1. Spirit Fanfics >
  2. The Right Side >
  3. Evil

História The Right Side - Capítulo 3


Escrita por: JC_Oliver

Notas do Autor


Jack is not evil! Quem lembra? Ksksks demorei pra atualizar a fic que sei, mas eu tenho outros planos de fic, aí eu tenho que me organizar, pois é. Mas o cap saiu e eu espero um retorno de vocês nos comentários.

Boa Leitura! Xx

Capítulo 3 - Evil



Mau


Jack Kline

O carro parou e eu fiquei alí, sentando no banco traseiro, tentando entender as coisas. Eu ainda não tinha certeza de quem eu era. A garota Ella era diferente de mim, Sam e Dean também eram, apenas Castiel tinha algo de diferente. Parei com os pensamentos, quando Castiel tocou levemente meu braço, fitei seus olhos azuis. 

Vamos Jack! Já chegamos- ele disse abrindo a porta do carro, saindo por ela. Fiz o mesmo e observei ao meu redor, um lugar distante de tudo. 

Onde estamos?- indagei, olhando Castiel, que caminhava ao meu lado. Ele sorriu sem mostrar os dentes, franzi o cenho, fracamente. 

Aqui é o Bunker, onde moramos- Sam disse, eu assenti e caminhei com eles, seguindo até aquele lugar. Descemos as escadas, eu estava encarando tudo, com certa curiosidade. Paramos em um cômodo e eu rodei meu olhar pelo ambiente. 

Livros e uma mesa enorme no centro. O ambiente era meio rústico e as luzes bem mais fracas que as da loja da Ella. Sam tocou meu ombro, virei meu rosto até ele, fitando o mais alto, que se pronunciou. 

Vamos, eu vou te mostrar seu quarto Jack- ele disse, me guiando. Fui com ele sem relutar, ao contrário do Dean, o cara alto me passava mais simpátia. Castiel ficou lá, com Dean. 

Seguimos por um corredor, esse lugar me parecia ser enorme, pois haviam vários corredores para entrar. Sam abriu uma porta, e entramos no cômodo juntos. Eu analisei tudo, observando a cama e poucas coisas que tinham alí. Encarei Sam, ao meu lado. 

Fica à vontade- ele disse, dando um leve tapa em minhas costas, logo se retirando e me deixando alí, sozinho. Rodei pelo quarto, analisando as coisas, me sentei na ponta da cama, observando o chão e meus pés. A garota morena não saía da minha mente, juntamente com suas emoções diferentes. Eu matutava, tentando entender ao menos sua dor, que me intrigou muito. 

Jack?- alguém me chamou, retirando-me dos pensamentos. Levantei o olhar, tendo a visão do Castiel, parado na porta, esperando por meu concentimento, para assim então, entrar no quarto. 

Castiel caminhou devagar, vindo em minha direção. Eu o observava calado, esperando sua indagação, ou qualquer coisa. 

Como você está?- ele indagou finalmente, desfazendo aquele silêncio constrangedor entre ambos. Franzi os lábios, e ele se sentou ao meu lado, me fitando e esperando um pronunciamento, da minha parte. 

Acho que bem- comentei, ainda fitando meus pés. 

Ficamos em silêncio, eu tinha a minha mente cheia de dúvidas, e Castiel relutava em indagar algo, provávelmemte incerto se o fazia, ou não. 

Como a minha mãe era?- perguntei, quebrando aquele silêncio. Senti o olhar do Cass caír sobre mim. Ele olhou para frente e logo depois disse algo. 

Boa! Muito responsável e ela acreditava muito em você- ele disse, sorrindo minimamente para mim. Desviei meu olhar dele, pensando em muitas coisas.

Sua mãe o amava muito Jack, ela disse que você seria incrível e que faria muito bem à este mundo, eu acredito no que ela disse!- Castiel exclamou, batendo em meu ombro.  Eu sorri sem mostrar os dentes. 

Escutamos passos por perto, nos calando e esperando por alguém, que iria passar por aquela porta. Sam parou e bateu levemente na madeira retângular, com a mão. Permiti sua entrada e logo Castiel se retirou, indo conversar com Dean. 

Olha! Toma isso- Sam disse, me entregando um livro grande, eu o peguei e o fitei, tentando entender o por quê Sam me daria ele. 

Nesse livro você vai tirar algumas dúvidas- ele disse, eu fitei a capa do livro, onde tinha escrito "Bíblia Sagrada". Fitei Sam, deixando o livro de lado. 

Onde está meu pai?- indagei ele, eu soube sobre minha mãe, e agora eu sentia curiosidade à respeito do meu pai. Sam apontou para o livro, franzi o cenho. 

Citam ele neste livro, lendo ele você vai descobrir mais sobre seu pai- o mais alto disse, eu peguei novamente aquele livro, abrindo na primeira página. Vageei meu olhar por toda a página, comecei a ler e Sam se levantou. Ele saiu do meu quarto, fechando a porta lentamente e me deixando alí. Me ajeitei na cama, segurando aquele livro enorme. Eu fui lendo página por página, tentando entender as coisas. 

[...]

Nem sei quantas horas se passaram, mas eu ainda estava no quarto, lendo aquele livro. Castiel viera uma vez me ver, mas ao notar meu entretenimento com o livro, ele se retirou e me deixou em paz. Mais horas se foram, quando fechei o livro, por finalmente ter terminado, caminhei para fora do quarto. 

Olá- falei, me sentando na mesa junto à eles. 

Jack você nem dormiu? Passou a noite toda lendo?- Castiel questionou, dei de ombros e peguei leite na mesa. 

Acho que sim! Agora eu entendo tudo- falei, Dean me olhava calado, seu olhar me intimidava. O loiro fez um ruído, mordendo seu sanduíche. 

Meu pai é Lúcifer- comentei, eles me fitaram juntos. 

Mas isso não espelha em você Jack- Cas disse, eu virei meu rosto para observá-lo. Sam concordou e Dean ficou carrancudo, eu queria entender o que ele tinha contra mim. 

Ele é mau- comentei baixo, encarando o prato com comida na minha frente. Castiel tocou meu ombro, ele estava sentado ao meu lado, enquanto Sam e Dean estavam no outro lado da mesa. 

Eu também sou mau?- indagei eles, Sam mudou sua expressão e Castiel me olhava de uma forma diferente. 

Não! Claro que não Jack- Sam disse prontamente. Eu analisei suas expressões, tentando achar qualquer resquício de blefe, em aua frase. 

Sua mãe acreditava na sua bondade Jack, e nós também acreditamos- Castiel se manifestou, eu olhei para ele e para Sam. O loiro que apenas comia resmungou, eu não entendi seu murmúrio. 

Assenti e me calei, guardei todas as minhas indagações para mim mesmo. Comemos em silêncio. 

Castiel tinha saído, enquanto Dean me mandou ficar na sala, ele ligou a TV para mim, colocando um desenho animado. Eu observei o que acontecia na tela, enquanto Sam falava com Dean no outro cômodo. Fitei aquele livro que repousava na mesinha, e voltei a minha atenção para a TV, logo aguçei minha audição ao que Dean falava, pois seu tom de voz havia se elevado. Me levantei e caminhei relutante até a porta, parando ao lado dela, escutando mais nítidamente o que Dean falava com Sam. 

O Jack não é mau!- Sam exclamou baixo, mas eu ouvira bem. Senti minha respiração pesar. 

Ele é filho do capeta! Como não é mau? Como podemos aceitá-lo assim? Como se ele fosse apenas um humano qualquer?- Dean disse, aparentemente irritado. Ele sentia medo de mim? É por isso que ele me afasta? Fitei o chão, sentindo meus punhos cerrarem. 

Ele precisa da nossa ajuda! Ele não pode ficar por aí- Sam disse, tentando convencer Dean. Olhei pela abertura da porta. O mais alto estava gesticulando com as mãos, enquanto Dean tinha sua expressão fechada e braços cruzados. 

O garoto é uma bomba relógio! O filho do diabo!- Dean disse, apertei meus olhos com força, sentindo uma onda de energia me preencher, tentei controlar aquilo, mas eu não conseguia. 

Pensei em fugir daquele local, e ao fechar meus olhos e pensar em um lugar de fuga, eu já estava em frente a loja da Ella. Tudo o que ouvi antes de desaparecer do Bunker, fora Sam me chamando. 

Olhei a rua, que tinha um tom esbranquiçado, pelos flocos de neve que caíam. A loja estava aberta, caminhei lentamente até a porta de vidro. Ella estava arrumando as prateleiras, quando ouviu o sino da porta, ela se virou e me encarou, esboçando um sorriso. 

Jack!- ela disse, deixando de lado os panos e vindo até mim. Sorri e a garota me envolveu em um abraço rápido. Eu ainda não sabia como reagir em tal situação. 

Olá- falei, sorrindo para ela, que se afastou de mim, indo até o balcão. 

Eu tenho o seu favorito, olha!- a morena disse, tirando de trás do balcão uma barra de chocolate. Ri nasalmente, caminhando até a garota, pegando a barra de suas mãos. 

Como está indo com a sua família?- ela indagou, eu franzi o cenho. Percebi que ela falava de Sam e Castiel, mordi mais um pedaço do chocolate, dando de ombros. 

Família é um porre, eu sei- ela disse rindo, se sentando no banco do balcão, onde eu também estava sentado. Eu abaixei meu olhar, me lembrando de tudo o que Dean dissera. A garota analisava minhas diferentes expressões, calada. 

Você não me parece feliz- Ella disse, quebrando o silêncio entre nós. Levantei meu olhar e fitei seus olhos castanhos brilhantes. Eu ainda tinha muitas perguntas, mas não sei se a garota podia respondê-las para mim. 

Pensei por mais alguns segundos, enquanto comia a barra de chocolate que ela me deu. 

Você era influenciada pelo seu pai?- indagei baixo, sem ao menos pensar muito. A garota se encolheu, eu não entendi sua reação, tinha algo nela que eu não entendia. 

Ella enrijeceu os ombros, demorando para me responder. 

Eu era, mas eu não permitia que ele me dissesse quem eu deveria ser- a garota falou finalmente. Eu refleti sua frase. 

Eu não quero ser como meu pai- comentei, a morena tocou meu ombro. Eu fitei seu rosto, analisando seus traços. 

Então não seja! Você tem o direito de escolher quem quer ser Jack- a garota disse, apertando levemente meu ombro, em forma de apoio. Sorri largo e assenti, terminando de comer a barra de chocolate. 

Eu quero ser como a minha mãe! Ela era muito boa- exclamei, a garota ao meu lado riu baixo, assentindo para mim. 

Sorri e me levantei, eu seria como a minha mãe! Eu não me importo por quem meu pai seja. A única que eu sentia uma conexão era com Kelly, minha mãe. Eu sei que Dean não acredita em mim, mas Castiel, Sam e minha mãe acreditavam. E eu não iria desapontá-los. 

Onde vai?- Ella me chamou, ao me ver caminhar até a porta, virei de lado, fitando a silhueta da morena, encostada no balcão da loja. Sorri para ela. 

Pra casa! Eu já sei quem eu quero ser- falei, acenando em despedida para ela, pensando em voltar ao Bunker. Em questão de um segundo, eu já estava no meu quarto novamente. 

Eu não seria quem Dean pensava que eu era! Eu vou provar que eu não sou mau. 


Continua...



Notas Finais


Ser ou não ser? Bom ou mau? Eis a questão.
Esse conflito e essa linha entre a maldade e a bondade ainda vai atormentar o nosso pobre Jack! Mas creio nele e que ele vai achar o lado certo!

=)

Comentem

Até a próxima estrada Hunters! Xx


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...