História The Stage - Capítulo 35


Escrita por: ~

Postado
Categorias Avenged Sevenfold, Bullet For My Valentine, Slipknot
Personagens Corey Taylor, M. Shadows, Matt Tuck, Synyster Gates, Zacky Vengeance
Tags Corey Taylor, Joey Jordinson, Matt Tuck, Synyster Gates, Zacky Vengeance
Visualizações 19
Palavras 3.059
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá pessoas, aqui estou toda com vontade de postar para vocês, o negócio só melhora, aproveitem, vai ter muita confusão ainda.


Boa leitura!

Capítulo 35 - Capítulo XXXV


Fanfic / Fanfiction The Stage - Capítulo 35 - Capítulo XXXV

Irvine, 20:05h

Antes de se dirigirem a mesa do jantar, Broox estava com o M. Shadows observando o Zacky conversar com a Svenia.

- Matt, cara você está vendo o mesmo que eu?

- Vendo o que?

- O Zacky – disse – não saiu da cola da Svetlana o dia todo e ainda está ao lado dela. O Brian não vai gostar nada disso.

- Eles são amigos, não tem nada demais.

- Sei, como se um amigo olhasse uma amiga desse jeito. Ele está completamente…

- Não termina a frase Broox pelo amor de Deus.

- Talvez eu só esteja fazendo confusão.

- Só pode.

- Ele jamais faria isso com o Syn.

- É claro que não, para de viajar Broox.

Eles pararam de falar assim que os dois se aproximaram.

- Bom, eu vou ter com a Val – disse Svenia indo para a sala do jantar.

Assim que ela entrou na sala, Broox também foi enquanto o Matt encarava o Zacky.

- Que cara é essa? – perguntou Zacky – o que foi que eu fiz?

- Você se importa de ser mais discreto?

- Não entendi.

- Até o Broox está desconfiando das tuas intenções com a Svenia!

- Como ele percebeu? – perguntou preocupado.

- Está deixando transparecer demais Zacky. Daqui a alguns dias o Brian vai ter alta e ele não vai achar bonito caso o Broox resolva fazer um relatório.

- Eu só estou tentando ajuda-la, o maluco do Corey entrou na casa deles, a surpreendeu no quarto sabia?

- Como? Me  explica isso direito.

- O doido não está feliz por ela ter terminado o caso deles – ele deu um riso de leve.

- Isso foi um riso?

- Isso o que? – perguntou fingindo não ter entendido nada.

- Cuidado Zacky. Lembre-se de que a vossa amizade é o mais importante.

Fechou a cara – eu nunca disse que não era. Acha mesmo que se não fosse importante eu me manteria calado todos esses anos? Eu amo a Svenia.

- Fala baixo!

- Não se preocupa Matt, eu não disse nada antes, não vai ser agora – disse.

- Acho bom. Pelo bem da vossa amizade.

- Mas, nada vai me impedir de cuidar dela.

- Ah! Zacky – disse Matt – é sério isso?

- Eu vou jantar – disse se dirigindo à sala de jantar.

Quando lá chegaram, encontraram os outros sentados prontos para comer. Só a Svenia é que estava falando com ao alguém no celular, depois que terminou, sentou. O Zacky sentou ao lado dela e o Matt não conseguiu evitar lhe lançar um olhar de aborrecimento.

- Com quem estava falando? – perguntou Vallary à amiga.

Svenia exitou – com uma amiga minha.

Val fechou a cara.

- De quem estão falando? – perguntou Matt enquanto servia um pouco de frango.

Val apenas encarava a amiga – depois conversamos Svenia.

- Ótimo porque agora eu estou morrendo de fome.

- Bom saber, quer que eu sirva para você? – perguntou Zacky.

O Matt e o Johnny se entreolharam, Broox manteve os seus olhos atentos enquanto a Val procurava manter a calma.

O jantar foi divertido no fim das contas, todos estavam descontraídos e mantinham a conversa em dia, a Val estava tão intrigada que teve que perguntar.

- Então Ana me conta, com quem estava falando?

- Está com ciúmes é? – perguntou Matt – ela é toda tua amor, sempre foi.

Todos riram, mas ela teve que falar fosse o que fosse, a Val iria querer confirmar mesmo.

- Era a Marie – disse Svenia com um sotaque francês.

- Quem? – perguntou Shadows tentando esconder o nervosismo.

- A bailarina francesa? – perguntou Val com um certo desgosto.

- Sim – respondeu Svenia.

Val fechou a cara e olhou para o marido.

- Falou com a Marie, como ela está? – disse Matt.

- Bem, pelo que ela me disse, está ótima, curtindo as férias com a família em Saint Tropez – respondeu.

- Não a vejo a tanto tempo – disse Matt.

- Ela mandou beijos para todo mundo.

- Diz para ruivona que nós também estamos morrendo de saudade – respondeu Zacky.

Val se viu aborrecida – Beijinhos para todo mundo? Me engana eu gosto! – disse se levantando.

- Val, espera ai – disse Matt tentando acalmá-la.

- Se está com tanta saudade por que não vai para a França? – disse indo para o quarto.

- Val, para com isso! – disse Matt.

- Vai que a dançarina filhinha de Barão diplomata não toma coragem e fica contigo de uma vez por todas?

Val saiu disparada para o quarto deles.

- Desculpa Matt – disse Svenia – eu acho melhor você ir atrás dela.

- Não. Ela não vai me ouvir.

- Eu deveria ter mentido sei lá!

- Para que? Se ela te perguntou é porque sabia perfeitamente com quem você estava falando.

- Também, ela não precisava ter exagerado desse jeito – disse Zacky.

- Se engana quem acha que só existe ego masculino – disse Broox.

- O Broox tem razão. Na melhor das hipóteses você poderia ter fingido indiferença, sei lá – disse Johnny.

- Mas, eu não fiz nada de errado – disse Matt.

- Nós sabemos, agora é só tentar convencê-la disso também – disse Zacky.

- Eu acho melhor ir embora – disse Svenia.

- Eu te acompanho até em casa – Zacky se prontificou. Svenia foi buscar a bolsa.

Matt apenas olhou para ele – eu não digo mais nada. Vou falar com a Vallary.

- Eu acho que é melhor a gente ir também Broox – disse Johnny.

- Ta legal, nos vemos amanhã Matt.

- Tchau.

Assim que saíram para ir embora deram de cara com o Tuck, ele chamou a atenção do xará pela forma como entrou, se dirigiu ao canto bar e serviu um pouco vodka, deu um gole generoso e respirou bem fundo.

- Você não está legal – disse Matt – nada legal mesmo. O que aconteceu?

- Você sabe se o Joey tem uma mansão em Bell Air?

- Sim ele tem, por que?

- A Yulia está lá – respondeu.

- Ah, então é isso que te deixou chateado?

- Ela me disse que iria ao laboratório. Eu não entendo, por que ela mentiu?

- Olha bem para você e descobrirá o motivo. Como descobriu?

- Eu a segui.

- Que droga Tuck!

- Teve que ser Matt, eu não consegui evitar, a cada dia que passa, cada segredo que ela revela eu sinto que tem mais e mais e mais… - Matt o interrompeu.

- Já entendi.

- Ela nunca me contou que o Joey tem uma casa em Bell Air.

- Na verdade era a casa deles – disse Shadows – foi lá onde eles… viveram até a morte do filho.

- Está vendo? Ela jamais me diria isso!

- Olha como você fica quanto assunto é o passado dela Matt? Até eu teria medo de te contar se fosse ela.

- Eu não quero nem saber o que eles estão fazendo.

- Não pensa em nada, não enche a cabeça de besteira. Amanhã vocês conversam e por favor não se embebeda! A Yulia é toda certinha ela jamais pisaria na bola.

- Eu era todo certinho até pisar na bola também, aprendi da forma mais amarga que na vida há uma primeira vez para tudo.

- Não deixa esses pensamentos tomarem conta de ti.

- Pode deixar.

- Eu tenho que ir falar com a Val – disse saindo – boa noite.

- Boa noite.

Matt chegou no seu quarto e encontrou a esposa sentada na cama brincando com a aliança.

- Quer conversar? – perguntou sentando ao lado dela.

- Não – respondeu seca.

Ele entendeu a mensagem e levantou para ir embora.

- Espera – ele voltou-se para a mulher.

- Já quer conversar? – perguntou se sentando de novo.

- Eu sempre quis te fazer essa pergunta…

- Então faça.

Ela o encarou – se ela desistisse do legado da família dela, se aceitasse ser deserdada e se revoltasse contra a família para ficar contigo… você aceitaria?

Ele ficou sem palavras – por que desenterrar isso agora Val? – perguntou sereno.

- Porque eu sei como ela é importante para você.

- Você é importante para mim e mais ninguém.

- Aquela mulher quebrou o teu coração em pedaços – disse Val – ainda assim guarda sentimentos por ela.

- É claro que não – disse Matt se defendendo.

- Ela te trocou por dinheiro e títulos.

- Me trocou pela família dela – disse Matt – o dinheiro não era o problema, mas que droga Val, tem que me lembrar disso?

- Ela ainda mexe com você. Ficou todo nervosinho quando a Ana disse que era ela.

- Nós temos um casamento firme e forte. Para que trazer isso em cima da mesa agora?

- Toda a vez que a Svenia fala com ela nunca me diz com quem está falando, faz isso tantas vezes que eu já sei quando é que está falando com ela ou com outra pessoa.

- Nós estivemos na Itália, assistimos o ballet, ela estava lá em cima também, dançando. Você me viu fazendo alguma coisa suspeita?

- Não. Só não tirava os olhos dela.

- Ai meu Deus Val – disse passando a mão na cabeça.

- Desde o início do nosso casamento nós decidimos que seria um relacionamento aberto e por conta disso eu quase te perdi para uma ruivinha de berço de ouro!

- Então quer dizer que quando for contigo está tudo bem?

- O acordo sempre foi não se apaixonar – Val levantou bruscamente.

- E quem aqui está apaixonado? – perguntou sério – a Svenia estava falando com a Marie, ela mandou cumprimentos para todo o mundo nada mais. Por que está agindo assim?

- Você já viu os relacionamentos dos nossos amigos? – perguntou furiosa – estão todos virados de cabeça para baixo. Eu sempre achei que por termos um relacionamento aberto não teríamos esses problemas, que jamais sentiria ciúmes nem nada. Isso até ela entrar na tua vida e quase ter acabado com o nosso casamento!

- Quando eu a conheci nosso casamento andava mal. Nós demos um tempo lembra?

Ela ficou furiosa – mas não foi para você se apaixonar! Quem disse que era para você sair por aí dando soco em Barão por não permitir que você fique com a  filha dele? Você nunca bateu no meu pai por mim e olha que o dela é um diplomata.

- E o que é que você quer que eu faça?

Ela sentou no colo dele – nunca, mas nunca mais se aproxime daquela mulher porque eu não estou a fim de viver um relacionamento conturbado como o da Yulia ou da Svenia. Eles são a prova viva de que não se pode ficar com uma pessoa amando outra, porque não tem como não dar merda.

Ele riu – Eu não admito que me imponha limites Val, não desse jeito. Não pode me proibir de ver alguém que já não vejo faz muito tempo.

- No caso dela eu posso.

- Não, não pode.

- Talvez eu tenha exagerado – disse se encaixando no tronco dele e o enchendo de beijos – desculpa.

- Cenas de ciúmes nunca mais pode ser? – disse rindo e beijando-a em seguida.

- Pode.

New Valley, 21:23h.

Assim que chegou em casa na companhia de Zacky que a abriu a porta do carro para ela, Svenia abriu a porta de casa e virou para se despedir do amigo.

- Bom, eu acho que está entregue.

- Obrigada Zacky.

- Tem certeza de que fica bem sozinha? Porque se não posso te levar em casa da tua família.

- Essa é a minha casa, se ele voltar vai ter que se ver comigo.

- Eu acho que deveria avisar os seguranças só para prevenir.

- Isso vai te deixar mais descansado?

- Muito – disse sorrindo.

Ambos ouviram o barulho de um carro desligando, mas estava fora do portão da casa.

- Quem será? – perguntou Svenia.

Quando viu quem era, Zacky ficou puto – como ele se atreve a voltar?

- Ele não dá ponto sem nó lembra?

- Lembro, entra Svenia. Eu vou ter com ele.

- Não vão brigar, ainda tem fotógrafos pela rua. Eu acho melhor entrarmos, vem Zacky.

- Eu não vou deixar ele entrar. De jeito nenhum, por favor, entra.

Assim que ela entrou Corey se apressou para ver se a alcançava, mas foi impedido pelo Zacky.

- Pode parar mesmo ai Taylor!

- Ou o que Zacky? – disse Corey se aproximando com cara de poucos amigos.

- Ou eu chamo os seguranças e na pior das hipóteses a policia! Vai embora!

- Sai da minha frente Vengeance – disse Corey – eu preciso falar com ela e você não pode me impedir.

- Tem fotógrafos por essas bandas não é conveniente dar espetáculo por isso faz o que eu estou pedindo.

- Qual é Zacky? Virou segurança?

- Isso não é da tua conta. Ela é minha amiga e não vou deixar que a machuque outra vez.

- Bem que você gostaria que ela fosse mais que isso não é mesmo?

- Continua não sendo da tua conta.

- Aposto que foi o Syn que te botou como cão de guarda, ou foi você quem se prontificou?

- Já invadiu essa casa uma vez não acha que está de bom tamanho?

- Ela te contou é?

- Contou.

- Tudo bem, eu vou, mas isso não quer dizer que eu não vá tentar me aproximar dela outra vez.

Deu meia volta e foi embora, o Zacky respirou fundo, mas também ficou desconfiado pelo Corey ter desistido tão fácil, depois de avisar o segurança para fechar o portão ele entrou, mas como não a encontrou na sala resolveu subir as escadas, abriu a porta do quarto dela e a viu amarrando o longo robe de cetim vermelho, se sentiu constrangido por isso.

- Posso entrar?

- Claro! E então? Ele foi embora?

- Foi.

- Tão fácil assim?

Zacky foi até a varanda do quarto e não acreditou no que viu, o Corey estava dentro do carro, esperando pela sua saída.

- Esse homem é o diabo mesmo.

- O que houve? – assim que chegou onde o Zacky estava ficou espantada – eu não acredito que ele não foi embora.

- Estava tudo simples demais para ser verdade.

Zacky olhou para ela – não tem jeito, eu vou ter que dormir aqui contigo.

- Parece que não tem outro jeito.

- Pode ser no quarto ao lado – disse na esperança que ela não mudasse de ideia.

- Sim, vamos ajeitar a roupa de cama para você.

- Deixa que eu me viro com isso conheço a casa, qualquer coisa, por favor você grita.

Ela riu – tudo bem, boa noite Zacky.

- Boa noite – se aproximou e deu um beijo no rosto dela e depois saiu.

Svenia deu mais uma olhada na janela e viu que ele ainda estava lá. “se ele não for embora vai ser uma longa noite”. Fechou a janela e foi para cama tentar dormir.

Bell Air, 21: 34h.

Yulia e Joey estavam na cama, exaustos e ofegantes. Ele acariciava os cabelos dela, nem podia acreditar que estavam juntos na mesma cama depois de tanto tempo, beijou-a com desejo só para se certificar de que não era mentira.

- Eu ainda não acredito – disse roçando o seu nariz no pescoço dela, Yulia riu de leve.

- Parece tão irreal assim? – perguntou tentado se cobrir com o lençol, ele a impediu.

- Ah Não Yulia, não tem ninguém aqui, estamos sozinhos – disse dando um chupão no pescoço dela – não me tira a alegria de ficar te observando nua, sabe quanto tempo faz que não ficamos assim?

Ela ficou vermelha – você adora me deixar sem jeito – disse se aninhando no peito dele – o que nós fizemos…

- Xiiiu. Sem arrependimentos, lembra?

- Lembro – deu-lhe um selinho.

- Nós temos tanta coisa para conversar que eu nem sei por onde começar – disse Joey.

- Por onde quer começar?

Joey olhou-a nos olhos – o que aconteceu com a gente? Por que está tão difícil voltarmos a ficar juntos?

- Procuramos consolos em outras pessoas, me apaixonei pelo Matt…

- Mas, não o ama.

- Joey, para com isso.

- Eu posso lidar com isso, só não consigo lidar com a ideia de que depois que sair daqui vai ficar com ele.

- Achei que era para ser o nosso segredinho.

- Usando as minhas próprias palavras contra mim? – perguntou rindo.

Ela riu – você tem se saído um ótimo professor.

- O Corey na verdade – afirmou.

- O que é que ele tem a ver com isso? O que foi que aprendeu com ele?

- Ele pode não ser o maior exemplo de moralidade no mundo, mas ele está lutando por quem ama de um jeito que até dá medo. Está brigando por aquilo que acredita e não quer saber no que isso vai dar ou se alguém vai se machucar. Hoje ele me disse algo que ficou na minha cabeça todo o dia.

- O que é?

- Eu fui um autêntico covarde nesses últimos anos, fiquei na zona da amizade, me contentei com pouco mesmo sabendo que ser teu amigo não é o suficiente nem o que eu quero.

- E o que é que você quer?

- Já que eu não posso ter o nosso filho de volta, sabe muito bem que acima de tudo eu quero você, eu quero me casar contigo Yulia.

Ela tomou um susto – mas Joey, tão rápido?

- Não diga que eu estou botando a carroça na frente dos bois porque eu não estou, era o ponto em que nós estávamos até a morte do Orion, a tua aliança ainda está comigo.

- Mas por enquanto é melhor levarmos as coisas com calma.

- Ainda tem medo?

- Não é isso e você sabe.

- Tudo bem, talvez eu esteja um pouquinho apreçado porque não quero voltar a te perder.

- Ainda tem esse medo?

- Não depois do pacto que fizemos hoje, estou cheio de ideias.

Ela deu uma gargalhada – e posso saber quais são essas ideias?

- Vem cá que eu te mostro.

Ficou em cima dela e passava a mão nas suas pernas  com ternura quando parou disse:

- Juntos ou separados, ninguém vai tirar o que nós temos Yulia, ninguém.

Ela arranhou as costas dele o que fez com que ele soltasse um grunhido de leve, voltaram a se beijar ferozmente, jogaram os lençóis no chão e ficaram ai se amando.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...