História The Red Queen - Fillie - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias A Rainha Vermelha
Tags Fillie
Visualizações 21
Palavras 793
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia)
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


bitch, i’m here!
boa leitura. ❤️

Capítulo 2 - Dama


Millie‘s Point of View

Meu primeiro dia de trabalho foi cansativo. O príncipe é um garoto mimado de dezenove anos. Duvido muito que já sequer arrumou sua própria cama. 

Basicamente, o meu emprego é ter que ficar o dia inteiro servindo o príncipe, e fazendo exatamente, tudo que ele mandar. Pelo menos, eu sempre tenho algo a fazer, não é?

Sobre a minha irmã, pedi que a enviassem uma carta dizendo o que aconteceu. Ela é mais velha que eu, portanto não tem direito de ficar brava. Paige não depende de mim para sobreviver.

- No que está pensando? - Wolfhard me tirou do devaneio. - Não pedi para limpar ali? - ele apontou para um canto do chão.

- Eu já vou! - respondi sem paciência pegando um pano e me agachando. 

- Você podia empinar a bunda mais vezes, não é? - senti Wolfhard se aproximando.

- É, podia mesmo. - respondi fazendo um movimento com o meu quadril, mas me levantei em seguida. - Mas não vou. - sorri.

- Sabe que você tem que fazer o que eu mando, não é? - ele perguntou retórico.

- Tem como parar de esfregar isso na minha cara? - bufei irritada, e ele pareceu gostar da minha reação.

- Faço muita questão, sim. Agora, empina essa bunda de novo porque ainda está sujo ali. - ele movimentou sua cabeça em direção do canto que eu deveria limpar.

- Deveria limpar sua cara suja. - alfinetei de volta e continuei calmamente meu percurso até o canto sujo do chão.

- Qual é o seu poder? - sua pergunta me fez congelar.

- Meu poder? - gaguejei. - Bom, eu... eu não sei controlá-lo, na verdade. E o seu? - ele me olhou confuso.

- Posso fazer com que se machuque, quando estou bravo. Eu acabo ficando radicalmente mais forte, ou fazer com que sinta seu corpo queimando. - O principe disse sério. - Por isso... tente não me tirar do controle. - ele piscou e senti um arrepio forte.

- Eu não sei o que sou capaz de fazer... - abaixei minha cabeça. 

- Por que não treina? - ele questionou.

- Como se eu tivesse tempo para isso... - falei em um tom baixo.

- Tome cuidado sobre com quem você fica nesse palácio. Jacob Sartorius, por exemplo. Ele tem um poder extremamente forte, que permite com que ele entre dentro da sua mente. Fique longe dele! - ele alertou, sério.

- Vai precisar de mais alguma coisa hoje, senhor Wolfhard? - ironizei o tom em meus lábios.

- Não, pode ir. - Finn movimentou seu corpo em direção do banheiro, e sai apressadamente até meu novo quarto.

 

 

 

Acordei no dia seguinte destinada a fazer uma grande pesquisa sobre esse lugar. Não perderia de maneira alguma a chance de aprender sobre a elite que me manteve quase morta durante todos esses anos.

- Ei, com licença. - uma garota ruiva entrou no quarto. - Meu nome é Sadie Sink. A partir de hoje vou começar a dormir aqui, também. Está tudo bem? - ela perguntou sorridente.

- Oh, claro. - sorri. - Prazer, meu nome é Millie Bobby Brown. Mas pode me chamar de Mills.

- Vou ficar com a cama ao lado, e, não se preocupe, eu não ronco. - ela riu.

- Com o que você trabalha no castelo? - a questionei curiosa.

- Sou dama real da Rainha. Ela é fria, e obscura. De maneira alguma gosto de trabalhar com ela. - Sadie fez uma careta.

- Eu sou uma dama real, também. Do príncipe Finn Wolfhard. -  disse sem entusiasmo.

- Ele é absolutamente lindo! Quem me dera ser dama dele...  - rimos.

Passei o resto da manhã conversando com Sink, e abduzindo informações sobre o palácio, e os poderes das pessoas. Eu definitivamente não acho que possuo qualquer tipo de magia. Mas eu preciso que acreditem que sim, para que eu possa continuar aqui.

É surreal como minha vida mudou em um toque. Mas  ao acho que será assim que continuarei. Sem duvidas, esse mundo de magia e vadiação continuarão por muito tempo.

- Qual seu poder? - cochichei entusiasmada agarrada ao travesseiro.

- O fogo. - ela sorriu e abriu agilmente a palma de sua mão, fazendo com que uma pequena quantia de fogo surgisse. Me assustei e pulei para trás em reflexo. Nunca na minha história imaginaria ver tal coisa de perto, e com certeza, nunca imaginaria ver algo parecido.

- Você quer saber qual o segredo desse palácio? - ela perguntou sorrindo e eu assenti com a cabeça. - Você tem que dominá-lo, se não quiser que ele te domine antes. - ela disse baixo, fechando novamente sua mão e fugiu para sua cama.


Notas Finais


capítulo chato, porém bem importante.
Vou começar a variar daqui em diante, espero que gostem dos próximos.
E vou escrever capítulos mais longos, também hahah


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...