História The proposal. - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Neo Culture Technology (NCT)
Personagens Johnny, Jungwoo, Lucas, Yuta
Tags Luwoo, Nct, Perseguição, Woocas
Visualizações 95
Palavras 920
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Fluffy, Lemon, LGBT, Magia, Misticismo, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Cross-dresser, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi, oi!
Estou aqui novamente, no dia certinho.
Não tenho muito o que dizer, apenas agradecer mais uma vez pelo apoio que estão me dando. Boa leitura!

Capítulo 3 - Chapter three.


Fanfic / Fanfiction The proposal. - Capítulo 3 - Chapter three.

Lucas pov.

Saio do elevador, calmamente, andando de cabeça erguida até a porta dos meus superiores, comprimentando cada um ao entrar no escritório.

-Nós vamos direto ao ponto, conversamos com seu advogado de imigração.-

-Então está tudo bem.- Afirmo e permaneço em minha —falsa— postura firme, esperando a resposta.

-Seu pedido de visto foi negado.-

-E?- Murmuro tentando não deixar meu nervosismo transparecer.

-Você será deportado.-

Que palhaçada é essa?

-Também há uma série de documentos que você não preencheu.-

-Eu não sou bem um imigrante.- Gesticulei nervosamente para os homens à minha frente, tentando me acalmar.

-Deve ter algo que possamos fazer.-

-Podemos solicitar novamente, mas de qualquer maneira você terá que ficar fora do país por um ano.-

Puta que pariu..

Se acalme Wong, tente achar uma solução.

-Sei que não é o ideal, mas posso trabalhar me comunicando por vídeo conferência, cartas..-

-Infelizemente, como deportado não pode trabalhar para uma empresa estrangeira.-

-Até que isso se resolva, Junhyuk seguirá com tudo por aqui, precisamos de um editor chefe, ele é a única pessoa com experiência suficiente.-

-Você não pode estar falando sério. Eu não posso simplesmente deixar tudo o que é meu pra ele; acabei de demiti-lo.-

As batidas na porta me deixam com ainda mais ódio e me desconcentram. Agora não Jungwoo.

-Saia, estamos em reunião.- Meu superior diz a ela com uma arrogância desnecessária.

Pov off.

-Desculpa a interrupção...- O Kim se encolhe, e apenas dirigi seu olhar para Lucas, que parecia estar prestes a explodir.

A tensão naquela sala poderia ser cortada por uma faca.

O mais velho o fita irritado, visivelmente sem paciência, pronunciando-se em seguida.

-O que é, garoto?- Perguntou secamente.

-A sócia ainda está na espera, já ligou diversas vezes.-

-Eu sei, enrole ela mais um pouco.-

-Disse que estava ocupado, ela realmente está insistindo, e então? Preciso de um resposta, agora.-

Lucas estava prestes a gritar com o loiro, mas então, teve uma ideia. ''Como não pensei nisso antes.?''

Lucas, revezou o olhar entre Jungwoo e seus superiores.

-Entra.- Sussurou uma, duas vezes, gesticulando para que o garoto se aproximasse. Logo o mesmo estava a seu lado, totalmente confuso. -Eu entendo a situação difícil em que estamos, senhores.

Voltou olhar para o pedaço de gente a seu lado. ''Até que não é de se jogar fora, na verdade ele é lindo.''

-E há algo que devem saber.- Em um movimento rápido, Wong puxou Jungwoo pela cintura e respirou fundo antes de pronunciar tais palavras.

-Nós vamos nos casar.- Sorriu forçado para todos ali e arriscpu-se a acariciar uma das bochechas de Jungwoo, que ainda estava imóvel.

Jungwoo pov.

-Nós vamos nos casar...- Minha voz nunca soara tão baixa como agora. Seja lá o qual for esse joguinho de Lucas, eu não deixaria que fosse até o fim.

O ver sorrir, mesmo que não fosse algo verdadeiro, me fez estremecer. O diabo é realmente maravilhoso e eu estava assustado com meus pensamentos.

-Isso mesmo! Você e eu não precisamos esconder mais nada, amor.-

Eu estava atônito, como assim eu e ele casados? Nem em meu pior pesadelo poderia imaginar isso.

-Mas ele não é o capacho sem utilidades que você tanto fala?-Perguntou um dos superiores.

-Assistente! E trate de me respeitar seu velh..- Na hora em que eu iria xingar o gorducho, Lucas belisca meu braço.

-Títulos não importam. Nós tentamos evitar, mas não conseguimos. Não há como ir contra o amor.-

Quem não te conhece que te compre, Lucas.

Daria um ótimo ator, realmente.

-Sendo assim, está ótimo apenas legalize.-

Disse um dos senhores, apontando para o dedo o qual iria a aliança.

-Isso significa que nós precisamos ir no escritório de imigração para ajeitarmos essa bagunça.-

Eu estava quase como uma estátua ali, ainda tentando absorver tudo o que havia escutado de Lucas.

De maneira alguma iria me casar com essa peste.

-Senhores, esperem.- Eu disse um tanto alto enquanto saia da sala de reuniões, andando rapidamente ao sair do elevador.

Lucas apareceu atrás de mim em poucos segundos, me arrastando no mesmo momento em que tapava minha boca.

Droga, essa mania de querer me calar a todo momento. Até tentaria me soltar, mas quem sou eu perto dele? Um grão de arroz.

Lucas pov.

Entro no meu escritório junto de Jungwoo e tranco a porta, guardando as chaves em meu bolso. O solto sem delicadeza alguma no sofá de couro preto que havia ali e me sento, voltando mexer nos documentos em cima da mesa, tinham muitos trabalhos pendentes. Olhei brevemente para Jungwoo, vendo-o acariciar onde eu estava o segurando. Talvez eu tenha exagerado um pouco, mas nunca iria admitir isso em voz alta.

-Que porra foi aquela, Lucas? Me explique agora.-

-Relaxe, vai beneficiar a nós dois.-

-Explique.- O Kim estava prestes a pular em cima de mim, como um leão faminto. Já sentia o gosto do sangue em minha boca ao ter meus órgãos estraçalhados.

-Iam colocar o Junhyuk como editor chefe.-

-E por causa disso eu me caso com você? Que sentido isso tem?-

Jungwoo pov.

-Como se estivesse se guardando para alguém especial.- Escuto a risada do capeta ecoar pela sala gelada, fazendo meu sangue ferver enquanto me entristecia. Realmente.

-E se fosse? Você não teria nada a ver com minhas escolhas.-

Agora me dê as merdas das chaves.-

-Claro que vai. Se não casar comigo, o seu sonho de ser um bom escritor já era.- Eu não sabia o que fazer. Na hora minha pose de empoderador vai para o ralo, dando lugar ao medo.

-Você será o primeiro a ser demitido. Ou seja! Estará sozinho, sem emprego, cheio de dividas e com boa parte do tempo jogado fora. Ficamos apenas o tempo exigido. Até lá, vai ter que me engolir.- Ele disse tudo com uma indiferença absurda, e eu me mantive calado, afinal, nem sabia o que responder.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...