História The Princess of New Orleans - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Originals, The Vampire Diaries
Personagens Caroline Forbes, Elijah Mikaelson, Elizabeth "Lizzie" Saltzman, Freya Mikaelson, Hayley Marshall, Hope Mikaelson, Josette "Josie" Saltzman, Klaus Mikaelson, Kol Mikaelson, Marcellus "Marcel" Gerard, Personagens Originais, Rebekah Mikaelson
Tags Peyton Meyer, Sabrina Carpenter, Shelley Henning
Visualizações 178
Palavras 1.799
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Mutilação, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Espero que gostem☆

Capítulo 9 - "I can not."


Fanfic / Fanfiction The Princess of New Orleans - Capítulo 9 - "I can not."

            P. O. V Hope Mikaelson

Terminei de ajeitar o vestido e me encarei no espelho soltando um longo suspiro em seguida.

Segurei o vestido para não tropeçar no mesmo e sai do quarto. Os outros já estavam lá em baixo a minha espera, desci as escadas e logo todos os olhares se voltaram para mim, Joseph abriu a boca deslumbrando, o que não passou despercebido de meu pai que logo levou um tapo no braço de Caroline ao seu lado.

— Você está...

— Linda? Maravilhosa? Obrigada, mas eu tenho espelho. — Interrompo a fala de Joseph que revira os olhos.

— Seu ego cabe aqui? — Pergunta irônica e termino de descer as escadas.

— Não cabe nem na cidade. — Falo simplesmente.

— Então vamos? Ou vocês dois vão ficar trocando farpas? — Pergunta Rebekah ao lado de Kol.

— Lizzie e Josie não vão vir? — Pergunto pousando meu olhar em Caroline.

— Virão sim, vão vir com o Ric. — Explica a loira em concordância.

— O que você realmente presente com esse baile, Hope? — Pergunta Elijah desconfiado.

— Eu não pretendo nada tio, só quero a família reunida. — Falo com o tom de voz baixo e sorrio minimamente para o mesmo que parece acreditar assim como a maioria ali.

— Então vamos? — Pergunta Freya ansiosa, provavelmente para ver Keelin que também irá ao baile.

— Vamos. - Passo meu braço pelo de Joseph e lhe lança um sorriso meigo. - Lembre-se que eu sou sua amiga e que não pode me matar. — Relembro o fazendo semicerrar os olhos na minha direção.

— O que você fez, Hope? — Pergunta desconfiado e meu sorriso aumenta.

(...)

— Por que diabos você convidou meus pais? — Rosna Joseph se aproximando em passos largos de onde estava junto a minha familia, menos Freya que estava com Keelin.

— Porque eu sou uma pessoa educada. — Respondo desviando o olhar dele para Damon e Elena que conversavam com Caroline.

— Eu te odeio. — Resmunga e Elena olha na nossa direção e o mesmo mais que depressa sai dalí fugindo do olhar da mãe.

— Peraí, Damon Salvatore tem um filho?! — Exclama meu pai incrédulo ao meu lado.

— Eu sei, é estranho. — Falo me virando para ele.

— Como esse desastre aconteceu? — Pergunta com falsa decepção me fazendo sorrir.

— Relaxa, a linhagem de verme vulgo Salvatore acabou em Joseph que virou vampiro e não quer de jeito algum a cura. — Falo e vejo Damon se aproximar junto a Caroline e Elena no início da frase.

— Quanto amor, Mikaelson. — Comenta irônico.

— Meu amor pelos Salvatores é imenso. — Falo sarcástica e Elena revira os olhos.

— Gostaria de conversar com você depois, sobre aquilo. — Fala Elena séria.

— Pensei que havíamos combinado não tocar mais no assunto. — Falo com o semblante sério.

— Também não gostamos desse assunto, Hope. Mas você vai entender o porquê de estarmos voltando nele depois de tanto tempo. — Explica Damon sério e Caroline morde o lábio inferior desconfortável pelo assunto estar sendo novamente comentado depois de tanto tempo.

— Que assunto é esse? — Pergunta Hayley curiosa e confusa como o restante alí.

— Eles chegaram. — Anuncia Joseph aparecendo ao meu lado e o agradeço mentalmente por isso.

Olho na direção da porta onde estava Josie e Lizzie de braços dados com o pai e Jeremy vinha logo atrás.

Vou até eles e logo as gêmeas se soltam de Alaric e me abraçam.

— Eu espero realmente que você não faça nenhuma merda. — Murmura Lizzie e nós três nos separamos.

— Você corto o cabelo. — Comento para Josie.

— É, enjuei do cabelo comprido. — Fala dando de ombros.

— Alaric, que bom revê-lo. — Falo desviando meu olhar para o loiro e nos abraçamos rapidamente.

— Jeremy está com o que pediu. — Sussurra durante o abraço e nos afastamos, Lizzie nos encara desconfiada mas permanece em silêncio.

— Gilbert que consigo suportar por mais de dois minutos. — Falo me voltando para Jeremy que revira os olhos.

— Depois eu te entrego. — Fala simplesmente e se afasta.

— O que deu nele? Outra namorada morreu? O estoque de drogas dele acabou? — Pergunto olhando para os três a minha frente.

— Meu deus, eu quero morrer sua amiga! — Exclama Lizzie levantando as mãos em sinal de rendição e eu reviro os olhos.

(...)

— Se lembra do plano, certo? — Pergunto para Caroline ao meu lado que revira os olhos.

— Sim eu lembro. — Fala Caroline e sorrio para mesma.

— Então é hora de colocar o plano em ação. — Falo olhando para Marcel que falava, nada amigavelmente, com meu pai junto a meu tio e Hayley.

Eu e Caroline nos aproximamos e rapidamente a atenção deles se voltaram para nós.

— O que presente com esse baile? — Pergunta Marcel me encarando com raiva.

— Nada Marcel, eu percebi que a vingança não leva à lugar nenhum, o que realmente importa é a família. Por isso deixei Vicent ir, esse baile é um modo de eu me desculpar com você por tudo que te fiz desde que cheguei. Eu só estava cega de vingança e poder, mas família é poder. Eu desisto de me vingar de você, você somente agiu por impulso pelo aconteceu a Davina Claire. — Dito sincera e no meio do discurso Joseph se aproximou, Elijah sorriu na minha direção orgulhoso pela minha fala enquanto os outros estavam surpresos pela minha "desistência" em relação à vingança.

— Está falando a verdade ou esse é só mais um jogo de manipulação típico da sua família? — Pergunta com dúvida, me aproximo dele parando a sua frente e nego com a cabeça.

— Eu nunca falei mais sério na minha vida, Marcel. — Digo, o moreno me analisa de cima a baixo e então sorri.

— Realmente espero que esteja falando a verdade. — Fala e me afasto dele indo para o lado de Caroline que ganha a atenção do moreno.

— Acho que nunca fomos apresentados, sou Caroline Forbes. — Fala a loira com um meio sorriso.

— Marcel Gerard. — Fala o moreno pegando sua mão e depositando um beijo na mesma, seguro o braço de meu pai ao meu lado quando o mesmo ameaça ir até eles.

— Soube que é o Rei da cidade, gostaria que me contesse um pouco sobre ela. — Fala Caroline e aperto mais o braço de meu pai o puxando para trás.

— Claro. — Concorda Marcel e passa o braço da loira pelo o seu e ambos se afastam.

— O que diabos foi isso? — Pergunta meu pai e solto seu braço me voltando para ele.

— Você vai ver. — Digo e me Afasto deles.

(...)

— Está na hora. — Falo me aproximando de Vicent e encaro Caroline e Marcel que subiam as escadas, a loira me encarou e piscou para mim.

— Claro. — Concorda o bruxo.

Esperamos Marcel e Caroline subirem as escadas e fomos logo depois, nem reparei quando Vicent pegou duas taças com champanhe para nós. Nos aproximos da grade de proteção conseguindo a atenção de todos que nos olhavam com curiosidade.

— Gostaríamos que pegassem uma taça de champanhe e se juntassem a nós em um brinde. — Falo com o tom de voz elevado e logo garçons hipnotizados passaram com bandejas de taças de champanhe e todos pegaram uma. Eu e Vicent estendemos nossas taças para frente.

— Ao retorno dos Mikaelson. — Começa Vicente e sorrio, vejo Caroline descer as escadas disfarçadamente e pega a taça de Jeremy que sobe as escadas indo na direção que a loira veio.

— E a aliança entre eu e Vicent. — Completo voltando meu olhar para frente e tomamos um gole do champanhe enquanto todos estavam surpresos pela minha fala.

(...)

— Eu não acredito que cheguei a pensar que você realmente havia desistindo da sua vingança. — Comenta Joseph me fazendo revirar os olhos.

— Eu realmente fui convincente, não é? — Afirmo com um leve sorriso.

— Realmente. — Fala retribuindo o sorriso.

— Agora que você já falou o que queria, some. — Falo fechando a cara e ele revira os olhos, uma música começa a tocar e as pessoas começam a abrir espaço para quem possuia um par, dançar.

— Vamos dançar. — Afirma e mesmo sobre meus protestos me arrasta até o meio do salão.

Todos os casais já haviam se formado, os casais que eu conhecia era: Meu pai e Caroline, Hayley e Elijah, Kol e Josie, Jeremy e Lizzie, Alaric e Rebekah e Elena e Damon.

— O que você quer? — Pergunto quebrando o silêncio desagradável entre nos dois.

— Eu sei que esse não é o melhor momento, mas você sempre está ocupada em planejar o próximo passo em sua vingança com Marcel...

— Por favor para...

— Não, você vai me ouvir e ficar quieta. Hope você sabe que eu não te vejo so como amiga.

— Joseph por favor, para. — Imploro o encarando nos olhos.

— Eu não posso mais guardar isso só para mim, Hope. — Fala com o tom de voz mais elevado.

— E eu não posso retribuir o que você sente, então, para. — Falo.

— Do que você tem medo? — Pergunta alterado.

— Eu não tenho medo de nada. — Falo firme.

— Então porque não podemos tentar? — Pergunta aproximando seu rosto do meu.

— Porq... — Minha fala foi cortada quando seus lábios se juntaram aos meus me pegando de surpresa.

Tudo a nossa volta parecia não existir, era somente eu e ele. Então eu retribui o beijo, por impulso. Logo a imagem daquele noite voltaram, os gritos, o olhar dele.

Me separei. contudo de Joseph que me encarou confuso, só então percebi que toda a atenção havia se voltado para mim, Caroline segurava meu pai pelo braço, Elena e Damon não estava nem um pouco felizes com o que havia acontecido.

— Eu não posso.

Foi a única coisa que consegui dizer antes de sair correndo dalí, passei pelas portas dublas e torci mentalmente para que ninguém me seguisse.

Fui para o jardim dos fundos da casa, eu precisava respirar e esqueçer o que havia acontecidos. Olhei para cima, na direção da lua e soltei um longo suspiro.

Um vulto passou ao meu lado me fazendo ficar em alerta.

— Quem está ai? É melhor aparecer logo! Prometo não machucá-lo muito. — Falo com o tom de voz ameaçador enquanto olho envolta.

Algo me agrra por trás me pegando desprevenida, me debato tentando me soltar, até que sinto uma agulha se finca em meu pescoço e algo ser injetado em mim, meus olhos vão para a coloração de híbrida, mas antes que eu pudesse fazer algo, apago. 


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...