História The Red Book Boy - YoonMin - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Namjin, Taekook, Yoonmin
Visualizações 150
Palavras 1.087
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Festa, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura :3

Capítulo 2 - (2)


Fanfic / Fanfiction The Red Book Boy - YoonMin - Capítulo 2 - (2)

“Se ao menos conseguíssemos enxergar a infinita cadeia de consequências que resulta das nossas pequenas decisões. Mas só percebemos tarde demais, quando perceber é inútil”.


— Miles Halter - Quem é você Alasca?



[05/02/2018]

{13:30 PM}



Já se faziam exatas duas horas que Park estava sentado em frente sua nova escola com um livro em mãos enquanto fitava a rua em busca do carro que o buscaria. Não conseguia acreditar que mais uma vez sua família havia esquecido de si. Eles não eram tão bons quanto todos pensavam, não é mesmo?


Era irônico pensar que para as pessoas ao seu redor os pais de Jimin eram como anjos, mas que para o próprio filho eram como demônios que gostavam de o colocar para baixo, como se o menino não passasse de um pedaço de bolo que foi jogado fora ao fim da festa, pois todos já estavam cansados dele. Ele havia se tornado enjoativo. Na vida Jimin se sentia como um lápis branco, ninguém usa, ninguém sente falta quando perde, ninguém liga. Ele ficava alí, apenas existindo diante de todas as merdas que aconteciam ao seu redor, diante todas as reclamações familiares, diante de um futuro que não queria nem sequer perto de si.


O único momento na vida de Jimin em que o mesmo se deixava permitir ficar longe de todos os problemas existentes em sua vida, era quando estava lendo. Sempre que lia, o pequeno Park se sentia como se nada de ruim existisse, como se nada de ruim nunca tivesse existido. Sua imaginação ia para longe da realidade ruim em que bilhões de pessoas viviam. Acreditem em uma coisa, ninguém é realmente feliz, pois é impossível ser totalmente feliz. Em algum momento você vai chorar, vai sofrer, vai se dar mal.


Muitas vezes quando lia, Jimin se sentia como se fosse o Pequeno Príncipe em aventura junto de sua raposa. Ou como se fosse Harry Potter junto de seus dois melhores amigos destruindo o mal em Hogwarts. Às vezes Jimin até se imaginava como Percy Jackson, ou um elfo da terra média. Ele amava pensar em como seria sua vida se ele fosse um personagem fictício.


Jimin retirado seu transe ao ouvir o som de risadinhas em sua frente fazendo com que erguesse o olhar encontrando um menino de fios acinzentados e um de fios arroxeados.


- Você é o aluno novo, certo?


Park apenas assentiu, ele não estava com vontade alguma de fazer amizades, para ele o fato de Jung Hoseok ter o seguido pelo resto da aula toda já significava ter um amigo. Não precisava de mais um, pois em algum momento sabia que teria de deixá-los ou eles o deixariam. Isso já havia virado praticamente como uma novela mexicana, era sempre o mesmo drama. Nem tão drama sim. 


Jimin já havia se acostumado tanto com o fato de que não teria amigos e que não sairia de casa, que já nem ligava mais para essas coisas, era irrelevante, assim como a dor que sentiu durante anos até finalmente se acostumar.  Agora Park sabia que ficar sozinho era bom, pois poderia ler sem ninguém o atrapalhar.


- Por que quer saber? - fitou os dois garotos que se olharam rapidamente antes de sorrir.


- Meu nome é Taehyung, e esse é o JungKook - o de fios cinzas apontou para o menino do cabelo roxo - Nós não conseguimos não notar você durante a aula, principalmente com o Hobi-Hyung por perto.


- Ah, ele parece uma galinha no cio, não para quieto - deu de ombros - O que vocês querem?


- Queremos saber se você não quer andar conosco - JungKook disse de forma seria, logo recebendo um tapa de Taehyung.


- Não, mas obrigado. Foi bom conhecê-los.


Jimin saiu do banco em que estava sentado e passou pelos dois. Já havia se cansado de esperar o carro que iria lhe buscar naquela droga, era melhor ir sozinho mesmo.


Andava pelas ruas olhando o céu vez ou outra, já era quase duas horas da tarde, o que fez o questionamento de o que aqueles dois faziam na escola ainda? Balançou a cabeça para afastar os pensamentos impuros que surgiram e continuou andando até que se cansou e pegou um táxi.


Quando Jimin chegou em casa a mesma estava fazia, o que fez o menor dar alguns pulinhos de felicidade. Não teria que encarar rostos sem graça e rabugentos. Correu até seu quarto no segundo andar e se jogou na cama

Estava acabado e recém tinha sido o primeiro dia de aula.



[05/02/2018]

{18:00 PM}



Park acordou com batidas fortes em sua porta e logo ao olhar no relógio constatou que era sua mãe, e que estava ferrado. Levantou da cama e foi até a porta abrindo a mesma.


- Você estava dormindo, Park Jimin? - não, eu estava me masturbando, pensou em falar.


- Estava, por quê?


- Por quê? Porque talvez você devesse estar estudando ao invés de ficar dormindo. O que você tem na cabeça, seu inútil? - um cérebro, querida mamãe, algo que você deveria usar, pensou mais uma vez.


- Desculpa, eu não estava me sentindo bem.


- Não me importo, você tem que estudar para ter um futuro, ou vai querer ser um pamonha qualquer? 


Eu vou querer ser alguém livre, mãe.


- Não, mãe - respirou fundo, sentia uma vontade enorme de bater a cabeça contra a parede até que seu cérebro ficasse grudado na mesma. Maldita família dos infernos.


- Seu pai recebeu uma ligação da escola. Você chegou atrasado no primeiro dia, Jimin?


- Sim, mas não foi minha culpa. Eu e NamJoom pegamos um trânsito horrível.


- Não está mentindo, está?


Ah, vai se foder.


- Não, foi realmente por causa do trânsito - mentir é feio, crianças, mordeu a bochecha para não rir da própria desgraça.


- Vou falar com seu pai, espero que não se repita.


E eu espero que você caía da escada.


Assim que a mulher sumiu no corredor, Jimin fechou a porta de seu quarto novamente e foi até o banheiro. Abriu o armarinho e pegou seu estilete, ele precisava. Traçou uma linha em seu pulso vendo aos poucos o sangue subir em sua pele em pequenas bolinhas. O segundo corte já foi mais fundo, ele pensou nas palavras que ouvirá naquele dia e no quanto elas o partiam mais, mesmo que muitas vezes ele não ligasse. O terceiro corte o fez sorrir, pois sabia que agora iria chorar por ser um completo inútil e idiota, mas que depois colocaria a máscara com o sorriso falso. Era isso que Park Jimin era, uma grande coleção de sorrisos falsos, eram tantos que nem mesmo ele sabia dizer ao certo. Sorrisos de uma vida inteira.


••••••••••••••••••••••••••••••••••••



Notas Finais


Oin, vocês lêem livros ou só fanfics mesmo?

Eu amo ler, gente
Inclusive os livros que eu citar na história são os que eu já li :3

But anyway
Oq acharam do cap?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...