História The Stage - Capítulo 34


Escrita por:

Postado
Categorias Avenged Sevenfold, Bullet For My Valentine, Slipknot
Personagens Corey Taylor, M. Shadows, Matt Tuck, Synyster Gates, Zacky Vengeance
Tags Corey Taylor, Joey Jordinson, Matt Tuck, Synyster Gates, Zacky Vengeance
Visualizações 17
Palavras 2.345
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olaaaa meus amores! Como estão? Eu estou cheia de provas (orais ainda por cima) mas, ainda assim consegui um espaço na minha pacata vida para postar mais um. Não posso me alongar muito porque tenho aulas. Mas, olha... eu to amando escrever esse negócio, The Stage é sobre as consequências das coisas que fazemos, até onde somos capazes de chegar para conseguir o que queremos, qual é o limite que existe entre o amor e a loucura.

Está sendo maravilhoso e eu estou adorando as vossas views e comentários. E por favor, desculpem os erros ortográficos é que o meu teclado não está legal.

Muito obrigada e vamos continuar com essa bagaça.

Boa leitura!

Capítulo 34 - Capítulo XXXIV


Ele estava perplexo, não sabia o que pensar nem o que dizer. Corey reparou e resolveu acalma-lo.

- Respira joey.

- Você – ele não podia acreditar – seu maluco! – partiu para cima dele.

- Para com isso Nate eu não quero brigar com você! – disse se soltando do amigo.

- Inconsequente! Irresponsável!

- Eu já disse para se acalmar porra!

- Como? Me explica, como eu vou me acalmar quando o meu amigo resolveu virar assassino?

- Caramba Nate, não é para tanto, ele não está morto, foi só um susto.

- Um susto? E você acha que isso me deixa mais calmo? Alguém poderia ter te visto idiota!

- Joey…

- O teu nome estria na lama, a tua carreira, as pessoas próximas de você te odiariam.

- Não exagera.

- Você não tem jeito Corey – disse Joey decepcionado – achei que tivesse mudado, mas é só as coisas começarem a dar errado para você extrapolar.

- E o que é que você quer que eu faça? A Svenia não vai se divorciar, ela mesma me disse isso – disse sentando de frente ao amigo.

- Então já acredita no que eu te falei?

- Eu perdi a cabeça, mas já passou. Quando eu o vi ali deitado na cama do hospital, com braço paralisado, eu não resisti.

- Então ela vai voltar para ele – disse Joey.

- Não sei . Só de lembrar que ela está toda devota ao casamento me da uma raiva! Não é para isso que eu voltei a vê-la.

- Um casamento não é tão fácil de derrubar como você pensa Corey.

- Não, eu achei que o nosso passado fosse o suficiente para voltar a nos unir, mas estava enganado.

- Redondamente enganado – disse Joey chamando a atenção dele – quando  nós estávamos no hospital, você viu como ela estava?

- Vi – respondeu desgostoso.

- As pessoas só ficam daquele jeito quando amam Corey.

- Ela só estava sentida pelo que aconteceu com ele mais nada!

- Então por que ela ainda o visita? Por que cancelou o divórcio?

- Por que quer me castigar só isso, ela sempre quis me mudar mesmo sabendo qual é a minha natureza, acho que agora ela percebeu que não pode.

- E por isso mesmo vai dar uma chance para o Syn.

- Eu não vou deixar.

- Você precisa realmente seguir com a tua vida ou se decidir de uma vez, diz que a ama mas, não consegue ficar sem machuca-la nem quando pode evitar.

- Eu não consigo me manter indiferente mesmo que você queira que eu o faça Joey! Ela me ama eu sei disso, só preciso recuperar a confiança dela de volta.

- Matando o marido dela?

Corey riu – eu admito que me diverti com o que fiz Nate. Mas ele me disse algo que eu não gostei nada – disse levantando.

- Desembucha.

- Para acabar com a minha alegria de tortura-lo ele disse que assim que voltou para casa à Svenia pediu desculpa por ter sido infiel.

- Então… ela se arrependeu do que aconteceu.

- Eu duvido, duvido muito – disse Corey olhando para o Joey.

- Por que?

- Ela não é o tipo de pessoa que se arrepende fácil do que faz, a mulher é dura na queda. Já estou com saudades dela.

- Eu não sei de quem eu sinto mais  pena, de você ou dela.

- Eu sinto é pena de você Joey – disse Corey olhando para ele.

- E desde quando eu sou um ser digno de pena hein? Isso é para pessoas como você!

- Desde o momento em que se recusa a usar todas as armas que tem e ir até as últimas consequências para ter a Yulia de volta.

Joey ficou sério – não mete a Yulia nessa história, ela não não tem nada a ver com isso.

- Covarde – disse Corey.

- Como é que é? – Joey estava perdendo a paciência.

- A falta de coragem vai te deixar sem ela sabia?

- Eu não vou pisar em cima do Matt só para ter a Yulia de volta! Eu quero que ela volte comigo por mim e não porque puxei o tapete de alguém.

- Então se prepare para vê-la sendo a madrasta do próprio sobrinho e subindo no altar com Matt.

- Desde que isso a faça feliz…

- Ah! Para joey, eu sei, você sabe que está se sentindo uma merda sem ela. E tudo porque decidiu dar uma de bom moço e ficar no cantinho da amizade. Pelo menos eu tive a Svenia nos meus braços depois de tantos anos, a sensação foi inexplicável. Você também teria isso se não preferisse dar uma de santo.

- Pelo menos eu respeito as escolhas dela.

Corey deu uma gargalhada – e a troco de que? Me fala? Qual é a sensação de pensar que o Matt está na cama dela nesse exato momento?

Joey sentiu um aperto no peito.

- Você está fora de si Corey, está tão amargurado que quer me afundar junto mas, eu não vou te dar esse prazer.

- Por falar a verdade?

Ele percebeu a mudança de expressão na cara do Joey – eu não acredito, você os viu juntos?

- Eu não quero falar disso.

- Então está explicado o por que do teu ataque de raivinha quando eu te liguei.

- Corey por tudo que é mais sagrado…

- Quando foi isso? Me conta Nate, foi hoje? Ontem?

- Hoje – disse Joey.

- Não estaria passando por isso se fosse…

- Cala a boca! Se disser mais alguma coisa eu não respondo por mim!

- A verdade dói, é isso que ela faz com as pessoas. Eu tenho que lidar com o fato de que a Svenia quer estragar os meus planos e voltar com o Syn, terei de pensar no que farei a seguir,  já você… - disse olhando para o amigo – prefere ficar se imaginando no lugar do Matt comendo a Yulia enquanto ele faz a festa.

Joey não soube de onde tirou forças, mas deu um soco no rosto do Corey. Estava fervendo de raiva.

Corey se apercebeu da merda que disse – Nate…

- Em anos de amizade eu nunca pensei que diria algo assim para mim.

- Eu…

- Sai da minha casa.

- Nate desculpa.

- Vai embora Corey! E leva toda essa tua amargura contigo!

- Depois a gente conversa então.

- A gente não tem mais nada para conversar.

- Eu sei que eu não deveria ter dito aquilo Joey, desculpa.

Ele viu a cara do amigo – por que é que quando algo da errado na tua vida você tende a arrastar os outros contigo? É tão difícil assim entender que eu não preciso de fazer o que você faz para ter a Yulia comigo?

Corey fitou o chão – eu te invejo por isso sabia?

Joeu ficou surpreso – pelo o que? Você é mais bonito, canta melhor, as garotas piram por você, largam namorados eu teu nome…

- Você consegue controlar os teus sentimentos, sabe o quanto eu daria por isso? se eu fosse assim as coisas com a Svenia seriam mais fáceis. Você não está com a Yulia mas, mesmo assim provoca uma certa insegurança no Tuck, eu não consigo fazer isso com Brian, não tenho o carinho e atenção da Svenia como você tem o da Yulia.

- Essas coisas se constroem Corey – Joey reparou nos olhos dele, estava chorando – está chorando.

- Eu estou desesperado, não sei o que fazer, estraguei tudo de novo.

- Desabafa vai, está precisando chorar mesmo.

Ele ficou consolando o amigo por um tempo, depois o mesmo decidiu ir embora, Joey não estava chateado com as palavras dele, conhecia-o bem demais para saber quando ele dizia as coisas de forma leviana ou quando queria machucar de verdade, embora o Corey o tenha pedido desculpas umas trezentas vezes por mensagem desde que foi embora.

Sunset Boulevard, 17:00h

Yulia estava em sua casa se arrumando para sair, o Matt estava prestes a ir embora e ela tinha que ver alguém.

- Está linda, vai sair também? – perguntou Matt enquanto a Yulia o dirigia a porta.

- Vou – disse saindo e fechando a porta.

- Posso saber para onde?

- Tenho algumas coisas para resolver no laboratório – ela lhe deu um selinho – tchau.

- Tchau.

Yuia entrou no seu carro e deu partida, Matt esperou que ela fosse primeiro “para o trabalho? Me dê um bom motivo para acreditar nisso querida”. E a seguiu.

Bell Air, 18:09h

Depois de tomar o seu banho, Joey desceu na cozinha para comer alguma coisa, não estava a fim de sair ou falar com ninguém. Sentia muita paz sempre ficava em Bell Air, talvez porque a casa lhe dava boas lembranças. Eram 18:00h, quando a campainha tocou.

Ele foi atender – Boa noite, pois não?

- Boa noite Joey.

Ele não saia o que fazer, ela estava ali, na casa deles, depois de tanto tempo, mas única coisa que vinha na mente dele era o Matt de roupão atendendo a porta da casa dela. De repente decidiu fechar a porta, ela o impediu.

- Adeus Yulia.

- Não faz assim Joey – disse Yulia – vamos conversar.

- E sobre o que nós vamos conversar? Já fez a tua escolha – disse entrando – ela o segurou pelo braço.

- Nós combinamos que conversaríamos mais tarde não foi?

- Mas, agora não dá. Eu estou a espera de alguém.

- Posso saber quem é? – perguntou desconfortável.

- Você quer saber se é homem ou mulher é isso? – perguntou Joey rindo.

Ela ficou vermelha – eu só quero saber quem é.

- Está com ciúmes?

- É claro que não – disse gaguejando.

- Você só gagueja quando está desconfortável. Então fique sabendo que ela é uma mulher linda, eu gosto bastante dela sabia? Saímos algumas vezes.

- Você nunca me falou dela – disse Yulia tentando esconder o ciúme.

- Devo ter me esquecido, ela vive me rejeitando mas, eu sei que ela ainda me ama muito, nós temos uma história.

-  Então eu vou embora, você e a tua amiga devem ter muito o que falar – disse ela dando meia volta, Joey segurou a sua mão.

- Hey – sussurrou no ouvido dela – é feio ter ciúmes de si mesma sabia?

Ela sorriu e o Joey a envolveu nos seu braços, então a beijou, ela quase ia cedendo mas conseguiu se desvencilhar dele.

- Não, Joey – disse ofegante – eu não posso.

- É claro que pode – disse voltando a beija-la.

Os dois entraram aos beijos e deixaram a porta fechada.

Matt segui a Yulia, só não sabia que o laboratório dela ficava do outro lado da cidade, não lembrava de ser tão distante, a medida que a seguia sentia que ela se dirigia para qualquer lugar menos o local de serviço. Ficou surpreso ao ver que ela parou em Bell Air “o que ela está fazendo aqui?”, Yulia falou com o guarda e entrou, quando chegou a vez dele, foi parado pelos guardas.

- Boa noite senhor, está a procura de um morador? Não parece um residente habitual.

- Sim, eu vi a Doutora Yulia Zakharova entrando aqui e estou com ela.

- Ah! A senhorita Yulia é sua conhecida?

- Sim, ela vem sempre aqui? É que eu nunca soube que ela tinha uma casa aqui.

- Bom, essa é uma informação que não podemos dar porque ela não mora aqui, normalmente ela vem visitar um amigo.

- Eu conheço todos os amigos dela.

- Então conhece Joey Jordison?

Ele sentiu o sangue subindo a cabeça – conheço, eles são muito… amigos.

- É, são mesmo, é possível que ele esteja em casa com ela. Vou ligar.

- Por favor, não diga o meu nome, eu quero fazer uma surpresa.

- Tudo bem.

Joey e Yulia estava trocando carícias no sofá do antigo quarto deles.

- Vem – disse tentado leva-la ao quarto.

- Joey eu vim conversar não namorar.

Ele a beijou de novo.

- Ai meu Deus Joey.

- Eu adoro quando você cede, não resiste não Yulia, deixa rolar.

 Assim que ele a deitou na cama a campainha tocou.

- Quem será? – perguntou Yulia levantando.

- Não, quem quer que seja, eu vou despachar. Já volto.

O homem desceu praticamente correndo e foi atender a porta. Quase deu um grito, mas se conteve, sentiu que era a sua vez de fazer a festa.

- Boa noite Matt – disse Joey com um sorriso.

- Cadê a Yulia? – perguntou, tentou entrar mas, ele não deixou – eu sei que ela está qui Jordison!

- E daí?

- Ela é a minha namorada.

- Ah! Você ainda leva fé nisso.

- Mas é claro que sim, por que eu não levaria? Ela não quer mais nada contigo.

- Você quer mesmo saber aonde ela está?

- Não acaba com a minha paciência Joey.

- Ela está onde ela deve estar calma, na nossa casa, nosso quarto, na nossa cama – ele disse com a maior calma do mundo.

Matt ficou incrédulo – isso não é verdade.

- Você só tem duas opções – disse Joey – ou vai embora, ou sobe lá em cima e vê que eu não estou mentindo.

- Ela jamais faria isso comigo.

- Ela só quer conversar Matt, ela jamais faria isso contigo você mesmo acabou de dizer. Mesmo que você tenha feito isso com ela.

- Eu confio nela.

- Eu também.

Matt deu meia volta e foi embora.

- Escolha sabia – disse Joey para si mesmo.

Fechou a porta e voltou ao quarto.

- Quem era? – perguntou Yulia levantando da cama.

- Ninguém especial. Então, pronta reviver velhas memórias? – perguntou Joey abrindo o Zipper do vestido dela.

Ela estava indecisa, Joey pegou a sua mão – nós precisamos disso, nos devemos isso Yulia.

- Sem arrependimentos?

- Sem arrependimentos. Vai ser o nosso segredo, como sempre foi durante esse tempo todo.

Então eles se beijaram calorosamente e foram para a cama. Joey a beijava e encha de carinho, mas por um instante  só uma pensamento vinha na cabeça dele:

“você tem razão Corey, chega de covardia”


Notas Finais


Segunda feira tem outro sem falta!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...