1. Spirit Fanfics >
  2. The Princess Choice - Sprousehart, Bughead >
  3. My Hero

História The Princess Choice - Sprousehart, Bughead - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


O que será que vai acontecer com a Lili?
Espero que gostem desse capitulo

Capítulo 4 - My Hero


Lili se levanta e olha para trás. Uma flecha passa perto de sua cabeça e acerta o tronco de uma árvore. A garota começa a correr o mais rápido que ela consegue; em zigue-zague. Seus pés cansam e ela caí rolando para frente. A respiração pesada e seu coração acelerado são os únicos sons que ela consegue ouvir.

O homem grande desce de seu cavalo. Ele usa roupas rasgadas, sujas além de uma barba suja de sua janta da noite passada. Ele aponta o arco e atira mais uma flecha acertando o pé da jovem princesa; que grita de dor. Ele começa a caminhar em sua direção. O homem prende o arco em sua costa. Ele pega sua espada, presa em seu cinturão. Em seu rosto não há qualquer sinal de sentimento algum, é como se ele estivesse morto por dentro. Lili é puxada pelos ombros. Ela vira o rosto para ver o momento e o quem a vai matar, ao mesmo instante em que pega uma pedra para bater na cabeça dele. Aquele corpo enorme cai em cima do corpo delicado dela. Quando ela abre os olhos após o susto, o homem tem uma flecha atravessada no meio do crânio. Ela começa a gritar e a tentar empurrar aquele peso de cima de seu corpo. Ela nem escuta o som de um cavalo se aproximando. Com uma ajuda o corpo do seu caçador é retirado de cima do seu. Alguém se ajoelha do lado da princesa que para de gritar vendo Dylan, o príncipe.

— Você está bem? — o jovem príncipe diz.

— Ele... Eh...

— Ele está morto. Eu estava caçando quando escutei gritos. Você estava sozinha?

— Não. As... Ah... As suas primas estavam comigo, mas quando ele começou a nos atacar, nós nos perdemos. Ele me seguiu e... E você me salvou.

— Seu pé! — Diz ele vendo a flecha atravessada no pé esquerdo dela. — Como está a dor?

— Forte.

— Temos que tirar a flecha...

— Não!

— Calma! Eu preciso tirar a flecha e enrolar seu pé em algo para estancar o sangue. Aqui, bebe de uma só vez. Vai ajudar um pouco. — Ele entrega uma garrafa com cerveja e ela faz como ele disse.

— Ugh! O que é isso?

— Cerveja. Nunca bebeu antes? — ela nega. — Então quem sabe faça mais efeito do que eu espero.

Dylan rasga a camisa de seu corpo e molha o pano com um pouco do álcool. Os olhos de Lili são hipnotizados pela beleza do príncipe. Ele se prepara e conta até três mentalmente antes de quebrar a primeira parte da flecha. Lili grita e agarra os braços dele, fincando suas unhas na pele do príncipe; que segura a dor. Ele segue para a ponta da flecha. Lili puxa a perna, mas ele puxa de volta. E fazendo força para que ela não puxe a perna. Ele retira o resto da flecha do pé dela, que começa a sangrar.

— AHh! — ela grita e desmaia; decorrente da dor.

Lili acorda, sentindo uma dor como nunca antes em seu pé e cabeça. Seu pé está enrolado em um pano rasgado e um pouco manchado de sangue. O corpo do homem que tentava matá-la, está encostado em uma árvore. Um barulho de água faz com que ela olhe para o lago. Dylan sai do lago com seu corpo escultural; vestindo apenas sua roupa intima. Quando o mesmo vê que Lili acordou, anda até ela e se ajoelha ao seu lado. Lili não consegue tirar seus olhos do príncipe.

— Você está bem? — ele pergunta. — Depois que eu tirei a flecha do seu pé, você desmaiou. Já faz quase uma hora. O sangramento parou. Eu pensei em te levar para o castelo, mas sozinho em cima de um cavalo, não é muito fácil.

— Obrigado pela ajuda. Eu não sei o que ia ser de mim, se não fosse por você. As meninas devem estar preocupadas com o meu desaparecimento.

— Devem. Mas não se preocupe com isso agora. Eu adoraria te convidar para tomar um banho no lago, mas...— ele olha para o pé dela.

— Obrigado pelo convite. Pelo que eu saiba, homens não devem estar vestidos assim na frente de mulheres que não são suas esposas. — Ela dá um leve sorriso e seu olhar passa pelo corpo dele.

— Me desculpe princesa. Sou um príncipe que não segue muito as regras.

— Não é o único.

— O que você quer dizer com isso? — Lili apenas chacoalha a cabeça em negação. — Além do mais, você parece estar gostando muito de me ver assim.

— Claro, você parece ser delicioso. Oh meu deus! — Ela coloca a mão na frente da boca ao perceber o que acabou de falar.

— Oh! Deve ser o efeito da cerveja. Ou será que não?

— Nunca bebi na minha vida, então não sei lhe responder.

— E beijar? A princesa já beijou?

Quando Lili abre a boca para responder quando Dylan a beija. Colocando sua mão direita atrás do pescoço dela, trazendo seu rosto para perto do dele até que seus lábios se colem. O corpo dela se arrepia ao sentir o toque dele. Os braços finos e delicados são colocados em volta do pescoço do príncipe o abraçando. Ela vai puxando até que ele se deita sobre seu corpo a beijando. As mãos de Lili descem para a costa musculosa dele. Dylan desce sua boca para o pescoço dela que suspira. O pé dele encosta aonde a flecha foi acertada causando um alto gemido de dor nela.

— Está bem? — Ele sai de cima do corpo da loira.

— Estou — ela suspira. Seus olhos passam pelo corpo que a segundos estava em cima do seu e percebe que o príncipe se excitou demais com o beijo. Ela não podia culpá-lo, está sem folego por ele. — Apenas não posso me mexer muito. Acho que devemos ir, não é? — diz ela se arrumando.

Dylan pensa por alguns segundos antes de responder. “Claro.”

Dylan se veste sem tentar esconder sua excitação por Lili. Ele a senta em seu cavalo e sobe na frente dela. Ele pede que o segure forte. Ela abraça o abdômen nu de Dylan. Lili não entende o que a levou a aceitar o beijo, se fez bem ou mal por ter aceitado. Ela havia bebido, mas a culpa não foi do álcool, só que é o caminho mais fácil de sair daquela situação. Claro, ele será seu marido então não é errado ela o beijar, mas não é comum ou melhor aceitável esse tipo de relacionamento, dentro da realeza. Na realidade, todos são um monte de hipócritas, que gritam ser puros e gemem prazeres da carne.

Na chegada ao castelo eles são recebidos por cavaleiros que estavam a sua procura. Lili é ajudada por um guarda a descer do cavalo. Dylan desce e a tira dos braços do guarda, a levando em seu colo para dentro do castelo.

Jennifer, Cole, Madeleine, Camila, Marie e o chefe da guarda de Lili os esperam nervosos na sala principal do castelo. Ao ver seu filho com a jovem nos braços Jennifer grita “Graças aos Deuses. O chefe da Guarda tenta pegar a princesa dos braços do príncipe, mas o mesmo não o permite.

— O que aconteceu? Ela está ferida.

— A pobrezinha, nós nos perdemos dela na floresta.

— Que bom que o primo de vocês estava por perto para salvá-la.

— Chamem alguns criados para cuidar do ferimento dela. Ela precisa descansar. Vou levá-la para o quarto e volto para contar o que aconteceu.

Como certa dificuldade por conta dos degraus, Dylan leva Lili até o seu quarto. Ele abre a porta com um chute e deita o corpo dela na grande cama. Ele senta-se ao seu lado. Os dois se olham por algum tempo, sem falar nada.

— Obrigado por me salvar. Se você não estivesse por perto eu estaria morta.

— Não se preocupe com isso. Não fiz mais do que o meu dever de salva a minha futura rainha. Além do mais já me agradeceu. — Ela o olha sem entender. — O beijo foi um presente de agradecimento.

— Beijo? — ela finge não lembrar o que aconteceu. — Aliás, como chegamos até aqui? Eu acordei quando me tiraram do cavalo.

— Você não se lembra do beijo? — Ela percebe a feição dele mudar. O príncipe fica chateado por ela não se lembrar.

— Não. Nós nos beijamos? Isso não pode ter acontecido. Não somos casados e nem temos nada um com outro. Eu jamais poderia fazer algo assim — Lili age inocente.

— Ei! Estou brincando. Não houve beijo algum. Você bebeu a cerveja que te dei e desmaiou. Eu te joguei em cima do cavalo e te trouxe pra cá. — Novamente os dois se olham sem nenhuma palavra ser trocada. — Mas se você quiser, eu aceito o beijo como agradecimento.

— Por favor, não fale mais nisso.

— Desculpa, não irei.

O príncipe se inclina sobre o corpo dela e lhe rouba um selinho demorado, que somente é interrompido por batidas na porta. Duas senhoras entram para cuidar do ferimento da princesa. Dylan sai do quarto com um sorriso no rosto e Lili também mantem um sorriso no seu.


Notas Finais


Espero que tenham gostado do capítulo.
Até o próximo.
XoXo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...