História The Search For Love (Klefan) - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias The Originals, The Vampire Diaries
Personagens Alaric Saltzman, Bonnie Bennett, Camille O'Connell, Caroline Forbes, Damon Salvatore, Davina Claire, Elena Gilbert, Elijah Mikaelson, Elizabeth "Lizzie" Saltzman, Esther Mikaelson, Finn Mikaelson, Freya Mikaelson, Hope Mikaelson, Josette "Josie" Saltzman, Katherine Pierce, Klaus Mikaelson, Kol Mikaelson, Matt Donovan, Mikael Mikaelson, Personagens Originais, Stefan Salvatore, Valerie Tulle
Tags Delena, Haylijah, Klamille, Klaroline, Klefan, Kolvina, Romance, Stebekah, Stelena, Steroline, The Originals, The Vampire Diaries, Yaoi
Visualizações 290
Palavras 1.185
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Terror e Horror, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


E eu voltei junto com Senpai

GENTEEEEE MUITOOOO OBRIGADAAAA POR FAVORITAR E COMENTAR, TIVE UM INFARTO, NAO SABIA SE RESPONDI E ESTRAGAVA O MOMENTO, ENTÃO SÓ LI E SURTEIII DEMAIS

ARIGATO (ASSIM QUE ESCREVE? SÓ FALO BÚLGARO, ENTÃO BLAGODARY)

BEIJOS E ABRAÇOS

Capítulo está um lixo e sinto muito se decipcionar vcs

Ignorem erros e boa leitura

Capítulo 2 - Capítulo 1


Fanfic / Fanfiction The Search For Love (Klefan) - Capítulo 2 - Capítulo 1

Point Of View Stefan's

— Por que veio aqui? Se mudou. Esqueceu? Eu ganhei Elena. -ele insistia em me lembrar de sua vitória.

— Ela não é um prêmio. Ela é uma garota que merece ser feliz. Uma vez eu disse à ela que ninguém fica triste para sempre. E procuro mostrar que isto é verdade.

— A abandonando?

— Não. A amando. E se você ama alguém de verdade, você fica feliz por essa pessoa, mesmo que ela não esteja com você. E eu ainda a amo. Mesmo ela não se importando com isso.

— Stefan! Um verdadeiro poeta. -Klaus que ainda estava ali, disse.

— Só sou um homem apaixonado, procurando outro amor, porque o meu me largou.

— Largou por alguém melhor. -meu irmão continuava cínico.

— O que você falou? -Klaus o ergueu pelo pescoço -Stefan é melhor que você. Nunca trouxe dor à Elena. Sempre respeitou suas decisões. A amou de forma tão grande que ela sorria ao lado dele sem perceber. E você? Sempre egoista. Matando todos a volta só para tê-la. -ele olhou fundo nos olhos de Damon -A partir de hoje, você será como seu irmão. Se inspire nele e talvez tenha a chance de ser o melhor homem.

Ele quebrou seu pescoço e foi embora, o largando caido no chão. Klaus era louco? Ele copeliu meu irmão? Não posso crer nisso.

— Damon! -Elena caiu de joelhos ao lado do corpo.

— Arraste-o para cima. Daqui à pouco ele acorda. -passei pela porta- Ah. -ergui o dedo indicador -Caroline está no meu quarto dormindo. Por favor, não faça nada para desperta-lá.

Eu sai da casa e entrei no meu novo carro. O híbrido me fez perceber que de certa maneira, Elena nunca me amou. Foi só uma profecia idiota. Katherine preferiu a mim e eu não dei seu devido valor. Agora ela está morta. Silas e Amara se amaram pelo menos. E minha duplicata Tom? Morreu sem encontrar seu amor. Podia ter ficado com Elena. Sofrer um pouco por amor as vezes é bom.

"A única coisa maior que seu desejo por sangue, é o seu amor por essa garota"

— Klaus, você estava errado. Nunca amei Elena mais que qualquer coisa. Acho que foi só uma ilusão criada por mim. -dei a partida.

Pela placa identifiquei que já não me encontrava mais em Mystic Falls. Uma longa rodovia. A noite, perfeita para um vampiro maldoso sem humanidade. E eu acabei de desligar a minha.

Bonnie Sheila Bennett faria algum feitiço de localização para me encontrar. Mas tenho certeza que ninguém irá me procurar por muito tempo.

Havia um bar na beira da estrada. Parei o carro e entrei. O lugar fedia a cigarro e cheirava a bebida. Sentei no balcão. Algumas mulheres dançavam.

-É...barman! Um dose de sua bebida mais forte. -sorri.

Ele se virou pegando algumas garrafas, colocando um copo em cima da mesa e preparando um drink. Um homem sentou a meu lado. Fui servido e virei o líquido em minha boca. Desceu quente queimando minha garganta.

— Bebendo para esquecer o amor? -a voz de Klaus se fez presente novamente.

— Nunca tive amor. -o encarei -O que faz aqui?

—Senti que você estava precisando de companhia. Seu irmão é um idiota. Deveria mata-lo quando pode.

—Me arrependo disso.

—Desligou a humanidade? Está mais cruel.

—Como você mesmo me disse. A minha humanidade estava me matando.

—Uma vida de curtição é melhor do que se lamentar por amor. Elena não sabe o que é bom. Deixe que ela se ferre com seu irmão.

—Quem é Elena? Eu não conheço e nem me importo com nenhuma Elena.

—Assim que se fala, Stefan. Estou gostando de ver esse cara que eu conheci em 1940.

—Ele não morreu. Só estava dormindo e resolveu acordar. Em uma nova época.-um sorriso mantia em meus lábios.

— Claramente amigo. Os tempos são outros.

— Sim...antigamente eramos diferentes. Eramos insanos. Mordiamos qualquer um que nos desse na telha. Não nos importavamos.

—O seu problema era que você se importava demais se uma tal pessoa estivesse feliz.

— Importava. Não me importo mais.

— E você mudou para valer?

— Tudo vai ser diferente de agora em diante. Nada de sofrer por amor.

— Sim...

—E Caroline? Ainda interessado nela?

—Caroline já foi minha uma vez. E eu a queria para a eternidade. Uma coisa que aprendi durante mil anos na Terra é que passar o resto de todos os tempos sozinho é entediante. Mas vamos esquecer nossos amores por uma noite. Barman! Dose dupla para os dois aqui! -ele apontou rapidamente para nós.

Bebiadas? Sim! Começamos a tomar todas. Quando dei por mim, já estava em uma barril com todos gritando "Bebe, bebe". Jogando sinuca com Klaus. E arriscando morder algumas pessoas, as pessoas dali estavam bêbadas mesmo.

E foi quando eu suguei de mais uma pessoa que percebi a besteira em que me metia. Avistei o híbrido dançando com algumas garotas e o chamei. Ou pelo menos tentei.

— Klaus! Hey! -apesar de ter uma audição super boa, de vampiros, ele parecia surdo - Mikaelson! -desta vez ele escutou.

— O que queres? -indagou.

— Está falando sério? Eu quase matei a garota, e você todo despreocupado.

—O Stefan sem graça estava demorando a aparecer. - sua voz era evidente. Ele havia bebido muito.

— Vou te levar para casa. - peguei seu braço.

—Não! Está maluco? Gosto daqui. - ele puxou seu membro a força.

—Mas você está bêbado! Se toque, não somos comuns. Escondemos segredos.

—Me deixe em paz. Onde foi parar o Stefan divertido? Você está parecendo minha mulher. -sentou-se no balcão - E ela morreu.

A bebida o deixa sentimental? Não posso crer que o todo poderoso, híbrido original, Klaus Mikaelson, está a ponto de chorar.

— Perdoe-me.- sentei a seu lado -Só que já é tarde e você bebeu muito. Vamos para casa. Por favor, só lhe peco, por favor.

E ele ergueu-se. Por favores, sempre funcionam. Caminhamos até meu carro em silêncio. Antes de chegarmos ao destino, senti algo me atingir, meu peito começou a doer demais. Observei o ambiente e um caçador estava presente. Ser um vampiro em um mundo humano não está fácil ultimamente.

Klaus foi em sua velocidade "normal" e o segurou pelo pescoço. Ele iria quebra-lo. O humano segurava nos braços dele, tentando se soltar, já estava se sufocando.

—Klaus! -gritei - Vai mata-lo! Klaus! -e como era de esperar, ele não parou. Utilizei minha velocidade e fiquei a seu lado. -Não seria legal fazer isso aqui. -sussurrei em seu ouvido.

O largou. Ele respirou e pegou a arma. Isso já está me irritando. Eu fui até ele, quebrando-a, junto de seus dedos. Gemeu de dor, segurado-a.

—Malditos! -exclamou irado.

—Dê graças à Deus que não te matamos. - Klaus falou -Stefan te salvou.

Fomos embora de uma vez. Seguindo até New Orleans. A viagem seria longa, mas Klaus em menos de um dia conseguia arrumar confusão em Mystic Falls.

—Onde estamos indo? -perguntou.

—À New Orleans. -respondo sem tirar os olhos da pista.

—Não! Leve-me Mystic Falls de volta! -gritou impaciente.

—Você não vai trazer mais problemas para a minha cidade! -falei em mesmo tom.

Eu estava delirando. A única que falava assim com Klaus sem morrer, era Caroline. E ele não falou nada, apenas ficou em silêncio enquanto eu dirigia à sua cidade.


Notas Finais


Chuvas de hentais terá nessa histórias ?

Não acredito que foram quase 200 favoritos e 75 comentários com um capítulo

Tô sem palavras, obrigada povo e até próxima com Klefan


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...