História The Ritual (YoonMin) - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Suga
Tags Drama, Min Yoongi, Park Jimin, Ritual Do Elevador, Terror, Yoonmin
Visualizações 24
Palavras 791
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Lemon, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Drogas, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olha eu de novo!? Então, eu vou postar a oneshot de verdade amanhã por algum período... Creio eu que seja pela madrugada... Enfim, boa leitura ² e até lá em baixo!

Capítulo 2 - Prólogo: Parte 2 (Yoongi)


Fanfic / Fanfiction The Ritual (YoonMin) - Capítulo 2 - Prólogo: Parte 2 (Yoongi)

Annyeong, sou Yoongi. Min Yoongi. Tenho 18 anos, e moro com minha omma. 

Huh, não posso ser considerado alguém realmente feliz, ou alegre. Eu e minha omma vivemos brigando, isso não é nem um pouco legal. Isso é chato, e entediante, ao mesmo tempo que se torna algo absurdo, você estar brigando com alguém que você considerava seu tudo quando pequeno. Eu não a culpo por essa nova personalidade, meu pai faleceu quando estávamos em minha festa de aniversário. Se fico triste ao falar sobre? Nem um pouco. Tenho que admitir que sinto saudades do meu velho, mas não deixo isso transparecer. Eu era muito apegado a ele, mas meu jeito "frio" de ser, não me deixa chorar de saudades por ele. As vezes até me pergunto por que minha mãe não foi levada no lugar dele. Mas minha avó sempre me dizia que: as pessoas boas são levadas mais cedo para não sofrer nesse mundo "terrível". Fato. 


Estava em meu quarto - inteiramente preto, vale ressaltar - enrolado entre meus lençóis enquanto mantinha meu notebook sobre minhas coxas, cobertas por uma calça moletom. Procurava por algo interessante, e quando digo interessante, digo coisas anormais, e de vez em quando, sobrenaturais. Este assunto me chamava a atenção minimamente, mas prefiro me manter apenas como um curioso. O título "Ritual" viera a minha cabeça como um quando um trovão atinge um para-raios. Meus dedos logo trabalharam em digitar a palavra tão relevante em minha mente até então, apertando o botão de enter, e aguardando a página seguinte ser aberta, visualizando alguns títulos, até encontrar um que me chamara a atenção de forma surpreendente. Este continha o título de "Ritual do Elevador" deslizei o dedo pelo touchpad até a setinha chegar ao banner do vídeo, o abrindo e me recostando na cama, me preparando para os 18 minutos - tediosos - que viriam em seguida. 


•18 minutos depois•


Aquele vídeo fora bastante explicativo, e o que seria necessário ainda mais simples do que pensava. Um elevador, e claramente um papel anotado com tudo para me guiar corretamente até o outro mundo - este que o vídeo me garantia que apenas uma pessoa estaria do outro lado, eu. Isso era tudo o que eu mais queria - o pensamento de tentar rondou minha mente por alguns minutos antes de eu finalmente tomar coragem e me levantar de minha cama, fechar o notebook,e ir na direção do guarda-roupa, estava tudo certo. Era uma sexta-feira, de madrugada, todos no prédio estavam dormindo, afinal, do dia de amanhã teriam um dia cheio no trabalho. Retirei do grande móvel, um casaco na cor branca, acompanhado por um capuz. Calcei minhas pantufas e voltei a me sentar na cama, abrindo o aparelho e puxando uma das gavetas do criado-mudo, retirando dali um papel e uma caneta, apoiando a folha sobre a cama e escrevendo com a caneta, tudo o que havia na descrição do vídeo. Voltei a fechar o notebook. 

Estava destinado a ir ao elevador daquele prédio naquele momento mesmo. Sem mais nem menos. Resolvi não levar nada comigo, afinal, se eu entrei, também poderei sair! 

Sai do meu quarto em pés de lã - minha omma se encontrava adormecida no sofá, com a televisão ligada como sempre. - caminhando até a porta do apartamento e saindo por esta, correndo rapidamente em direção ao elevador, com o papel em mãos. Respirei fundo e o olhei atentamente antes de finalmente tocar o botão vermelho e incandescente do elevador. 


"O que você precisa: um prédio com 10 andares ou mais com um elevador. Entre no elevador sozinho (o elevador deve estar vazio também). Quando entrar no elevador, siga a ordem: 4ª andar > 2º andar > 10º andar (se alguém entrar no elevador em algum desses andares, o ritual será desfeito). Quando você chegar ao 10ª, pressione o botão do 5º andar sem sair. Quando você chegar no 5º andar, uma mulher jovem vai entrar e irá acompanhá-lo no elevador. (Não fale com ela em hipótese alguma!) Depois que a mulher entrar, pressione o botão do 1 º andar. Depois de pressionar o botão do 1 º andar, o elevador vai levá-lo até o 10 º andar, em vez de levá-lo para o chão. (Você poderá apertar os botões dos outros andares, assim você não completará o ritual, mas também essa será a sua última chance de desistir do mesmo). 

Há apenas uma maneira de verificar se você foi bem sucedido no ritual ou não; O mundo que você chegou deve ter apenas uma pessoa – ou seja, você. Eu não sei o que acontece depois que você chega lá. Mas posso dizer uma coisa, a mulher que entra no elevador no 5 º andar não é humana."

Bom, era agora ou nunca. 


Notas Finais


E até mais tarde nenéns!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...