mas ele se afastava.

- Me perdoe, Sebastian. Eu jamais quis causar esse tipo de sentimento em você, nunca quis te magoar e você sabe disso.

- Não magoou. - Depois de um bom tempo em silêncio. - Na realidade, eu criei uma expectativa muito grande, então o culpado sou eu.

- Acho melhor vocês conversarem sobre isso amanhã. – Disse Chris.

Concordamos e fomos cada um para sua casa. Tentei me distrair, mas tudo o que tinha acontecido naquele dia não saia da minha cabeça, chorei muito e fiquei muito mais chateada com a situação do Sebastian do que com Jeremy.

O dia passou rapidamente e já era de noite, em torno de umas setes horas e eu ainda estava agoniada, eu precisava falar a qualquer custo com Sebastian, mas quando eu estava saindo para ir lá, Jeremy encosta com o carro na frente da minha casa de. Ele saiu do carro e veio em minha direção, fiquei com medo na hora, não dele me agredir, apesar de tudo o que aconteceu eu sei que jamais encostaria a mão em mim.

- Será que agora a gente pode conversar? Pelo menos uma última vez?

Eu queria acertar tudo com ele, mas eu sabia que não era certo, não envolvia só os meus sentimentos, mas também os sentimentos do meu melhor amigo.

- Jeremy, acho que já deu o que tinha que dar.

- Kiara, por favor, não faça isso. Eu sei que eu fui um babaca, mas eu não posso ficar sem você.

- E por que não? Você tem a Jenny.

- Mas não é ela que eu amo. Eu amo você.

- Não posso fazer nada.

- Por favor, me perdoe. Eu não posso viver sem você, eu não quero. Nunca amei alguém assim.

Ele se ajoelhou e começou a chorar, como sempre fiquei sem reação e chocada, mas ao mesmo tempo aquela cena me cortou o coração e eu estava quase dando o braço a torcer.

- Por favor, Kiara. Eu te amo muito. Ontem eu ia te pedir em casamento, mas eu estraguei tudo como sempre.

Eu estava me segurando para não chorar e para piorar, me deparo com Sebastian olhando tudo pela janela, ele simplesmente fez um sinal negativo com a cabeça e fechou a sua cortina. Eu devia dar um basta naquela situação e a atitude de Sebastian só me incentivou, não só por ele, mas também por mim, independente de ter uma paixão envolvida no meio eu preciso me amar antes de amar alguém.

- Jeremy, eu acredito no seu sentimento, mas não dá mais. Você pensa que me ama, mas eu sei que não.

- Não pense isso, por favor. Eu realmente amo você e não quero te deixar. Eu juro que eu vou mudar, vou te tratar da melhor forma possível, mas por favor, não me deixe.

- Mas eu não te deixei, Jeremy, você que fez isso primeiro. No início eu não aceitei, mas agora eu estou disposta a te esquecer.

Ele se levantou e olhou em meus olhos, não acreditava que acabava de levar um fora, logo eu que sempre me rendia aos seus pés.

- Tudo bem. Pode me dar um abraço pelo menos?

Eu concordei e acabei cedendo em relação ao abraço, tive que ser forte naquele momento, pois tudo que eu queria ela não sair dali nunca mais.

Ele me solta e vai embora rapidamente, eu volto para minha casa e caio aos prantos, eu não queria mais chorar tanto assim, por mais que eu soubesse que o Jeremy não era o cara certo para mim, ainda tinha esperanças e queria insistir, mesmo sabendo que toda essa história existia grandes possibilidades de ter um final completamente ruim.

Não demorou muito para Sebastian ir até em casa e tentar me consolar, mas naquela hora não era possível e tudo que eu consegui fazer era empurrá-lo e mandá-lo embora.

- Kiara, eu não quero que fique assim.

Eu acabei me irritando com Sebastian, eu sei que ele estava preocupado comigo, mas eu me senti sufocada, só queria chorar no meu canto e ele não tinha que estar lá.

- Sebastian, pelo amor de Deus, me deixe em paz. Não tem como ficar de outro jeito, é o que me restou agora, eu o amo e o deixei partir.

- Mas foi melhor para você.

- Cale a boca, porra! Vai para sua casa, dá o teu jeito de me esquecer e me deixe em paz.

- Kiara, eu só estou ten...

- VAI EMBORA, PORRA!

Ele então assentiu e foi embora batendo as portas da minha casa. Meu Deus, como pude ser tão ridícula? Eu o maltratei e claramente eu o magoei, quando pensei em ir trás, ele já tinha se trancado dentro de sua casa, rapidamente fui até meu celular e tentei ligar, mas ele não atendia.

Por um momento entendi por qual motivo as pessoas iam embora da minha vida, talvez o problema seja eu. Primeiro foi o Allan, depois Jeremy e com certeza agora será o Sebastian, ainda mais depois da burrice que eu fiz, ele não tem culpa dos seus sentimentos e eu entendo perfeitamente que não é o amor que machuca, são as pessoas que fazem isso. E eu fiz. Definitivamente, a culpa é minha.


Notas Finais


O nome desse capítulo deveria ser "EITA", mas obviamente não ia colocar esse título haha

No próximo capítulo teremos uma surpresinhaaaaaaaa <3

Espero que tenham gostado :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...