História The Princess of Persia - Capítulo 17


Escrita por:

Postado
Categorias Camila Cabello, Fifth Harmony
Personagens Camila Cabello, Lauren Jauregui
Tags Ação, Amor, Aventura, Camila, Camren, Clara, Dastan, Fifith Harmony, Lauren, Love, Mike
Visualizações 173
Palavras 1.467
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, LGBT, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Sobrenatural
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hey Mais um Cap!!!! Divirtam-se.
Não se esqueçam de comentar! <3

Capítulo 17 - Traidor


Fanfic / Fanfiction The Princess of Persia - Capítulo 17 - Traidor

POV CAMILA

    Lauren me contava tudo que havia descoberto em Avrat. A tempestade lá fora aumentava e Axel começava a se remexer, movimentando o pano.

      - Calma rapaz. – Lauren disse acariciando o cavalo.

      - Shiii.... – Passo minha mão na cabeça dele e sinto Lauren deslizar sua mão sobre a minha. O contato da pele dela na minha me tranquiliza e me desequilibra na mesma intensidade. As emoções que a princesa despertava em mim eram ainda, indecifráveis pra mim.

      - Como você escapou de lá? – Pergunto olhando seus olhos tristes. A princesa me fita e volta a contar os acontecimentos.

      ...FLASHBACK ON...

    Empurro meu tio contra a parede e saio a toda velocidade dali.

      - Espere Lauren! – Ele grita atrás de mim.

    Corro para fora do armazém dando de frente com um guarda que avança com uma lança pra cima de mim. Desvio da arma e acerto-o um chute fazendo recuar. Outro guarda se aproxima atrás de mim, com um movimento rápido eu apanho a espada do guarda a minha frente, mas não rápido o suficiente. Sinto o metal cortar meu braço e esbravejo de dor. Giro nos calcanhares brandindo a espada na direção do guarda as minhas costas. Uma multidão se formava em volta da briga. Empurro o guarda na direção das pessoas, largo a espada para correr melhor e disparo por entre dezenas de pessoas em um estreito beco da cidade.

    Mais a frente vejo dois homens erguerem um baú, me apresso para chegar até eles e com um impulso salto em cima do baú e me jogo na direção de um pedaço de madeira fincado na parede. Me balanço nele girando no ar me virando para um guarda que corria atrás de mim e o acerto um chute o jogando longe. Volta a girar no ar e tomar outro impulso para ir mais alto, lanço minhas pernas até outro pedaço de madeira a minha frente ficando suspensa no ar na horizontal. Os guardas passam abaixo de mim sem me notarem. Solto as mãos e deslizo para baixo saindo com um mortal lá de cima. Volto a correr por entre a multidão e vejo mais soldados me seguirem. Desvio do ataque de um deles e o seguro usando-o de escudo contra uma flecha. Corro para fora daquele lugar apertado e quente, entrando em uma casa enorme, parecia pertencer a algum sheik. Entro no pátio que estava com os portões abertos vendo uma pequena fonte enfeitar o local. Corro até uma escada que levava para o segundo andar da casa, tenho que chegar no telhado e sair dali rápido, preciso encontrar Camila. Assim que me dirijo para as escadas ouço um grito;

      - ASSASINA!

    Como um animal selvagem, Taylor joga seu corpo contra o meu nos derrubando no chão. Sinto a mão de minha irmã contra meu rosto e minha mandíbula queimar. Rolo para o lado saindo de baixo dela que logo em seguida tenta me acertar com um pequeno machado. Mais uma vez ela brandiu a arma em minha direção e eu seguro seu braço...

      - Eu não matei o pai! – Digo encarando-a.

    Chuto minha irmã para longe de mim e volto a correr pelo pátio, ouço seu grito de fúria atrás de mim. Vejo um soldado entrar na casa me procurando. Subo até o segundo andar dando a volta no soldado lá em baixo.

      - Oh... – Chamo sua atenção fazendo virar com um susto. Pulo em cima dele lá de cima agarrando-o pelo colarinho e jogando-o contra a parede com toda minha força. Ele cai desacordado no chão e eu me agacho para pegar sua espada. Ouço passos rápidos virem em minha direção.

      - AAAHHHH! – Me viro rapidamente já sabendo de quem se tratava.

    Minha irmã surge no pátio novamente me encarrando.

      - Taylor... – Vejo ela apanhar o escudo do soldado. – Eu não matei o nosso pai. – Digo na esperança que ela acredite.

      - Então os deuses perdoaram você. – Ela diz se aproximando. – Depois que sua cabeça rolar. – Taylor diz e logo avança contra mim com fúria.

    Seus golpes eram pesados, ela não recuava. Um golpe após o outro. Eu lutava para para-los ou ao menos desviar deles.

      - Chega de lutar como crianças irmãzinha. – Ela diz após me acertar um forte chute me fazendo cair contra a parede.

    Subo a escada novamente, bloqueando seus ataques o mais veloz que consigo. Mais uma vez minha irmã é mais rápida e me acerta um forte soco na barriga me fazendo arfar. Subo mais alguns degraus me sentando contra a parede.

      - Só sabe fazer isso? – Provoco como sempre fazia quando treinávamos juntas. Ela me olha com ódio e brandi o machado na direção do meu pescoço. Me abaixo e acerto um chute em sua barriga fazendo-a se curvar e cair rolando da escada.

    Puxo o machado que ficou cravado na parede indo até minha irmã. Passo por ela que se contorcia de dor no chão e jogo o machado ao seu lado. Entro na rua cobrindo meu rosto novamente e andando devagar até onde Camila estava, mas no caminho sinto um vento forte surgir do nada atrás de mim, olho para traz sem entender o que via... um redemoinho gigantesco de areia se formava do nada no meio da cidade...

    ...FLASHBACK OFF...

    Lauren conta tudo me deixando sem saber o que falar. Aquilo era um pesadelo para ela tanto quanto para mim.

      - Não foi Chris que matou o pai, foi Heitor. – A princesa fala com a cabeça baixa.

      - O seu tio?! – Falo perplexa.

  - Ele queimou as mãos... – Lauren começa. – Ele disse que se queimou quando tirou a túnica do meu pai, eu pensei sobre isso, ele nem tocou na túnica. Deve ter tocado nela antes. – Ela completa com fúria e dor na voz.

      - Foi Heitor que colocou o veneno. Que valor teria pro meu tio voltar alguns instantes no tempo? Nenhum. – Lauren explica me fitando, seus olhos estavam avermelhados. – Ele matou meu pai mais do que por uma adaga. – Suas palavras me acertam com força, eu estava entendo onde a princesa queria chegar e aquilo não podia acontecer de forma alguma. – A ampulheta!

      - Não... Ele não pode! Lauren não podemos permitir. – Falo tomada pelo nervosismo e ela me envolve com um dos braços me abraçando de lado.

      - E não vamos princesa, não se preocupe. – Tento me acalmar, mas é em vão, eu tinha meu dever sagrado e não podia permitir que os homens desrespeitassem os deuses novamente, tudo poderia ruir, nosso mundo.

    Me aperto mais contra o corpo de Lauren tentando achar conforto. A princesa e eu ficamos em silencio ouvindo o barulho do vento e da areia se agitarem lá fora.

      - A história que você contou.... – Ouço a voz de Lauren me despertar de meus pensamentos. – Sobre a adaga e a ampulheta e como é proibido perfurar a ampulheta com a adaga.... – Levanto meu rosto para fita-la.

    Ela segurava e observava atentamente a adaga em sua mão.

      - Quando meu pai era criança... – A princesa começa a falar me olhando nos olhos. – Heitor salvou sua vida em uma caça. Um dia os dois príncipes estavam perseguindo um antílope, mas não perceberam a leoa que os espreitava. Heitor salvou meu pai com uma lança. Meu pai contou essa história para nós muitas e muitas vezes.

      - Eu não entendo.

      - Heitor deseja voltar no tempo. – Lauren diz me encarrando séria. Meu corpo estremece com a possibilidade de Heitor encontrar a ampulheta. – E mudar o que ele fez. Não salvando o meu pai, deixando ele morrer. Assim ele seria rei enquanto vivesse... E os meus irmãos jamais nasceriam. – Nos fitamos em silencio por alguns segundos.

      Lauren não desviava o olhar dos meu. As coisas pareciam não ter fim. Sendo caçadas por assassinos místicos, por sua própria irmã, seu irmão sendo a possível próxima vitima do tio, a humanidade ameaçada pela ganância de um homem... Estavam exaustas, mas me alegrava estar com ela.

      - Eu estou feliz que esteja aqui... Confio em você. – Digo abaixando a cabeça.

      - Você é cheia de surpresas princesa. – Ela diz com um sorriso fraco no rosto.

      - Temos que detê-lo Lauren! – Digo voltando a olha-la. – Não importa o que aconteça, temos que pará-lo. Com um gesto rápido sinto as mãos da princesa envolverem meu rosto.

      - Também confio em você salvou minha vida mais de uma vez. – Ela junta nossas testas. – Nós vamos princesa, eu prometo. Farei o que for possível para deter meu tio e salvar o império. E devolverei a adaga para seu lugar.

    Junto nossos lábios não aguentando mais aquilo. Sinto os lábios carnudos de Lauren deslizarem sobre os meus. Meu corpo relaxa quase que de imediato. Me sinto leve. Lauren me puxa mais para si aprofundando o beijo. Qualquer problema que nos atormentava seria resolvido depois... agora eu só precisava dela.


Notas Finais


Relevem os erros! Depois serão corrigidos. Até o próximo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...