História The Queen Of Broken Heart - Capítulo 29


Escrita por: e Leksa-Debnam

Postado
Categorias Jogos Vorazes (The Hunger Games)
Personagens Annie Cresta, Clove, Coriolanus Snow, Effie Trinket, Finnick Odair, Gale Hawthorne, Haymitch Abernathy, Johanna Mason, Katniss Everdeen, Madge Undersee, Peeta Mellark, Primrose Everdeen
Visualizações 158
Palavras 3.680
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi meus amores ❤

Boa leitura 😍

Capítulo 29 - Get Some


Fanfic / Fanfiction The Queen Of Broken Heart - Capítulo 29 - Get Some

Point Of View Peeta Mellark

 

 

 

Fecho o caderno, guardo o mesmo na mochila e a uso, pego meu capacete e saio da sala.

 

Passo a mão pelos cabelos e suspiro, sentindo o cansaço tomando conta de mim. Confiro o celular e vejo uma mensagem sua, o que me faz sorrir abertamente.

 

Desbloqueio o celular e meu sorriso aumenta ainda mais.

 

 

 

 

 

Hey, Sweetheart

 

Como foi a aula hoje?

 

Cansativa, Sunshine

 

E a sua maravilhosa noite de férias, foi como?

 

 

 

 

 

Guardo o celular na mochila e pego as chaves da moto, mas antes que possa chegar até ela, Theo para na minha frente.

 

- Peeta!

 

- Ahn, oi, Theo. - Cumprimento, sorrindo de forma forçada. Theo era um dos meus colegas de curso, mas era um babaca completo.

 

- Nós vamos fazer uma festinha na boate nova da esquina para comemorar o começo das férias. O que acha de vir com nós?

 

- Eu tenho compromisso agora.

 

- Você não pode ser pra sempre tão certinho, Peeta. Vamos, não tem problema se você se atrasar para o seu compromisso. - Diz e eu trinco a mandíbula, negando.

 

- Eu não…

 

- Peeta! Você vai?

 

- Costia? - Pergunto, em meio segundo ela aparece sorrindo e abraça Theo.

 

- Eu estou tentando convencê-lo, gatinha, mas o Mellark aqui tem um compromisso. - Diz com um sorriso de deboche no rosto, Costia olha pra mim com curiosidade.

 

- Eu passo lá mais tarde. - Odeio o som das palavras assim que elas saem da minha boca, Costia sorri e faz um tchauzinho, puxando Theo na direção da tal boate.

 

Reviro os olhos e continuo o caminho até a moto, subo em cima da mesma e uso meu capacete, dou a partida e sigo na direção da sua casa.

 

Ignoro a sensação estranha que toma conta de mim ao me lembrar de Costia, algo como se fosse um grande arrependimento. E era. A única coisa que eu sentia quando olhava para Costia era arrependimento.

 

Balanço a cabeça e paro a moto em frente ao portão, abro o mesmo e desço da moto, empurrando-a até os fundos da sua casa.

 

Deixo a mesma lá e caminho até a porta da frente, pego meu celular e o desbloqueio, abrindo a nossa conversa.

 

 

 

 

 

Seria melhor se você estivesse aqui, baby

 

 

 

Então se prepare, que a sua noite acaba de ficar melhor

 

 

 

O quê?

 

 

 

Abra a porta, Sunshine

 

 

 

 

 

Em alguns segundos escuto o barulho das trancas da porta sendo abertas e guardo o celular no bolso, a porta se abre e ela sorri ao me ver, pulando nos meus braços em seguida.

 

Fecho os olhos e em poucos segundos sinto seus lábios nos meus, enrolo meus braços na sua cintura e puxo seu corpo para mais perto do meu, sua língua toca a minha e ela suspira contra os meus lábios.

 

A morena se separa de mim quando o ar se faz necessário e me encara com os seus lindos olhos cinzentos, acaricio a sua bochecha e sorrio.

 

- Surpresa! - Exclamo e ela ri, me dá um beijinho e me puxa para dentro, fechando a porta atrás de si.

 

- Você realmente está com uma carinha cansada. - Diz e eu a olho com cara de ofendido.

 

- Como é, minha querida?

 

- É, baby. - Diz e eu suspiro, ela me puxa para o sofá e se senta no meu colo, tocando o meu rosto. - Está tudo bem? - Faço que não com a cabeça e a abraço, Katniss acaricia meus cabelos e me abraça de volta, aproveito o conforto dos seus braços e tento me acalmar.

 

- Quando eu voltar das férias, bem... eu vou precisar fazer estágio.

 

- Como assim? - Pergunta confusa e eu me afasto do seu peito para encará-la, vendo seus olhos cinzentos agitados.

 

- A faculdade exige um estágio, Sunshine. O que significa que eu não vou poder continuar trabalhando com você. - Murmuro e ela me olha com a sobrancelha arqueada.

 

- Você sabe que a empresa tem um advogado, não é?

 

- Tem?

 

- E você sabe que eu posso te contratar para ajudá-lo, certo?

 

- Pode? - Ela ri e assente, seguro seu rosto com a ponta dos dedos e a beijo, a morena segura meus cabelos e retribui, sua língua se enrosca com a minha calmamente e seus dedos fazem um carinho suave na minha nuca.

 

O beijo se torna necessitado e ela coloca uma perna de cada lado da minha cintura, suspiro contra os seus lábios e me afasto quando o ar se faz necessário, Katniss me encara confusa.

 

- O que foi?

 

- Eu disse que iria a uma confraternização da faculdade. Pra comemorar o começo das férias. - Resmungo e ela solta um muxoxo de desaprovação.

 

- Você precisa mesmo ir? - Pede com os olhinhos na minha direção.

 

- Bom, eu queria mostrar a minha namorada para todo mundo, mas se você não quiser... - Dou de ombros e ela arqueia a sua sobrancelha.

 

- E onde a sua namorada vai estar? - Pergunta e eu arqueio a sobrancelha.

 

- Ao meu lado, espero. - Digo e ela dá de ombros.

 

- Sua namorada sabe sobre nós? - Diz e eu reviro os olhos.

 

- Você é a minha namorada. Não se faça de boba, Sunshine.

 

- Eu? - Ela se faz de desentendida. - Não lembro de ter aceitado algum pedido. - Katniss arqueia a sobrancelha e eu sorrio.

 

- Você quer?

 

- Você está perguntando se eu quero receber o pedido ou...

 

- Você quer namorar comigo, Katniss? - Solto de uma vez, ela arregala levemente os olhos e eu engulo em seco, encarando seus olhos cinzentos que olham para qualquer lugar menos para os meus olhos. - Se você não quiser, eu entendo. Nós podemos ficar assim até...

 

- Eu quero. - Diz rapidamente e é a minha vez de arregalar os olhos. - Eu quero namorar com você, Sweetheart. - Ela olha pra mim e sorri lindamente, como se tivesse se dado conta da sua vontade agora. Retribuo seu sorriso. - Mas, tenho uma condição.

 

- Condição? Qual?

 

- Você precisa me recompensar depois dessa confraternização.

 

- Não precisa pedir duas vezes, baby.

 

A morena sorri e me beija, sorrio contra os seus lábios e acaricio suas costas, ameaçando tirar a camiseta cinza que ela usa mas sem completar a ação, fazendo-a gemer frustrada.

 

- Vamos logo para essa droga de confraternização. - Resmunga se levantando do meu colo e eu rio, ela começa a ir na direção das escadas e eu a sigo.

 

Entramos no seu quarto e eu me sento na cama, enquanto Katniss se enfia no meio do seu closet e sai de lá uns 5 minutos depois, com uma porcaria de uma saia branca completamente colada e um cropped de alcinhas para completar o conjunto.

 

Meus olhos passeiam pelo seu corpo esbelto e sinto meu membro endurecendo com a visão do paraíso que era aquela mulher.

 

Ela se vira de costas para mim para procurar alguma coisa no seu armário e meus olhos descem para a sua bunda, que parecia deliciosamente maior naquela bendita saia. Eu estava louco para arrancar aquela roupa dela.

 

- Se você continuar me olhando, eu vou começar a cobrar. - Diz ainda de costas, me fazendo sorrir malicioso.

 

- Eu pago. - Respondo e ela se vira, me olhando com a sobrancelha arqueada.

 

- Você é um idiota. - Diz, mas sei que tem um sorriso no rosto.

 

- Não me culpe. Você está incrível.

 

- Obrigada, Sweetheart. - Ela sorri pra mim e passa um batom vermelho, penteia os cabelos e usa um salto, virando de frente para mim e sorrindo. - E então?

 

- Eu quero aceitar a sua ideia e não ir nessa confraternização. Nunca. - Digo e ela gargalha, olho para o seu corpo e meu olhar cai sobre os seus seios. Quase tenho um ataque cardíaco ao perceber que ela estava sem sutiã. O bico era quase imperceptível, mas estava ali.

 

- O que foi?

 

- Você está sem sutiã. - Me levanto da cama e caminho até ela, segurando a sua cintura marcada pelo tecido colado.

 

- Algum problema? - Pergunta com a sobrancelha arqueada e eu sorrio.

 

- Na verdade, um a menos. Isso vai ser útil quando eu for tirar a sua roupa, mais tarde.

 

- Eu odeio seus colegas de faculdade. - Diz e eu rio, lhe dando um selinho.

 

- Pronta?

 

- Pronta. - Me permito olhar para o seu corpo e suspiro, a morena sorri de forma maliciosa e meus olhos param na barra da sua saia.

 

- Droga!

 

- O que foi?

 

- Eu estou de moto. - Coço a nuca e ela sorri.

 

- Sweetheart, eu tenho um carro.

 

- Você tem?

 

- Na verdade, tenho três. - Ela dá de ombros e eu arqueio a sobrancelha. - Vamos, mas eu vou dirigir.

 

Katniss me puxa na direção da garagem e eu apenas aceito ser conduzido pela minha garota, arregalando os olhos ao ver os três carros que ela apontou.

 

Uma Range Rover branca, um Fusion prata e um CRV preto.

 

- Uou.

 

- Não é incrível? - Ela pega a chave e destranca as portas do Range Rover, apontando para o mesmo. - Vamos?

 

- Vamos. - Caminhamos até o carro e eu entro no banco do passageiro, uso o cinto e ela faz o mesmo, ligando o rádio em seguida.

 

- Quem vai estar lá? - Pergunta despreocupadamente, dando a partida.

 

- Ahn, só a galera da faculdade. - Ela abre o portão e sai de casa, fechando o mesmo atrás de si.

 

- Onde que fica a boate?

 

- É aquela boate que abriu semana passada, perto da faculdade.

 

- Closer?

 

- Essa mesmo. - Assinto e ela acelera, me dou a liberdade de escolher alguma música no rádio e começo a passar uma por uma, até a batida de uma conhecida começar a tocar. Katniss olha pra mim com a sobrancelha arqueada e eu sorrio de lado, enquanto a morena se concentra na estrada.

 

 

 

 

Quando você liga, quando você liga, quando você liga e estou excitada

Estive esperando, estive esperando, estive esperando seu corpo

Você não sabe que tenho dançado sozinha na festa?

Os meus amigos transaram e eu não encontrei ninguém

 

 

 

 

Ela canta a música baixinho e eu me concentro na sua voz, enquanto mantenho meu olhar preso nela.

 

 

 

 

Nós podemos voltar para sua casa

Eu juro que sairei pela manhã

Apenas me toque assim

Oh, baby

 

 

Eu não, não preciso de luz de velas

Você só precisa me foder direito

Talvez eu não seja do tipo amorosa

Eu só quero ter prazer

 

Eu não, eu não quero esperar mais

Vamos fazer no chão da cozinha

Me dê o que eu estou pedindo

Eu só quero ter prazer

 

 

 

 

Ela canta os dois primeiros versos olhando pra mim com os olhos brilhando, mordo o lábio inferior e me seguro para não agarrá-la ali mesmo.

 

Desvio meus olhos dos seus e tento prestar atenção na cidade que passa rapidamente pela janela, mas a minha tentativa falha completamente ao sentir sua mão na minha coxa.

 

Me viro na sua direção e vejo um sorriso malicioso nos seus lábios, arqueio a sobrancelha mas ela não se dá ao trabalho de me olhar, voltando a cantar.

 

 

 

 

Não finja, não finja, não finja como se nós fôssemos amantes

Como se isso fosse mais do que dois estranhos embaixo dos lençóis

Quando estou aqui sozinha, há uma parte que sinto falta

Eu vou ficar cega se eu não conseguir ver o que você está dando

 

 

Nós podemos voltar para sua casa

Eu juro que sairei pela manhã

Apenas me toque assim

Oh, baby

 

 

 

 

Sua mão sobe pela minha coxa e meu corpo inteiro se arrepia, fecho os olhos com força e ela alcança meu membro e acaricia o mesmo por cima da calça.

 

 

 

 

Eu não, não preciso de luz de velas

Você só precisa me foder direito

Talvez eu não seja do tipo amorosa

Eu só quero ter prazer

 

Eu não, eu não quero esperar mais

Vamos fazer no chão da cozinha

Me dê o que eu estou pedindo

Eu só quero ter prazer

 

 

 

 

Encosto a cabeça no banco e tiro a sua mão de cima de mim com delicadeza, ela solta uma risada baixa e eu engulo em seco, tentando controlar a minha ereção.

 

 

 

 

Eu não, não preciso de luz de velas

Você só precisa me foder direito

Talvez eu não seja do tipo amorosa

Eu só quero ter prazer

 

Eu não, eu não quero esperar mais

Vamos fazer no chão da cozinha

Me dê o que eu estou pedindo

Eu só quero ter prazer

 

 

 

 

Minha pele queima onde ela me tocou e meu corpo implora para fazer amor com ela nesse instante, mas respiro fundo e tento me controlar a todo custo.

 

A próxima música é Crazy In Love, mas eu consigo passar antes que ela comece a cantar, fazendo com que uma risada se solte dos lábios da minha morena.

 

Fico tão entretido com as suas músicas que não percebo quando ela estaciona o carro em frente a boate, e só me dou conta disso quando ela me chama.

 

- Sweetheart, nós chegamos. - Diz e eu olho para os lados, me dando conta da música e das luzes.

 

- Claro. - Tiro o cinto e escuto ela rir, saio do carro e ela faz o mesmo, trancando-o em seguida.

 

Caminho até ela e lhe dou um beijinho rápido, caminhamos na direção da entrada da boate.

 

- Conseguiu controlar seu amiguinho? - Pergunta com uma pontada de ironia na voz, lhe mostro um sorriso torto e dou de ombros.

 

- Você vai ver mais tarde o meu autocontrole, baby. - Falo e ela faz uma careta.

 

- A última coisa que eu quero ver hoje é o seu autocontrole, Mellark.

 

 

Ela entrelaça seus dedos nos meus e eu sorrio, pago a nossa entrada entre reclamações dela - que eu ignoro, deixando a morena ainda mais brava - e tomo a frente, seguindo para o bar, já que lá parecia ser o único lugar onde as pessoas não se esfregavam umas nas outras.

 

- Eu convidei, eu pago! - Digo e ela revira os olhos, a puxo para perto pela cintura e tiro uma mecha de cabelo do seu rosto, colocando-a atrás da sua orelha. - Já te disse que você está linda? - Sua marra se desfaz quase no mesmo instante e ela luta contra um sorriso, sem sucesso.

 

- Seu idiota. - Eu solto um sorriso vitorioso. - Você também está lindo. Muito lindo. - Ela morde o lábio inferior e eu encaro seus lábios carnudos pintados com aquele batom vermelho, suspirando.

 

- O que você vai querer beber? - Ela se senta em um dos banquinhos e eu seguro a sua cintura, sentindo o cheiro da sua pele.

 

- Sweetheart, você pode me soltar, eu não vou fugir. - Ela ri e eu me sento ao seu lado, olhando ao redor e bufando ao ver uma boa quantia de homens olhando descaradamente para a minha garota. - Não ligue.

 

- O quê? - Olho para ela e a mesma sorri.

 

- Quanto ciúme, Mellark.

 

- Eu não disse nada!

 

- E precisa? - Ela arqueia a sobrancelha e eu suspiro, balançando a cabeça.

 

- Okay, me desculpe. - Entrelaço nossos dedos em cima do balcão e acaricio o dorso da sua mão. - Eu confio em você, e até entendo esses caras, porque meu Deus, você é linda demais para a minha sanidade.- Katniss não consegue esconder a sua surpresa, mas sorri ao ouvir as minhas palavras. - Mas é a minha garota, e eu fico tão feliz por poder esfregar isso na cara deles. - Ela não segura a sua gargalhada e eu sorrio, beijando sua mão.

 

- Boa noite, o que vai ser para o jovem casal? - Me viro para o barman e sorrio, dando de ombros.

 

- Eu quero uma água. - Katniss pede.

 

- Uma senhorita tão bela vai querer apenas uma água? Eu lhe mostro a melhor bebida daqui. E ainda é por conta da casa. - Ele pisca para ela e seus dedos apertam os meus, em um pedido mudo para que eu deixe isso nas suas mãos.

 

- Você está dizendo que eu não tenho dinheiro para pagar a minha própria bebida? - Sua voz sai tão fria e ameaçadora que os pelos do meu braço se arrepiam, o cara arregala os olhos e nega com a cabeça.

 

- Não senhorita, não foi isso...

 

- Pegue toda essa bebida e enfie no seu rabo, otário! - Diz se levantando em seguida. - Vem amor, vamos ir na outra boate, onde nos servem bem melhor. - Ela me puxa na direção contrária mas não conseguimos dar nem dois passos antes que o cara grite pedindo para esperarmos.

 

- Eu não quis dizer isso! Você e o seu namorado podem pegar quantas bebidas quiserem, eu pago! - Diz e eu arregalo os olhos, Katniss sorri de lado e pisca pra mim.

 

- Ora, parece que agora chegamos em um acordo. - Ela se vira e volta até o bar, me puxando junto.

 

- O que a senhorita vai querer? Se não for incômodo que eu lhe pague.

 

- Eu vou querer um Martini. E você, meu amor? - Sorrio igual um besta pelo apelido e dou de ombros.

 

- O mesmo que ela. - Digo e ele assente, me viro de frente para Katniss. - O que foi isso? - Falo assim que ele se afasta, ela sorri e dá de ombros. - Como sabia que isso ia dar certo?

 

- Eu não sabia. - Ela sorri e eu balanço a cabeça, sorrindo. - Onde estão os seus colegas?

 

- Eu não sei. - Respondo sinceramente, olhando em meio ao monte de gente que dança na pista. - Devem estar perdidos aí no meio. - Aponto para a pista e ela assente, o garçom traz as nossas bebidas e ela dá um gole na sua, sorrindo para mim.

 

- Eu vou no banheiro e já volto, okay? - Eu assinto e ela me dá um selinho, a acompanho com o olhar até a morena sumir em meio a pista.

 

 

 

 

Point Of View Katniss Everdeen

 

 

Dou uma última olhada no espelho e sorrio para o meu reflexo, saindo do banheiro e voltando para aquele rebuliço.

 

Faço uma careta ao perceber que a quantidade de pessoas parecia ter dobrado de tamanho e suspiro, empurrando as pessoas para fora do meu caminho e ignorando seus protestos.

 

O que eu não faço por aquele bendito loiro?

 

Finalmente consigo chegar na área do bar e permito que um sorriso vitorioso cresça no meu rosto, enquanto procuro Peeta com o olhar.

 

Assim que meus olhos param no local - não no loiro, mas nas duas figuras femininas ao seu lado -, meu sorriso morre.

 

Costia se escora no seu ombro e ri de algo que ele disse, enquanto a outra mulher quase senta no seu colo. O sangue parece correr mais rápido pelas minhas veias e eu preciso respirar fundo mais de uma vez para me acalmar.

 

Trinco o maxilar e me aproximo deles com passos firmes, me sento ao lado de Peeta e os olhos de Costia se arregalam de uma forma que eu tenho a impressão que eles podem cair da sua cara a qualquer momento.

 

O loiro afasta as duas e eu bebo meu Martini tranquilamente, sem dar bola para os três ao meu lado.

 

- Hey amor. - Chama e eu olho para ele, o mesmo levanta do seu banquinho e se aproxima de mim, abraça a minha cintura e me dá um beijo no ombro, fazendo com que meu corpo inteiro se arrepie com o contato dos seus lábios frios na minha pele.

 

- Oi. - Digo e ele sorri, a outra mulher me olha com uma cara de nojo e eu lhe mostro um sorriso vitorioso. Chupa, otária!

 

- Você lembra da Costia, certo? - Diz com certa cautela, lhe mostro o sorriso mais falso que consigo.

 

- Lembro. - Ela retribui meu sorriso e meus olhos caem em cima da outra, que não faz questão de sorrir.

 

- Eu não sei o seu nome, mas tenho a impressão que te conheço de algum lugar. - Peeta aponta para a garota, um feixe de luz atinge o seu rosto e eu vejo que ela tem luzes vermelhas no cabelo.

 

- É claro que você me conhece, benzinho. - Diz de forma irônica. - Mas creio que o seu amigo me conheça melhor ainda.

 

Um sorriso maldoso cresce no rosto dela e eu sinto o corpo de Peeta inrijecer atrás de mim e sua respiração ficar pesada.

 

- Johanna Mason. - Diz entredentes e o sorriso dela aumenta.

 

- Na mosca, loirinho. - Ela pisca para ele e as mãos de Peeta apertam a minha cintura, a sua raiva é quase palpável.

 

- Vamos embora. - Diz pra mim e eu assinto, tomo o resto da minha bebida e suspiro.

 

- Mas já? Não me diz que você vai embora só por causa daquela coisinha com o gostoso do Odair. - Ela faz um biquinho.

 

- Cala a boca! - O loiro rosna e Costia encara tudo em silêncio, mas pela expressão em seu rosto sei que ela sabe do que se trata. Peeta começa a me puxar para o meio do povo mas a sua voz chama nossa atenção.

 

- Antes de ir, me responde uma coisa? - Ele se vira de frente para ela e eu faço o mesmo, notando pela primeira vez como a íris dos seus olhos está escura. - Como está a sua irmã?

 

Peeta ri sem humor algum e fecha as mãos com força ao lado do seu corpo, caminho com passos firmes até a biscate e descarrego toda a raiva na força que coloco na minha mão, levando-a até o lado esquerdo do seu rosto antes que ela possa sequer respirar. 


Notas Finais


É TRETAAAAAAAAA

Até o próximo 😂❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...