História The Prince's Virgin - Short-Fic Taehyung (HOT) - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Kim Taehyung (V)
Tags Bts, Hot, Imagine, Kim Taehyung, Romance Conto De Fadas, Taehyung, Tmy, Você
Visualizações 780
Palavras 1.980
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - Você


Eu só tinha ido ao palácio uma outra vez. Eu tinha sete anos e ganhei um concurso de redação sobre a vida em Ladoria. Eu tinha sido convidada para o palácio e havia fotógrafos e cupcakes e a própria rainha havia me dado uma placa com o meu nome nela. As fotos estavam no jornal no dia seguinte, e todos na escola conversaram sobre isso por semanas.

Lembrei-me de estar nervosa naquela manhã, maravilhada com o palácio, com suas grandes salas e pisos tão brilhantes que eu era capaz de me ver neles. Esses nervos não eram nada parecidos com os que eu estava sentindo agora, no dia do festival. Os quartos ainda eram grandes, e os pisos ainda eram brilhantes, mas eu não era mais uma garotinha, e eu não estava aqui para uma placa ou um cupcake. Eu estava aqui para o festival, e achei que poderia vomitar ou desmaiar quando fui conduzida a uma sala cheia de garotas e vestidos lindos. Uma mulher com um rosto gentil e óculos empoleirados em cima de sua cabeça se aproximou de mim e me olhou de cima a baixo, consultando uma prancheta. Seu crachá dizia Rachel e ela parecia estar no comando.

- ______? - Ela perguntou.

- Sim, - Eu disse. Ao meu redor, garotas estavam sendo vestidas em trajes por uma série de criados, fechando-os e puxando-as para dentro.

- Muito bonita, - Ela disse, me olhando. - Esbelta, mas não muito magra. Olhos grandes, uma boa estrutura óssea em seu rosto. Você precisa de cores pálidas para seu lindo tom de pele e tez. Verdes e rosas vão fazer você estourar. - Ela terminou, marcando-o em sua prancheta quando senti minhas bochechas corarem.

- Obrigada. - Eu disse. Eu não tinha certeza, mas todas essas coisas pareciam elogiosas, então, obrigado parecia apropriado.

- Não é hora de modéstia, querida, - Disse Rachel, acenando com a mão. - É hora de se exibir. Sente-se aqui. Bethanne vai lhe trazer vestidos para experimentar. Há um verde com detalhes dourados, um dos meus favoritos, e espero que caiba em você. A cor escondeu algumas outras garotas, mas em você? Perfeito.

- Oh, eu também espero. - Eu disse. Eu realmente não tinha muitas esperanças para os vestidos. Nenhum dos que eu podia ver sendo experimentado pareciam o meu estilo, mas eu não queria decepcioná-la.

Sentei-me na cadeira que ela apontou e encontrei-me olhando para o meu próprio rosto no espelho. Eu fiz uma careta, tentando ver a estrutura óssea que ela tinha falado, mas apenas vendo as mesmas coisas que sempre via. Eu não estava insegura em minha aparência, mas também não pensava nela como algo especial. Ao meu redor, assim como eu suspeitava, haviam lindas garotas, passando as mãos pelas curvas sendo abraçadas e destacadas pelos vestidos e sorrindo para si mesmas no espelho.

- Você tem alguma coisa menor? - uma loira alta e esbelta perguntou a uma das criadas, empurrando o decote enquanto falava e inclinando a cabeça.

- Qualquer corte inferior e eles vão cair, - Disse uma morena pequena ao lado dela enquanto a empregada saía para pegar mais vestidos.

- Você está com inveja porque eu tenho mais com o que exibir, - Disse a loira. - Eu ouvi o Príncipe herdeiro ama isso.

- Eu não estou preocupada, eu tenho maneiras de competir, - A outra garota disse, examinando seu próprio vestido, passando os dedos sobre as lantejoulas correndo pelos lados.

- Eu não acho que sua especial habilidade com homens faz parte do festival, - Disse a loira. - Você não pode ficar de joelhos no meio do palco.

Eu engoli em seco enquanto ouvia, sentindo-me corar novamente.

- Mas posso prometer que o farei assim que estivermos sozinhos, quando ele quiser, - Disse a morena, rindo e depois fazendo uma careta no espelho com os lábios e a língua. - Assim...

- Pervertida, - Disse a loira, balançando a cabeça.

Eu sabia que provavelmente deveria concordar, mas principalmente eu invejava a confiança da garota, sua capacidade de dizer o que ela queria em voz alta assim.

Eu imaginei isso. Muitas vezes. Uma mão forte no meu cabelo, coxas firmes e quentes, fazendo um homem gemer quando eu o levasse em minha boca, provando e sugando e deixando...

- Seus vestidos. - Disse uma voz, tirando-me dos meus pensamentos. Eu balancei a cabeça e olhei para a pilha que havia sido trazida para mim. Eu me levantei e estendi a mão para eles. O tecido parecia mais bonito do que qualquer coisa que eu já possuíra, e as cores eram ricas e saturadas. Nenhum deles parecia com qualquer coisa que eu usaria.

Eu permiti que Bethanne me ajudasse no primeiro e franzi a testa novamente, olhando no espelho. O vestido rosa estava tão apertado que eu mal conseguia respirar, e se não fosse pela fenda que subia quase tão alto quanto o meu quadril, eu tinha certeza de que não seria capaz de andar nele. Eu me sentia estranha e envergonhada com isso. Eu balancei a cabeça.

- Não este. - Eu disse, desviando o olhar do meu próprio reflexo.

A poucos metros de distância, a garota loira usava um vestido novo, corte baixo e vibrante contra a pele. Ela parecia sem esforço sexy, e eu me senti ainda mais desajeitada no meu próprio vestido.

Os próximos três vestidos eram todos iguais. Apertado e exposto, tops cortam baixo e saias cortam alto, tecido aderindo ao meu peito e minha bunda como tinta. Eu não podia imaginar andar por aí, sabendo que por trás da cortina, olhando para mim, estava o príncipe herdeiro.

Eu entrei em outro vestido, sentindo-me miserável e mal prestando atenção.

- Eu sabia. - Uma voz familiar disse atrás de mim antes que eu pudesse olhar para mim mesma. Rachel, a mulher com o rosto gentil e os óculos estava de volta, sorrindo para mim. - Este vestido é feito para você. - Disse ela. Eu me olhei no espelho, esperando ver o que ela via.

Eu não fiz.

O vestido estava apertado, o tecido verde justo em minhas coxas, o pequeno deles coberto de qualquer maneira. Era de corte baixo, e o acabamento dourado que ela mencionara mergulhara no meu decote. Eu me senti ridícula e envergonhada.

- Você seria uma tola para não usar este, - Disse Bethanne, assentindo, como se ela concordasse. Eu fiz uma careta.

- Como eu disse, hoje é um dia para se mostrar, e isso mostra você perfeitamente, - Disse Rachel, marcando algo em sua prancheta.

- Eu não tenho certeza. - Eu comecei, puxando a barra.

- Está resolvido. - Disse Rachel. - confie em mim.

- Vou pegar os biquínis agora. - Disse Bethanne, virando-se para sair.

Meu coração afundou. 

Eu me olhei no espelho novamente. 

Eu não sabia como eu ia fazer isso. A sensação de mal estar no meu estômago estava de volta.

Era apenas um dia, eu disse a mim mesma, um dia. 

Um dia de vergonha, e então o príncipe herdeiro escolheria uma dessas outras garotas, e eu poderia voltar para a minha vida e esqueceria tudo sobre isso.

O pensamento não fez nada para acalmar meu estômago ou meu pulso acelerado.


Point of view Taehyung


A coisa toda parecia absurda. 

Sentado atrás de uma cortina assistindo a um desfile de mulheres. 

Senti uma persistente e irritante irritação com isso. Mesmo que a mulher que eu conheci nas mídias sociais, a mulher fascinante que eu não conseguia afastar dos meus pensamentos, estivesse aqui, isso não mudaria o fato de que essa não era a introdução que eu teria escolhido. Eu ainda preferiria conhecer uma mulher sozinho do que durante toda essa cerimônia, e não pude deixar de pensar que seria mais bem-sucedido do meu jeito.

As mulheres que haviam passado até agora não estavam ajudando meu humor. Eu queria que uma delas fosse a garota do Line, mas todo mundo que passava me entediava, não importava o quão apertados fossem seus vestidos, o quanto seus quadris balançavam quando dançavam, ou quão bem seus biquínis mostravam sua pele. Eu não tinha certeza do que estava procurando, o que tornava alguém inesquecível, mas nenhum delas tinha isso. Várias delas fizeram rostos para as cortinas que eu tinha certeza que deveriam ser para mim. Todas elas julgaram mal meu esconderijo, e os gestos só me fizeram revirar os olhos.

Eu voltei na minha cadeira, pensando em pedir uma bebida forte.

Eu queria que uma delas fosse a garota que eu conhecia como Irene, queria olhar para uma delas e saber. O que a identificaria, eu não tinha certeza. Eu pensei sobre isso na noite anterior, no entanto. Eu deveria estar lendo sobre uma próxima fusão de negócios que beneficiaria a Ladoria. Em vez disso, fiquei acordado, lendo conversas com Irene, imaginando-a sendo uma das garotas de hoje. Eu queria ouvir sua voz, ouvi-la dizer em voz alta as coisas que ela digitou, queria ver o rosto que eu tinha certeza que era incrivelmente sexy, queria beijá-la até que ela estivesse sem fôlego.

As mulheres à minha frente eram um mar de rostos, cada um como o último. Eu não achei que nenhuma delas pudesse ser Irene. Vinte e três mulheres até agora, e eu não conseguia me lembrar de nada sobre nenhuma delas.

Eu não estava tendo nenhuma esperança pelo número vinte e quatro, ______ - até que a vi. Assim que ela entrou no palco, havia algo nela que me fez sentar. Ela era linda, com certeza, mas não era isso. Essa garota tinha outra coisa. Havia inteligência em seus olhos e um rubor em suas bochechas enquanto andava.

Ela estava claramente nervosa, puxando a bainha do vestido verde que ela usava, cruzando e descruzando os braços.

Ela dançou como se quisesse acabar com isso, olhando para um público imaginário, com os olhos longe de mim. Mas eu a queria mais perto, queria saber mais sobre ela. Tudo o que ela fez, todos os movimentos, me fez querer continuar a observá-la.

Ela quase parecia assustada. Isso me fez querer fechar tudo, dizer a todos para parar, parar de olhar para ela. Isso me fez querer levá-la para algum lugar seguro e remoto. Isso me fez querer beijá-la. Me fez querer fazer seus olhos se arregalarem por razões melhores, mais prazerosas.

Eu circulei seu nome na lista e fiz sinal para um servo.

- Eu preciso de uma bebida, um uísque, - Eu disse. - E chame o planejador de eventos.

- Sim, senhor. - Disse ele, correndo para longe com um rápido aceno de cabeça. Eu me inclinei para trás novamente, mal vendo como outras duas mulheres se apresentavam.

- Tudo está satisfatório? - O planejador de eventos disse, chegando ao meu lado, segurando minha bebida. Eu tirei da mão dele e tomei um longo gole antes de responder.

- Não. - Eu disse. - Mas tomei uma decisão.

- Sobre uma mulher? - O planejador perguntou, parecendo surpreso. Seu rosto estava vermelho extra, como se talvez tudo isso fosse muito estressante para ele. Era besteira desde que, era eu quem deveria decidir todo o meu futuro romântico baseado neste dia. Se alguém deveria ficar estressado, deveria ser eu.

- Obviamente. - Eu disse, aborrecido.

- Ainda há vinte para ir, você não pode decidir ainda. - Disse ele, parecendo confuso.

Tomei outro longo gole da minha bebida.

- O resto delas está livre para atravessar o palco, mas eu já escolhi. - Eu disse. O número vinte e quatro, ______, era a garota mais intrigante que eu tinha visto o dia todo. Eu queria conhecê-la, queria ela perto de mim. Me perguntei se ela era Irene, se de alguma forma, impossivelmente, eu soubesse quando a vi, mas mesmo que ela não fosse, eu a queria.

- Cinqüenta são escolhidos por uma razão e com muito cuidado... - Ele começou.

- Número vinte e quatro. - Jogando a lista para ele e engolindo o resto da minha bebida.

O organizador de eventos abriu a boca, depois fechou-a de novo rapidamente, como se ele pensasse melhor sobre o que estava prestes a dizer. Ele se afastou, assentindo uma vez.

Fiz sinal para outra bebida, impaciente para encontrar ______.


Notas Finais


Esse organizador é pé no saco viu!! Ó homii 💥 O que estão achando?? Continuamos??

Obrigado aos comentários e aos ❤

Xeruuu~~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...