História The Queen - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Diabolik Lovers
Personagens Ayato Sakamaki, Azusa Mukami, Beatrix, Carla Tsukinami, Christa, Kanato Sakamaki, Kou Mukami, Personagens Originais, Ruki Mukami, Shin Tsukinami, Shu Sakamaki, Subaru Sakamaki, Tougo Sakamaki "Karlheinz", Yui Komori, Yuma Mukami
Tags _moon-san_, Diabolik Lovers
Visualizações 42
Palavras 1.100
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishoujo, Bishounen, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Luta, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá mundo!

Adivinha quem ia postar no sábado, mas decidiu postar hoje? Isso mesmo, euzinha!

Mas, porém, contando, contudo, vocês ficarão sem capítulo até dia 18...

Má? Eu? Imagina...

Mas, eu resolvi isso porque seria melhor pra mim, já que uns parentes vão vir aqui em casa no sábado... E também pra conter um pouco da ansiedade de vocês!

Boa leitura!

Capítulo 2 - Capítulo I


Fanfic / Fanfiction The Queen - Capítulo 2 - Capítulo I

The queen

  Capítulo I

~×~

Irmão (s.f.)

É quem reclamou de mim a vida inteira, mas não viveria outra vida sem a minha chatice para acompanhar. É ter cúmplice para os crimes (ou idiotices) que cometemos por amor. É quem nem sempre divide o sangue, mas se precisar, divide a cama.

~×~

Konoha Mina, agora Tsukinami, já estava com seus dezessete anos, o mesmo tempo que havia virado a irmã mais nova dos irmãos Tsukinamis, Carla e Shin.

– Ohayo, Onii-San. – comprimentou, descendo as escadas daquela gloriosa mansão.

– Ohayo, Konoha. – Comprimentou Carl a, com aquele tão costumeiro tom de voz frio.

Konoha descreve Carla, o primogênito da família Tsukinami, também O Primeiro Sangue que possui inteligência e razão. No entanto, ele esconde uma violência sádica secreta embaixo disso. Dentro de sua longa vida, ele tem um caráter preguiçoso e calmo. 

– Ei! Eu existo também! – Shin lembrou, indignado.

E ela descreve Shin como o oposto – ou nem tanto – de Carla, possui um grande orgulho como fundador, ele olha para baixo sobre as outras linhagens. Ele também, assim como seu irmão, pode ser considerado um ser sádico, mas não age assim com sua irmã.

– Eu também te amo, Shin~ – A esverdeada sorri cínica.

– Ora, sua…!

– Sem discussões na mesa. – o mais velho interrompeu antes que a discussão tivesse uma continuação, isso seria bem chato.

– Onii-San, eu ouvi a Akemi falando que nós iríamos estudar numa escola. É verdade? – Konoha sorriu, claramente animada.

– Akemi é muito enxerida! – O segundo filho exclamou.

– Não fale assim dela, Shin! – o repreendeu com um tapa na cabeça.

Akemi era uma das empregadas mais antigas daquela mansão, e também uma das pouquíssimas pessoas em quem Konoha confiava.  É uma jovem bonita e baixa, com cabelos louros e olhos acastanhados.

– É sim verdade, Noha. – Carla pronunciou, tentando dar um basta na discussão antes mesmo dela começar.

– Se as pessoas me provocarem, eu posso matá-las? – a esverdeada perguntou de forma inocente, porém em sua cabeça já vinham inúmeras maneiras se tortura.

– Sim.

– Não. – Os dois rapazes disseram em uníssono.

– Sim ou não? – Konoha, ou Noha, como gostava de ser chamada, perguntou, confusa.

– Não. E eu não quero encrencas no primeiro Dia de aula, ouviu? – Carla avisou.

Às vezes, o de cabelos branco tratava a esverdeada como se ela fosse uma criança, claro que Konoha não gostava nada disso, eles tinham apenas um ano de diferença, afinal.

– Ouvi, eu não sou surda. – Deu uma resposta mal humorada, quantas vezes ela já disse para não chamá-la ou tratá-la como criança?

– Owwn! Ela ficou de mau humor? Que adorável! – Shin apertou as bochechas do ser que estava ao seu lado.

– Tira a patinha – ela deu um tapa na mão do mais velho.

– Me respeita, pirralha!

– Pirralha? Nós temos a mesma idade, seu débil mental! – Lembrou a garota.

– Dane-se, eu sou mais maduro que você, sua retardada!

– Falou a pessoa que usa um tapa-olho só para parecer um Pirata. – mostrou a língua.

Carla suspirou, aquele domingo seria longo. O que eu fiz para merecer isso?, pensou, revirando os olhos, dois retardados.

~×~

– Cara, porque nós vivemos longe da civilização moderna?! – Konoha perguntou entediada, deitada (lê-se jogada) no sofá da sala.

– Você sabe nossos motivos, Noha. – Carla.

– Me pergunto isso todo dia – Shin resmunga, na mesma situação que a irmã.

– Por que ao invés de ficarem aí reclamando, vocês não vão ler um livro? A biblioteca está cheia – Carla sugeriu, sem tirar os olhos do livro que estava lendo.

– Leitura é chata – reclamou o mais novo.

– Já li grande parte dos livros de lá – lembrou Konoha.

– Nerd – Zoou Shin.

– Jumento – rebateu a garota.

– Cabeça de alface.

– Quatro olhos.

– Parem vocês dois! – Carla ergueu um pouco o tom de voz, fazendo os dois se assustarem – Só, parem de ser idiota e vão fazer algo que preste. – Disse empurrando os dois irmãos mais novos para fora da saleta.

– Acho que alguém acordou com o pé esquerdo~

– Cala a boca, Shin. Deixa o Nii-San. – Disse a garota, começando a caminhar pela mansão.

– Eu também sou seu Nii-San! – Shin lembrou.

– Tu parece uma criança. Isso sim.

– Ah, fica quieta, idiota. – Logo uma ideia apareceu na mente de Shin – Vamos apostar corrida? – Sorriu convencido, achando que iria ganhar.

– Se você quiser perder – Konoha debochou, já saindo correndo.

– Trapaceira! – Ouviu seu irmão gritar enquanto ria.

– Eu? Não! Você que é muito lerdo, seu retardado!

~×~

– Parece… Que… ganhei, cabeça de alface – Shin estava ofegante, com as mãos no joelho, tentando recuperar o ar.

– Sim, é o que parece – Konoha, por sua vez, estava jogada no chão, também ofegante.

E não era a toa que eles estavam assim, tão cansados! Eles dois haviam corrido por ao redor de toda a mansão, dez vezes!

– Tsukinami-San? Konoha-San? – Akemi correu até onde os dois estavam ofegantes e quase morrendo, isso se não fossem imortais, claro.

– O que… Foi, Akemi-Chan? – Noha perguntou ofegante.

– Carla-sama está chamando por vocês – avisou a mulher.

–  Certo, muito obrigada, Akemi-chan – a esverdeada agradeceu, se levantando e começando a caminhar para dentro da mansão, deixando um Shin ofegante para trás.

– Porque você a trata com tanto respeito? – Shin perguntou confuso, se recompondo – Ela é uma simples empregada.

– Shin, meu irmão que tanto amo, ela apesar de trabalhar para gente, ainda é uma pessoa. – Respondeu, meio irritada.

Konoha não gostava da forma como seu irmão olhava para todos, com aquele ar de superior, aquilo a irritava, todos, apesar de serem de raças diferentes, ainda eram iguais, de algum modo.

Antes que percebesse, já haviam chegado na saleta em que estavam anteriormente.

– Nii-San?

– Entrem.

Assim os dois fizeram.

– O que quer?

– Como a Noha já havia falado, nós iremos a uma escola, então quero avisar; A escola é de humanos, não se descontrolem, Não quero confusão na primeira semana de aula, e senhorita Konoha, não é para agredir ninguém.  

– E sobre o horário? – indagou Shin

– E os materiais? – completou Konoha.

– Seus materiais estão em cima da cama de vocês, quero vocês pronto às oito horas da noite, estamos entendidos?

– Sim – Disseram em uníssono e saíram da saleta.

~×~

Já era tarde da noite, umas cinco horas da madrugada, e Konoha estava vestida com uma blusa de seu irmão mais alto que é treze sentimentos mais alto que ela, Carla.

Não… Por favor… Não! – Noha se remexia na cama, estava tendo um pesadelo.

Não! – exclamou, acordando.

Saiu para o corredor, parando na frente de uma porta que ficava a poucos metros da sua, entrou no quarto e se deitou ao lado de seu irmão.

– Konoha? Aquele pesadelo de novo? – A voz de Carla soou.

– Sim. – Ela se encolheu no peitoral de seu irmão, e ele apenas abraçou sua cintura.

– Boa noite, maninha – Deu um beijo na testa da mais nova e fechou os olhos.


Notas Finais


E aí? Gostaram? Amaram? Odiaram?

Comentem!

E se quiserem, podem divulgar também ;P

Agora, quem vai comentar o capítulo sou eu!:

Adivinha quem shippou Noha × Carla escrevendo sabagaça? Isso mesmo! Euzinha!

Sei lá, só issu ;u;


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...