História The Revenge - 24K - Capítulo 17


Postado
Categorias 24K
Personagens Changsun, Cory, Hongseob, Hui, Jeonguk, Jinhong, Kisu, Personagens Originais
Tags Bingo, Blackpink, Bts, Dean, Got7, Momoland, Seventeen, Still
Visualizações 12
Palavras 1.771
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ficção, Hentai, Romance e Novela, Suspense, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eita que nessa cap deu treta em gente, tá show, deem uma olhadinha, e boa leitura.

Capítulo 17 - Diamantes


Fanfic / Fanfiction The Revenge - 24K - Capítulo 17 - Diamantes

Cory on

Respirei fundo, parecia que haviam se passado anos... mas não, foram quatros semanas, quatros semanas sem vê-la, sem toca-la, sem seu beijo... se eu pudesse voltar ao passado e mudar tudo o que eu havia feito... mas não era possível, o passado nunca se muda, ele é sempre escrito em detalhes e reservado como lembranças boas ou ruins no lugares seguros...

...

Puxei a porta devagar, havia tempo que eu não vinha para o prédio abandonado. Olhei para os lados, tudo estava no mesmo lugar a diferença era que que as armas que ficam sempre escondidas estavam em cima da mesa, como elementos perfeitos para acabar com o seu inimigo. Os meninos estavam espalhados pela sala, todos concentrados verificando se o armamento estava bom... quando eu entrei Changsun foi o primeiro a vir em minha direção.

- sabe a sua cara está horrível, Cory, você precisa urgente de uma noite de sexo cara... pra ver se melhora – falou animado ao se aproximar botando a sua mão no meu ombro, olhei para ele com cara de poucos amigos, eu não preciso de uma noite de sexo... por que eu percebi que precisava apenas Dela...

- valeu a dica, mas no momento estou ocupado, preciso me concentrar – falei e me afastei dele, indo pra um canto onde ninguém pudesse me atrapalhar com as suas perguntas bobas ou dicas

Sentado num canto escuro perto da janela, eu via o pessoal conversando animadamente esperando dar a hora de parti para o “ataque”, desta vez o alvo da gente era o museu, um bem antigo mas bem reservado altamente equipado contra qualquer tipo de invasão, adequado para as técnicas de Changsun que é um ótimo Hacker. Além de que desta vez estamos preparados para qualquer surpresa, como daquela garota que conseguiu fazer Hui se irritar muito facilmente, por uma bobeira de nada... mas não vou mentir ela nos deixou um pouco frustrados!

- vamos lá, nós não temos a madrugada toda, temos que correr contra o tempo caso queremos alguma coisa na nossa vida!- a voz de Jinhong era alta e clara, de certa forma ele também parecia muito animado com a ideia de ter pelo menos uns 50mil Won na sua conta...

Essa quantia parece ser muito alta? Com certeza, a cada quantidade de diamantes conseguida é uma quantia muito alta de dinheiro, e quanto mais valiosa for a pedra, melhor a quantia em dinheiro... por isso toda essa animação, mas tudo que e bom dura pouco, e eu percebi isso.

Foi então o momento em que todos começaram a sair, que eu cair na real, eu precisava falar com ela, me explicar, ter uma chance de tê-la de volta na minha vida, em meio a caminho resolvi ligar para ela, só que todas as ligações que eu fazia caiam em caixa postal. Droga!

Ligação on

- oi, aqui é a Marly, caso queira falar comigo deixe um recado que mais tarde irei retorna-lo  - então aquele sonzinho irritante

- É... oi, aqui quem fala é o Cory,... eu, quer dizer, acho que precisamos conversar, me liga quando escutar essa ligação – essa foi a minha última ligação antes que Kisu aparecesse pedindo que eu apressasse os passos senão não daria certo o nosso plano.

 

***

A parte de dentro do museu era mais bonita do que de fora, Changsun com a ajuda do Hongseob conseguiram desbloquear o sistema de segurança sem fazer nenhum tipo de alarme soar, feito isso entramos e eliminamos os seguranças ( não matamos, mas demos uma dose bem alta de clonazepam) usando máscaras, Jeonguk como bom pichador, cobriu todas as câmeras de tinta preta difíceis de tira-las. Hora do plano!

Agora que tudo estava como planejado, partiríamos para o ataque. Num corredor do segundo andar, Jeonguk, Changsun  e Hongseob seguiram para a ala leste, eles iriam pegar as joias que iram para o leilão nessa semana, que agora não vão mais. Já eu, Cheadd, Jinhong e Hui fomos pela ala sul, onde ficam guardados os diamantes no cofre, chegando lá, Hui começou a se preparar para abrir o cofre, botando luvas especiais caso tente achar as nossa digitais e um estetoscópio (um aparelho que escuta o batimento do coração), como o cofre era aqueles antigos dos anos 80, teríamos que achar a senha ao som das trincas girando para saber se abrimos ou não, e para isso era preciso um silêncio, qualquer sebarulho ou som da respiração atrapalhava o trabalho de Hui.

Então deixamos ele só, indo pra outras salas do museu, lá a gente fazia a bagunça, e danificava os computadores, tirando as suas memorias e jogando água nelas, além de bagunçarem os papeis. Quando deu tempo suficiente de Hui abrir o cofre, voltamos, na sala Hui estava de pé com o cofre aberto, seu olhar era de orgulho ao ver tanto diamante em um só lugar.

Quando começamos a pegar os diamantes, os meninos apareceram alertando que só teríamos dez minutos para irmos embora, caso contrário o alarme seria acionado e a polícia chegaria aqui em menos de cinco minutos. Nesse momento pegamos o que havia dado para pegar e corremos para fora do museu, cada um levava uma bolsa com diamantes de vários tamanhos, formas, até confeccionadas para jóias, prontas para usa-las.

No lado de fora do museu, Kisu, nos esperava para dar partida, e quando nós entramos no carro apenas restarar cinco minutos para fugir dali... gritos, palavrões e comemorações eram feitos no carro, o plano deu certo, tudo deu certo!

Até o momento em que chegamos no prédio abandonado, de frente a ele um grupo de homens vestidos de pretos nos esperavam com armamento pesado amostra.

- o que é isso? – a pergunta de Jeonguk não havia como ser respondida

- parecem ser de uma gangue. Quem são? Alguém aqui sabe? – Hui foi o que olhou para nós questionando

- não sei – Hongseob respondeu

- mas que grupo é esse? – as palavras de Kisu eram aflitas e nervosas

- Snake – o silêncio reino quando Cheadd falou

- você só pode estar brincando comigo... – falou Jinhong

- não estou – a fala de Cheadd fez Jinhong bater na parte de cima do porta-luvas

- e como você sabe? – perguntei olhando para Cheadd

- eles tem uma tatuagem no braço em forma de cobra, todos os integrantes dessa gangue tem – falou, nesse momento eu olhei para os homens e vi que um deles destacava a tatuagem no braço direito deixando amostra, a cobra tatuada no braço do homem que dava voltas no braço dele até o anti-braço.

- o que eles estão fazendo aqui? – Changsun perguntou

Esse foi o silêncio que encorajou Hui a sair do carro, lá vamos nós, aproveitei a deixa e saí, junto com Changsun, no lado de fora o resto dos meninos se juntaram a nós, iremos saber de uma vez por todas o que eles queriam com a gente.

- o que vocês fazem aqui, no nosso território? – Jinhong perguntou se aproximando mais deles

- viemos pegar o que e nosso- um deles falou arrancando risada de nós

- vento, né? Só pode ser isso!- Jeonguk foi o primeiro a falar depois de rir

- acho que vocês estão brincando com coisas que não deviam – um deles andou para frente com a arma ainda mais perto, como se fosse nos atacar. Na hora, por impulso pegamos nas nossas armas

- quem não deveria brincar com palavras eram vocês – falei – andem, deixem de enrolação e falam logo o que vocês querem, caso não, saiam por bem ou por mal – apontei a arma para eles que continuavam nos mesmos lugares, sem se mexerem, sérios.

- passem o que vocês acabaram de roubar, caso não passarem irão levar bala – o que havia se aproximado falou fazendo Hui rir

- você só pode estar de gozação da minha cara!- riu mais ainda – por que não vão procurar uma velhinha, onde vocês podem usar essas palavras que atingem mas fácil ela do que nós, por que não irá funcionar com a gente, não somos idiotas – Hui falou olhando mortalmente para eles, eita porra agora o circo vai pegar fogo.

- eu avisei, e já que vocês não querem dar por bem, vão por mal – então todos levantaram as armas em nossa direção, para não ser atingido corremos pela rua ficando entre carros e postes no meio do tiroteio. 

A rivalidade já começa assim com a troca de tiros, tentando matar o seu inimigo, mas isso não foi possível quando percebemos que isso era uma distração para nos roubar o carro que estava com as jóias, quando eu percebi, já era tarde eles estavam evacuando, merda!

- PORRA! – gritou Kisu – seus filhos da puta! – então atirou como se conseguisse atira neles numa distância muito grande, logo após isso veio o grito de frustação

- alguém ajuda aqui, o Jeonguk foi atingido – a voz de Hongseob era alta em meios aos gritos de palavrões de Kisu e Hui

- DROGA! – Changsun falou e entrou no prédio correndo junto com Jinhong, já que os outros se aproximaram para ajudar

- ele precisa ir para o hospital, se não pode ter uma hemorragia – falou Hongseob tampando o ferimento para não sangrar mais, mas isso era em vão

- vamos temos que correr – gritei e comecei ajuda-lo a levar Jeonguk para dentro, sendo que Changsun parou o seu carro bem de frente com Jinhong dentro

- bota ele aqui, que levamos ele para o hospital – gritou Changsun, e na mesma hora obedecemos, mas também tiramos as armas que ele levava consigo

Quando o carro deu partida entramos no prédio, na sala ninguém preferiu falar, quietos, cada um estava dentro em seu próprio casulo, putos da vida pelo o que acabou de acontecer. Essa é a segunda vez...

- tive uma ideia – falou Cheadd de repente despertando a curiosidade de cada um

- e qual foi grande mestre? Rouba-los também? – ironizou Hongseob

- exatamente – falou Cheadd, na hora todos fazem careta menos Hui que parece gostar da ideia

- finalmente alguém com atitude aqui, essa é boa, eu topo – declarou Hui

- alguém mais? – pergunta Cheadd

- e como vamos fazer isso? – Kisu perguntou cruzando os braços

- vamos entrar de penetras na festa deles como se fossemos convidados  – falou Cheadd com um sorrisinho travesso no rosto

- e quando seria? – perguntou Kisu levantando a sobranceira esquerda

- nesse sábado – esse foi veredito para todos aceitarem sem a minha opinião

O único que não podia opina e ir a festa era o pobre do Jeonguk que estava ferido gravemente, e eu, bom eu preferi não falar nada, o que eles decidirem está decidido.

 


Notas Finais


2 bj gente, até a próxima.
-Marcy e Manda S2


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...