História The Revenge - Second Season - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Hailey Rhode Baldwin, Justin Bieber
Tags Arrependimento, Drama, Mudanças, Vingança
Visualizações 1.022
Palavras 2.191
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá, meus amores. Tá todo mundo bem? Espero que sim!! Nesse cap usei a ideia da RannaDrewBieber obrigada pela ideia, linda!!!! Espero que gostem e por favor não esqueçam de comentar!
Boa leitura!

Capítulo 9 - A doce Hailey morreu.


Fanfic / Fanfiction The Revenge - Second Season - Capítulo 9 - A doce Hailey morreu.

Anteriormente em The Revenge... 

"Mas o tempo que tive nem deu para bolar algo, já que não demorou muito para ouvirmos barulhos de tiros.

- O que foi isso? – Chris.

- Tiros. – respondi óbvio."

(...)

Justin Bieber.

Liguei o sistema de segurança da casa, todas as luzes foram apagadas. Todos nós estávamos atentos, e todos com exceção da Hailey, claro. Estavam com as armas apontadas para a porta, caso alguém conseguisse burlar o nosso sistema, coisa que eu acho bem difícil.

- Sempre achei esse sistema de segurança inútil, até agora. – Chaz.

- Eu falei pra vocês que isso era util. – Ryan disse orgulhoso, já que ele mesmo tinha bolado esse sistema.

- Quem você acha que é? – Lauren sussurrou perto de mim.

Olhei para ela e suspirei.

- Quem mais seria? – ela assentiu, só podia ser uma pessoa.

- E agora? – Hailey perguntou aflita.

- Vamos esperar eles irem embora. – Chris.

- E se eles entrarem aqui? – Hailey.

- Não vão! – eu disse convicto. – E se caso entrarem estarei pronto para matar um por um.

Olhei na direção em que a Hailey estava e ela se encolheu toda no sofá abraçando o próprio corpo. Os tiros ainda continuavam, o que estava me deixando um pouco preocupado. Peguei o meu celular, vendo que o Mike estava me ligando, o chefe da segurança.

- Que merda é essa, Mike? – disse extremamente nervoso.

- Não sei também, chefe. – ouvi alguns tiros. – Estamos em vantagem. Eles estão em poucos, e por enquanto só perdemos dois homens. Seja quem for que está fazendo isso só queria dar um susto.

- Acaba com isso logo! – bufei e finalizei a ligação.

- E ai? – Noel me olhava preocupado.

- O merda que está fazendo isso só quis dar um susto.

Não demorou mais que 5 minutos para que os tiros cessassem de vez. Suspirei aliviado, não foi dessa vez Charles. Fui até o controle que ativava o sistema de segurança para tirá-lo do modo hard e voltar para o normal. Mas por incrível que pareça ele estava travado e não respondia as minhas coordenadas.

- Ryan, dá um jeito nessa bosta. – eu disse irritado e sai de perto antes que quebrasse aquela merda.

Ele caminhou até o controle e ficou mexendo ali. Guardei a minha arma na cintura e comecei a andar de um lado para o outro, enquanto os outros observavam o Ryan. Hailey continuava na mesma posição. Fui até ela e coloquei uma de minhas mãos em seu ombro.

- Já passou. – tentei soar calmo, era tudo o que eu não estava no momento.

- Acho que já desacostumei com essa vida. – ela me olhou.

- Isso é bom. Afinal, tudo que você quer é ficar longe de toda essa sujeira não é? – ela assentiu e desviou o olhar.

- Temos um problema aqui. – Ryan disse.

Olhei para ele vendo o mesmo coçando a cabeça.

- O que foi dessa vez, Ryan? – Lauren perguntou inquieta.

- O sistema ta travado.

- Destrava então. – eu disse simples.

- Não é tão simples assim. – ele suspirou.

- E o que exatamente isso significa? – Chris.

- Que estamos presos na mansão.

- O QUE? – Hailey gritou do meu lado. – Isso é brincadeira né? – Ryan apenas negou com a cabeça. Hailey passou as mãos no cabelo em sinal de nervoso e bufou.

- Dá um jeito nisso, Ryan. Não podemos ficar presos aqui! – eu disse.

- Vou dar um jeito, mas acho difícil conseguir resolver isso ainda hoje. – Ryan.

- Isso só pode ser um teste. – Chaz disse se jogando no sofá.

Ryan saiu dali e subiu as escadas, provavelmente foi pegar o seu notebook para resolver mais esse problema. Todos se sentaram no sofá, ninguém estava contente com essa situação, mas a Hailey é a que estava mais inquieta.

Peguei o meu celular e disquei para o Charles, saindo dali e indo para a cozinha.

- Bieber, meu caro. – ele disse feliz.

- Foi você né?

- Fui eu o que? – ele se fez de desentendido.

- Charles, você sabe do que eu estou falando. – fechei o meu punho e apertei mais o celular na minha mão.

- Assim que vocês saírem dessa casa eu quero que você vá até uma das poucas boates que eu tenho por ai.

- Pra quê? – eu conseguia sentir a raiva tomando conta de mim.

- Digamos que eu esteja precisando de uma pessoa para vender umas drogas, e olha, acho que você vai ser bom nisso! – ele disse num tom debochado.

- Eu acho o contrário. Não vou fazer isso!

- Tem certeza, Bieber? – ele gargalhou. – Não se esqueça que você e todos os seus amiguinhos estão trancados nessa casa, e tenho que te alertar que tenho homens por toda essa área e eles não vão hesitar em jogar uma bomba nessa casa e acabar com todos vocês. Caso seja a minha vontade.

Engoli seco e apertei mais os meus punhos, travando meu maxilar. Odeio ficar sem saída!

- Você venceu, Charles.

- Sempre venço, você já deveria saber disso! Te espero aqui. – ele gargalhou e finalizou a ligação.

Peguei um vaso que enfeitava o balcão e o joguei em uma parede, precisava descontar a minha raiva em algo que não fosse a cara do Charles. Fechei os meus olhos, numa tentativa falha de me acalmar.

- As coisas não estão nada boas né? – ouvi uma voz vindo de trás de mim. Era a Hailey.

- Nunca estão. – nem pensei em me virar para ela, continuei de costas.

- Eu vi os seguranças que você pôs cercando o apartamento do Noel. Eu devo me preocupar, Justin?

Pensei em uma resposta que fosse boa o suficiente, mas nada me vinha em mente. Não posso simplesmente falar do Charles, não quero que Hailey se preocupe com um problema que é meu! Mesmo que ele a envolva.

- É só mais um inimigo, dentre tantos outros.

- Porque você não olha pra mim pra falar?

- Não quero. – dei de ombros.

Ela se posicionou na minha frente e me olhou atentamente como se me analisasse.

- Nem sei porque estou perdendo o meu tempo aqui. Ainda não faço questão de te ter por perto.

- Também não faço questão nenhuma.

- Não é o que parece, sabia? – ela disse convencida. – Confessa que foi você que ferrou com o sistema só para nos deixar presos aqui.

- Porque eu faria isso? – cruzei os meus braços.

- Não sei. Me diga você!

- Você não acha que seria muito infantil da minha parte? – me aproximei dela, vendo a mesma dar passos para trás. – Está com medo, Hailey? – eu tinha um sorriso divertido nos lábios.

- De você? Nunca. – ela riu pelo nariz.

Me aproximei mais e ela ficou estática, me olhando com um olhar convencido.

- Confessa que você está adorando estar presa aqui comigo.

- Não posso confessar algo que é mentira.

- Será? – arqueei a sobrancelha.

Puxei a Hailey para mim com um dos meus braços, fazendo o corpo dela se chocar contra o meu. A respiração dela ficou descompensada, e percebi a tensão em que ela ficou. Olhei no fundo dos olhos dela, vendo ela encarar a minha boca. Percebi ela aproximando o seu rosto do meu lentamente, ela vai fazer isso mesmo? Eu que não vou impedir, fechei os meus olhos pronto para sentir seu lábio no meu, mas isso não rolou. Senti a respiração da mesma bater no meu rosto e logo depois ouvi ela sussurrar no meu ouvido.

- Acha mesmo que eu quero algo com você? Sonha, Bieber! – dito isso ela se afastou.

Abri os meus olhos já a fuzilando, mas não deixei que ela se afastasse completamente, grudei ela novamente no meu corpo.

- Eu sei que você quer! – disse baixo.

- Não, eu não quero. – ela revirou os olhos e tentou me empurrar.

- Vamos fazer um pequeno teste então. – sorri travesso e fui em direção ao seu pescoço, o beijando levemente, vi a pele da Hailey se arrepiar. – Parece que não é isso que o seu corpo me mostra.

- Meu corpo mente. – ela tentava controlar a respiração. Olhei para o seu rosto e vi que ela estava de olhos fechados. Ela quer isso tanto quanto eu!

Sem pensar duas vezes a beijei, antes que ela se afastasse de vez. No inicio ela até tentou lutar contra, mas logo cedeu e meu beijou também. Como eu sentia falta dessa sensação, de beijá-la. O beijo era calmo e intenso, mas não durou muito já que Hailey insistia em me empurrar.

- Não ouse mais fazer isso. – ela disse irritada e saiu de vez dos meus braços.

- Porque age como se não tivesse gostado? – cruzei os braços e dei um sorriso de lado.

- E quem disse que eu gostei? – ela me olhou desafiadora.

- Você retribuiu.

- Ah, foi isso que te convenceu? – ela soltou uma risadinha. – Só precisava ver se o seu beijo tinha mudado, mas ele continua babado demais. – ela deu atenção as suas unhas.

Ver ela com esse ar de superior me irritava ao extremo, mas confesso que me excitava também.

- Babado demais? – dei um sorriso sacana. – Não é o que dizem por ai.

- As pessoas costumam mentir.

- Como você está fazendo agora?

- Acorda, Justin. Nem todo mundo te acha um máximo, aceite isso.

- A questão não é essa. A questão aqui é que você está mentindo para si mesma. Confessa que você ainda sente algo por mim e que amou meu beijo.

- Nossa, seu ego fica mais inflado com o passar do tempo, achei que tivesse melhorado nesse quesito. – ela me olhou e arqueou a sobrancelha.

- Não tenho culpa de ser um cara encantador.

- Não sou obrigada a ouvir isso. – seu tom de voz soou um pouco descontraído, apesar dela estar bem séria.

- Você que veio atrás de mim.

- Não vim atrás de você, só precisava fazer uma ligação. – ela disse balançando o celular para que eu vesse.

- Justamente na cozinha? – franzi a testa.

- Já te disse para parar com isso, você não é a última bolacha do pacote. – ela jogou os cabelos para trás.

Suspirei, tinha algo que eu queria muito perguntar para a Hailey, não acho que esse seja o momento propício, mas que momento seria?

- Você se envolveu com outra pessoa durante esse tempo? – olhei serio para ela.

A loira que estava dando a sua atenção ao seu celular, fez questão de me olhar. Podia dizer que ela estava bem surpresa e desconfortável com a minha pergunta.

- Minha vida não te diz respeito, Justin. – ela falou calmamente.

- Foi só uma pergunta simples.

- Não, eu não me envolvi com ninguém. – um sorriso brotou em meus lábios. – Mas não pense que foi por sentir algo por você, eu só precisei dedicar todo o meu tempo ao Bryan e ao serviço. Já que só tinha eu e ele. – meu sorriso se desmanchou.

- Sinto muito!

- Pelo o quê? – ela me olhou curiosa.

- Por tudo. Fiz o que fiz para o seu bem!

- Ah claro! – ela riu pelo nariz. – Mas realmente a sua atitude fez com que eu crescesse e parasse de ver o mundo como se ele fosse bom. Graças a você, a doce Hailey morreu. – ela voltou a atenção ao seu celular. – Tenho que te agradecer.

- Não diga isso. Você é uma pessoa..- ela me interrompeu.

- Pessoas boas só se dão mal, Justin. Aprendi isso com você!

- Não deveria ter aprendido.

- Você me obrigou. – ela sorriu de lado e deu de ombros.

- Você sabe que eu jamais te abandonaria em vão, não é? – disse rápido.

- Justin, na boa. Me poupe desse discurso ai, eu já superei todas essas merdas. Você foi um fraco!

- E se eu te dissesse que eu não tive escolha.

- Todos tem uma escolha. Cabe a cada um escolher o que é melhor para si. E o melhor pra você foi me expulsar com um filho seu na barriga.

- Hailey, eu... – ela me interrompeu novamente.

- Nenhuma de suas justificativas decoradas irão mudar o que aconteceu. Lide com as consequências das suas atitudes!

Antes que eu pudesse dizer qualquer coisa ela colocou o celular na orelha.

- Anne? – ela disse animada. – Como ele está? – um silêncio predominou ali. – Que bom! Seria um problema muito grande se você passasse a noite ai? – silêncio. – É que..- ela deu uma pausa. – Eu meio que estou presa na mansão. E não sabemos quando iremos conseguir daqui! – ouvi Anne dizer algo alto, mas não deu pra entender. – Se acalme, Anne. Eu estou bem! Logo um dos meus amigos darão um jeito nisso, não precisa se preocupar. Só cuide bem do meu pequeno. Te manterei informada! – Hailey esperou que ela dissesse mais alguma coisa e logo finalizou a ligação.

- Ele está bem? – perguntei preocupado.

- Sim. Está dormindo. – ela deu um sorriso bobo.

- Você sabe que temos muito o que conversar, não é?

- Se o assunto for o Bryan, sim. Caso contrário, não. – dito isso ela saiu da cozinha me deixando sozinho ali.


Notas Finais


COMENTEEEEEEEM!!!!
Pra quem ainda não viu o trailer da segunda temporada, o link está aqui: https://www.youtube.com/watch?v=V9c48Bzm7gk


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...