História The Proposal - Capítulo 28


Escrita por:

Postado
Categorias Ally Brooke, Ariana Grande, Camila Cabello, Dinah Jane, Fifth Harmony, Lauren Jauregui, Lucy Hale, Normani, Shawn Mendes, Zac Efron
Personagens Ally Brooke, Ariana Grande, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Lucy Hale, Normani Hamilton, Personagens Originais, Shawn Mendes, Zac Efron
Tags Ally Brooke, Alren, Ariana Grande, Camila Cabello, Camila G!p, Camilag!p, Camren, Camren G!p, Camreng!p, Camriana, Ctops, Demally, Demi Lovato, Dinah Jane, Fifth Harmony, Lauren Jauregui, Lucy Hale, Normani Kordei, Norminah, Zac Efron
Visualizações 1.714
Palavras 2.535
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, FemmeSlash, Festa, Fluffy, Musical (Songfic), Orange, Policial, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência, Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Amos esquentar as coisas um pouco mais...

3/...

Capítulo 28 - Capítulo 25


Lauren Jauregui | Point Of View






— Você queria. – Provoquei. 



— Eu quero, sempre quero. Sou uma mulher madura, você é linda, nós temos uma química boa, mas é errado. 



— Camila! – Quase implorei. Por que ela tinha que ser tão idiota? 



— Nós temos um acordo e até agora você não escreveu nada.– Foi até a cama, onde tinha deixado o meu computador e sentou. — Venha, vamos trabalhar. 



— Não. – Respondi desanimada. — Pensei que passariamos a noite juntas, não consigo escrever com alguém lendo ao mesmo tempo. – Fui até ela na cama e puxei os lençóis me deitando. Camila suspirou, depois de alguma hesitação, deitou ao meu lado. 



— Vamos assistir a um filme? – Neguei com a cabeça sem vontade de olhá-la. 



— Vamos conversar um pouco. Podemos tomar um vinho? 




Seus lábios se arrastaram até os meus, o toque foi leve e carinhoso. Tentei encontrar meus pensamentos e não consegui pensar em nada que não fosse ela. Seus beijos, seus toques... 



— Camila... – Sussurrei. 



— Sim? 




Seus lábios ainda estavam nos meus, brincando com movimentos suaves e sedutores. Sua língua apenas roçou & entrada da minha boca me fazendo desejar muito mais. 




Deus! Como eu queria mais. Não apenas o encontro dos nossos sexos, eu queria conhecê-la completamente. Queria poder tocá-la e sentir seu corpo bem definido. Queria descobrir se eu a enlouquecia assim como ela conseguia me enlouquecer. Queria... Fazê-la gozar e me deleitar com seu gozo, como ela estava fazendo comigo. 



— Vamos conversar. – Só pensar em tocá-la e senti-la de maneira tão íntima já tinha me deixado mais do que excitada. 



— Sobre o que quer conversar, Lauren? – Seus dedos tocaram em meus cabelos e desceram pelos braços causando arrepios em meu corpo. — O que a está deixando tão aflita? 



— Você. – Fui direta. 



— Eu? 



— Sim. – Ela sorriu largamente. Quase me esqueci do que queria conversar. 



— E o que eu fiz de tão errado para fazer com que você quase fosse embora? Tirando o episódio da Ariana, é claro. 




Olhei em seus olhos incrivelmente castanhos, quase negros. Ela era linda! E eu a queria inteiramente para mim. De todas as formas possíveis. 




— Preciso conhecer mais do que você está me mostrando. – Ela fez uma careta e desviou o olhar. — Não é justo, Camila. 



— Lauren, Lauren... – Ela segurou em meu rosto com as duas mãos. — Eu não posso. 



— Mas você... 



— Eu sei, passei dos limites. Você me provoca demais. 



— Provoco? 



— Claro. – Um formigamento percorreu meu ventre. Ela me desejava e este simples fato me alucinava. 



— Então... – Camila me calou com um dedo em meus lábios. 



— Não posso. Já imaginou se alguém descobrir que estamos dormindo juntas? Eu destruiria a credibilidade da minha editora, não apenas por fazer sexo com uma autora, mas também pelo fato de esta autora ser uma aluna orientada por mim. Entende que posso destruí-la? Você também será desacreditada, Lauren. Todos vão pensar que aprovei seu projeto porque transei com você. Será terrível para sua carreira. Em qualquer outra situação eu não resistiria tanto, você é incrível e me tira do sério. Não consigo pensar em outra coisa nos últimos dias que não seja fazê-la mulher, mas eu não posso. Facilite as coisas, não tem noção do quanto está sendo difícil. 



— Por que difícil? 




Ela tinha razão em tudo, apesar disso eu sentia um desejo muito forte de jogar os problemas para o alto. Pela primeira vez em minha vida, outra coisa, que não o meu livro, ocupava os meus pensamentos. Eu a queria tanto que doía. 




— Porque não é fácil sentir tanto tesão e não poder... – Ela me olhou hesitando. 



— Não poder? – Camila riu sem graça. 



— Não poder gozar, Lauren. Depois de um tempo causa dor. É... complicado. 



— E injusto. 



— Não é injusto. É o preço por aceitar ajudá-la. 



— Não quero desse jeito. – Camila acariciou meu rosto sem desviar o olhar. 



— Não temos outra opção, pelo menos por hora. 



— Camila... 



— Não, Lauren! – Suspirei derrotada. Então uma ideia invadiu meus pensamentos com tamanha força, que foi impossível não colocá-la para fora. 



— Preciso que me ensine mais, Camila. 



— Estou ensinando muitas coisas. 



— Quero conhecer você. 



— Pergunte. O que quer saber da minha vida? – Mordi os lábios sem conseguir uma maneira mais suave de dizer o que queria. 



— Não exatamente sobre a sua vida... 



— Então o quê? 



— Você me beija, me toca, conhece o meu corpo, já me viu sem roupa... – Ela entendeu aonde eu queria chegar, seu rosto ficou vermelho pela primeira vez. E foi espetacular. 



— Você, você quer... 



— Quero. – Fui incisiva. 



— Lauren... 



— Eu preciso, Camila. Preciso saber como é para você, preciso senti-la. Preciso que você se entregue um pouco para que eu possa aperfeiçoar meu conhecimento sobre o que devo escrever. – Ela fechou os olhos e engoliu com dificuldade. 



— Porra, Lauren... – Sussurrou me aquecendo ainda mais. 



— Deixe-me tocá-la, ensine-me a lhe dar prazer. – Minhas mãos já estavam em seus braços, acariciando toda a sua extensão. — Será mais fácil se for bom para nós duas. – Avancei um pouco mais e meus dedos se aventuraram por dentro da sua camisa. 



— Lauren... – Com os olhos fechados, ela sussurrou meu nome. Foi a minha deixa. 




De joelhos sobre o colchão, me aproximei dela colando meu corpo ao seu. Camila não reagiu. Busquei seus lábios e ela permitiu o beijo, no entanto sua mandíbula estava rígida, tensa. Corri uma mão para dentro da sua camisa tocando seu abdômen liso, ela tremeu com o meu toque e se entregou um pouco mais ao beijo. Minha outra mão acariciou seu pescoço, brincando com os cabelos castanhos em sua nuca. 




— Tem certeza de que quer fazer isso? 




Ela continuava hesitante, mas eu queria muito poder senti-la de maneira mais íntima. Queria tê-la em minha mão, saber como era. 




— Eu quero você, Camila. – Com um gemido, ela me abraçou colando nossos corpos com fúria. 




Enquanto passava suas mãos em mim, acariciando minhas costas, braços, coxas e bunda, eu também explorava o seu corpo maravilhoso. Camila tinha as clavículas mais lindas que eu já tinha visto e o volume médio de seus seios me deixava tonta. Levantei sua camisa para senti-la melhor. 




— Tire a camisa. – Pedi e ela prontamente obedeceu. Parei para encará-la sem me sentir envergonhada. Passei minha mão pelo vale entre seus seios enquanto ela assistia. — O que devo fazer? 



— O que quer fazer? – Sua voz estava rouca. 



— Quero tocá-la. – Ela sorriu me incentivando a continuar. — E... Quero beijá-la... aqui. Passei novamente meus dedos entre os seios médios da minha professora, depois desci pela sua barriga. — E aqui... – Ela fechou os olhos e novamente, sua mandíbula enrijeceu. Como não disse nada, deduzi que era um sim. 




Passei meus lábios sobre os montes medios com cuidado, respeitando o limite do sutiã e minha professora gemeu baixinho. Fiquei emocionada com a minha capacidade de dar prazer a alguém tão experiente. Então foquei em seu seio direito e beijei com mais força, deixei que minha língua brincasse em algumas partes, adentrando um pouco seu sutiã. Ela me surpreendeu quando soltou a peça e a levou para longe de seu corpo, ficando inteiramente nua da cintura pra cima. 



Tremi com aquela visão. Céus, eles eram medios. Mas muito, muito maiores que os meus. Redondos, firmes e bronzeados, não aquela coisa sem graça que eu tinha. Os bicos eram mais escuros e estavam duros, indicando o quão excitada ela estava. Minha boca salivou e rapidamente envolvi um deles com meus lábios, sugando com cuidado e deixando que minha língua entrasse em contato com a pele macia e gostosa. Camila gemeu um pouco mais alto, agarrando o lençol da cama com uma das mãos. 



Beijei, testei com a língua, dei pequenas mordiscadas e pela forma que os gemidos escapavam de sua boca, entendi que estava fazendo alguma coisa certa. Camula segurou com delicadeza os meus cabelos me conduzindo conforme a sua vontade. Beijei sua barriga seguindo o caminho de pelinhos ralos que desciam até o limite do seu short. 




Camila me levantou e tomou meus lábios num beijo selvagem. Nossos corpos se espremeram sobre a cama, ela se posicionou sobre mim. Todo o seu peso era contido pelo seu braço esquerdo enquanto a mão direita me apertava ao seu encontro. 



A fricção do seu sexo no meu me acendeu completamente. Camila estava dura e roçava sua ereção em mim com delicadeza. Seus beijos acompanhavam nossos movimentos, minha professora afastou meu sutiã e seus lábios se apossarem do meu seio engolindo-o por completo, muito diferente da delicadeza que eu tive para tocar os seus. Sua língua fazia estragos em minha pele já sensível. 




Eu gemia despudoradamente. 




Quando senti sua mão descendo entre minhas pernas, segurei seu pulso com força e a encarei. 




— Não, Camila. É a minha vez. Quero fazer com você. – Ela me olhou por alguns segundos avaliando o meu pedido. 



— Certo. – E sorriu daquela forma preguiçosa. Tão linda e safada que me fazia perder o compasso. — Mas primeiro eu. 




E no mesmo segundo seus dedos invadiram minha calcinha me tocando de maneira absurdamente prazerosa. Seus lábios estavam em todos os lugares. Meu desejo era tamanho que arqueei as costas forçando maior contato dos seus dedos com meu sexo. Eu a queria dentro de mim. 




— Ei, assim não, menina. – Censurou-me ao perceber que eu me movimentava forçando a penetração. — Devagar ou posso machucá-la. 



— Não vai me machucar, Camila. 




Ela acariciou meu centro com o polegar me arrancando um gemido felino que sequer imaginava ser capaz de emitir e deixou seu dedo indicador entrar um pouco. Apenas um pouquinho, porém foi o suficiente para me fazer esquecer o mundo. 




— Assim está melhor? – Ela circulava a língua em meu mamilo. Eu quase não conseguia falar. 



— Ah, Camila! 



— Lauren, você vai me fazer perder a cabeça com estes gemidos. – Seus dedos me atingiram com mais pressão ao mesmo tempo em que ela sugou meu seio com avidez. 



— Puta que pariu! – Fui incapaz de controlar o palavrão. Camila riu e mordeu o bico do meu seio que estava em sua boca. — Ai! Desculpe, foi mais forte do que eu. 



— Tudo bem. Esta é uma boa hora para xingar. Seus dedos trabalharam mais afoitos e eu gemi mais alto me contorcendo. — Meu Deus, Lauren! Como eu queria estar dentro de você agora. – Enterrou o rosto em meu pescoço avançando o dedo um pouco mais. 




— Camila... Camila... Eu... 



— Sim, Lauren... 





E eu gozei sentindo meu corpo afundar em uma banheira de água quente e prazerosa. A sensação do orgasmo era sensacional. Eu podia sentir meu corpo boiando nas águas doces enquanto ao mesmo tempo centenas de pequenos choques me atingiam. 




— Assim, Lauren... – Ainda ofegante, abri os olhos e a encontrei sedenta de desejo. Não tive tempo para me recuperar. 



— Agora é a minha vez. – Avancei sobre a minha professora. Camila não me impediu de empurrá-la de costas no colchão e montá-la. Ela riu delíciada. 




— O que quer fazer? 



— Tocar você. – Ela fechou os olhos e engoliu em seco. Rebolei descaradamente em sua ereção enquanto minhas mãos agarravam seus seios. Camila gemeu. 



— Você já me tocou, Lauren. 



— Não, quero fazer como você faz comigo. Quero senti-la em minhas mãos. – Minha professora abriu os olhos e concordou. — Preciso que me ensine. 



— Certo, venha aqui. – Ela me puxou para o seu lado. — Quero que você comece. Mostre-me como acha que deveria ser. 



— Primeiro você tem que tirar a roupa. 




Ela sorriu de maneira sacana e arrancou a roupa com um puxão. Fiquei um pouco assustada com a sua ereção sobressaindo da cueca. Meu Deus! Aquilo era... Tão Camila! 




— Agora venha. – Segurando em minha mão, voltou a deitar me deixando sobre ela. — Toque-me. 




Timidamente deixei que meus dedos acariciassem de leve a sua ereção por cima da cueca. Testei um pouco mais e passei minha mão inteira. Desta vez Camila gemeu. Abaixei a cabeça e beijei a sua barriga, ela acariciou meus cabelos. 




Sem esperar pela sua permissão, minha mão entrou pela cueca e a toquei de verdade. Minha professora fechou os olhos e abafou um gemido mordendo os lábios. 



Aproveitei seus olhos fechados para avaliar mais de perto o que eu tinha em mãos. Não era a primeira vez que eu via um pênis, a internet estava cheia de fotos que alimentavam muito bem a imaginação das pessoas, mas tê-lo ali, em minhas mãos, tão perto de mim, me causou um frenesi que quase não consegui conter. 



Era longo e grosso. Um pouco rosado e cercado por veias grossas. Latejou quando o apertei em meus dedos. Olhei para Camila e constatei que me observava com olhos atentos. Fiquei visivelmente envergonhada. 




— Não sei como fazer. – Admiti sem receio. Camila segurou em minha mão e gentilmente a conduziu pelo seu membro. 



— Assim. 




Com sua mão firme na minha, ela me fez acompanhá-la. Repeti o percurso da forma como ela me ensinou, minha professora gemeu e se movimentou em minha mão. Me deliciei com seu gesto. 



— Você gosta? – Ela mordeu os lábios. 



— Sim. 



— É só isso? – Camila sorriu largamente. 



— Não. Você pode variar a velocidade e a pressão, conforme a situação. 



— Ah! – Olhei para o seu membro tão duro em minha mão. Eu queria que ela estivesse em mim. Em minha boca. Constatei chocada com o meu desejo, meu centro começou a se manifestar. Assim? Aumentei a velocidade e minha professora arqueou o corpo mordendo os lábios. — Como você gosta, Camila? – Ela gemeu alto e se conteve fazendo um esforço enorme. 



— Assim... – Guiando minha mão, me fez segurá-la com menos força e mais velocidade. Tentei repetir da forma exata como ela tinha me ensinado. — Caralho, Lauren! – Gemeu jogando o rosto para trás. 




Avancei sobre o seu corpo e lambi seu pescoço percorrendo o caminho até sua boca. Mantive o movimento de minhas mãos. Camila era linda surfando. Era linda ensinando. Era linda dirigindo. Era linda até mesmo lavando os pratos, mas nada se comparava a Camila sentindo prazer. Era espetacular! 




Alcancei seus lábios e ela me beijou com urgência enquanto se movia na direção da minha mão. Segurou com força um dos meus seios e o apertou gemendo em meus lábios. Intensítiquei os movimentos pressionando um pouco mais a mão em seu membro. 




— Assim, Lauren. Assim... 



— Goze para mim, Camila. 




Não sabia de onde tirava coragem para dizer aquelas coisas, apenas sentia o impulso, falava e quando percebia já tinha causado aquele efeito em nós duas




— Puta que pariu! 




Ela articulou as palavras por entre os dentes e minha mão foi invadida por um líquido grosso e viscoso. Camila segurou minha mão com força impedindo que eu continuasse com os movimentos e gemeu da maneira mais gostosa que eu já tinha visto. Todo o seu corpo enrijeceu enquanto ela gemia e gozava. 




Eu assistia a tudo hipnotizada. Era lindo demais. Perfeito demais. Gostoso demais. Era Camila. Pura, simples e entregue a mim como eu nunca imaginei. 




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...