1. Spirit Fanfics >
  2. The Protector >
  3. CHAPTER 1

História The Protector - Capítulo 2


Escrita por: B_Uchiha-Malfoy

Capítulo 2 - CHAPTER 1


NO CAPITULO ANTERIOR:

 

- Eu... eu planejava vir até Sirius para pedir ajuda. – dei uma pausa ao ouvir vários sons de bufos e escarnio. – Não vim pedir ajuda para mim, eu... Narcisa Malfoy, como vocês bem sabem que é minha irmã, está... completamente fora de si, ela sempre foi meio maluca... mas isso só vem se agravando com o tempo. Ela... ela está tentando obrigar que Draco, meu sobrinho, se junte aos comensais da morte, Lucius tem tentado impedir o máximo que pode, mas isso... isso não vai durar. Draco não é um mal garoto, ele... ele só mostra  algo a todos para que ninguém realmente veja o garoto incrível que ele é. Suas ações estupidas de garotinho mimado, de Purista do sangue... nada passa de uma encenação por quê... Narcisa... desde sempre machuca ele, ela sempre abusou dele, desde que ele era bem jovem ela o machucava, mas quando ele parou de demonstrar, quando parou de se importar, quando ele chegou em casa falando sobre uma pequena nascida trouxa que era incrivelmente talentosa e inteligente... – respirei profundamente e fechei os olhos antes de abri-los novamente e olhar para os rostos a minha frente e continuar. - Narcisa não o puniu... não, ela machucou Lucius. Draco ficou desesperado, ele não queria que a única pessoa que demonstrava ama-lo fosse ferido por seus erros, então ele começou a usar essa mascara, começou agir da forma que age... ele simplesmente se importa demais para seu próprio bem... e agora a maluca da minha irmã quer coloca-lo o mais perto possível do Lorde das Trevas. – Senti minha garganta fechar e a voz embargar, para logo despois perceber lagrimas descendo pelas minhas bochechas.

Passei minhas mãos pelo meu rosto para limpar o rosto de lágrimas para logo continuar:

- Eu não quero isso para meu sobrinho sabe? Eu não posso mais suportar isso, Lucius e Draco apesar das aparências são realmente boas pessoas, eles não merecem oque Narcisa está fazendo, e eles realmente não merecem passar pelo oque Voldemort faz com seus seguidores. Primeiro Lucius foi colocado sob a Maldição Imperius para aceitar a marca negra, e agora... Narcisa quer obrigar Draco a aceita-la. Lucius e eu estamos pirando, eu não quero... eu não posso, por favor... eu imploro que vocês salvem meu sobrinho, eu imploro que vocês salvem a ambos. Por favor!

 

AGORA:

 

 

 

Todos me olhavam de forma cética, eu sei eu sei, eles tem todas a razão de se sentirem dessa forma, eu sou a vilã no meio deles e uma vilã não se importa com nada além dela mesma.

 

 

- Por quê diabos você acha que acreditariamos em você? Você é maluca! Tudo o quê você disse até agora não faz sentido nenhum, prima Narcisa sempre foi a prima boa, você que era uma purista louca desvairada! - ouvi Sirius exclamar. - Você só deve ter perdido a cabeça de vez mesmo pra vir aqui depois matar tantas pessoas a mando de seu mestre. Só deve ser MALUCA pra aparecer na nossa frente com essa sua carinha finginda depois de fazer o que fez aos longbottom's, nossos amigos!

 

Conforme ele falava, mais e mais lágrimas fluíam dos meus olhos.

 

- E... Eu não queria...não fui eu... Eu não queria ter feito na... Nada daquilo, por favor... Eu... - fiquei uns momentos em silêncio esperando até que eu me acalmasse o suficiente para pensar e falar. - Por favor, eu faço qualquer coisa... Eu não queria matar ninguém, tudo que eu fiz naquela época... Não era eu... Por favor.

 

Olhei para o rosto de cada um e as expressões iam de descrença, confusão até ao ódio. Até que percebi alguém que fora um amigo íntimo para mim olhando para o chão, sem focar em mim.

 

- Sev... Severus, por favor. Você sabe que eu nunca seria capaz de fazer todas aquelas coisas. Por favor, eu faço qualquer coisa... - vi ele me olhar parecendo receoso mas ainda sem falar nada vi ele desviar o olhar novamente.

 

- Bem, que tal... Que tal Veritasserum? O soro da verdade hã? Vocês... Vocês fazem as perguntas que quiserem e eu respondo, não posso mentir. Vocês... Vocês devem ter alguma dose de Veritasserum não devem? Severus deve ter alguma coisa, sim? - Perguntei esperançosa enquanto ainda olhava meu velho amigo.

 

Vi todos se entreolhando receosos e reparei na longa troca de olhares entre Sev e Dumbledore até Snape assentir, se levantar e ir em direção a lareira logo sumindo entre as chamas.

 

Respirei de certa forma aliviada e me coloquei a observar minhas mãos. Sabia o quanto aquelas pessoas me odiavam, o quanto me queriam sofrendo, o quanto me queriam morta... Mas, eu realmente... Eu... Não tive culpa, e só de pensar que a segurança de Draco e Lucius dependia do que quer que eles retirassem de mim com aquela poção...

 

Fui tirada dos meus pensamentos quando ouvi o som da lareira rugir. Olhei para cima e vi todos olhando de forma decisiva para mim.

 

- Muito bem, senhora lestrange, se acomode, incline a cabeça para trás e abra a boca. - Ouvi a voz da cabra velha pedir-me.

 

Inclinei a cabeça como ele pedira e fechei os olhos em antecipação. E então eu senti o horrível gosto daquela poção. Três gostas era o suficiente, mas pelo o que vejo... Eles decidiram usar um pouco mais.

 

Logo uma sensação fora de foco me tomou e eu ouvi uma voz aparentemente desconhecida se dirigir a mim.

 

Foquei meu olhar na pessoa que falava e vi Snape.

 

- Tudo bem?

 

Ele dizia. Automaticamente eu confirmei sem nem mesmo pensar na pergunta.

 

- Muito bem, ela está pronta. Diretor, você fará as honras?

 

A voz era distante, eu ouvia ecos daquelas palavras, não entendia bem o quê estava havendo. O quê eles fizeram comigo?

 

- Muito bem Severus, Senhora, pode nos dizer seu nome completo e data de nascimento?

 

- Bellatrix Rosier Black Lestrange, nasci dia 5 de Abril de 1951.

 

- Muito bem, por quê você veio até Sirius hoje senhora Lestrange?

 

Sua voz soava estranha com aquela poção, era para ser assim?

 

- O Lorde e Narcisa querem fazer do meu sobrinho, Draco, um comensal da morte. Lucius e eu estamos preocupados com o destino dele. Assim como eu, Lucius foi forçado a se inscrever no circulo do Lorde, depois não pudemos mais sair... Não queríamos que Draco passasse por isso. Eu esperava que Sirius me ouvisse e nos ajudasse.

 

- Snape fez alguma coisa com a poção, isso não é Veritasserum coisa nenhuma! Anda Ranhoso, de a poção real. - ouvi uma voz longinqua soar nervosa.

 

- Ora Black! Me poupe de suas insinuações, se quiser provar que a poção não é realmente Veritasserum por quê não a experimenta e nos mostra como ela é falsa, hã?

 

- Agora rapazes, não vamos nos exaltar. - Dumbledore murmurou. - Senhora Lestrange, para provarmos que Severus diz a verdade sobre ter dado a poção Veritasserum para você, pode nos dizer algo que você nunca contou a ninguém e nunca contaria nem se estivesse prestes a morrer?

 

Senti uma forte pontada na cabeça e uma ardência na garganta ao tentar lutar contra a poção, meus olhos já lacrimejavam com a força que eu fazia. Mas fora inevitável, logo eu contei meu segredo mais obscuro.

 

- Quando casei com Rodolfo, eu estava grávida, tive uma garotinha mas... Rodolfo queria machuca-la, disse que não queria uma bas...bastarda em sua casa, então eu... Eu a levei para longe de mim e do pai. Levei ela ao mundo trouxa, no começo eu ia visitá-la, ver como os pais adotivos a tratavam... Mas... Mas eu fui presa e... Nunca mais a vi.

 


Notas Finais


Ufa, depois de seila quanto tempo sem atualização, aqui estamos...


O quê acharam desse segredo que nossa querida Bella foi obrigada a contar hum?

O quê acham que vai acontecer agora?

Façam suas apostas!

Espero que tenham gostado apesar de ser um capitulo bem merdinha...

Bem, beijinhux!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...