História The Red Wolf: uma história de amor- clace - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Shadowhunters
Personagens Alexander "Alec" Lightwood, Clary Fairchild (Clary Fray), Isabelle Lightwood, Jace Herondale (Jace Wayland), Sebastian Verlac (Jonathan Christopher Morgenstern), Simon Lewis
Tags Clace, Lobos, Shadowhunters, Sobrenatural, Vampiros
Visualizações 65
Palavras 1.022
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Literatura Feminina, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 3 - Capítulo 3


Mensagem on:

Jace: ouvi David falando sobre o que aconteceu, sinto muito. Quer sair pra espairecer um pouco?

Clary: claro, te pago na pracinha do lado de seu casa em 40 minutos.

Jace: ok


Mensagem of

Povs clary on


To animada de ir encontrar Jace, ele é diferente dos caras que eu saio, eles são sempre lobos muito musculosos, mas oq tem de gostosura lhe faltam de cérebro. Já o Jace tem um encanto especial, uma coisa que é só dele, só me falta descobrir o que é.
Acabo de secar o meu cabelo e visto um shorts diz, uma regatinba preta, coloco um chinelo e vou buscá-lo.
Quando chego ele já está me esperando, com uma blusa bem larga e uma bermuda( hoje ta um calor dos inferno).

-Oi Clary - ele diz entrando no carro com aquele sorriso.

-Oiii, tava pensando da gente ir na sorveteria e depois dar uma volta. Topa?

-Claro, com esse calor quem é o doido que nega sorvete - já percebi que hoje vai ser muito bom.
Pedimos duas casquinhas de chocolate e começamos a andar em um parque ali pero.

- Agora me conta, por que você vive com o supremo? - pergunto curiosa demais.

- Ele é meu tio - diz ele se sentando em um dos bancos e eu o acompanho - o meu pai era lobo, minha mãe humana e como você sabe isso é estritamente proibido, pois assim você irá estar rejeitando seu companheiro, aquele com que a deusa da lua te destinou a amar e viver para sempre, sua alma gêmea. Meu pai a conheceu depois de minha mãe, ele óbvio se interessou por ela, mas o amor por minha mãe falou mais alto e eles fugiram. Cerca de 1 ano depois outros lobos sentiram o seu cheiro e quando viu que ele estava com uma humana resolveram o prender, pois a pena para isso é morte, tanto pro lobo que desobedeceu as regras, tanto pra humana que não deveria saber da nossa existência. Meu pai lutou o quanto pode, mas eles conseguiram levar os dois e só deu tempo pra minha mãe me esconder e ligar pro David que era o único que sabia onde eles tavam por que ele amava muito o meu pai, os dois nunca foram aqueles irmãos que brigavam e sim os que se ajudavam.
Quando ele chegou lá pra tentar ajudar, já era tarde, os dois estavam mortos. Ele cuidou de mim desde então, pensou que eu iria virar lobo, mas eu era muito fraco e ao completar 15 anos ele perdeu as esperanças e viu que sou apenas um humano, já que normalmente os lobos se transformam com 14.

- Me desculpe, não queria fazer você reviver tudo isso - eu o abracei enquanto algumas lágrimas escorriam pelo meu rosto.

-Ei, não precisa chorar e isso já foi a muuuuiito tempo - diz ele levantando o meu rosto - mas nós viemos aqui pra falar do seu problema que é presente.

- Nem é tão grande assim - não queria que ele pensasse que eu não aguento o tranco

- Nem adianta dar uma de durona pra cima de mim, você vai enfrentar cinco alfas Clary, to preocupado. - ai que lindinho meu Deus.

- O problema não é enfrentar os cinco - ele me olha sem entender- o problema é o tempo Jace, depois de uma luta eu vou ter máximo 30 minutos de descanso, dependendo de como foi a última eu posso não ter curado completamente, pois tem ferimentos que demoram mais, a cada luta eu vou estar mais fraca.

- Por que você tem que fazer isso? É ridículo- ele me pergunta incrédulo

- Se eu não fizer não poderei ensinar mais lutas para nossos lobos, Não irei lutar na guerra e vou deixar de ser alfa.

- Eu sinto tanto Clary, queria poder ajudar.

- Eu sei, mas é só treinar e tá tudo bem - digo ainda meio pra baixo.

- Não é só isso que a está incomodando, é? - eu nem o olho, não queria ter que falar sobre isso - Clary, eu sei nos conhecemos hoje, mas sinto um ligação incrível com você e não quero te ver assim, me fala o que mais está te encomodando.

- Minha loba Jace, todos ouvem a voz do seu lobo, mas eu não - ele me olha sem entender - eu só consigo a ouvir quando me transformo e parece que ela tem raiva de mim, então eu quase nunca me transformo e quando isso acontece ela fica sem controle e começa a me xingar.

- Ai está o seu problema, você não a liberta. Todos odiamos ficar presos e com ela não é diferente.

- Você não entende, a primeira vez que me transformei aos 14 matei um inocente, todos da alcatéia em que eu vivia ficaram assustados quando viram que meus pelos eram vermelhos já que isso nunca havia acontecido e me deixaram escapar- digo de cabeça baixa me lembrando de toda a confusão.

- Clary olha pra mim - ele pega meu queixo com delicadeza e me faz olhar em seus olhos - a culpa não foi sua, nenhum lobo se controla na sua primeira transformação, mas você não pode aprisionar sua loba, isso faz muito mal pra ela e a você. Tente conversar com ela, tá bom?

- Não sei nem por onde começar.

- eu te ajudo, posso não ser lobo, mas eu tentei me comunicar com meu lobo até os 15 anos pra ver se rolava algo, então li quase todos os livros sobre isso, podemos nos encontrar todo dia até o dia da luta e até lá já vai ter controlado sua loba.

- Nunca pensei que fosse dizer isso, mas estou muito feliz de você ter derrumado café em mim Jace, não sei oq seria de mim sem você agora pra ajudar - nesse momento nossos rostos estavam perto demais um do outro, eu conseguia sentir sua respiração ficando mais pesada, e eu só conseguia olha a sua boca, eu tava chegando cada vez mais perto de boca..........



Notas Finais


Genteeeee, estou bem triste que até agora ninguém falou nada se gostou ou não, preciso muito da opinião de vocês pq essa é fic que quero muito contínuar, porém preciso de vcs pra isso. Bjsss❤❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...