1. Spirit Fanfics >
  2. The Prince Of The Underworld (DC Fanfic) >
  3. O Labirinto.

História The Prince Of The Underworld (DC Fanfic) - Capítulo 8


Escrita por:


Capítulo 8 - O Labirinto.


Fanfic / Fanfiction The Prince Of The Underworld (DC Fanfic) - Capítulo 8 - O Labirinto.

“Isso é trapaça Dio!” Diz ela sorrindo para mim.

 

 

“Não existe isso numa luta.” Digo também sorrindo.

 

 

Eu e Vanessa estávamos do lado de trás da nossa casa treinando, normalmente fazíamos isso na A.R.G.U.S com Diana, mas hoje foi o dia que ela iria me levar para o meu teste, então ganhei a tarde de folga com Vanessa, mas depois de três anos treinando quase todas, ter uma tarde de folga é algo estranho, isso nós levou ao tédio, que nos levou até esse treino.

 

 

A parte de trás da casa não era muito larga, então estamos agora em uma partida de luta greco-romana, um estilo de luta que tem o objetivo de derrubar seu oponente no chão e o imobilizar. Vanessa estava rindo de mim porque eu usei meus poderes para me teleportar atrás dela e a derrubar, foi apenas uma brincadeira é claro, e ela sabia disso.

 

 

Vanessa mudou bastante desde que começamos a ficar juntos, ela deixou seu cabelo voltar para o loiro natural, e o deixou crescer até a altura dos ombros, ela também se livrou do estilo gótico de maquiagem, mas sua maior mudança foi seu  sorriso no rosto que aparece bastante quando ela está comigo, ou conversando com Diana e seu namorado, que ela tem uma pequena queda, mas não vamos contar isso para Diana.

 

 

Depois da brincadeira, ficamos um pouco mais sérios, estávamos rondando em círculos, nossos corpos estavam bem baixos e nossos braços erguidos, então ela vem até mim e coloca seus braços em volta do meu pescoço forçando minha cabeça para baixo do corpo dela.

 

 

Eu com certeza tenho mais força física que ela, mas eu estava me contendo, fazendo disso uma luta de pura habilidade.

 

 

Tento me afastar do agarrão dela indo para trás, mas ela me puxa para ela de novo, e sua perna passa por de trás de minha tentando me agarrar, quando sinto a perna dela, eu torço meu corpo para o lado nos fazendo cair na grama, consigo escapar dela, e com o peito na grama ela pula em cima de mim e envolve suas penas em volta do meu tronco e braços no meu pescoço como um coala.

 

 

Torço meu corpo no chão, impulsiono meus braços e faço ela bater suas costas na grama, isso a fez ela me soltar, então é a vez dela tentar escapar de mim, mas eu a seguro pela cintura e a levantado do chão, no ar giro seu corpo e depois a solto a fazendo cair de costas no chão, eu rapidamente subo em cima dela a imobilizando.

 

 

“Oque vocês estão fazendo?” Pergunta Julia da porta da casa olhando para nós no chão.

 

 

Eu rio disso, e saio de cima de Vanessa, e depois estendo minha mão que ela aceita ajudando-a a se levantar.

 

 

“Luta grego-romana Mãe, a senhora como uma especialista deveria saber.” Responde Vanessa com a cara fechada para a Mãe.

 

 

Vanessa não só mudou sua forma de agir comigo e Diana, mas também para sua mãe, só que não de uma forma positiva, Vanessa meio que agora estava procurando se distanciar de sua mãe, ela não era desrespeitosa com ela ou algo assim, mas ela também não estava a tratando como alguém próxima.

 

 

Julia que estava acostumada com sua filha sempre a dando uma nova oportunidade toda vez que ela a deixava sozinha, teve uma grande surpresa quando voltou de sua viagem e não conseguiu se aproximar dela. Ela realmente tentou, mas Vanessa não deu mais nem uma chance de reaproximação. Com o passar do tempo, vendo a nova interação que nós construímos, isso a deixou um pouco amarga comigo.

 

 

“Isso eu percebi Vanessa, mas você deveria estar se vestindo assim?”  Continua Julia.

 

 

Nos dois estamos nos vestindo perfeitamente para praticar esportes, ela usando um sutiã esportivo deixando seu abdômen a mostra, e uma calças moletom preta, ela tenha um corpo bem lindo, com as proporções ideais, e um busto não muito grande.

 

 

Eu, por outro lado, não estava usando camisa, depois de três anos meu tamanho chegou a de um adolescente, e meu físico era perfeito, sem nem uma gordura, meus músculos eram definidos, mas também maleáveis.

 

 

O comentário de Julia era para claramente criar problemas, não vou mentir, Vanessa e linda, mas eu fui treinado por três anos por duas das mulheres mais bonitas do universo DC, minha resistência a mulheres bonitas chegou quase no nível da iluminação.

 

 

“Nojento Mãe, Dio é meu irmão.” Responde Vanessa com uma cara nada feliz por aquele comentário.

 

 

Como eu estava quase imune a beleza feminina, ela também estava quase imune a minha beleza masculina.

 

 

“Vamos terminar por hoje?” Pergunto para minha parceira de treino.

 

 

“Claro, já está quase na hora dela chegar.”

 

 

 

Ela não estava errada, olho para cima, e vejo Diana vindo em nossa direção voando.

 

 

 

“Na verdade, ela acabou de chegar.” Digo em voz alta enquanto Diana pousa na nossa frente.

 

 

“Dio, irmã e Julia.” Nós complementa ela.

 

 

“Você chegou bem cedo Diana.” Digo, ainda falta duas horas para a hora combinada.

 

 

“Conhecendo você, sabia que você não iria descansar como eu sugeri, parece que eu estava certa.”

 

 

“Treinar nessa hora virou um costume, fico desconfortável se não fizer.”

 

 

“Eu também sinto isso.” responde ela sorrindo para mim.

 

 

“Diana, onde você vai levar o Dio?” Pergunta Vanessa, ela está tão curiosa sobre o teste como eu.

 

 

“Vou levar ele até o labirinto.” Responde Diana finalmente revelando aonde vai ser meu teste.

 

 

“Labirinto?” “Labirinto?”

 

 

 

Eu e Vanessa, é claro, não sabíamos o que era o labirinto, mas parece que Julia sim, quando Diana falou, os olhos dela começaram a brilhar.

 

 

“Diana, então o labirinto é realmente real?” Pergunta ela animada mexendo em seus óculos como um tique nervoso.

 

 

 

“Sim, minha amiga, o labirinto é real.” Responde Diana olhando para ela.

 

 

“Eu o adoraria o ver, e o estudar.” Continua Julia.

 

 

“Não aconselho a isso minha amiga, o motivo da localização do labirinto não ser conhecida, é porque todos que o encontraram e entrarem nele, não saíram vivos.”

 

 

 

Agora estou um pouco com o pé atrás sobre esse teste.

 

 

 

“E você vai levar Dio, para esse lugar?” Pergunta Vanessa preocupada comigo, ela é a única, já que Julia só está desanimada por não poder ver o labirinto.

 

 

“Eu vou estar junto dele o tempo todo, não se preocupe.” Diana a tranquiliza.

 

 

“Então eu vou me preparar, não posso deixar seja lá o que vou encontrar me esperando.” Digo andando até entrada da casa.

 

 

 

“Eu não poderia descrever melhor seu teste.” Fala Diana atrás de mim.

 

 

Na casa, vou direto para meu quarto e pego meu equipamento, eu ainda não tenho uma roupa de herói ou algo assim, meu equipamento, e apernas um peitoral de armadura grega, uma espada Xiphos, e um escudo.

 

 

Visto o peitoral da minha armadura que cobre o meu tronco, a armadura era uma representação do meu abdômen, com até mesmo músculos nele, isso fez com ela tivesse um encaixe perfeito no meu corpo.

 

 

Coloquei meu escudo circular da mesma cor do bronze da minha armadura preso nas minhas costas, e depois coloquei minha espada também, antes de sair, quase esqueço de pôr minha criação, era um cinto, uma imitação mais mágica do cinto de utilidades do Batman, só que criado com magia de expansão nos bolsos, o espaço não é muito grande, só alguns centímetros a mais, por enquanto esse é meu limite.

 

 

O cinto era preto, no modelo policial, com vários bolsos pequenos em volta dele, ele não combinava com a armadura e espada, mas no futuro eu vou me preocupar mais com visual, quando fizer minha roupa de herói.

 

 

Pronto, eu pulo pela janela e ando até a parte traseira da casa aonde às três mulheres ainda estavam.

 

 

“Pronto?” Pergunta Diana.

 

 

“Vamos lá.”

 

 

Não houve despedidas, Diana me agarrou e começou a voar em alta velocidade, e quando saímos da cidade, e chegamos no oceano, ela foi ainda mais rápida, antes ela se continha para não causar danos a cidade, mas no oceano, sua velocidade quebrou facilmente a barreira do som. Não foi uma experiência muito agradável, não para meu corpo, e sim devido aos meus ouvidos, quando ela quebrou a barreira do som, eu não estava preparado, e fiquei surdo por alguns minutos.

 

 

Acabamos nossa viagem quando chegamos a uma floresta, mas essa era uma floresta diferente das que já vi nas minhas duas vidas, era antiga, como se ela nunca tivesse sido explorada por qualquer humano, a energia magica nesse lugar era quatro vezes maior que na cidade.

 

 

Diana não falou nada durante a viagem, e também quando chegamos, eu só a segui calado também pela floresta.

 

Não demorou muito para ficarmos de cara com a entrada que deve ser o nosso destino, a entrada ficava bem no meio de uma árvore milenar, Diana se aproximou e afastou os cabos que estava encobrindo a visão da entrada, e a atravessou, fui logo atrás, eu fiquei supresso em encontrar uma escadaria de pedra.

 

 

 

“Está pronto?” Pergunta Diana de novo, no último degrau.

 

 

“Claro.” Digo para ela sacando minha espada e escudo.

 

 

“Então vamos.”

 

 

Andamos lentamente pelo local, estou bastante certo que estávamos em outra dimensão, porque eu não via como seria possível escavar um local tão amplo assim, o local estava relativamente vazio, a não ser pelas várias construções gregas quebradas como colunas espalhadas pelo local.

 

 

“Já está na hora de eu ganhar algumas informações sobre esse lugar, Diana.” Pergunto para ela.

 

 

“Esse é o labirinto de Dédalos, um lugar vivo, cheio de perigos.” Responde finalmente ela.

 

 

“Você vai me fazer lutar contra o Minotauro?” Pergunto.

 

 

 

Devido à minha herança grega, eu me familiarizei bastante com as lendas e histórias gregas, então eu sei que o labirinto de Creta, também conhecido como labirinto de Dédalos, foi construído para conter o Minotauro, um ser com cabeça e cauda de touro, e corpo de homem.

 

 

 

“Aquele Minotauro morreu há muito tempo, mas o labirinto continua.”

 

 

Então ela começa a correr em direção de uma abertura no formato de um arco em nossa frente.

 

 

“Vamos, temos que ser ágeis.” Grita ela.

 

 

Também começo a correr em direção da entrada ficando dois metros de distância da Diana, sei que esse é meu teste, mas ir à frente dela para provar o quanto eu cresce pode levar a um resultado péssimo.

 

 

 

No momento que atravessamos o arco de pedra, o ataque começou, Minotauros de quatro metros de altura feitos de pedra pura saíram das paredes e nos atacaram. Pulei para trás desviando do ataque dos dois deles na minha frente.

 

 

Coloquei minha espada nas minhas costas, ela não era uma arma mágica ou feita de qualquer material especial, então se eu a usar para cortar pedra, a uma chance de eu perde minha arma.

 

 

Olho para o lado, e vejo Diana já está em combate acertando um dos monstros de pedra bem no queixo.  O Minotauro de pedra na minha frente tenta me agarrar, mas eu me teleporto para acima de sua cabeça e chuto seu rosto com toda minha força, a pedra racha, mas não quebra, ainda no ar, olho para o lado e vejo uma mão de pedra vindo em minha direção, giro meu corpo no ar e a mão de pedra agarra meu escudo, solto ele do meu corpo, e caio no chão de frente para o segundo ser de pedra.

 

 

“BAMM!”

 

 

Então um dos monstros de pedra que estava lutando contra Diana foi arremessada no que estava na minha frente.

 

 

“Corra!” Diz Diana para mim para depois se virar e começar a correr.

 

 

Eu a sigo após pegar meu escudo que caio no chão, um dos Minotauro de pedra fica na minha frente e tenta me agarrar, tomo velocidade e caio no chão de costas deslisando no chão de pedra passando por de baixo das pernas dele,  do outro lado eu me levanto e volto a correr deixando nossos inimigos para trás, quando andamos alguns metros, os quatro inimigos de pedra que ficaram para trás se transformaram em poeira no chão.

 

 

 

“O objetivo do teste e chegar até o final do labirinto, e não vencer suas criações.” Diz Diana correndo na minha frente.

 

 

Ela está certa, eu estava vendo isso como num jogo de rpg, que para avançar para próxima fase, é preciso derrotar o chefe do andar.

 

 

Continuamos correndo pelo chão de pedra, então escuto um pequeno barulho com minha super audição, era o barulho de uma linha de um arco sendo puxado, estou acostumado com esse som, Diana me treinou para desviar de projéteis usando primeiro um arco.

 

 

“Cuidado!” Grita Diana.

 

 

Dos dois lados do local, centenas de flechas são disparadas em simultâneo. Com total cuidado, desvio das flechas que estão mirando em meu corpo, e ignoro qualquer outra, uma tarefa difícil por conta do grande número delas, para piorar tudo, a caminho antes reto, se torna um terreno acidentando com várias rochas espalhadas encobrindo a visão de algumas flechas, mas eu uso essas rochas como vantagem para me proteger, e aquelas que eu não posso desviar, eu as defendo com meu escudo, tudo isso sem parar de correr, ou perde a velocidade.

 

 

 

“Pule!” Grita ela na minha frente.

 

 

Ela mais uma vez me ajudou, estava tão concentrado nas flechas, que não percebi o precipício na minha frente. Pulo de uma ponta a outra, quase dez metros de largura.

 

 

Do outro lado do precipício, ficamos de cara para um templo grego com duas entradas, a primeira estava bem cuidada para um local abandonado, as tochas estavam acesas nas paredes, deixando todo o caminho iluminado.

 

 

O segundo caminho era diferente do primeiro, estava tomado de pura escuridão, mas eu podia facilmente ver o caminho, a entrada era uma cópia perfeita da outra, a única diferença das duas é a iluminação.

 

 

“Qual direção? Para as trevas ou para a luz?” Pergunta Diana do meu lado.

 

 

“Você já veio aqui antes, então você deve escolher.” Digo.

 

 

“O labirinto muda a cada visita.” Responde ela.

 

Claro que muda.

 

 

Agora qual caminho escolher, pensando rapidamente, eu escolheria o caminho escuro se estivesse sozinho, as trevas são minhas aliadas, e os perigos que eu vou encontrar naquele lugar, não vão representar uma grande ameaça para mim se elas usassem as trevas para lutar.

 

 

Só que eu não estava sozinho, Diana pode ser treinada para lutar sem sua visão, mas isso diminuiria suas habilidades de luta.

 

 

“Vamos pela luz então.” Decido.

 

 

Diana sorri para mim, e volta a correr na direção iluminada do caminho e eu a sigo, o corredor não era muito largo, apenas alguns metros, toda a construção era feita de pedras grandes brancas, em cima das paredes, estavam pequenas tochas iluminado o caminho.

 

 

Com cuidado, para não acionar nenhuma armadilha, nos dois estávamos andando bem lentamente dessa vez.

 

 

“BAMM!”

 

 

Então o teto acima de nós se abre, e dele, várias pessoas caem em nossa frente, todos elas estavam usando armaduras gregas cor de bronze completas, com um capacete que cobria seus rostos, estavam segurando lanças, espadas e arcos.

 

 

 

Não houve conversa, eles só nos atacaram, primeiro eu abaixei meu corpo para que as flechas dos arqueiros que estavam atrás da infantaria passassem por cima da minha cabeça, então eu me teleportei ignorando a infantaria que veio na minha direção.

 

 

Apareço mais uma vez atrás dos dez arqueiros, que nem se viram para me atacar, com um golpe da minha espada, eu cortei  a cabeça de dois, não houve sangue, e sim uma nevoa negra que saia do pescoço deles, e quando as cabeças caíram no chão, elas se transformaram em fumaça assim como os corpos, essa fumaça negra em vez de se dissipar, se espalhou pelos os outros arqueiros entrando em seus corpos.

 

 

 

Dou um salto para trás para tentar entender o que aconteceu, os oito arqueiros então se viram para mim um pouco mais ágeis que antes, e disparam contra mim, coloco meu escudo na frente do meu corpo e corro na direção deles, as flechas acertam meu escudo, e quando chego na frente deles, eu corpo ao meio o terceiro arqueiro.

 

 

Pulo e rolo no chão desviando de mais um ataque, quando me levanto, estou de cara com o próximo inimigo que eu acerto com meu escudo incriado destruindo seu crânio.  Depois dessas mortes, que aconteceram em poucos segundos, o mesmo efeito aconteceu de novo, os corpos viraram nevoa, que foi absorvida pelos que ainda restaram.

 

 

Olho para frente e vejo que meu tempo acabou, uma parte da infantaria deu meia volta e estava vindo em minha direção, a outra ficou lutando contra Diana que não estava os destruindo, e sim apenas se defendendo dos seus golpes com seus braceletes.

 

 

Entendo, se eu matar um deles, os outros ficam mais fortes, então a melhor maneira de ganhar é os parar, sem os matar.

 

 

Corro na direção de Diana desviando de qualquer soldado na minha frente, quando eu não podia desviar, eu pulei usando o muro do corredor como trampolim passando por cima deles e pousei poucos centímetros de Diana.

 

 

“Eu tenho um plano, mas você tem que ficar atrás de mim.” Digo para ela.

 

 

Diana acena para mim, e recua junto comigo por alguns metros, para que todos os inimigos se juntem, quando eu parei de correr, e fiquei de frente para eles, Diana ficou atrás de mim, observando meu movimento.

 

 

Seguro minha espada virada para baixo e a enfio no chão ficando de joelhos de frente para o exército vindo em minha direção. Normalmente eu tento usar magia em momentos chave para acabar com a luta, já que a usar é bastante cansativo, e eu não sei o quando vou ter que andar até chegar o final, mas eu vou ter que arriscar.

 

 

“Επικαλούμαι το κρύο της θλίψης του ποταμού Cocyte!”  {Eu Invoco o Frio da Tristeza do Rio Cócito!}

 

 

De onde eu estava segurando a espada, um nevoa negra como piche surgi e vai em direção dos soldados, quando ela passa pelos pés deles, todos eles são congelados

 

 

 

Agora todos os soldados estão até os joelhos congelados.

 

 

Eles então começam a tentar escapar batendo com suas armas no gelo, tentando desesperadamente se solta, aqueles que conseguem quebrar o gelo em suas pernas, também as quebraram, os deixando no chão se arrastando.

 

 

“Suas habilidades mágicas estão cada vez mais poderosas.” Diz Diana ficando do meu lado.

 

 

“Obrigado.”

 

Esse é um dos meus feitiços pessoais que eu criei, tenho alguns deles feitos usando o mesmo sistema. O rio Cócito, é um dos rios que cruzam todo o submundo, meus feitiços podem invocar alguns aspectos do submundo, como o frio das lamentações do rio da tristeza. Só posso invocar uma parcela do seu poder verdadeiro no momento, mas isso é o bastante para me dar confiança em ser um herói.

 

 

 

“Vamos, não podemos ficar parados muito tempo.” Diz então Diana.

 

 

 

Ela começa a correr em direção dos soldados, e quando chega próximo a eles, ela pula por cima deles os atravessando, e eu a sigo.

 

 

 

Saímos do templo correndo a toda velocidade, como sempre, Diana na frente e eu atrás, eu estava me sentido um pouco cansado, deveria ter usado menos meu teleporte das sombras, foi um erro, que não vou repedir mais.

 

 

Após saímos do templo, voltamos para a caverna. Até que atravessamos uma grade fissura num paredão, e demos de cara para um grande labirinto de pedra amarela, estávamos bem acima dos muros dele, só posso ver as várias e várias curvas e caminhos que ele tem, qualquer pessoa demoraria dias para encontrar a saída, ou talvez nunca encontrasse.

 

 

“Esse é o primeiro labirinto.” Diz ela do meu lado, olhando para o labirinto abaixo.

 

 

“Pensei que já estivéssemos no labirinto.”

 

 

“Estamos, mas toda vez que venho aqui, ele matem essa mesma cena, mesmo que todas as outras sejam diferentes.” Diz ela.

 

 

“Você vem muito aqui?” Pergunto para ela.

 

 

“Gosto de vir pelo menos uma vez a cada geração, para manter minhas habilidades afiadas.” Responde Diana sorrindo.

 

 

Ela então para de falar, e continua a andar, mas ela não pula direto para a entrada abaixo do labirinto, e sim no alto da parede deles, e pulando de uma para outra, ela avança pelo labirinto sem entrar nele, e eu claro a sigo.

 

 

Pode ser meio que uma trapaça, mas depois de um tempo, eu percebo porque ela trapaceou, na verdade, o maldito labirinto em que estávamos pisando, é muito maior que eu pensei, sinceramente, não sei como algum conseguiria passar por ele normalmente. Era outro teste, dessa vez para julgar nossa originalidade.

 

 

“Aqui vem eles!” Diz Diana então.

 

 

Das paredes abaixo do labirinto, sombras negras em forma de mãos nos atacam, nós dois continuamos em frente, agora correndo a toda velocidade, mas as sombras eram rápidas, e estava começando a ficar difícil desviar delas.

 

 

“Normalmente, é nessa parte do labirinto que ele começa a tentar nos vencer usando truques mentais, você está tento alguma alucinação?” Pergunta Diana na minha frente.

 

 

“Essas coisas negras tentando me puxar para baixo são uma ilusão?” Pergunto para ela.

 

 

“Não, elas são reais.” responde Diana.

 

 

“Então eu estou bem.”

 

 

Na metade do caminho do labirinto, as mãos sombrias estavam dando cada vez mais trabalho, então saquei minha espada para me ajudar a continuar o caminho, Diana, por outro lado, escolheu voar alguns metros acima das paredes.

 

 

Então finalmente vemos o fim do labirinto, era mais uma abertura no centro de dois paredões de rocha pura negar. Quando saímos do labirinto original, chegando até o chão de roxa a poucos metros da entrada, as tochas em volta do local se acenderam iluminando o recinto, e no centro dele, entre a saída e nos, um Minotauro gigante se formou.

 

 

Diferente daqueles que lutamos no início do labirinto, esse parecia de carne e osso, com mais de quatro metros de altura, com cabeça de touro com longos chifres, sua pele era vermelha, ele não estava usando nada para cobrir seu tronco vermelho de puro músculos, ele estava apenas usando um pedaço pano cobrindo sua nudez, deixando suas pernas cabeludas e cascos a mostra, e em sua mão ele segurava um machado de dois gumes de cabo curto.

 

 

“GRRRRRRRRRRRR!” rugi o monstro para nós.

 

 

“Vamos fazer isso juntos Diomedes, só assim para conseguimos a vitória.” Diz Diana sacando sua espada e escudo pela primeira vez desde que entramos no labirinto.

 

 

Diana avança lentamente com seu escudo levantado andando pela esquerda do Minotauro, que não se moveu inicialmente, até que Diana ficou alguns centímetros de cara com a saída, foi aí que ele se correu até ela fazendo o chão tremer por conta de seu peso.

 

 

O Minotauro atacou Diana com seu machado, ela defendeu com seu escudo, mas a força do golpe a fez dar alguns passos para trás, algo que o Minotauro não sofreu, então ele ataca de novo, para escapar desse ataque, ela pula por cima da cabeça dele dando uma mortal no ar caindo de frente para mim.

 

 

Quando ela pousa no chão, o monstro gira seu corpo atacando com seu machado esperando a cortar. Foi aí que eu entrei na luta, me teleportei na frente do ataque dele, na frente de Diana, defendi o golpe dele com meu escudo, o resultado foi assustador, o escudo não resistiu a força do monstro, o machado cortou o metal quase acetando meu braço. Mas o propósito da minha interrupção foi alcançado melhor que esperado, quando eu parei o ataque dele, Diana ficou livre para fazer seu próprio ataque, ele pulou por cima de mim tentando enfiar a espada no coração do monstro, mas o ele era mais inteligente que o esperado, ele soltou sua arma e deu um soco no rosto de Diana a mandando para longe.

 

 

Depois disso ele tenta me acertar também, mas eu solto para trás desviando, e também jogo meu escudo inútil junto da arma do Minotauro na direção do labirinto que atravessamos para chegar aqui.

 

 

Vejo então Diana passando por meu lado voando com a espada levantando, ela tenta acerta a cabeça dele, mas ele vira seu rosto desviando por pouco, mas o golpe de Diana corta um dos longos chifres do monstro que  segurou seu corpo no ar, Diana foi rápida, e acertou o pulso dele com seu escudo o fazendo a soltar.

 

 

Eu então me teleportei mais uma vez, agora aparecendo atrás dele tentando cortar sua pata, mas de alguma forma ele parecia estar esperando isso, ele me deu um coice acertando bem no meu estomago me fazendo rolar para trás.

 

 

Foi um golpe forte, o mais forte que eu já sofri desde que vim para esse mundo, mas minha resistência e fator de cura me deixaram perfeitamente bem no momento que me levantei do chão.

 

 

Olho para o Minotauro, e vejo um laço dourado brilhante envolver o seu pescoço, Diana nas costas dele começa a puxar a laço tentando o enforcar, mas a força do Minotauro a pega de surpresa quando ele gira todo seu corpo para o lado arremessando Diana em direção da parede da caverna.

 

 

“BOOOM!”

 

 

Quando ela bate na parede, ela solta seu laço libertando o Minotauro, que olha para mim bufando, ele abaixa seu corpo e fica de quatro no chão, isso me lembrou imediatamente um touro em seu ataque, eu poderia esperar o último momento, e escapar do ataque dele, mas eu tenha outros planos.

 

 

Solto minha espada e abro meus braços num gesto de provocação, que é aceito pelo meu inimigo, ele joga terra para trás dele com seu casco traseiro algumas vezes, e corre com os quatro membros no chão em minha direção. A poucos metros de mim, eu fecho meus olhos e me concentro para fazer meu próximo truque.

 

 

Quando ele estava prestes me acertar com sua cabeça e chifre, eu abro meus olhos e digo as palavras.

 

 

“Επικαλούμαι το άτρωτο του ποταμού Styx!” {Eu invoco a invulnerabilidade do rio Estige!}

 

 

Quando minhas palavras são faladas, uma camada de energia negra fina como papel envolve todo meu corpo.

 

 

“BAAAAMMM!”

 

 

O Minotauro acerta com sua cabeça bem no centro do meu corpo, mas quando seu chifre tocou minha pele, ele se partiu e quebrou, fazendo que apenas sua cabeça me acertasse, mesmo assim, eu não senti dor.

 

 

O feitiço que usei agora conjura o poder do rio da invulnerabilidade do submundo, deixando meu corpo livre de qualquer dano pelo tempo que minha energia possa o suportar, mas eu o deixei ativo por apenas um segundo, e o desativei quando o impacto acabou, dessa forma economizando energia.

 

 

A força do Minotauro era grande, então eu fui arrastado só parando quando minhas costas tocaram a parede da caverna, não quis desperdiçar a oportunidade, então eu envolvo o pescoço dele com meus dois braços, e falei rapidamente meu próximo feitiço.

 

 

“Επικαλούμαι τη δύναμη του Sisyphus!” {Eu invoco a força de Sísifo!}

 

 

Quando eu acabo de falar, sinto uma abundância de força física correndo pelo meu corpo, não hesito,  puxo com toda minha força o pescoço do Minotauro para cima.

 

 

“CRACK!”

 

 

Quando eu escuto o barulho do osso quebrado, eu o solto, e o monstro cai no chão morto. E depois desaparece se transformando em fumaça.

 

 

Sísifo, o homem que foi condenado a empurrar uma pedra gigantesca morro acima de uma montanha, nunca podendo chegar ao cume. Ele não é um deus da força ou algo assim, mas seu trabalho representa isso.

 

 

“Magnifico Diomedes, você conseguiu!” diz Diana aparecendo.

 

 

“Teria sido um pouco mais fácil, se você me ajudasse.” Digo para ela um pouco furioso.

 

 

O pequeno show que ela deu não me convenceu, o único golpe real que ela deu, foi o que arrancou o chifre do Minotauro.

 

 

“Se eu fizesse isso, não seria seu teste.” Fala Diana sorrindo enquanto avança me deixando para trás.

 

 

 

Antes de a seguir, vou em direção da minha espada no chão, infelizmente, eu não dei sorte, o maldito monstro pisou nela assim quebrando a lâmina.

 

 

 

Ainda fico com ela, uma lâmina quebrada é melhor que nada.

 

 

 

Então eu atravesso a abertura na parede seguindo Diana, do outro lado, o próximo inimigo do teste já está nos esperando, uma bela mulher com cabelos brancos e olhos azuis, ela estava usando uma tiara dourada em sua cabeça e vestindo uma toga branca no estilo grego na horizontal no seu ombro.

 

 

Quando a vejo, já fico na posição de ataque.

 

 

“É bom ver você de novo Ariadne.”  Diz Diana cordialmente para a mulher.

 

 

“O mesmo Diana.” Responde à mulher.

 

 

Agora sei que às duas se colhessem, então abaixo a guarda, parece que chegamos ao fim do labirinto.

 

 

“Essa é Ariadne.” Diz Diana fazendo as apresentações.

 

 

“Ela é responsável pelo labirinto.” Continua ela.

 

 

“Prazer em colhesse-la.” Comprimento a mulher na minha frente, se minha memória não estiver errada, ela é a esposa de Dionísio.

 

 

“É um prazer conheça-lo também, Diomedes, filho de Hades.” Fala para ela fazendo uma saudação de uma maneira bem-educada.

 

 

“Os testes desse ano realmente foram bem impressionantes Ariadne.” Volta Diana a conversa.

 

 

“Eu não crio os testes Diana, apenas guardo o labirinto.”

 

 

“Esse já foram os mais letais  que já vi.”  Rebate Diana.

 

 

“O pai da criança queria saber se ele é digno.”

 

 

“Meu pai!” interrompo a conversa delas.

 

 

“Digno de quê?” Pergunta Diana.

 

 

“Dos presentes dele.” Responde Ariadne.

 

 

Ela então se vira, e atrás dela, vemos algo coberto por um cobertor preto, mas pelo formato, e obvio que é uma armadura.

 

 

“E eu passei no teste?” Pergunto para Ariadne.

 

 

“Nos dois testes?” Depois pergunto olhando para Diana.

 

 

“Sim, meu pupilo, você está pronto.” Responde Diana sorrindo.

 

 

 

“Eu não mostraria o prêmio para você, se não tivesse passado.” Responde também Ariadne.

 

 

Sorrindo de felicidade, eu vou até o cobertor, e o removo, estava certo sobre a armadura, mas também a uma espada e escudo junto dela, uma espada e escudo negros como a noite sem estrelas.


Notas Finais


Voltando como prometido. Mostrei um pouco da magia do Diomedes nesse capítulo, vou focar nesse estilo, acho que ficou muito legal para o MC.


Próximo capitulo vamos encontra outros heróis, vai ser uma mine saga de dois capítulos, estou escrevendo ela agora, é estou gostando bastante.


Espero que tenham gostado, qualquer erro por favor me avisem.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...