1. Spirit Fanfics >
  2. The Princess and The Frog >
  3. Cap 04 - Frankie

História The Princess and The Frog - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


Yo

Por favor, compartilhem a fanfic como puderem <3

Capítulo 4 - Cap 04 - Frankie


Fanfic / Fanfiction The Princess and The Frog - Capítulo 4 - Cap 04 - Frankie

- Fui eu. Eu disse ao nossos pais que você saiu.

Eu paro, e me viro de frente a ele.

- O que...? Por quê?! - Aumento meu tom de voz.

Nós sempre fomos muito próximos, contávamos tudo um ao outro, desde pequenos. Eu sempre confiei nele. Então por quê?

- Ariana... Você tem ideia de como é ficar nesse castelo, ouvindo merda dos nossos pais enquanto minha irmã está indo em festas escondida, podendo ser morta a qualquer momento?

- Mas isso não justifica. Eu te disse que qualquer coisa que aconteça comigo é problema meu. Eu confiei em você, nem não disse nem para a Sara! Além disso, eu faço isso há muito tempo! Por que você só se preocupou agora?

- Eu não me importo com o que você me disse! Eu sou seu irmão, é claro que eu vou me preocupar com você!

- Olha, eu não sei onde você quer chegar, mas, se você disse ao nossos pais por vontade própria, eu-

- Ariana, é sério, escuta o que eu estou te dizendo!

- Frankie, você é um cuzão.

Ele para de falar e eu vou em direção ao meu quarto. Quando vou trancar a porta, a chave não estava mais lá. Olho para cima. Havia algo parecido com uma câmera de segurança ali.

- Ah... Que ótimo. - Deito em minha cama, logo escutando alguém bater na porta.

- Vai pra merda, Frankie.

- Ariana? - Era a voz de Sara.

Ela logo abre a porta com o mesmo rosto de sempre, gentil e calmo.

- Ah... Me desculpe, pensei que era meu irmão... - Digo enquanto me sento.

- Tudo bem. - Sara se senta ao meu lado, passando sua mão em meus cabelos. - Ele saiu daqui chorando, vocês brigaram?

Paro e penso antes de responder.

- ... O que você acha? - Paro novamente. - Me desculpe... Eu deveria ter te contado, eu não-

- Sabe muito bem o que eu penso sobre isso. - Ela parecia irritada, mas seu rosto continuava calmo.

- ... Sinto muito.

- Está tudo bem. - Apoio minha cabeça em seu ombro. - Sei que é difícil se adaptar, principalmente na sua idade.

Sinto vontade de chorar, mas eu seguro.

- Frank... Como ele pode? Eu confiei nele, durante toda a minha vida!

- Tenho certeza que ele não fez por querer.

- Como assim...? - Pergunto, mesmo já sabendo o que ela quer dizer.

- Seus pais o tratam como nada. Às vezes, fingem que ele não existe. - Ela suspira. - Tenho certeza absoluta de que eles o obrigaram.

- Como pode ter tanta certeza?

- Eu convivo com vocês há muito tempo, sei que Frank nunca faria alguma coisa para te deixar mal.

- Certo... Acho que eu fui a babaca da história...

- Não se culpe, você estava irritada, isso é totalmente compreensível.

- ...Entendo...

Ficamos em silêncio por um tempo, mas decido falar.

- Sara... Eu acho que eu gosto de um garoto.

- Mesmo? - Ela me olha um tanto surpresa. - Quem?

- Eu o conheci em uma das festas. Ele me conversou comigo e me ajudou a sair do local quando ficou perigoso. Foi bem gentil.

- Ariana... - Agora, parecia preocupada. - Infelizmente, você já está comprometida. Você é noiva de Charlie Hill-Grant. Eu queria muito poder te ajudar, mas, eu sou apenas uma camareira. 

- Você me ajuda muito, sempre. Não é só uma camareira, para mim, é uma mãe. - Sorrio para Sara, que me abraça.

- Muito obrigada, Ariana. Você não faz ideia de como isso me deixa feliz.

- Eu só disse a verdade.

- Eu agradeço imensamente. Enfim, você deveria se arrumar para dormir. Eu terei de ligar a câmera, me desculpe.

- Tudo bem, não é sua culpa. - Sara sai de meu quarto sorrindo, como o de costume.

Vou ao banheiro e me troco. Logo, escovo os dentes e meu cabelo. Saio do local e volto ao quarto, dirigindo-me a minha cama.

A câmera de segurança parecia ligada. Apenas suspiro e adormeço, coisa que não fazia por um bom tempo.

 

 

 

Acordo com o despertador. Hoje é sábado, o que significa que terei mais descanso. Nos sábados, apenas respondo cartas e treino meu canto.

Levanto rapidamente e me arrumo como sempre. A câmera parecia desligada, provavelmente, eles a ligam só de noite.

Após me arrumar, desço as escadas e vou em direção a sala de jantar. Meus pais estão me esperando, mas não vejo Frankie.

- Bom dia Ariana. - Minha mãe olha para mim sorrindo, como se nada tivesse acontecido. - Dormiu bem?

Isso sempre acontece.

- Oi... O Frankie não vem?

- Frankie? Que Frankie? - Meu pai se vira para mim.

- Meu irmão... Seu filho... Frankie...

- Filho? Ariana, só temos a você. - Minha mãe diz. - Tem certeza de que dormiu bem?

- Mãe...?

Antes que eu pudesse dizer algo, o café da manhã é servido.

- Agora, sem mais perguntas, vamos comer. - Meu pai eleva seu tom de voz se virando para mim.

Apenas obedeço e começo a comer.

Estava preocupada. Termino de tomar meu café rapidamente e subo as escadas.

Me dirijo ao seu quarto e bato na porta.

- Ei, Frankie... Quer conversar?

Sem resposta.

- Eu... Posso entrar?

Tento abrir a porta, mas parecia trancada.

- Frankie, você-

De repente, escuto um barulho muito alto de dentro do quarto. Parecia alguém caindo. Provavelmente, se chocou contra a porta.

- Frankie! Tá tudo bem?!

Novamente, sem resposta.

Tento bater e abrir a porta desesperadamente, mas nada acontece.

- Ariana? - Era a voz de meu pai. - Ariana, pare de fazer chilique. Venha se despedir.

- Pai... O Frankie... Cadê ele?!

- Não tem nenhum "Frankie". - Ele me puxa pelo braço. - Agora, venha se despedir.

Tento me debater, mas isso só faz com que meu braço doa mais.

Ele me leva para a sala de estar, onde minha mãe nos espera com um sorriso paciente.

Meu pai finalmente me solta, ficando do lado de minha mãe, sorrindo.

- Ariana, eu e seu pai vamos viajar para outro país por conta dos negócios. O navio chega daqui a pouco, espero que entenda. Cuide bem do castelo, certo?

- O que...? Por que me avisaram só agora? E o Frankie?

Meu pai ri.

- Seu irmão imaginário ficará bem. Não se preocupe, voltaremos daqui a dois dias.

Escuto outra batida vindo do andar de cima.

- Mãe, pai, cadê o Frankie?

- Isso não é da sua conta. - Minha mãe me responde com um rosto sério. - Para que você o veja novamente, ele tem de virar homem.

Os dois viram de costas e andam para fora do castelo, me deixando sozinha e confusa.

 

 


Notas Finais


Ih

amovoces <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...