1. Spirit Fanfics >
  2. The secret girl - Imagine Lee Felix >
  3. Chuseok

História The secret girl - Imagine Lee Felix - Capítulo 15


Escrita por:


Notas do Autor


OIOIIOIOIOIOIOIOIOI TURU BAUM?

Hehe.

Até que enfim a moça decidiu postar o capitulo né? Bonito pra você Hee-Mika, bonito.
Meus amores, lindas maravilhosas, perfeitas, meu cherio cheiro, amo cada uma de vocês sabiam? Hehe, então não me matem.

Sim, eu estou bem melhor e mais segura sobre os capitulos, prometo que vou compensar vocês pelo atraso e por isso decidir postar esse capitulo junto com os outros.

Tenho uma surpresa, mas só sai daqui a uns dias, então fiquem no aguardo pq lá vem bomba.

SE PERSISTIR OS SINTOMAS O MÉDICO DEVERA SER CONSULTADO.

Capítulo 15 - Chuseok


Fanfic / Fanfiction The secret girl - Imagine Lee Felix - Capítulo 15 - Chuseok

Já sentiram a maravilhosa sensação de que nada poderia te abalar? Hoje era meu dia e eu queria que ele seguisse o roteiro que inventei em minha cabeça.

- Acho que já está na cara que você a pediu em namoro – o Lee chegou-se ao meu lado – Acho que não posso mais ficar tão colado com ela – riu.

- Por que não poderia? – perguntei me pondo a andar junto aos outros.

- Eu sei que os alunos achavam que eu namorava a S/n.

- O que é bem nojento – a Bang se pronunciou ao meu lado e o Lee mais velho semicerrou os olhos na direção da mais baixa – Da fruta que eu gosto ele chupa até o caroço.

- Mas isso não impedia de acharem que eu era seu namorado.

- Isso sem contar que ninguém sabe da sexualidade do Minho senão nós – Changbin apareceu ao lado de S/n.

- Vocês não se incomodavam com isso? – perguntei curioso.

- Às vezes – Minho deu de ombros – Mas eu não me importo com o que eles acham ou deixam de achar, a S/n é uma garota muito bonito, se eu fosse hetero com certeza namoraria ela, mas a única razão para eu não me incomodar mesmo, era o fato de que, eu ria muito quando via as garotas olhando feio pra S/n por causa de mim – deu uma gargalhada baixa.

- A sorte dela é que ninguém nunca fala com agente, senão eu teria que bater nas estudantes.

- Eu tô com sede Minho – Jisung falou ao lado do novo namorado.

- Mas você tá bem? – o tom de voz do mais velho mudou para um mais delicado quando direcionou sua fala para o Han – Quer agora ou posso deixar minha garrafa com você?

- Não sei, eu só estou com sede.

- Pega – deu uma garrafa térmica para o namorado.

Quem diria que Jisung iria conseguir namorar Lee Minho? Eles formavam um casal muito fofo, Minho parecia tratar bem meu amigo, se não tratasse perderia uma das bolas.

Eu estava feliz por Jisung, estava feliz por ele ter encontrado alguém que estava disposto a dar o mundo e mais um pouco para ele.

“- Hyung por favor – apertei ainda mais o abraço – Não chora.

Por um instante eu esqueci completamente da raiva que estava sentindo, o ódio que me consumiu desapareceu completamente ao ver o coreano se derramar em lágrimas na minha frente.

Cha Younghyun era o cara mais babaca que eu poderia ter conhecido, como ele pode? Por que os seres humanos são tão cruéis com alguém inocente?

- Tá tudo bem Felix – fungou – A culpa foi toda minha de ter acreditado nele – Jisung falava tudo com a voz tão quebrada, me partia o coração ver aquela cena.

- Eu vou quebrar a cara daquele idiota.

Jisung nem ao menos me respondeu, voltou a chorar, estava inconsolável e eu não tinha nenhuma carta na manga, mas eu poderia ficar ali, o abraçando e estando ao lado dele.

Um coração partido é difícil de se curar, um amor que não foi verdadeiro dói, uma relação onde você acreditava ser verdade e investia nela dói demais quando descoberto que era apenas uma farsa. Mas isso não iria ficar assim, aquele idiota iria pagar”

Me assustei ao ver dois dedos sendo estralados em minha frente, olhei para o ser dono das mãos vendo o Yang ali, os outros já haviam ido embora e eu nem mesmo notei isso.

- Quando não quiser conversar é só avisar que eu não explico mais.

- Como? – perguntei desentendido.

- Hyunjin perguntou se você quer treinar basquete conosco hoje após a aula, não temos nada de importante para fazer então resolvemos praticar um pouco de esporte.

- Ah sim, claro, claro – concordei – Desculpa não ter prestado atenção.

- Tudo bem, você sempre foi voado desse jeito – sorriu tocando meu ombro – Já vou indo.

- Jeongin – cocei a garganta o chamando – Acho que já estou preparado para saber o resto da história.

- Por que não conta a S/n que você a conheceu ontem? – perguntou naturalmente, mas eu acabei gelando com a pergunta.

- E-eu... não sei se ainda é o momento certo Jeongin.

- E quando vai ser? Quando ela resolver voltar e nos pegar desprevenidos? Felix presta atenção – ele voltou para perto de mim e tocou meu ombro novamente – Lillith é louca, você não faz a menor ideia do que ela pode ser capaz de fazer para te ter e não acho que ela queira pegar leve ou negociar sabendo que você não vai com ela por causa da S/n, Jisung ou qualquer um de nós.

- Eu vou resolver isso – disse mais para mim do que para ele – Eu preciso saber o que aconteceu... preciso saber dessa parte da história, saber o que aconteceu.

- Qual seria a diferença?

- Eu não iria errar de novo – falei mais baixo.

O Yang a minha frente pareceu entender a minha situação, não disse nada mais e apenas confirmou levemente com a cabeça dando dois tapinhas de leve em meu ombro na qual tocara.

Caminhei até minha sala vendo que Jisung já me aguardava, S/n e Jeongin ainda não estava ali, mas com certeza estavam junto com os outros.

- Acho que hoje vai ter prova – ele comentou assim que me sentei ao seu lado.

- Por que?

- Ouvi dizer que o professor Son se demitiu por isso as aulas deles sempre ficavam vagas.

- E o que isso tem a ver com provas?

- Já contrataram alguém para ficar no lugar dele.

- Ah merda – deitei minha cabeça na mesa – Por que será que os professores sempre fazem provas em seus primeiros dias de aula? É desnecessário!

- Também não gosto – ele riu e pegou a garrafa que Minho o deu – O negativo.

Olhei para ele enquanto fazia uma careta.

- Não é possível que você saiba identificar – ele piscou para mim.

- Sei – ele deu um sorriso orgulhoso – Sabia que dá pra saber o açúcar no sangue, o colesterol e várias outras coisas?

- Nossa cara – bati em seus ombros – Que nojo!

- Nem vem que você é um sanguessuga igual a mim.

- Mas eu não preciso necessariamente de sangue para sobreviver – ri, a nossa sorte é que não havia ninguém ao nosso lado para ouvir essa conversa estranha.

Olhamos ao mesmo instante para a porta quando os alunos entraram e se sentaram em seus devidos lugares, a Bang e o Yang entraram, as mesmas caras fechadas e o tedio de sempre estavam ali. S/n me olhou de repente, eu sabia que ela queria me lançar um sorriso, mas sua personagem de garota má estava não a permitia, não ali. Pisquei para a mesma fazendo um sinal de telefone com as mãos.

- Me liga gata – sussurrei e só então ela sorriu negando com a cabeça.

- Aposto que ela está pegando os dois ao mesmo tempo – ouvi um sussurro atrás de mim. Olhei para trás vendo duas garotas sentadas atrás de mim e do Han, ambas me olharam assustadas.

- Quem? – minha voz saiu mais grossa que o normal, elas engoliram em seco assustadas, mas eu nem ligava – Está falando da minha namorada? – levantei a sobrancelha e o Han olhou para trás junto a mim.

- N-não, e-eu – a de cabelos curtos gaguejou – Não foi isso que eu quis dizer.

- O que quis dizer então?

- E-eu – ouvi um “aish” vindo de sua parte.

Me aproximei da coreana, ela recuou levemente assustada, suas bochechas ficaram vermelhas e um sorriso leve apareceu em seus lábios – Eu faço da sua vida um inferno se falar dela assim novamente, entendeu? – a coreana arregalou os olhos e a expressão de medo surgiu em seu rosto.

Ela concordou com a cabeça e eu voltei a me aconchegar em meu lugar, Jisung ao meu lado estava com um sorriso ladino e com certeza havia achado aquela cena hilária, S/n de certo teria ouvido ou lido todo em minha mente, então não tinha problema com ela ter achado errado a minha aproximação com a coreana.

A porta foi aberta novamente e por lá passou uma mulher de estatura baixa, – para mim – não parecia asiática, mas ainda sim puxava alguns traços, talvez fosse descendente de terceira geração quem sabe.

- Bom dia alunos – pôs suas coisas sobre a mesa – Meu nome é Joon Sofia, sou americana e a nova professora de matemática de vocês – ela sorriu, vi alguns cochichos de alunos elogiando o quanto ela era linda – O professor Son teve uns problemas pessoais e por isso não poderá estra mais com vocês nessa jornada, espero que possamos nos dar bem – todos nos levantamos para saudar a nova professora, nos curvamos e ela sorriu ainda mais – Como de costume, teremos uma prova para avaliar o desempenho de vocês e a estratégia na qual o professor anterior lhe ensinou.

Começamos a separar as cadeiras para a prova individual, peguei o material necessário, passei a mão nos fios de cabelo preocupado. Eu tô ferrado!

Matemática nunca foi forte, uma prova surpresa poderia acabar com minha autoestima que eu tanto estava me gabando pela manhã, não que a situação fosse precária, não! Eu só estava desprevenido e isso não era nada bom para quem não é bom na matéria, eu precisava estudar pelo menos um pouco.

- Passem a prova para o colega – ela entregou para os alunos que estavam na frente – Você tem quarenta minutos a partir de agora.

Olhei para nossa nova professora por um instante. Ela me parecia familiar de algum jeito, talvez eu já tenha a visto de locais para estrangeiros, não sei, mas sinto que já a vi.

A americana me olhou e sorriu e logo piscou, senti algo diferente com tal ato, nada de paixão ou algo assim, mas alguma coisa dentro de mim estremeceu. Sempre senti essas coisas quando algo não está certo, como da primeira vez que vi Cha Younghyun – o ex babaca do Jisung.

Arqueei a sobrancelha para a mais velha, mesmo assim o sorriso dela não saiu de seus lábios. Revirei os olhos e me pus a me concentrar na prova que já sendo parada para mim, coloquei uma copia em minha mesa e passei o resto para trás.

[...]

- Ei – chamei a que estava mais a frente com o Seo.

Jisung e eu corremos até os dois vendo que o resto do pessoal não estavam com eles – Cadê o Minho? – perguntou o coreano ao meu lado.

- Ele tá esperando o Hyunjin na máquina de salgadinhos – Jisung e eu fazendo um “uuu” junto a uma careta, sincronia perfeita.

Era compreensível que eles não estivessem lá, quem compra comida dessas máquinas sabe que é bem difícil escolher algo e quem escolhe com facilidade é psicopata.

- E você gatinha? – cheguei perto da brasileira – Quer ir comigo escolher algo na maquina de salgados? – joguei meu maior charme sexy para cima dela e se não estivéssemos na escola ela teria dado uma gargalhada alta o suficiente para todos no prédio ouvirem.

- Vamos logo para o refeitório Felix – ela pegou minha mão indo em direção ao refeitório.

- Vocês já sabem quem vai ganhar a marca? – Changbin perguntou.

- Eu ainda não sei – a Bang respondeu suspirando – Minho acha que seria bom se eu tivesse já que tem o lance lá dos Walker – olhou para o Seo.

- Também acho que seria bom se você tivesse S/n – respondi – Apesar de eu não fazer a menor ideia do que é, se for para você se proteger eu acho bom, mas também poderia ser o Jisung, ele também precisa de proteção e acho que Minho concordaria comigo, seria ótimo se você dois tivessem.

- Felix está certo – Jeongin apareceu ao nosso lado fazendo o Han assusta-se levemente – Eu acho que seria uma boa a S/n e o Jisung terem a marca, vocês são os mais vulneráveis aqui.

- Ainda vamos ver isso – mordeu os lábios – Vou conversar com meus pais sobre isso, quando chegar da escola eles estarão em casa.

Entramos no refeitório indo direto para nossa mesa. Jisung se sentou a minha esquerda e a brasileira a minha direita, passei o braço por cima do ombro dela ficando mais à vontade – O que vamos comer? Eu estou com fome – passei a mão na barriga.

- É engraçado o fato de você ser o mais sobrenatural da mesa, mas ser o único que sente fome – Minho chegou a mesa, deu um beijo na bochecha do namorado.

- Não faz isso aqui Minho – Jisung deu um tapa no braço do namorado assim que ele se sentou – Tem gente olhando.

- E eu com isso? – rebateu colocando os salgadinhos sobre a mesa, peguei o abrindo.

- Eles vão falar! –

- Eles que se fodam – Minho se pôs a encarar a mesa próxima que estava olhando para a nossa – Eu não deixar de mostrar que você é meu namorado só porque as pessoas vão olhar feio.

Jisung abriu e fechou a boca sem palavras, conhecendo meu amigo eu tinha a certeza que ele estava surpreso com tal fala do namorado. Sim, Jisung nunca foi assumido por alguém, e quando o Han namorou o Cha era as escondidas por conta da vergonha.

- Quer salgadinho bebê? – o Lee perguntou para ele, Jisung negou e abriu a garrafa térmica e bebeu o O negativo que estava ali.

Precisamos conversar agora – Hyunjin se pôs a falar – Não acho que teremos tempo depois e vocês precisam tomar cuidado.

- Com o que? – S/n perguntou abrindo um dos pacotes.

- Joon Sofia – respondeu sério - Não acho que ela seja professora de verdade, ela tem um olhar estranho e o cheiro não é o mais normal.

- Também desconfio dela – falei – Senti algo estranho quando olhei para ela antes da prova.

- Eu a achei bonita – Changbin comentou.

- Virou hetero – S/n ciciou baixo e pelo jeito só eu escutei.

- Só quero que vocês fiquem alerta, não acho que ela seja flor que se cheire – o Hwang falou voltando a comer seus salgadinhos.

- Eu vou ao banheiro – S/n se levantou.

- Toma cuidado – disse antes que ela fosse – Por favor.

- Não se preocupa meu anjo.

Ela saiu do refeitório eu me senti sozinho sem ela. Algo me dizia que alguma coisa estava errada, mas eu não fazia a menor ideia do que era. Meus pelos estavam arrepiados e uma sensação estranha dominava meu peito.

Ficamos conversando por um bom tempo, descobri que Jeongin gosta de rosa e que todos ali – incluindo S/n – nasceram no século dezenove, até os pais de S/n.

Mesmo que estivéssemos conversando e a conversa estivesse boa, eu não conseguia para de pensar que algo estava errado.

- Alguém sabe se hoje é uma data comemorativa?

- Chuseok – Changbin respondeu dando de ombros.

Minho me olhou parando de comer, Jeongin parou por um instante, parecia estra pensando, mas logo me olhou com os olhos arregalados.

- Hoje é dia dos mortos – Minho falou.

Meu peito começou a descer e subir freneticamente, um desespero começou a tomar conta de mim, minha mente começou a entrar em pânico – Cadê a S/n? – olhei para trás desesperado procurando a brasileira.

- Felix calma – Minho tocou meu braço.

- Minho a S/n tá demorando muito – mordi os lábios apreensivo.

- Vamos atrás dela – nos levantamos ganhando a atenção de todos do refeitório.

Nem esperei que eles me acompanhassem, sai correndo para fora do refeitório, olhei ao redor vendo que o corredor estava vazio, corri em direção aos banheiros, olhei para trás por um instante vendo que os outros estavam correndo atrás de mim.

- Felix! – Jisung me chamou.

Meu coração humano acelerava e o medo aumentava a cada centímetro que eu chegava perto do banheiro, a adrenalina nada boa fazia-o palpitar mais rápido e mesmo que o inverno estivesse chegando eu suava.

Por minha cabeça passava-se várias coisas, mulheres demoravam no banheiro certo?

Vi uma garota sair do banheiro feminino, eu não poderia entrar lá, tinha que dar um jeito de saber se S/n ainda estava lá – Ei – a chamei, ela olhou para trás e logo apontou para si – É você, tem mais alguma garota lá dentro?

- Não – negou com a cabeça.

- Ela está lá? – Hyunjin chegou ao meu lado, olhou para a garota que ainda estava parada fazendo-a corar violentamente.

Suspirei sentindo minhas pernas perderem a força e meu coração parar de funcionar – Aí cacete – falei já sentindo lágrimas quererem se formarem em meus olhos.

Vi Jeongin fazer um sinal para a garota sair dali e a coreana saiu correndo – Cadê essa garota hyung? – falei assim que o Lee tocou meu ombro. Dei um passo a frente para entrar no banheiro, abri a porta com as lagrimas descendo pelo rosto, abri cada cabine que havia ali, todas fazias, os garotos entraram logo em seguida, me olharam e eu comecei a entrar em desespero – Eu vou gritar mano – passei a mão nos cabelos – CADÊ ELA?! 


Notas Finais


OIOIOIIOIOI .

Você estão preparadas para o começou da aventura na fic? Gente, quem sabe, até pq eu não sei de nada... quem sabe tenha umas mortes ali, outras aqui, não sei de nada...

Obrigada a todas vocês que comentam e leram minha fic tá? Eu prometo trazer o melhor conteudo para vocês se divertirem.

Até o proximo capitulo meu bolinhos.

Querido diario: https://www.spiritfanfiction.com/historia/querido-diario-19875049

Ao cair da noite - Imagine Bang Chan: https://www.spiritfanfiction.com/historia/ao-cair-da-noite--imagine-chan-17481308

Meu perfil: https://www.spiritfanfiction.com/perfil/g-dragon18

Kisus3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...