História The price of love - Min Yoongi - Capítulo 52


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Min Yoongi, Suga, Yoongi
Visualizações 318
Palavras 1.593
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Lemon, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa Leitura! ^^

Capítulo 52 - LI- Change of airs


Fanfic / Fanfiction The price of love - Min Yoongi - Capítulo 52 - LI- Change of airs

Hana P.O.V’s

     Me recusa a acreditar em cada palavra que Yoongi disse, não é possível que tudo o que vivemos, os meses conturbados, ele ter salvo minha vida nas mãos do mafioso, ter cuidado de mim nos piores momentos, tenha sido uma completa ilusão. Naquele instante só queria achar um canto para chorar, nem mesmo obedeci o segurança que veio ao meu encontro, pedindo que entrasse no carro para me levar de volta para casa. Caminhei até um parque, onde chorei por horas, até receber uma ligação de Jimin, meu irmão parou a viagem pela metade, abandonado toda a agenda de compromissos e retornou com a noiva.

     Entrei em um táxi qualquer, nem vi quanto tempo levou para chegar em casa, mas assim que abri a porta, fui acolhida por um abraço do mais velho. Jimin tentou me acalmar, como sempre fez, mesmo que não saiba da terça metade da história. Meu irmão me arrastou até o sofá, e pediu que Yura trouxesse um copo com água. Não tinha mais razões para ser feliz, cada palavra que saía da boco de Yoongi, era como se uma espada fizesse pequenos cortes por meu corpo, como uma espécie de tortura.

     -Voltei assim que soube, como ele está? –Jimin perguntou assim que parei de chorar um pouco.

     -Eu não sei. Foi transferido para penitenciária, não teremos mais contato. –Minha cabeça estava a mil.

     -Como? Não liberaram visitas? Ele é seu marid... –Cortei o maior, mesmo que tudo estivesse doendo, tive que disfarçar minha angústia.

     -Não existe casamento, Jiminnie. Nunca existiu. –Desisti de ser forte, deixando ás lágrimas correrem por minhas bochechas. –Yoongi não quer me ver, ele nunca me amou.

     -Quem disse isso? –O garoto perguntou surpreso.

     -O próprio, ouvi cada palavras sair de sua boca, nunca o vi tão frio. –Abracei novamente meu irmão. –Está doendo, Jiminnie.

     -Vou acabar com a raça daquele desgraçado. –Jimin me apertou contra seu peito.

     -Não. Não faça nada, ele já está sofrendo o suficiente. –Sua expressão ficou completamente confusa. –Eu só... Preciso dar um jeito de sair daqui.

     -Hana, ele enrolou você, mentiu por todo esse tempo. Yoongi merece uma bela surra. –Sua voz saiu áspera, nunca vi Jimin tão irritado. –Por que ainda o defende?

     -Porque eu o amo, Jimin. –Gritei sentido às lágrimas rolarem ainda mais. –Mas não quero amá-lo, não mais. –Escondi o rosto entre ás mãos.

     -Faça suas malas. –O garoto levantou, encarando a noive. –Yura, arrume as suas também.

     -Onde vamos? –A garota perguntou assustada.

     -Recomeçar a vida, longe desta merda toda. –Meu irmão estava mais sério que o normal. –Tenho dinheiro para nos manter por um tempo, consigo algo nos Estados Unidos.

      O mais velho logo saiu, me deixando atônita a tudo. Sua proposta era mais que maluca, mas não tinha nada a perder, não mais. Jimin saiu pela porta, rumo a uma agencia de viagens, iríamos sem ao menos contar a nossos pais, como se sumíssemos do mapa. Era disso que eu precisava, novos ares, nova vida, talvez consiga me recuperar. Yura me ajudou a arrumar as malas, peguei apenas as roupas que trouxe na mudança. As jóias, as roupas caras, os inúmeros presentes, até mesmo meu carro, ficariam para trás. Não faço questão de levar nada que me lembre do nosso trágico romance.

     Jisoo chorava feito uma criança, quando saiu pela porta da mansão, deixando para trás quase um ano de minha vida. Cada canto daquela imensa construção me trazia uma lembrança distinta. Brigas, momentos felizes, momento quentes, beijos, abraços, amor. Tudo uma mentira, assim como minha vida, como a dor era imensa, doía mais do que quando Taehyung me abandonou, pelo menos ele foi sincero em admitir que me trocou por sua carreira. Talvez o erro esteja em mim mesma, tantos defeitos, que sou incapaz de ser amada por meu próprio pai, que foi quem me lançou em todo este inferno.

     Jimin sabia muito bem para onde estava nos levando, tinha total convicção de suas escolhas. Sua noiva o seguia firme, confiava em qualquer passo seu, e era isso que queria para mim, um amor tão puro quanto o deles. Quando o avião começou a decolar, foi como se todo o peso estivesse sido arrancado de minhas costas, estava indo sem culpa, mesmo que estivesse doendo. Não estava abandonando nada além de meu amor, eu não o abandonei, Yoongi foi quem me mandou ir.

     Só meu corpo embarcou no avião, pois a alma ficou estilhaçada no chão daquela cela imunda, se recusando a deixá-lo para trás, como se houvesse um fio nos interligando diretamente. Alguns passageiros me encaravam preocupados, uma senhora até mesmo chegou a me perguntar se estava tudo bem, pensei em responder, até sentir dois braços em volta de meu corpo.

     -Está sim, senhora. Ela tem apenas medo de altitude, não se preocupe. –Era Taehyung, nem mesmo havia me dado conta de sua presença. –Hana, o que faz aqui?

     -Esperando que esse avião exploda, e que eu morra em meio às chamas. –Minha fala saiu mais dramática que rude.

     -O que faz aqui, viu que ela não está bem. –Ouvi a voz de Jimin, meu irmão ainda guardava raiva de Taehyung.

     -Está tudo bem, Jiminnie. –Suspirei, me afastando do maior. –Taehyung só está preocupado, ele não tentou nada.

     -Qualquer coisa me chame. –O garotou voltou para o lugar, ainda nos encarando.

     -Ainda não disse o que faz aqui? Está fugindo dos repórteres? Já é noticia tudo o que houve com seu marido. –Seu tom de voz era de preocupação. –Eu sinto muito, pequena.

     -Não sinta. –Sequei minhas lágrimas para encará-lo. –Eu mereci, sou idiota para continuar confiando no amor.

     -Por que está indo para os Estados Unidos? –Taehyung voltou a perguntar.

     -Porque quero ter um futuro, quero paz longe de toda aquela mentira. –Falei séria, mas ainda sim, medindo cada movimento do mais velho.

     O garoto desistiu de me perguntar, vendo que não estava para conversar. Viajamos por toda a noite, e finalmente pousamos em um novo continente, meu sonho era estar ali, com Yoongi ao meu lado, mas o destino não quis assim, na verdade ele sempre conspirou contra minha felicidade. Jimin parecia ter contato com alguém, pois um garoto já os aguardava no aeroporto. Meu irmão o conheceu quando estudou por uns tempos em solo americano, o jovem nos levou direto para um apartamento, nosso lar provisório.

     -Estava planejando vir para cá, assim que me casasse com Yura. –Meu irmão disse entrando no quarto. –Não se preocupe, Hana. Será melhor se manter afastada de tudo, pelo menos aqui, ninguém irá lhe perturbar.

     -Jiminnie, pode me deixar sozinha. –Falei, um tanto quanto exausta da viagem. –Não se preocupe, não tentarei nada de imprudente.

     -Certo, qualquer coisa me chame. –O mais velho saiu pela porta.

     Cheguei à simples conclusão, não tentaria contra minha vida novamente, nada valia a pena, minha vida não vale aquela mentira. Passei boa parte do tempo, trancada no cômodo, chorando até conseguir pegar no sono. Mas não dormi por muito tempo, pesadelos me atormentaram, em todos eles, Yoongi estava amarrando, sendo açoitado por pessoas encapuzadas, enquanto gritava em lágrimas por um perdão, o perdão que talvez não tenha. Meu coração ainda batia por ele, ainda chamava por seu nome, ainda aquecia se ouvisse uma simples frase sair de seus lábios, mas ele não queria meu amor.

     Me levantei, ainda um pouco abalada, seguindo até um banheiro. Depois de um banho demorado, senti todo o peso ser varrido de minhas costas, as lágrimas ainda desciam, e sei que levará um tempo para todas elas secarem. Preciso aprender a viver, deixar de ser inocente e boba, me encaixar melhor nesse mundo, onde dizem pertencer aos espertos. Cheguei na cozinha, me deparando com Jimin mexendo com um sanduíche, minha cunhada dormia tranquilamente no sofá, pareciam ter passado a tarde inteira ali.

     -Você tem sorte. –Falei para o mais velho. –Tem alguém que te ama, a ponto de aceitar as loucuras, e abandonar uma vida para trás, apenas para lhe seguir a um local completamente diferente.

     -Como eu disse, planejávamos isso para depois do casamento, mas precisamos vir antes. –O garoto me serviu um sanduíche, mas não parecia estar com a cara boa. –Hana, você está bem? Está pálida?

     -Oppa, o que colocou neste sanduíche? Que cheiro horrível. –Tampei meu nariz, sentindo meu estômago rodar.

     -É apenas frango. –O garoto separou as fatias de pão, me mostrando o recheio.-Qual o seu problema? –Ele gritou a me ver correndo para o banheiro.

     Ajoelhei diante do sanitário, despejando até o que não havia em meu estomago, me sentindo ainda mais fraca. Fiquei por um tempo sentada ali, até conseguir forças para levantar. Lavei meu rosto e escovei meus dentes, encarando meu reflexo abatido no espelho, meus olhos arregalaram, ao constatar a possibilidade que veio a minha mente. Tantos acontecimentos, quem nem me dei conta do que estava acontecendo comigo mesma.

     -Não é possível. –Levei as mãos à barriga, levantando um pouco a blusa.

     -Hana, está tudo bem? –Ouvi meu irmão perguntar preocupado, enquanto batia na porta do banheiro.

     Destranquei a mesma, encarando o maior completamente assustado a minha frente. Yura estava ao seu lado, completamente sonolenta, mas ainda sim preocupada.

     -Jimin, estou esperando um filho dele. –Uma lágrima escorreu por meus olhos.

     Por mais que Yoongi nunca irá saber da existência desta criança, estou feliz por carregar um pedaço de nosso amor, mesmo que para ele seja inexistente, mas ainda seria uma forma de me lembrar, dos melhores dias de minha vida.

     -Estou grávida, Oppa. –Sorri, enquanto deixava as lágrimas caírem. Um motivo para sorrir, em meio a tanta dor.

    

 


Notas Finais


Beijos e até o próximo capítulo! <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...