História The Rock World - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Eddsworld
Tags Mattedd, Rock, Tomtord
Visualizações 40
Palavras 2.015
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Famí­lia, Fantasia, Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, Luta, Mistério, Romance e Novela, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


oi! eu ia lançar um nova capitulo mas sedo, o problema foi que tava pequeno, então eu melhorei um pouco, e tenha uma ótima leitura!

Capítulo 2 - ''desenhos''


Fanfic / Fanfiction The Rock World - Capítulo 2 - ''desenhos''

[The Rock World: capitulo 2]

 

Pov: Tamara

 

Meu nome e tâmara, tenho 17 anos e minhas únicas amigas de verdade são ell e Matilda, os meus pais faleceram quando eu e meu irmão tínhamos 7 ou 8 anos de idade, por isso que eu morro sozinha com meu irmão gêmeo, Thomas, porem ele prefere tom, eu nunca intendi o porquê dele preferir ‘’tom’’, ele amava o nome dele quando era criança, mais continuando...

Tom sempre foi paquerado por diversas garotas, bem, não e atola que nos dois somos ‘’os mais bonitos do colégio’’, porém não os mais populares, meu irmão sofre muito por garotos que batem nele e que falam que ele matou nossos pais.

 mas mesmo assim ele sorri, já eu, eu não puxo assunto, não falo com ninguém, muitas pessoas me-chamavam para lanchar com elas, eu até que aceito, mais eu aceitava por gentileza, e no mínimo, alguns meninos falavam como eu sou ‘’bonita’’ e... etc (eles falam muita merda), eu nem falo que tenho um irmão gêmeo, tom entende isso, eu faço isso pelo o simples motivo: eu não quero sofrer como ele

sei que parece injusto, mas foi ele que pediu quando eu fui para o turno da manhã, já passou alguns anos depois daquilo

e foi aí que ele me falou que iria para o turno da manhã, fiquei feliz, ele final mente vai sair daquele inferno e recomeçar aqui

 

mais tenho que admiti, um dia, eu fiquei imaginado como seria ter amigos e uma família, fiquei nessa ‘’fantasia’’ por algus messes, e daí eu pensei:

 

*-para que esperar a morte para me levar ate minha mãe e meu pai? *

 

Foi aí que eu tentei me matar, porem quando eu prendi a corda em meu pescoço e sai de cima do banquinho, não demorou 1 minuto, e a corda rasgou, deixando umas cicatrizes ao redor de meu pescoço, mais acho que niquem vai perceber

Depois de 2 dias chegou o último dia de aula, eu estava voltando para casa, e percebi que meu irmão não estava lá, então foi para meu quarto, que logo vi o meu irmão entrando em casa jogando as coisas dele em cima do sofá e indo para seu quarto, conseguir ouvir uma música que ele tocava, e logo pude –

 

TAMARAAAAA, EU QUERO AJUDA! ME AJUDA TAMARAHHHHHHH!!

 

- TA! EU JÁ TO INDO O SEU VAGABUNDO!

 

(quebra de tempo, porque vocês já sabem dessa parte)

 

Eu acho que sem querer eu mostrei a cicatriz para ele, mas ele não perguntou nada a ver com ela, acho que ele não a viu, isso e bom (autora: você e seu irmão são muito burros/Tamara: mais e você que está escrevendo isso!)

E melhor fazer a comida para agente enquanto ele está no quarto.

 

(AGORA VAI COMESAR A VERDADEIRA HISTÓRIA!)

 

Pov: Tord

 

La estava eu, esperando na causada de minha casa um demente chamado matt, meu melhor amigo

 

- Por que esse demente não está aqui? Hoje e o primeiro dia de aula! – falei para mi mesmo, geral mente, eu e ele costumamos ir para escola todos os dias juntos

 

- Esquece, eu vou sozinho mesmo. a e pesar de ser chato ir para escola sozinho, eu não posso faltar...

 

-TORD! ESPERA POHAR! – gritou matt (o demente) pedalando uma bicicleta roxa

 

- Em? olha quem final mente apareceu – respondi o argumento de matt

 

- Foi mal pela demora, mais e que eu estava pegando a minha nova bicicleta – falou saindo de cima da bicicleta e logo olhando para ela

 

- Ata, ela e bem legal mesmo – disse olhando também para ela (autora: sim? Agora eu vou ter que fazer um shipp de vocês e a bicicleta? e TOMTORD não BICICLETORD!)

 

- Eu sei, enfim, sobe logo na garupa para a gente não se- atrasar – respondeu matt subindo na bicicleta que logo subi na garupa

 

(quebra de tempo)

 

Logo depois que chegamos na escola, tivemos que correr para não entrarmos atrasados, e adivinha? Agente acabou esbarando no diretor! Conserteza está na aquela famosa hora de toma no cu qwq

 

- Tord? Matt? Porque vocês não estão na sala de aula? – perguntou o diretor cruzando os braços

 

- e-e que o... meu tio! pediu...ele pediu... para eu te dar um oi! – conserteza o prêmio de o pior mentiroso do mundo vai para min (autora: toma/tord: obrigado)

 

- e-ele me mandou um o-oi? – agora eu to confuso, ele acreditou? Achei que ele não acreditaria tão fácil – mas isso não é motivo de vocês não estarem fora da sala!

 

Falei cedo demais...

 

- Eeeeee...... olha hora tord! E melhor agente entrar logo na sala! TchauZinho diretor paul!

 

Eu não sei o que eu faria sem o matt nesses momentos, mas, mesmo assim, muito obrigado deus!

A gente já ia começar a correr de novo, ate o diretor puxa eu e matt

 

- Onde pensão que vão?  

 

- Pra sala de aula? – respondeu eu e matt ao mesmo tempo

 

-Ok então, mas, um de vocês pode apresentar o colégio para uma aluna nova?

 

- Não vai dar querido diretor, eu tenho um grande compromisso – respondi, mas sendo sincero, eu queria falar um simples e amargo ‘’não’’ 

 

- Acho que posso, diretor – falou matt

 

- Certo, ela chega amanhã, eu te chamarei para mostra-la o colégio

 

- Ok então

 

- Vamos matt, não podemos ficar aqui de bobeira! Temos aula! 

 

- Bora logo então! – depois que matt falou isso, começamos a correr pelos corredores e quando final mente achamos a sala, a gente entrou as presas

 

Resumindo, eu caí de cara no chão quando entrei, e matt caio em cima de min, mas a gente se-levantou rápido na esperança de que nos dois não passarmos vergonha

A aula era de artes

 

- Ora, estão atrasados – disse a professora

 

- Desculpa professora, isso não repetirá nunca más – respondi indo para meu lugar e... puta merda...

 

O mesmo garoto que eu tinha visto no aquele dia, está sentado no meu lado anotando em seu caderno, tentei pare ser normal e tentar ignorar ele, mas eu ainda não vi seu rosto, acho que vou ter que ficar com essa curiosidade pelo resto da aula, mas me concentrei e me sentei

Matt sentou na frente de minha cadeira, e o resto da aula foi continuando, eu nem estava prestando a mínima atenção, estava pensando naquele garoto

Enquanto eu estava pensando de uma maneira de conseguir ver pelo menos o rosto dele, eu tive uma ideia

 

- Com licença, você pode me emprestar uma caneta? – perguntei para o garoto misterioso, era um plano simples, mas ia ter que fusionar

 

- Claro – disse ele virando o seu rosto para min, consegui, seus olhos são pretos e magníficos, eles me lembram o espaço – toma – falou estendendo a caneta

 

- o-obrigado – não, não, não! Por que estol gaguejando?! – e-eu te devolvo de pois

 

- Ok, aproposito, eu me chamo tom – disse estendendo a mão para min

 

- Eu me chamo tord – respondi estendendo minha mão e logo fazendo um comprimento amigável

 

-Por favor Thomas e tord, vocês podem conversar no final da minha aula? – disse a professora – enfim, vocês vão desenhar um retrato de alguém de sua imaginação ou da vida real

 

A professora foi distribuindo as folhas para cada aluno

 

-Quem tirar a maior nota, seu desenho vai ficar pendurado na porta da sala amanham como exemplo para a turma – falou a professora voltando para sua mesa calmamente – podem começar

 

Logo todos os alunos (menos tom, tord, matt e outros alunos desinteressados) começarão a fazer com muita presa os desenhos, já eu, eu não para de pensar em...tom...ou Thomas...(?) esse era seu nome? Certo? eu comecei a desenha-lo sem pensar duas vezes, e quando dei por min, eu já estava fazendo minha assinatura.

 

- Bem alunos, podem me entregar seus desenhos – voltou a disser a professora já pegando todos os desenhos, eu tive que entregar o meu para ela

 

Conserteza tem outros alunos aqui que sabem muito bem desenhar, ou seja, eu não preciso me preocupar tanto com isso...

 

Pov: Tom

 

Eu conheci o garoto que eu vi naquele dia estranho, seu nome era tord, ele avia me pedido uma caneta emprestada (fofo), enfim, a professora avia pedido para que a gente fizesse um desenho de um retrato ou algo de sua imaginação.

 

Eu fiquei meio que sei ideias para isso, eu olhei para o lado e vi tord bastante concentrado no desenho, não conseguir ver o que era, resolvi não presta muita atenção para isso e comecei a fazer um mante de rabiscos nos cantos da folha ate eu ter alguma ideia dogue desenhar

 

-Hm... oque eu desenho? – fale para min mesmo fazendo um monte de setas para o centro da folha – hm...

 

Naquele momento lembrei de meu pai e minha mãe, lembrei que ele amava abacaxi, então comecei a fazer um abacaxi com óculos, logo lembrei também que eu e minha mãe costumávamos jogar boliche juntos, e fiz uma bola de boliche

Logo depois comecei a me-desenhar quando eu tinha 8 anos, saudades daquele tempo bom, a Tamara era muito ‘’feliz’’ ela tinha vários amigos

Hoje em dia ela e muito fechada com as pessoas, mas isso e minha culpa... eu pedi para ela ser assim para protegê-la, mas agora, ela fara um monte de amigos, e caso descubram que somos irmãos, eu a protegerei!

 

Continuando de onde eu parei, eu avio terminado o meu desenho (foto do cap.) a professora também já estava recolhendo os desenhos

 

-Nossa...Thomas...você...tem uma grande criatividade hehe...-disse a professora de artes olhando para meu desenho com um sorriso torto

 

- Eu fiz o desenho pensando em meus pais -respondi calmamente

 

-s-serio? Nossa... você os amar muito ne?

 

-Sim...

 

Depois ela foi recolher os outros desenhos e logo se sentando

 

-Bem, podem ir para o recreio turma, todos dispensados

 

Logo todos sairão correndo menos eu e tord que estava guardando seu material de artes, foi me levantar e cutuquei seu ombro

 

-Hm? T-tom? O que foi?

 

-Quer ajuda? Aliais, a minha caneta que eu te emprestei

 

- A sim, toma – ele estendeu e eu a peguei – e sim, eu gostaria de ajuda, muito obrigado

 

-De nada – pequei alguns livros dele e botei a mochila dele, e logo depois que botar o estojo na mochila ele se-despediu e foi embora

 

(quebra de tempo *depois da aula*)

 

Pov: Patrick

 

Sou Patrick tenho 27 anos, trabalhava no exército, mas agora sou policial civil, e estou indo buscar meu sobrinho chamado tord no colégio, tord e um moleque muito bizarro, bem, já estou no colégio então e só entrar e o-chamar para poder ir embora...

 

-Pat? – ouvi uma voz familiar

 

-Ah, como vai a vida diretor?

 

- Estava ótima, mas acabou de melhorar

 

-Oi?

 

-a-ah desculpa, e-eu não queria disser isso

 

-Tudo bem, você viu o tord?

 

- Acho que está na lanchonete

 

-ok,obrigado paul, tchau – antes de poder ir, fui segurado pela manga da camisa – que foi paul? Algum problema?

 

-n-não e que... você que dar um passeio depois?

 

-oh, claro, pode ser no sábado?

 

-Perfeito

 

-ok, até mas paul – logo de me despedir foi procura-lo

 

Depois de um tempo vim uma cena horrível, tord estava brigando com seis caras e o pior que estava perdendo, seu braço estava muito machucado e seu olho roxo

Eu já ia da uma bela de uma lição naqueles moleques desgraçados, porém vi algo surpreendente, um garoto, mas velho que tord, deu uma voadora na cara de um dos moleques e logo um soco no estômago de outro, iniciando uma briga muito doida

Depois do garoto de olhos...pretos? da uma lição neles, vi matt o ajudando a levantar tord, logo fui correndo até ele

 

-Tord! Você está bem? – perguntei para ele

 

-Estou... obrigado tom e matt

 

-Disponha – respondeu o de olhos pretos chamado de tom

 

- Onde aprendeu aquilo garoto? – perguntei olhando para ele

 

-Digamos que tenho experiência com esse tipo de pessoas...

 

-Certo então, vamos embora Tord – depois daquilo nos fomos para casa em silencio, eu queria fazer perguntas depois... eu to devendo essa para aquele garoto estranho... 

 

^-^ comentem

 

C

O

N

T

I

N

U

A  

 

Feito por: MariLU


Notas Finais


um beijo e um queijo ^-^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...