1. Spirit Fanfics >
  2. The Prisoner >
  3. De onde paramos?

História The Prisoner - Capítulo 9


Escrita por:


Notas do Autor


Oi, oi, oi
Volteeeeeei ❤️
Pra quem não me conhece, eu sou a Larinha 💛💛
Sejam bem-vindos leitores novos.

O capítulo é simples, nada de mais porém eu prometo que os capítulos empolgantes estão por vir❤️

Boa leitura ❤️

Capítulo 9 - De onde paramos?


Fanfic / Fanfiction The Prisoner - Capítulo 9 - De onde paramos?



Meu Deus como pode existir tantos criminosos bonitos desse jeito? Eu estava estasiada com a beleza do homem, cujo nome é, Robbin. Ele falava sem parar de si mesmo, e de como era bom em tudo  e aos poucos ele foi perdendo o encanto. 

Você é bonita. Eu já sai com garotas bonitas mais do que você ainda, mas elas não sabiam me valorizar, sempre faziam algo estúpido e perdiam pontos comigo. As mulheres deveriam treinar ou estudar um pouquinho antes de começar a puxar assunto com um cara. Teve uma garota uma vez, que se aproximou de mim, e ela não usava sutiã, logo de cara eu sabia que aquilo era pra me provocar e acredite eu gostei, mas então eu pensei comigo mesmo, se ela quer me conquistar, deveria fazer algo só para mim e não para todo mundo. No fim das contas ela era só mais uma vadia querendo atenção. — Ele bebi sua bebida ao terminar de explicar a história mais horrenda de todas. Esse cara era definitivamente um idiota, talvez ele esteja bêbado ou até drogado não sei, talvez nem existam drogas aqui, porém, não dúvido já que a cada dia esse lugar me surpreende mais. — Mas você não se aproximou de mim com esse decote para me provocar não é? — Ele ri brincalhão. — Se foi, eu dou um 6 por sua abordagem, tem que aprender mais. — 

Clarisse me empurrou para ele, e agora eu não sei como "sair sem ser seguida, ou parecer rude". Como se diz a uma pessoa "oi eu não quero falar com você". Eu pensava comigo mesma, será que não estou fazendo uma cara de insatisfação tão boa assim? Já era pra ele ter notado meu desconforto, eu olhei para baixo duas vezes, cocei a garganta três  e tudo que esse cara faz é se aproximar mais. 

— Robbin, você está assustando a garota. Saí. — Um moreno, muito bonito por sinal, chega com um semblante envergonhado. O tal Robbin apenas revira os olhos e sai enquanto acenava para mim. — Desculpe por isso, o meu irmão é um completo idiota, e tudo piora quando está bêbado. — Se desculpa. A propósito, sou Liam. — Ele me estende a mão. 

Liam tinha os olhos verdes claros, era musculoso mas não exagerado como de fisiculturistas. Ele tinha um sorriso amável e cabelos na tonalidade preta. Um preto bem escuro que resaltava sua pele brozeada junto de seus lábios roseos. Ele era incrívelmente bonito. 

— Astrid. — Sorrio sem jeito enquanto apertava sua enorme mão. 

— Eu sei, é a novata. — Ele ri. — Para uma "caloura" — Ele brinca usando os termos de faculdade. — Você até que está se saindo bem, sendo participativa, indo em festas, trabalhando e até arrumando briga. — Coloco minhas mãos no rosto ao lembrar da última parte. 

— E-eu não sabia o que estava fazendo, só sei que eu precisava ajudar a Clair. — Gargalho ao lembrar do dia em que tudo isso aconteceu. Se não fosse por Justin, eu teria levado uma surra. — Minha sorte era que Justin estava lá. — Suspiro aliviada. Liam concorda me acompanhando na risada. — Então você estava me espionando, é? 

— Espionar é uma palavra forte, eu diria que eu estava apenas observando como qualquer outra pessoa. — Ele da os ombros fingindo indiferença. — Então, Astrid, qual sua história de vida, o que te trouxe aqui? — Naquele instante sinto minhas mãos suar. 

Uma música começa a tocar de fundo, e eu não penso duas vezes antes de puxa-lo para dançar. Eu estáva envergonhada por tal ato, tanto que fiquei vermelha e Liam começou a rir de mim. Eu não tive outra solução, nunca fui boa para mentir, sempre deixava pontas soltas e me descobriam facilmente. 

— Fugindo do assunto, ou só desesperada para dançar com o cara mais gato da festa? — Ele brinca me puxando ainda mais contra seu corpo. 

Puta merda, talvez essa tenha sido a pior decisão de todas. Eu estáva a beira de um colapso, a 5 segundos de surtar e desmaiar. Eu estava dançando com um cara extremamente lindo, isso porque eu fugi de um assunto muito sério que se descoberto, acabaria com a minha vida. 

— Acho que desesperada para dançar com o cara mais gato da festa. — Forço um sorriso. Minhas pernas estavam parando, e Liam percebeu me nervosismo. 

— Fique calma, e deixa eu guiar você. — Sussurra em meu ouvido. Ele junta mais nossos corpos me fazendo arfar. — É só uma dança, está tudo bem ok? — Ele alerta e eu sorrio em concordância. 

A música parou. Ele me abraça me parabenizando por não desmaiar na pista de dança. Ao virarmos por lado, vemos Justin de braços cruzados. Liam e ele trocavam olhares intensos, ambos estavam de postura enrigessida, e maxilar travado. Havia uma tensão entre eles. 

Kalahari. 

Bieber. 

Eles se cumprimentam. 

— Vem comigo, Astrid. — Aquilo saiu mais como uma ordem do que como um pedido. Franzo o cenho diante daquela atitude inesperada de Justin. — Vamos voltar para a cela. — Ele avisa. Liam me olha de canto, provavelmente especulando que há algo entre Justin e eu. 

— E-esse é o Liam, meu amigo. — Apresento na tentativa de acabar com o clima estranho que ficou ali. 

— Amigo. — Bieber ri. Eu não estava entendendo nada, mas mantive minha postura neutra. — Kalahari não é amigo de ninguém. — Justin diz devagar, enquanto olhava no fundo dos olhos de Liam. 

— Vejo que já está sondando o que não é seu, como sempre não é Bieber? — Liam ri sem humor e eu já estava perdida em meus pensamentos. Apenas meu corpo estáva ali, já minha mente, vagueava sem freio pensando inúmeras coisas ao mesmo tempo. — Se acalma Justin, não precisa se sentir ameaçado. 

— Ameaçado, eu? — Justin novamente ri. — Eu não preciso nem me esforçar, Liam. Elas gostam de mim, é inevitável. — Responde arrogante enquanto se aproximava mais de Liam. 

Eu olhava para Clarisse perdida, ela se aproxima com quem não quer nada. 

Meninos! — A ruiva cantarola animada. — Estão gostando da festa? 

Bieber e Liam ainda se encaravam, o contato visual só era quebrado quando um dos dois piscavam os olhos. 

— Estou me divertindo muito. — Liam diz sem nem mesmo olhar para Clarisse, enquanto ria de canto. — Por que, não dançamos? — Liam se volta para mim. Ele segura minha mão me puxando para si. 

Larga ela. — Justin rosna, segurando o braço do moreno que apenas o olha com um sorriso divertido. —Agora. — Ordena sem paciência. 

Eu sentia meu rosto queimar. Sabe quando acontece aquele momento constrangedor, e o pior, na frente das pessoas e você não sabe como reagir? Era exatamente assim que eu estáva. 

Ei, está tudo bem. — Sorrio para tranquiliza-los. — Vamos deixar a dança para outra hora, okay Liam? — Eu pergunto sorrindo gentil. Ele acente me soltando. — Clair, suas roupas vão estar na minha cela, pode ir buscar quando quiser. — A ruiva acente, porém estava sem entender. — Eu já vou. — Sorrio sem jeito olhando para todos, deixando Justin por último. Me afasto sentindo que estou sendo seguida. 


— Astrid. — Ele chama. Eu me viro para trás lentamente encarando Justin que tinha una expressão nada boa. — Aonde vai? 

Para casa. — Digo óbvia e volto a andar. 

Justin estáva bêbado, e eu estava desconfortável com toda aquela situação. É oficial, eu nunca mais irei em uma festa, pelo menos não aqui. 

— Não vai dormir aqui? — Ele me olha decepcionado. Eu apenas nego seguindo meu caminho. — Astrid, caralho. — Me chama só que dessa vez com raiva. 

— O que foi? — Pergunto irritada. 

— O que foi? — Repete minha frase incrédulo. — Que porra tá acontecendo com você? — Eu estava confusa. Justin estáva alterado e isso me assustava. 

— Nada. — Sorrio sem humor. — Você devia dormir, está bêbado. — Justin gargalha ao ouvir minha frase. — Então volte para a festa, depois conversamos. — Me viro voltando ao meu caminho. 

— Nada? "depois conversamos" que merda é essa? — Ele me segura pelos ombros. — O que foi, Astrid? O que eu fiz? — Justin dizia indignado. Era nítido que Justin estáva alterado. Eu apenas suspirei cansada. Emett sempre dava esse tipo de trabalho, era exaustivo. 

— Não vai adiantar discutirmos agora, quer dizer, nem tem porque discutirmos isso nem agora nem amanhã, está tudo bem. — Explico tentando acalmar as coisas. 

— Você está assim porque eu impedi você de dançar com aquele bosta? — Sua voz sai arrastada. — É isso? Você tá assim porque queria dançar com ele e eu não deixei? — Ele ri. — Se for isso, vá em frente. Dance com ele, só que não volte mais pra cela, pegue suas coisas e não volte, ou melhor, leve suas coisas para a cela dele, durma com ele, só que ele não vai te respeitar como eu fiz. — Eu estava estática. Mesmo sabendo que ele não estava em seu normal, era impossível não ficar chateada com suas palavras. 

— Volte para as suas mulheres, aposto que elas estão desesperadas sem você lá. — Empurro ele com o dedo, enquanto tentava segurar o choro. Eu não tinha um motivo específico para chorar, apenas o fato dele ter levantado a voz pra mim, o fato dele estar me fazendo se sentir coagida, me dá vontade de chorar. 

— Você só tá agindo assim por ciúmes? 

— Ciúmes eu? Você quem estáva quase socando a cara do Liam, só porque estavamos conversando, e eu estou com ciúmes? — Pergunto incrédula. 

Por que estávamos tendo essa conversa? Por que estávamos assim, brigando? Não temos nada, não somos nada. Por que tudo isso, se nós éramos apenas amigos?. 

— Eu iria arrebentar ele se não fosse por você. — Ele se aproxima me encurralando na parede. 

— Por que? — Eu tentava não parecer afetada por suas ações. 

— Porque eu quero, porque ele não pode chegar perto de você, porque você é minha. 

Suas palavras me deixam surpresa, minha boca abre diversas vezes mas nada saí, ele estáva bêbado eu não podia me iludir com suas palavras. 

— Vem, vou levar você pra sua cama. — Ignoro suas palavras e tento puxa-lo para sua cela. 

— Hunm, cama. Eu gostei da idéia, vamos pra cama transar a noite toda. — Ele segura meu pescoço com uma mão e distribuí beijos molhados por ele. Sua outra mão agarrava forte minha cintura. — Você é muito gostosa.— Murmura enquanto tentava me beijar. 

— Agora não Justin. — Digo séria olhando para ele. — Vamos. — Eu o empurro tentando me soltar. 

— Ei, tá tudo bem aí? — Clarisse acompanhada de Fiona e Makenny se aproximam dos dois. —  Ele está incomodando? — A ruiva pergunta preocupada. 

— O que você quer, empata foda. — Justin revira os olhos. — Astrid e eu temos assuntos para resolver. — Ele pisca para mim, me deixando ainda mais sem graça na frente das meninas. 

— Estamos bem. Eu vou só leva-lo para a cama e vou embora. Obrigada meninas. — Agradeço. 

— Okay, se precisar é só chamar. 

Eu e Justin saimos em direção a sua cela. Fiona a mais nova não tirava os olhos de mim, ela ficou parada nos observando até entrarmos na cela de Justin. 


Deita. — O ajudo a deitar na cama. Justin se remexe inquieto e resolve se sentar. — Vamos, facilite as coisas para mim, deite. — Digo enquanto arrumava sua cama. 

— Deito só se você deitar comigo. Hunm? — Sugere me puxando pela cintura. Me mantenho firme para não acabar caindo em seu colo. 

— Pare de dar trabalho. — Ignoro suas ações e principalmente seu rosto colado em minha barriga. Eu queria rir pelas cócegas que ele estáva fazendo, quando mexia a boca. Tiro sua camisa molhada de cerveja e jogo ali mesmo no chão. — Agora eu só vou tirar seus ten—.... 

Não tenho tempo para terminar a frase, Justin me agarra com força fazendo eu cair em seu colo, ele se deita mudando nossas posições e antes mesmo que eu protestasse, ele enfia a língua na minha boca. Ele explorava cada canto com voracidade e volúpia. Suas mãos tocavam tudo que era palpável, paramos o beijo quando o ar nos falta. 

— O-o que está fazendo? — Pergunta eufórica e apavorada por um ato tão repentino quanto aquele. — Pare de m-me dar trabalho, durma Justin. — Digo saindo de seus braços. 

— Você gosta. — Ele ri. — Droga, por que sempre me deixa assim? — Novamente sua ereção estáva formada. Levo as duas mãos na boca, surpresa. Eu nunca iria me acostumar com aquilo. 

— Só durma, amanhã a gente se vê. — Digo tirando seus tênis. — Boa noite. 


[...] 

— Eu fiz o que???? — Justin berra indignado. — Mas que porra. 

— Você está se autosabotando. — Ryan comenta. — Mas aquela Japinha. —O loiro fecha os olhos enquanto ronronava um "Hunmm". — Ela era espetacular. — Ri. 

Bieber se levanta em um pulo. 

— Mas que caralho, e como ela ficou? Ela viu e-eu e a Lory? — Pergunta preocupado. Justin não se lembrava de nada, poucas coisas. 

"Como ela ficou?" Está preocupado com a garota, sério? — Ryan olha indignado para Justin. — Você quase botou tudo a perder, caralho. 

Bieber bufa desviando o olhar. Ryan não entendia absolutamente nada. Ele é um completo idiota, não o entendia. 

— Caralho, e-ela ficou brava? Mas que porra, eu não lembro de nada. — Esfrega as mãos no rosto. 

— Christian contou que ela te deu um notebook. — O loiro comenta feliz. — Estamos progredindo, logo, logo estaremos a solta. — Diz feliz. 

— Não vai ser tão fácil assim. Vai demorar dias, ou até meses para o Christian pode invadir o sistema de wi-fi... E isso porque é só um wi-fi, imagina o resto da programação, as portas, câmeras, escutas... Vai demorar muito. — Justin explica. 

— Pode demorar o quanto quiser, eu só quero é sair daqui. — Bufa com tédio. — Bom, eu já vou, tenho que "trabalhar". Te vejo mais tarde. — Ryan se levanta a cadeira e sai. 

Assim que o amigo saiu Justin se deixou levar pelos pensamentos, e acabou parando na única coisa que ele se lembrava do dia de ontem. Ele e Astrid na cama, se beijando. 

— Que porra é essa que essa garota tá fazendo comigo? — Rosna. 




[...] 


Passaram-se uma semana e nada de Astrid retornar nada as celas. Justin esperava todos os dias Astrid voltar, ele queria dizer que só estáva preocupado com o plano, mas a verdade era que ele sentia saudades da garota. 

— Está distraído essa semana, Bieber. — Austin comenta enquanto montava as caixas no qual os perfumes Spanics seriam colocados. 

— Isso tem haver com uma certa morena de olhos claros... — Chaz provoca. 

— Ihhhhh, está apaixonado Justin? — Austin comenta rindo, e acaba atraindo olhares para ele. 

— Não é nada disso, deixem de ser pé no saco. E vamos trabalhar. — Bieber corta o assunto fazendo os meninos rirem mais. 

Não era paixão, era... Preocupação talvez, ele não sabia. 

Porra. 

...


— Até amanhã. — Austin e os caras acenam enquanto caminhavam para as suas celas. Justin se despede deles e segue com Ryan e Chaz pelo corredor. 

— Ah, credo isso tem um cheiro horrível. — Ela solta uma gargalhada. — Não sabia que fedia tanto. — Dizia ainda rindo. 

Justin congela ao ver ela ali. Astrid ria muito enquanto passava uma pasta verde na cara de Makenny que tentava segurar o riso. 

— Parece coco de neném. — Clarisse comenta fazendo Astrid perder o fôlego de tanto que ela ria. Justin nem se deu conta, ele estava sorrindo feito bobo só em vê-la sorrir.

E-ela voltou. — Sorri feliz e desacreditado. 

— Ela está aqui desde cedo, muito antes do café da manhã. — Justin franze o cenho ao saber que Astrid praticamente passou o dia todo alí e não foi vê-lo uma única vez. 

— É, Bieber parece que ela está brava. — Ryan provoca recebendo um soco como resposta. 


As meninas logo percebem a presença deles ali. Ao poucos elas se afastam ficando só Astrid, Justin sem pensar duas vezes caminha até ela. 

Oi. — Cumprimenta. — Faz tempo que eu não te vejo. — Ele sorri abertamente fazendo Astrid o acompanhar. 

— Pois, é. — Responde curtamente enquanto brincava com os dedos. — Você estáva bêbado a última vez que eu te vi. — Astrid dizia enquanto os dois andavam até a cela de Justin. 

— A última vez que eu lembro de ter visto você foi na minha cama, enquanto eu te enchia e de beijo e você me deixava duro. — Responde sem pudor algum fazendo a morena corar. — Que tal continuarmos de onde paramos. — Diz encurralando ela na parede. A Resposta veio segundos depois em forma de beijo, um beijo que se tornaria algo mais em questão de minutos.





Notas Finais


Apenas uma atualização básica para não deixar vocês sem nada❤️
Calminha que eu prometo que os capítulos empolgantes estão por vir ♥️

Obrigada por ler até aqui ❤️
Boa noite 💛


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...