História The Root Of Evil - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Descendentes
Personagens Carlos de Vil, Chad, Dizzy, Doug, Dude, Evie, Gil, Harry Gancho, Jane, Jay, Lonnie, Mal, Personagens Originais, Princesa Audrey, Príncipe Ben, Uma
Tags Batalha, Deuses, Mal, Maleficent, Reinos, União
Visualizações 26
Palavras 2.568
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Espero que gostem💜✌
e boa leitura

Capítulo 5 - Eu estou certa e Você está errado


Quero viver onde você está

Quero ficar aqui ao seu lado
Quero também ver você sorrir pra mim
Vamos andar
Vamos correr
Ver todo o dia o sol nascer
E sempre estar
Em algum lugar
Só seu e me

Parte do seu mundo ( pequena sereia )


Duas semanas haviam se passado .

O que para Uma ... se tornava lentamente uma eternidade .

Ao contrário da amiga de cabelos roxos que se preparava para sua festa de noivado e a de cabelos azuis que gostava de participar na escolha e absolutamente tudo e aprender sobre tudo da vida humana . Uma se via mais uma vez entediada naquelas paredes de um enorme castelo , sem nada para fazer .

Era muito mais fácil sua vida , quando ela fugia para os bares ver os humanos . Mas agora ela vivia como eles e percebia o porque daqueles lugares serem tão movimentados … porque a rotina pode ser bem claustrofóbica .

Estava passeando pela quinta vez naquela manhã pelo jardim . Quando ouviu um barulho entre as folhas dos arbustos . Poderia ser um rato ou um esquilo .. mas isso não impediu a de cabelos verde água à colocar sua espada em punho e olhar atentamente na direção do barulho ,poderia ser malévola ou algo muito pior .

Porém ao contrário de algum animalzinho ou um possível inimigo . De dentro do arbusto saiu um homem .

Um jardineiro , não era mais velho que ela . Talvez até dá mesma idade .

Os cabelos pretos destacavam os olhos azuis , mesmo escondidos por um chapéu, tinha uma boa altura e belos músculos … mas não foi isso que chamou a atenção de Uma .

- Parece que temos visitas . Disse o jardineiro - Desculpe se a assustei .

- Não estou assustada . Disse Uma na defensiva apertando o cabo da espada .

- Parece apavorada . Disse o homem se aproximando da mesma fazendo-a dar passos vacilantes para trás - É uma bela espada .

Aquilo a irritou . Sua mãe sempre lhe disse que pavor era motivo de chacota .

Talvez ela tenha dito isso em mais um de deus devaneios de grandeza .

Úrsula , a filha de Poseidon .

A poderosa feiticeira do mar e que um dia quase tirou de seu próprio irmão a coroa dos oceanos .

Reduzida hoje a sua pobre caverna em alguma praia desértica .

Via a filha , uma ou duas vezes ao ano a mando de Poseidon . Mas sempre se mostrou indignada quase estupefata por nunca conseguir alcançar seus objetivos e sempre mostrando isso a sua filha . Sem medo … sem culpa .

- Você deve ter um profundo conhecimento sobre esse assunto . Disse Uma convicta é ríspida ao mesmo tempo - Pirata !

Uma conhecia os piratas . Raça vil e cruel . Assaltantes mestres … Donos dos 7 marés . Se você mechia com um , não me preocuparia em andar na prancha se fosse você . Eles fariam coisa bem pior .

Uma era curiosa . E quando percebeu que possuía a liberdade de ir e vir ... já que seu avô não parecia se importar muito tratou de descobrir o mundo … uma parte do mundo que talvez ela amasse … talvez ela fosse amada .

O jardineiro ficou assustado . Talvez pela primeira vez desde que aquela conversa havia se iniciado .

-C-como ?! Perguntou o mesmo sem fôlego fazendo Uma apontar para sua marca e fazendo o esconder .

- me perdoe se o assustei . Disse Uma rindo internamente - Parece apavorado .

- Muito engraçada . Disse o homem - Sou Harry . Disse se apresentando .

- Só Harry ? Pergunta Uma sarcástica . Finalmente aquela conversa tomava um rumo interessante .

-Harry , Harry Hook.disse fazendo Uma ficar temerosa derrepente. - Filho do Capitão. …

- Gancho . Completou Uma seca

O homem que matou meu pai . Pensou a de cabelos verde-água.

…………..

Em sua primeira semana do castelo , Mal poderia dizer que aquelas pessoas não conheciam a palavra paz .

Durante toda sua vida a de cabelos roxos morou no castelo do pai . Ou melhor no submundo de seu pai .

Mal passou toda sua vida trancada em seu quarto ou a margem do rio das almas , vendo as almas humanas em eterna agonia . No máximo indo a alguma festividade entre os deuses …que era quase nunca .

Ela morava com seu pai , é verdade .

Porém hades parecia não gostar dela ou a mesmo ser um pai pra ela . Pelo contrário parecia que sempre encontrava um pretexto para mante-lá o mais longe possível .

Nunca questionou a frieza de seu pai .

Mas bem no fundo ela sabia o motivo . Mal se parecia com ela .A parecia muito com ela . Sua mãe.

Mal nunca conheceu aquela mulher , nunca nem mesmo soube quem ela poderia ser . Mas sabia que a mulher que a abandonou, magoou e quebrou qualquer lado bom que pudesse haver em seu pai.

O que significa que estar sozinha não era algo novo para ela .

Pelo contrário ela até gostava . E apreciava a sua própria companhia . Mas aparentemente aquilo não existia no castelo real .

Sempre importunada, impregnada , nunca sozinha … sempre acompanhada .

Se tornou rotina fugir de todos os compromissos e deixa-los ao cargo de Evie .. não que a azulada reclamasse, sempre foi seu sonho organizar o casamento perfeito , principalmente para sua melhor amiga . Tentando sempre deixar as coisas menos desconfortáveis do que já eram .

Enquanto se escondia pelos cantos do palácio em uma das portas encontrou o seu possível e mais novo aliado contra o tédio . A biblioteca .

Naquele poço de conhecimento pode ler as mais variadas histórias , histórias essas que eram realidades . Relatos dos acontecimentos dos próprios monarcas e suas histórias de bravura , coragem e amor .

Se via cada vez mais confusa com cada sentimento expressado em cada página e em por vários momentos se viu pensando e até mesmo desenhando aquelas histórias tá o fantasiosas .

Que colocavam os " heróis " em um pedestal e os" viloes " em um buraco .

Não reparou na entrada de um intruso no seu mundo de perfeita solidão .

Talvez estivesse tão concentrada em saber o que aconteceria com a pequena sereis que nem ao menos percebeu que seu futuro marido entrará na sala .

A maioria dos dialogos entre eles durante essas duas semanas foi vago , e extremamente indiferente , eles não se suportavam isso era verdade e nem ao menos tentavam disfarçar .

- Nao deveria estar organizando a nossa festa de noivado com minha mãe ou algo assim ? Pergunta Ben fazendo Mal se assustar mas logo voltar a sua cara de indiferença .

- Deveria , mas não vou . Disse Mal o ignorando - Se um dia me ver tratando desses assuntos tão banais …. Por favor me acerte com uma frigideira .

- É só uma festa . Disse Ben sentando em uma das cadeiras na frente de Mal - Qual problema ?

- Que estamos no meio de uma guerra contra malévola . Disse Mal rispida - Não é momento para celebrações.

O príncipe engoliu a seco . Não ignorando o fato de que sua futura esposa estava certa , não era hora para celebrações . Não depois dos últimos acontecimentos .

Tentou desviar do assunto , talvez mudar o rumo da conversa faça com que eles terminam um diálogo , sem querer um matar o outro .

- A pequena sereia . Disse Ben lendo a capa do livro que Mal segurava - Uma bela história a quer saber .

- Não acho . Disse Mal indiferente- Acho bem melozinha .

- Melozinha ? Perguntou Ben rindo - É uma história de amor como outra qualquer .

- O que você chama de amor . Disse mal fechando o livro - Eu chamo de drama . Disse levantando a sua cadeira - "Eu quero estar , onde o você está . Quero ficar aqui ao seu lado . Quero também ver você sorrir pra mim " Bobagem .

- O amor tende a enlouquecer as pessoas . Disse Ben - Talvez nunca saberá o que é isso , já que se intitula melhor que ….como voce diz mesmo ? humanos insignificantes .

- Que fofinho , ficou se doendo né neném ? Debochou Mal se levantando - Amor é apenas uma bobagem alimentada nos livros e vendida para que vocês possam reproduzir , não é real .

- Quem é você para dizer o que é real ou não ? Pergunta Ben a desafiando.

- Alguem que sabe muito mais da vida do que você aparentemente . Disse Mal fazendo Ben se chocar - Só porque mostraram algo a você não quer dizer que é de verdade .

- O que quer dizer ? Pergunta Ben confuso

- Seu coração já disparou quando vou alguém? Perguntou Mal - Ou suas mãos ficaram frias ? O estômago embrulhado ? Já ficou pensando o dia todo em uma pessoa , tipo tempo todo ? Ben ficou em silêncio - Foi o que pensei .

- Mas só porque ainda não aconteceu não quer dizer que não vá acontecer . Disse Benjamin - Meus pais por exemplo ….

- seus pais não podem ser usados como exemplo , você é filho deles , nunca vão dizer que a situação está ruim … até que ela realmente esteja ruim . Disse Mal - Tanto eles quanto qualquer pessoa que conheça .. a verdade é circustancial e a maioria das pessoas usa isso como a fachada perfeita

- Você está errada . Disse Ben- Eu ainda vou provar isso .

- Aceite querido , eu estou sempre certa , você está sempre errado . Disse mal antes de passar pela porta o deixando sozinho -Ja vai se acostumando ate o casamento .

Mal saiu da biblioteca , deixando um príncipe frustrado e bravo por ter perdido uma discussão com a garota de língua afiada . Bem estava errado quando pensou que eles poderiam ter uma conversa civilizada sem confrontos. Mas não estava errado quando ao que discutiram . Talvez ele devesse mostrar a ela que estava errada … e ele já sabia como

…………

Úrsula estava em sua caverna pessoal . Vendo Pedro e Juca , suas serpentes elétricas, se matarem por um pedaço de peixe .

A rotina poderia ser entediante e não era diferente para a bruxa dos mares .

Além de estar totalmente exilada , Úrsula lidava com um problema maior …. A derrota .

Já havia se passado anos desde o incidente com Ariel , porém os anos passam mas a mente nunca apaga .

Úrsula rolou os olhos e sentiu um embrulho no estômago quando se lembrou da sensação de um minuto conseguir tudo e logo em seguida não ter mais nada .

Estava deitada em sua diva no fundo do oceano , enquanto olhava para suas unhas . Para a "mulher-polvo " o seu corpo mostra a imagem que você quer passar , o corpo tem sua própria linguagem .

Por isso mesmo derrotada , exilada e totalmente destruída ainda mantinha a mesma aparência de anos atrás … mesmo estando mais velha .

Confinada à alguns potes de ervas e gravetos quebrados , Úrsula não poderia reverter sua situação … não poderia fazer magia . Não poderia matar aquela sereiazinha morraquia.

" Tomara que tenha muita celulite " repetia Úrsula .

Sempre tão focada na sua vingança.… nada importava … nem mesmo sua própria filha.

- Talvez eu tenha a solução dos seus problemas . Disse uma voz .

Úrsula conhecia aquela voz , quem não conhecia , sempre que ela abria a boca desgraças acontecia de formas catastróficas . Mas deveria ser sua mente pregando uma peça , ela estava morta .

- C-como você ? Úrsula pela primeira vez em anos não sentiu raiva ou rancor ou vingança , sentiu medo .

- Ora minha cara amiga do mar , acha mesmo eu morreria daquela forma tão banal . Disse Malévola se aproximando com seu cajado - Deve me entender melhor do que ninguém .

Úrsula sabia que assim como ela muitos vilões possuidores de magia se regeneraram com o tempo e conseguiram sobreviver mesmo após todos os incidentes . Malévola poderia ter feito mesmo facilmente ….

- Então a fada má está de volta ? E veio falar comigo ? A plebe ? Disse Úrsula se espreguicando em sua diva .

- Sabe como sou misericordiosa . Disse Malévola andando ao redor da caverna - Lugar legal , pena que deteriorado .. com bastante potencial .. só precisa de um empurrãozinho.

- Virou arquiteta agora querida ? Pergunta Úrsula com desdém - Fale logo o que veio fazer aqui e volte pelo lugar que entrou .

Malévola se descontrolou deixando o verde vivo de seus olhos queimarem como chamas fazendo Úrsula se assustar mas logo a recompor .

A fada má respirou fundo e continuou

- Sempre tão dramática . Disse Malévola mexendo em seu cajado - Ao contrário de você , eu vim aqui justamente para acabar com essa briga tão sem sentido entre nós .

- E o que você propõe ? Pergunta Úrsula - Não pude evitar minha curiosidade .

- Você tem algo que eu não possuo . Disse Malévola - E eu tenho algo que você não possui . Disse a mesma olhando para Pedro e Juca no chão - Você conhece bem a arte das poções e eu tenho a magia .

- Onde quer chegar ? Pergunta Úrsula desconfiada .

- E se eu dissesse que com o meu plano você poderia se vingar do rei boboca , da sereinha sonhadora e do príncipe bobão , de uma vez só . O olho de Úrsula brilhou - Melhor , de todos os seres que um dia te humilharam e te desprezaram … inclusive seu próprio pai .

- Qual é o seu preço ? Pergunta Úrsula fazendo o sorriso de malévola se abrir .

……………….

Carlos já não aguentava mais .

Ele não esperava que organizar eventos fosse tão entediante … mas definitivamente ouvir os burburinhos de quatro mulheres animadas era mil vezes pior .

Na sala havia Evie a garota nova , A rainha Bela , a fada madrinha e Sua doce e linda Jane .

A garota que o faz acordar 6 horas da manhã sem reclamar , que fazia seu peito disparar , que fazia suas mãos suar e definitivamente ele só queria ficar aí lado dela o tempo todo . É ele estava apaixonado .

O único grande problema era que Jane jamais o notaria . Para ela , Carlos era um bom amigo que a confortava quando ela mesma a achava feia e inadequada .

Evie e a Rainhapareciam entusiasmada com os preparativos da enorme celebração do noivado , Fada madrinha tentava acompanhar mas se vai perdida facilmente , Jane anotava tudo em seu caderno e a noiva bom , ela nem ao menos se deu o trabalho de aparecer .

- As cortinas azuis escuras vão dar um toque de classe ao local . Disse Bela animada .

- Sem cortinas . Disse Evie empolgada - Deixar a luz natural entrar .

As duas pareciam mãe e filha falando sobre a festa de noivado , deixando tanto a de vestido amarelo quanto a s vestido azul com os olhos brilhando de tanta empolgação .

E deixando Carlos entediado .

Odiava ser guarda e fingir seriedade quando na verdade só queria dizer o que sentia .

- Então com ou sem cortinas ? Pergunta Fada madrinha confusa .

- Com . Disse bela ao mesmo tempo que Evie disse "Sem" as suas caíram na gargalhada como amigas de infância .

Carlos estava tão perdido em olhar Jane que nem reparou que alguém o chamava pelo rádio .

Ele o pegou e recebeu uma notícia desmotivadora .

- Milady's temos um problema . Disse Carlos assustando as quatro - Fada Madrinha e Rainha Bela , suas presenças são requisitada na sala de reuniões , quatro vilas foram atacadas .

Todas esbanjaram surpresa .

- Mas como ? Perguntou Bela confusa .

- Malévola . Foi tudo isso que Carlos conseguiu falar



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...