História The Quarterback - Capítulo 22


Escrita por:

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Justin Bieber, Personagens Originais
Visualizações 1.607
Palavras 3.533
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eu disse que voltava rápido, não disse?
Hahahahah
Boa leitura, babys <3
(relevem qualquer erro, por favorzinho)

Capítulo 22 - 21. Hormônios


Fanfic / Fanfiction The Quarterback - Capítulo 22 - 21. Hormônios

Bliss Carter

— Você realmente não pode ir? Por favor, baby.

Justin estava jogado em minha cama, tentando me convencer de ir viajar com ele e o time de futebol para a cidade do próximo jogo, no domingo. Já fazia dias que ele vinha me falando sobre aquela viagem, tentando arrumar soluções para que eu pudesse o acompanhar, mas eu já tinha dito mil vezes que realmente não poderia ir. Aquele era meu primeiro dia em meu novo emprego no restaurante, que finalmente estava inaugurando. Eu estava ansiosa e totalmente nervosa por meu primeiro dia e por encontrar novamente meu novo chefe totalmente lindo, Brody Foster. Eu só queria que Justin me deixasse em paz para relaxar e me arrumar. A última coisa que eu precisava era de um quarterback mimado choramingando porque eu não podia acompanha-lo em uma viagem de três dias. Tudo bem, era um quarterback muito gostoso e, ás vezes, fofo, mas eu não podia simplesmente largar meu emprego na primeira semana para realizar seus desejos. Ele tinha que entender isso.

— Você está parecendo um bebê chorão — eu apertei suas bochechas quando ele me puxou para a cama com ele, depositando um selinho em seus lábios.

— Não me chame de bebê, porra — Bieber fez careta, mas me beijou de volta. Eu lhe lancei um olhar repreendedor por causa do palavrão.

— Então entenda de uma vez por todas que eu não posso deixar meu trabalho pra estar com você, Justin — revirei os olhos — Eu queria ir, de verdade, mas não posso.

— Você não pode pedir pra alguém ficar em seu lugar? — ele perguntou, brincando com uma mecha de meu cabelo.

— Justin...

— Tudo bem, tudo bem — ele bufou — Vou parar de insistir. Já entendi.

— Ótimo — eu ri de sua cara emburrada e me aconcheguei em seus braços, suspirando profundamente quando senti Justin me abraçando.

Era incrível o modo como tínhamos ficado próximos na última semana. Justin Bieber não era um homem nem um pouco fácil, mas eu estava começando a entende-lo mais a cada dia que passávamos juntos. Éramos totalmente opostos, como noite e dia, fogo e água, mas alguma coisa continuava a nos puxar um para o outro, como dois imãs. E nunca era o suficiente. Podíamos passar o dia todo juntos, não bastava. Cada vez que Justin me deixava em casa ou nos despedíamos, era como se faltasse alguma coisa ao meu lado. Eu não não gostava nem um pouco daqueles casais grudentos em inicio de namoro que ficavam insuportavelmente melosos, mas infelizmente eu e Justin estávamos ficando tão insuportáveis quanto. Nós só não éramos tão melosos porque Bieber era um idiota grosso, aquilo não tinha mudado.

— Você é muito carente, Bieber — sorri, correndo meus dedos por seus cabelos macios.

— Eu só gosto de ter as pessoas que eu gosto comigo — ele tentou dar de ombros — Especialmente quando fico nervoso, como nos jogos. Me ajuda a manter o foco.

— Você sabe que se eu pudesse, eu iria.

— Eu sei — Justin suspirou — Se perdermos, a culpa é sua.

— Minha?! — arqueei as sobrancelhas, me apoiando em meus cotovelos para olha-lo com incredulidade — Por que diabos a culpa seria minha, Bieber?

— Você é meu amuleto da sorte — um sorriso divertido brincou em seus lábios quando ele repetiu o que tinha me falado no último jogo — Não tenho sorte sem você lá. Se perdermos, a culpa é sua — ele repetiu.

— Você sabe que não precisa de sorte — revirei os olhos, rindo — Você é um ótimo jogador e sabe o que está fazendo. Eu não faço diferença alguma e muito menos te trago sorte.

— Você não é nem um pouco romântica, Bliss — ele bufou.

— Nem você — selei seus lábios rapidamente.

— Eu posso ser romântico quando quero — Bieber me lançou um olhar desafiador.

— Duvido — o desafiei de volta.

Em um movimento rápido e eficaz, Justin inverteu nossas posições e me prendeu entre seu corpo e minha cama, segurando meus braços acima de minha cabeça com suas mãos fortes. Eu soltei uma risada baixinha e senti minhas bochechas corando em excitação pelo o que estava por vir. Ele me provocou com seus lábios, encostando-os levemente nos meus, mas sem me beijar. Suas mãos me soltaram e desceram até meu corpo, me apertando ainda mais contra si e subindo levemente minha blusa. Ele desceu seus beijos pela pele exposta de meu pescoço e meu decote, deixando um rastro de fogo por onde passava. Senti meu corpo se acender imediatamente. De repente, cada pequeno pedacinho de mim estava ciente de sua presença, de seus músculos duros e definidos se movendo sobre mim, de seus lábios macios em contato com minha pele sensível... Justin era tudo o que existia em meu mundo naquele momento, um mundo que estava sendo totalmente consumido por fogo e desejo.

Quando finalmente seus lábios voltaram a encontrar os meus, Justin não hesitou por sequer um segundo, dando início a um beijo totalmente avassalador. Era como se tivéssemos ficado em um deserto por muito tempo e tivéssemos sede um do outro, como se fizesse muito tempo que não nos encontrávamos. Mas não fazia. Tínhamos ficado a manhã inteira juntos, mas todo aquele tempo não era o suficiente. Nunca era. Um leve gemido me escapou quando ele mordeu meu lábio inferior e apertou meu seio por cima do sutiã, desencadeando uma corrente elétrica por meu corpo. Envolvi seu quadril com minhas pernas, o puxando ainda mais contra mim, podendo sentir o que estava acontecendo por baixo de seus shorts de treino.

Oh, Deus, eu estava prestes a entrar em combustão.

Era estranho ser virgem e sentir tudo aquilo que eu estava sentindo. Era estranho querer algo tão desesperadamente, algo que eu nunca tinha feito ou experimentado. Eu só sabia que queria. Queria o corpo de Justin no meu, me fazendo sentir todo tipo de coisa incrível que só ele conseguia despertar em meu corpo. Queria cada gota de prazer que eu sabia que ele poderia me dar. E queria naquele momento.

Bieber aprofundou o beijo, apertando minha coxa. Meus dedos percorreram os músculos de seus bíceps, passando por seus ombros e descendo por seu peito definido até a barra de sua camiseta, agarrando a mesma. Quando eu estava prestes a puxa-la para cima, Justin descolou seus lábios dos meus rapidamente, parando tudo o que estava fazendo imediatamente. Suas íris douradas encararam as minhas com um misto de emoções que, por mais que eu tivesse tentado, não consegui ler.

— Porra, Bliss — ele murmurou com dificuldade, sem fôlego.

— Eu quero isso, Justin — disse, sem um pingo de vergonha em minha voz.

— Tenho que ir para o treino — ele sacudiu a cabeça negativamente, caindo ao meu lado na cama — O técnico vai me matar se eu chegar atrasado mais uma vez.

— Sério? — bufei, irritada.

— Sério — Bieber se levantou, arrumando suas roupas e passando os dedos pelo cabelo. Ele parecia tranquilo, mas não me enganava nem um pouco. Sabia que ele queria aquilo tanto quanto eu, era visível o volume em seus shorts — Ele ameaçou me deixar no banco no próximo jogo caso eu chegasse atrasado de novo.

— Ele não é idiota a ponto de deixar seu melhor jogador no banco por causa de um atraso — revirei os olhos, soltando um suspiro longo e me sentindo derrotada.

— Eu não vou pagar pra ver, baby — Justin me lançou um sorriso torto e se inclinou pra me dar um beijo rápido antes de sair pela porta de meu quarto.

Me levantei assim que escutei a porta da frente batendo. Eu estava frustrada e pra lá de irritada. Já tinha perdido as contas de quantas vezes Justin tinha me afastado naquela semana assim que as coisas começavam a ficar mais quentes entre nós. Eu sabia que ele estava tentando levar as coisas o mais devagar possível para que nada desse errado, mas eu queria aquilo tanto quanto ele. Precisava daquilo, até. Meus hormônios estavam borbulhando dentro de mim e, cada vez que ele me afastava, meu humor só piorava e parecia que eu iria explodir como um cometa. Eu duvidava que ele estaria me afastando se eu não fosse virgem, mas pra falar a verdade, eu não me importava nem um pouco com minha virtude, não me importava se iria ser super especial e romântico, eu só precisava dele. Simples.

Porém, se eu tinha aprendido uma coisa naqueles últimos meses, essa coisa era que nada, nunca, era simples com Justin Bieber.

xxx

Minhas mãos e pernas pararam de tremer assim que levei o sexto grupo de clientes até sua mesa no restaurante lotado. Aquele era meu trabalho: receber as pessoas, verificar as reservas e leva-los até seus lugares. Simples, rápido e fácil. Mas nas primeiras vezes que eu tinha feito aquilo, meu corpo parecia ter sido atingido por um terremoto. Cada passo que eu dava sem cair de meus saltos super altos era uma vitória e eu podia sentir vários olhos em mim, me supervisionando. Apenas um par de olhos, no entanto, era que me desconcertava tanto. Brody, meu chefe super gostoso, estava encostado casualmente no bar no fundo do restaurante, me observando, parecendo tentador demais para meus hormônios loucos.

Ele era lindo, já tinha percebido aquilo desde a primeira vez que tinha colocado meus olhos nele. Brody tinha um tipo de beleza que não podia ser contestada, não dividia opiniões, ele era bonito e ponto final. Qualquer mulher em sã consciência concordaria comigo. E qualquer mulher, assim como eu, ficaria totalmente desconfortável sob o olhar daquele homem. Eu sabia que ele apenas estava me observando fazer meu trabalho, que aquela era a função dele como meu chefe, mas minha imaginação fértil conseguia criar cenários muito mais atraentes em minha mente, o que só deixava as coisas ainda piores.

— O garçom logo estará com vocês — eu disse para meu grupo de clientes com um sorriso estampado no rosto e voltei para meu posto na entrada, verificando minha lista de reservas pela trigésima vez na noite.

Havia muita gente rica e importante ali, isso eu sabia. Dava pra sentir no ar a imponência da clientela de Brody e aquilo também era mais um motivo para me deixar nervosa. Eu queria parecer mais madura e competente para aquelas pessoas importantes e detestava quando me olhavam como se fossem melhores do que eu, então mantinha uma expressão contida em meu rosto, sem dar espaço para que aquilo acontecesse. Eu também podia sentir os olhares de homens indiscretos quando eu passava por suas mesas, mas aqueles eram olhares que eu definitivamente não queria sobre mim.

— LaFont — uma voz soou, dizendo um sobrenome conhecido demais por mim.

Eu levantei o olhar relutantemente, encontrando Erin, Trent e Justin parados em minha frente com sorrisos enormes em seus rostos.

— O que vocês estão fazendo aqui? — perguntei, incrédula, tentando controlar o tom de minha voz.

— Eu tenho uma reserva — Erin sorriu, triunfante — Pode conferir.

E eu o fiz. Olhei, mais uma vez, para a lista em minha frente só pra ver que minha melhor amiga super irritante realmente tinha uma reserva naquela noite.

— Sério? Sério mesmo, E.? — bufei.

— Sério, abelhinha. Você achou mesmo que eu iria perder sua grande noite? — foi a vez dela bufar e revirar os olhos, jogando os cabelos loiros e perfeitos por cima do ombro.

— Vou levar vocês até a mesa, então — revirei os olhos — Sigam-me.

Fui na frente deles, liderando o caminho até uma mesa para quatro pessoas no canto esquerdo do lugar. Como eu não tinha reparado no nome de Erin antes? Eu estava tão nervosa e afoita que tinha passado totalmente despercebido por mim. É claro que eu amava que ela estivesse ali, ainda mais por Justin e Trent também estarem, mas eu não queria que meu novo chefe achasse que eu não podia fazer aquilo sozinha. Mesmo assim, eu me sentia muito mais calma depois da chegada deles.

— Você está linda, baby — ouvi a voz de Justin baixinha em meu ouvido e dei um pulo, percebendo que ele estava perto demais. Por mais que tudo o que eu mais quisesse fosse me jogar em seus braços, eu tinha que ser profissional.

— Obrigada — sorri.

— Lugar legal esse — Trent disse, observando os detalhes a sua volta.

Sorri quando pensei no quanto aquilo devia ser diferente para eles. Justin e Trent estavam vestidos socialmente em um restaurante chique no centro da cidade. Aquilo era muito engraçado. Eles eram estudantes universitários que jogavam futebol e bebiam cerveja de ponta cabeça em festas de fraternidade toda sexta-feira. Definitivamente uma realidade muito diferente da que eles estavam acostumados, eu só estava feliz por eles não terem trazido o time de futebol inteiro, aqueles meninos pareciam andar só em bando.

— Erin! — a voz de Brody soou atrás de mim, me fazendo congelar em meu lugar — Que bom vê-la aqui.

— Brody! — ela sorriu de orelha a orelha, indo até ele e lhe dando um abraço — O restaurante está incrível, parabéns!

— Obrigado — ele sorriu, realmente orgulhoso de seu negócio, e pousou uma de suas mãos em meu ombro. Oh, meu Deus — Mas sei que veio prestigiar o trabalho de Bliss mais que meu restaurante.

— O que posso dizer? Sou uma melhor amiga orgulhosa e coruja — E. deu de ombros.

— E quem são seus outros amigos? — dessa vez Brody direcionou a pergunta a mim e tive que me esforçar para sair de meu transe.

— Ahn... Esses são Trent e Justin, meus... amigos — tentei sorrir, mas deve ter saído como uma careta, pois meu rosto parecia estar congelado em uma constante expressão de pânico.

— Vocês jogam futebol, não é? Eu sou um fã — meu chefe parecia animado ao iniciar uma conversa com os garotos e eu usei essa deixa para voltar para meu lugar.

Levei mais alguns clientes até seus lugares, mas a maioria das pessoas que tinham feito reservas já tinham chegado, então meu trabalho foi desacelerando com o passar da noite. Eu também marcava reservas para os outros dias, então me ocupei por um tempo em fazer aquilo, organizando horários e distribuindo pessoas em mesas. Brody ficou conversando com Erin e os meninos por um bom tempo, mas passou para a mesa seguinte assim que um homem mais velho o cumprimentou. Arrisquei olhar para meus amigos de vez em quando, recebendo sorrisos incentivadores de Erin, polegares levantados de Trent e Justin... Justin não parecia estar nem um pouco feliz. Sua expressão estava muito diferente de quando ele tinha chegado. O que podia ser?

Aproveitei um pequeno intervalo para ir ao banheiro, eu precisava ver se estava tudo bem com minha roupa e maquiagem. Meus pés doíam pra caramba, eu não estava acostumada a trabalhar a noite toda em cima de quinze centímetros de salto, mas parecia que de agora em diante eu precisaria me acostumar. Eu tinha que ir no banheiro das clientes, pois o dos funcionários ainda não tinha ficado pronto, então atravessei o restaurante e me encaminhei até lá. Erin estava ocupada demais babando em Trent para captar meu olhar quando olhei em sua direção, o que me fez sorrir. Minha melhor amiga estava caidinha por ele e eu podia ver que Trent também não ficava muito atrás. Eles formavam um casal fofo.

Entrei no banheiro e as luzes automáticas imediatamente acederam, indicando que eu estava sozinha. Verifiquei minha maquiagem no espelho, retocando meu batom rapidamente. Escutei quando a porta do banheiro do banheiro se abriu e fechou, o que significava que alguém estava entrando, mas o reflexo que vi atrás de mim no espelho não foi o que eu esperava.

— Justin?! O que você está fazendo aqui? — perguntei, nervosa, pronto pra arremessa-lo pra longe dali — Você vai me fazer perder meu emprego!

— Não tem ninguém aqui e ninguém me viu entrando. Relaxe, baby — ele tentou parecer calmo, me lançando um sorriso torto.

Maldito.

— O que você quer?

— Por que me apresentou para o seu chefe como seu “amigo”? — perguntou, semicerrando os olhos e vindo até mim, segurando firmemente minha cintura e me puxando contra ele.

— Ahn... Não somos amigos? — arqueei as sobrancelhas, tentando me desvencilhar de seus braços. Sem sucesso. Ele era ridiculamente mais forte que eu.

— Você sabe que somos bem mais que isso, baby — ele bufou.

— Bom, e como você esperava que eu dissesse isso para Brody? “Então, chefe, eu e Justin somos mais que amigos, você sabe como é...”? — disse, incrédula.

— Ele estava te olhando — Bieber sussurrou, tirando meu cabelo de meu pescoço e arrastando seu nariz por lá, inspirando meu perfume lentamente. Meu corpo todo ficou arrepiado, correspondendo a seus toques.

— É claro, ele é meu chefe — tentei manter minha voz estável — Tem que supervisionar meu trabalho.

— Ele não estava apenas supervisionando seu trabalho — sua mão desceu por minhas costas e agarrando meu bumbum, me fazendo dar um pulinho.

— Bieber...

— Bliss, você é minha namorada e eu não gosto nem um pouco quando ficam olhando com desejo demais algo que é meu — ele murmurou, mordiscando a pele de meu pescoço levemente.

— Eu não sou sua namorada, Bieber — me afastei um pouco para olhar em seus olhos, desafiando-o.

— O que? Que porra você está dizendo? — ele parecia incrédulo e um tanto irritado.

— Você nunca me pediu em namoro — dei de ombros quando Justin me largou.

— E daí?

— E daí? — repeti sua pergunta, rindo — E daí que não somos namorados. Não somos um casal.

— Somos sim — ele teimou.

— Não, não somos — revirei os olhos.

— Pensei que isso estava claro quando tudo isso começou — agora ele definitivamente estava irritado.

— Não estava — murmurei, me divertindo um pouquinho demais.

— Então... Quer namorar comigo, porra? — ele perguntou e eu ri, incrédula.

— Não assim — fui até ele, depositando um beijinho no canto de sua boca — Até você fazer um pedido decente, vai ter que se acostumar com as pessoas olhando algo que ainda não é seu — ri e saí andando.

Justin tentou agarrar meu braço, mas eu fui mais rápida e praticamente corri para fora do banheiro, sem olhar para trás. Eu confiava que ele tinha bom senso para sair logo dali, para que ninguém suspeitasse e para que eu não perdesse meu emprego. Eu adorava provocar Justin, mesmo sabendo que era idiota e infantil. Não ligava mesmo para um pedido de namoro cheio de frescuras, mas se ele queria ser tão possessivo em relação a mim, então teria que trabalhar duro para conseguir o que queria. Eu não era tão fácil assim.

Sem contar que era delicioso vê-lo com ciúmes. Eu simplesmente queria arrancar minhas roupas todas as vezes que ele me olhava com aquela cara.

O resto da noite passou rapidamente. Eu me despedi de cada cliente que saiu do restaurante, entregando-lhes seus casacos e pedindo para que voltassem sempre. Erin me abraçou antes de ir e Trent quase me esmagou com aqueles seus braços enormes, mas Justin nem olhou em minha direção, simplesmente passou reto. Apesar daquilo, eu sabia que ele não estava realmente bravo comigo, então apenas ri sozinha imaginando o drama que ele faria assim que nos encontrássemos novamente.

Todos os clientes tinham ido embora antes de meu expediente acabar, ás 23h30, então Brody veio até mim e me dispensou, dizendo que eu tinha feito um ótimo trabalho e que estava feliz por ter me contratado, pois aparentemente os clientes tinham gostado de mim. Aquilo me deixou extremamente feliz e quase pulei para abraça-lo, mas mantive minha postura e agradeci. Ele parecia estar com pressa, pois foi embora assim que nossa conversa terminou, e eu me encaminhei para os fundos para trocar de roupa. De jeito nenhum eu iria embora com aqueles saltos, não aguentava ficar mais um segundo em cima deles.

Assim que me troquei, passei pala cozinha para me despedir da equipe. Todos sorriram e acenaram para mim, mas o chefe caminhou até onde eu estava com um prato cheio de bolo de chocolate. Meu estômago roncou. Eu tinha observado aquele bolo desde que tinha chegado ali e ele parecia ter lido meus pensamentos quando me entregou o pedaço.

— Parabéns pelo trabalho, Bliss. Tome, espero que adoce o seu dia — ele murmurou.

O Chefe era um homenzinho de meia-idade muito fofo, com cabelos grisalhos e uma barriga grande. Toda a equipe o adorava e eu só tinha ouvido elogios para ele e, claro, para sua comida, que me parecia realmente incrível. É claro que eu não tinha tido tempo de provar os diversos pratos servidos naquele dia, mas a satisfação nos rostos dos clientes já diziam tudo.

— Meu Deus, eu poderia comer isso todos os dias — murmurei entre garfadas no bolo, que estava realmente delicioso.

— Vou fazer questão de guardar um pedaço para você todos os dias então — o Chefe piscou para mim, me fazendo sorrir.

Eu tinha estado realmente nervosa com meu primeiro dia de trabalho. Estava com medo de fazer algo errado e estragar aquela chance para mim, mas felizmente tudo tinha dado mais que certo. Eu tinha aprendido tudo muito bem, tinha sido elogiada por meu chefe e a noite estava acabando com o melhor bolo de chocolate do mundo. O que mais eu poderia querer?

É claro que aquela era uma pergunta idiota, pois ainda tinha algo que eu queria muito naquela noite: um quarterback muito grosso, dramático e tentador, que estava brincando demais com meus hormônios.

O que eu precisava fazer para que ele parasse de se importar tanto em fazer a coisa certa e simplesmente me desse o que eu queria? 


Notas Finais


E aí, o que acharam desse capítulo?
Coitada da Bliss, a bichinha tá sofrendo com os hormônios e o Bieber só afasta a coitada hahahaha Vocês preferem o Bieber certinho ou mais badass? Eu seeei que esse capítulo ficou chato e sem graça, mas prometo que o próximo vai pegar fogo hahahaha Entrem no grupo do wpp, eu tô sempre mandando uns spoilerzinhos lá! Me digam o que acharam do capítulo, vou responder todos os comentários!
Nem imaginei que tinha ainda tanta gente que acompanha a história e fiquei realmente supresa com tanto carinho que recebi, vocês são incríveis. Muito obrigada por entenderem, por continuarem aqui e por não abandonarem a fic. Amo muito vocês, até o próximo cap!
Xx

❤ Wattpad: https://www.wattpad.com/user/marizzIe
❤ Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=H40oM-piuxQ
❤ Grupo do Whatsapp: https://chat.whatsapp.com/HYGg6NpDqMxAoDStwhkXSo
❤ Style da fanfic: https://spiritfanfics.com/personalizar/style/justin-bieber-the-quarterback-6126591
❤ Smashed: https://spiritfanfics.com/historia/smashed-2533391
❤ ask: https://ask.fm/mustinn
❤ Tumblr: http://marizzlefanfics.tumblr.com/
❤ Personagens: http://marizzlefanfics.tumblr.com/personagenstq


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...