História The Secret Of Life (Em correção) - Capítulo 38


Escrita por:

Visualizações 521
Palavras 4.240
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Hentai, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oieee desculpem o atraso para postar, escrevi na pressa então me desculpem se tiver muitos erros principalmente pq meu APP buga. Boa leitura desculpem os erros. 💙
S&M ou Rude Boy rihanna (se quiserem ouvir no começo da fic indico essas e depois, beauty and a beat Justin Bieber ou se preferir deliver, he like that fifth harmony)

Capítulo 38 - Happy Birthday!


Fanfic / Fanfiction The Secret Of Life (Em correção) - Capítulo 38 - Happy Birthday!

P.v. Brittney

Senti uma claridade invadir o quarto, e me lembrei que aqui não havia cortinas, como estava cansada me virei ficando de bruços embaixo da coberta, foi quando um barulho de despertador começou a tocar que nem louco. Ninguém acorda essas horas, ainda mais, de férias! Justin me paga.

Olhei as horas, querendo quebrar aquele negócio com um martelo, era uma hora da tarde, não sei como ainda estou cansada. Me levantei e fui tomar banho, fiz minha higiene e vesti uma roupa confortável e desci para baixo.

Tomei café da manhã, Justin parecia não estar aqui. Fiquei olhando em volta, vi na bancada um papel, ele dizia para procurá-lo depois que terminasse de comer pela casa. Estranhei, será que ele tinha batido a cabeça, mal conheço essa casa.

Fiquei pensando onde ele poderia estar, foi quando vi que tinha um pequeno corredor com uma porta. Fui até ela, e lá parecia apenas ter uma luz fraca, no chão, antes de entrar, tinha um bilhete novamente. 

"Se não quiser perder suas roupas, é melhor entrar sem roupas." ignorei totalmente aquilo, pegando outro mas à frente.- "Estou falando sério, pense bem.".

Rolei os olhos para cima, tirando a roupa, ficando apenas de roupas íntima e desci as escadas. Olhei em volta e vi apenas uma cama com um livro em cima, e a porta sendo fechada pelo vento e alguém tampar minha boca, me segurando.

-Shh, eu disse que iria ter uma "surpresinha" também. -Justin disse, apenas fiquei confusa, ele iria ler pra mim?

Ele me colocou na cama, e me amarrou, ele estava apenas de cueca e a luz bateu nele pude ver melhor.

-Já ouviu falar nessa gracinha aqui? -neguei com a cabeça, lendo o nome "Kamasutra". -Isso é um livro de posições sexuais, e espero fazer o máximo que puder com você. -sorriu parecendo que tinha um demônio nos olhos.

Justin me deixou nua por completo, e pegou chantilly passando em algumas partes do meu corpo. Ele passou no meu pescoço, e o chupou com vontade subindo até minha boca, onde iníciou um beijo quente, me fazendo sentir o gosto de chantilly.

O canalha também encharcou meus seios com o doce, colocou sua lingua para, lambendo o biquinho, me fazendo gemer baixinho quase não dando para perceber. Deixou alguns chupões naquela aérea, e começou a chupar um peito enquanto massageava o outro, eu já olhava pra cima soltando uns grunhidos de prazer, agora ele estava mexendo comigo.

Depois ele fez o mesmo com o outro seio, me deixando cada vez mais molhada e entregue a ele, como sua presa, e ele foi descendo deixando um beijo delicado em minha barriga, filho da puta.

Apertou minha bunda com força, dando uma mordida em minha coxa deixando a marca e abriu totalmente minhas pernas deixando o caminho livre para ele. Com seu polegar, Justin começou a me tocar me fazendo arquear o quadril, apertando minhas mãos, que estavam presas, com força e tentar puxar as algemas que a prendiam.

Como não conseguia olhar para ele, veio me puxando pelo polegar meu queixo, e puxou para um beijo chupando minha língua, quando colocou seus dedos dentro da minha vagina, me fazendo soltar alguns gemidos entre o beijo.

Comecei a olhar o que fazia, e ele se abaixou sem tirar o contato dos olhos, começou a me chupar com vontade, dando algumas mordidas, passando a ponta da língua em meu clitóris para provocar, apertando minhas coxas e a bunda. Eu já me contorcia, mas não conseguia parar de encará-lo, estava sendo muito difícil para mim aguentar aquela tortura, foi quando tive um orgasmo e ele engoliu tudo aquilo, voltando para um beijo onde pude sentir meu gosto.

-Você não pode ficar fazendo isso comigo, é muito torturando. -falei ofegante, enquanto sorria sacana.

-Posso e vou. Você não viu nada ainda do que pretendo fazer. -me soltou onde invés de fazer algo me entreguei novamente.

Fui para seu colo, beijando com profundidade, desejando mais do seu toque, fodendo a dor e a raiva que tínhamos, arranha suas costas com força, ele soltava gritos de dor misturado com prazer.

Bati suas costas nas parede, onde tirei sua cueca e com pressa comecei a rebolar em seu pênis, indo o mais fundo que eu conseguia, o surpreendendo, meus cabelos voavam conforme um pouco de ar entrava naquela sala.

Nossas línguas, iam explorando cada canto da boca, implorando por mais prazer, e nossas respirações aceleradas me deixava delirando.

Deu algumas estocadas mais fortes, e relaxei meu corpo deixando aquela sensação me dominar, e logo Justin também se contorceu chegando ao clímax.

-Espero que não se canse tão rápido. -sua voz mais grossa que normal soou.

-Para fazer isso, eu nunca irei cansar meu amor. -falei convencida piscando para ele, mordendo o lábio.

Fui colocada na cama, e Justin me arrumou me deixando de quatro, ele começou a massagear meus seios, depois foi para meu clitóris novamente começando a me estimular, quando senti seu pênis na entrada da minha vagina passando levemente, me dando arrepios.

-V-vai logo com isso, não estou aguentando tanto assim essas provocações. -falei vulnerável, sabia que iria me arrepender mas fazer o que.

Ele colocou seu pênis dentro de mim, começando devagar passeando suas mãos pelo meu corpo, e me pegou pelo couro cabeludo puxando segurando com um pouco de força, não que machucasse, e começou a acelerar o ritmo.

Nossas vozes começaram a se misturar pelo quarto, e o cheiro de sexo no ar começou a pairar. Dessa vez quem chegou ao ápice primeiro, foi Justin, depois logo eu.

Podia parecer louco, mas eu não me cansava disso, eu necessitava disso, não tenho culpa que seu toque me enlouquece.

Estávamos, suados e deitados na cama tentando controlar a respiração para próximo round, quando Justin se levanta e abre a cortina fazendo clarear o quarto, deixando-o azul, e também que eu percebesse que aqui já era debaixo d'àgua, e visse os peixes.

-Preciso te foder e ver em seus olhos implorar por mais. Enxergar sua alma, cheia de malícia e desejo.

-Mas se alguém ver? -perguntei receosa.

-Ninguém nada por aqui, é bem afastado, e se vierem pra cá morrerão de qualquer jeito. Não é por mim, o mar pela distância também é perigoso. -justificou antes que eu falasse algo.

Escolhi a outra posição por curiosidade, já que nunca havia visto ou tentando antes, que era 69, eu estava envergonhada porém, estou totalmente entregue a ele, e ele à mim, isso é um passo de confiança e intimidade, por que não? Baseavasse em ele ficar deitado com a cabeça para um lado e eu deitar em cima com a cabeça para o outro, assim ele me chupava e eu chupava ele.

 O dia hoje seria longo, divertido e gostoso como chupar esse chantilly maravilhoso, cê é que me entendem.

Dias depois. Já em Chicago.

P.v. Justin Bieber

Essa foram as melhores férias da minha vida, sexo, sexo e mais sexo, Brittney era maravilhosa, aquela garota não se importava com aquilo, pelo contrário, assim como eu ela queria mais. Infelizmente tivemos que voltar para perto de todo mundo, mas não é por isso que precisamos parar né.

Hoje era sexta feira, e todos estavam me ajudando com a casa, principalmente a demônia redonda que não foi para escola para ficar aqui, deixando minha namorada lá totalmente sozinha, se alguém desse em cima dela eu matava Lilly e o garoto sem dó.

-Ela já foi pra escola, precisamos que ela fique fora o mais tempo possível. -falei, e a amiga de Britt entrou na sala.

-Eu resolvo isso. Os preparativos já começaram? -concordei com a cabeça.

-Ela tá grávida mas tirando você, você ninguém mais está, então, eu cuido da bebidas. Caitlin vamos comigo, preciso preparar. -senti certa segundas intenções no que Chaz disse, o que não me surpreende.

-Ok. Você já está com a surpresa? -neguei com a cabeça.

-Só ficará pronto daqui umas horas. -concordou.

-Ryan e Chris podem ajudar a encher os balões, e da comida, minha confiança está em vocês e eu... -Ryan interrompe sua fala.

-Quem deveria cuidar disso tudo não seria o Justin ou o comitê que contratamos? Não uma garota que acabou de conhecer ela. -reclamou. -E eu não deveria ficar com função de mulherzinha.

-Se estiver incomodado com suas funções que são simples, pode mudar de sexo ou nem entrar na festa, a escolha é sua já que está tão incomodado. -Lilly respondeu e todos riram. -Além disso, eu sou sua cunhada, tenho mais contato com ela do que você e somos grandes amigas. Quem você mais conhece aqui, são os garotos e só, então me deixa estressada porque temos apenas o dia inteiro. -falou nervosa, suando e passando a mão na barriga como uma forma de carícia.

-Melhor deixar a garota cuidar das coisas se não ela vai matar você, o bebê dela e tudo que ver em frente. -falei baixo rindo para Ryan.

-Vou aproveitar mandar um dos seguranças proibir a aproximação dela em qualquer lugar que estejamos. -falou irritado saindo batendo a porta com força. Acho que Ryan estava brincado, se não, não sei qual está mais ferrado.

-Vou ir fazer os convites, e o senhor vai me ajudar. -olhou autoritária para o, Alex, se não me engano, não sou decorador de nomes. Virou-se para mim depois. -E você, Justin,  já vai se organizando pra não foder com tudo. -dei uma risada irônica.

-Quem você pensa que é? -falei enchendo minha taça de whisky. -Nem minha mãe manda em mim. Tu pode mandar neles, mas em mim, nunca! -bebi meu whisky.

Ela bufou e saiu da sala com raiva, Alex foi atrás. Quero só ver como ela vai atrasar Brittney, espero que seja uma boa desculpa. Agora eu terei que ir para o outro lado da cidade resolver um assunto.

P.v. Brittney

Os dias se passaram tão rápido em Bahamas, e amanhã seria meu aniversário, todo mundo parece está se afastando de mim como presente.

Começando por Justin que foi o primeiro a me expulsar de casa para eu vir até a escola, vocês percebem que a consideração por mim é do tamanho do sol, Lilly faltou hoje e estou aqui sozinha, às vezes Arthur me faz companhia mas ficamos muito longe, e a vagabunda não me deu nenhuma noticia, por último e menos importante, eu ainda teria que ir trabalhar, pelo menos assim eu me distraia.

Hoje o dia foi tédio puro, todos ficaram falando do baile de formatura que faltava menos de 2 semanas, tirando pelo fato que teve uma hora que Amber pediu desculpas pelo modo que me tratou, acho que o bebê está lhe dando maturidade, isso é bom.

O sinal tocou, me despedi de Arthur, e fui para o trabalho. Cheguei lá respirando fundo, e quando cumprimentei Shawn ele me largou para conversar no telefone, ótimo!

P.v. Lilyan

Depois de fazer mais de 300 convites para pessoas que eu nem conhecia, eu estava morta, minha vontade era de pegar 2 garrafas de bebidas para mim e encher a cara.

-Já volto. -disse para Alex, pegando o telefone e me levantando e saindo da sala.

Procurei na lista de chamada do celular de Britt que havia ficado comigo algum nome diferente, que eu não conhecesse, e achei um "Shawn", apertei em discar e demorou um tempo para atendê-lo.

-Alô?

-Quem é? -ele é direto, caramba.

-Você está longe da Brittney?

-Não vai me responder?

-Lilyan, amiga dela, agora me responde antes que eu fique nervosa. -falei já sem paciência, é muito difícil ter hormônios alterados e as pessoas querer te contrariar de algo.

-Estou, por que?

-Ótimo, você vai chamá-lá para jantar, e não trazer ela pra casa até meia noite ok? Meu namorado irá levar um vestido pra você, e um smoking, você dará pra ela tá bom.

-Espera, espera, por que eu deveria fazer isso? -revirei os olhos, respirando pesado.

-Não pergunta só faça! Se quiser saber o por quê, checa na ficha dela. -desliguei o telefone na sua cara antes que fizesse mais perguntas.

Peguei as sacolas com roupa, maquiagem para ela e dei para Alex levar para o tal de Shawn, Alex deveria sabe onde ela trabalha. Espero que o terno sirva nele, e o sapato.

P.v. Brittney

Estava arrumando os livros, quando Shawn disse que ia sair e não demorava muito, e pediu para que eu fosse arrumar as pastas do escritório, não tinha como recusar é meu trabalho, apesar de ser estressante.

A noite já tinha caído, e Shawn não havia aparecido, era 21:49, hoje que eu ia sair daqui de madrugada. Aproveitei para tirar um cochilo.

-Brittney? -ouvi alguém falar e levantei a cabeça com tudo vendo Shawn entrar na sala.

-Eu já arrumei tudo. -esclareci antes que dissesse algo, e ele riu. -Melhor eu ir indo, se não tiver mais nada pra fazer.

-Você tem. Quer sair para jantar comigo? -deu um sorriso largo sem mostrar os dentes. -Como amigos! 

-Shawn, eu não estou arrumada para isso, estou parecendo um lixo, sem contar que meu namorado não acharia isso uma boa ideia.

-Sobre sua aparência isso não é problema, você é linda de qualquer jeito. -ri meio envergonhada. -Eu tenho roupas aqui pra gente. -isso é estranho, eu poderia recusar por parte que Justin morreria de ciúmes, mas ele que quis me expulsar de casa hoje de manhã.

-Tudo bem. -levantei as mãos me rendendo.

-Eu vou fechar aqui, pode usar o banheiro dos funcionários para se arrumar. -concordei e desci até o banheiro.

Por sorte aqui tinha um chuveiro, então, tomei um banho gelado relaxante não muito demorado. Mandei mensagem para Justin;

"Justin, vou sair para jantar, está bem?!"

"Não, não está nada bem, não sei se você se lembra mas você é compromissada comigo."

Dramático.

"Não sei se você se lembra, mas estou grávida de você, e sei que você mataria meu amigo então não reclame.".

"Vá logo antes que eu mude de ideia, e mate vocês 3."

"Mataria seu próprio filho?"

"Não é dele que estou falando, e sim de Lilly, tchau."

Ri daquilo, o que Lilly tinha haver? Esse grosso não cansa de ser possessivo e irônico.

Vesti minhas roupas íntimas e olhei dentro das sacolas, uma era de roupa e outra de maquiagem. Para vestir tinha uma blusa tomara que cai curta e justa, branca, onde não precisaria de sutiã, e uma saia branca do umbigo até o joelho, branca também e justa.

Minha barriga estava amostra, meu bumbum grande e meus seios mais grande que o normal, resumindo eu estava gostosa, se eu fosse solteira com certeza poderia dizer que eu estou tentando dar em cima dele.

Coloquei um salto, não muito alto no pé, bege, fiz uma maquiagem simples com batom mude escuro. Prendi meu cabelo num coque alto, deixando a franja aparecer. 

Passei um perfume, coloquei o colar que minha mãe tinha me dado que era uma foto minha e dela como lembrança, saindo do banheiro dando de cara com Shawn, abri um sorriso para ele.

-Olha que gato, sou uma menina de grande sorte por ter essa honra com você. -falei brincando, ele revirou os olhos sorrindo.

-E eu um garoto de sorte. Vamos? -concordei.

Fomos para o carro, e o caminho foi muito longo, porém divertido, cantamos, sua voz era linda aliás, e conversamos sobre fazermos maratona de netflix quando eu estivesse sensível precisando do meu amigo.

Quando finalmente chegamos, ele entregou a chave do carro pro manobrista e juntou nossas mãos e entramos.

O jantar foi tranquilo, demos muitas risadas, ele é um cara muito legal e fofo. Já estávamos na sobremesa e era quase 23:00, eu achei melhor ir embora. mas ele disse que tinha algo pra mim no carro e foi buscar.

Assim que olhei para a entrada do restaurante, vi ele com um buquê de flores e uma almofada vindo na minha direção sorrindo, e eu tava rindo nervosa.

-Aceita, aceita! -o pessoal do restaurante começou a gritar e bater palma, achando que era um pedido de casamento e a gente riu.

-Não estamos casando pessoal, somos só amigos. -ele esclareceu e todos ficaram sem graça e a gente deu mais risada. -Feliz aniversário.

-Shawn não precisava disso. -falei pegando o buquê de rosas brancas, e a almofada escrita "estarei sempre aqui nos bons momentos e maus momentos é só você me abraçar." levantei meu olhar para ele, arqueando a sobrancelha. -É sério isso? -sorri boba e ele concordou.

-Sim, para quando estivermos fazendo maratona ou assistindo filmes junto e quando eu não estiver, você se lembrar de mim e não se sentir sozinha. -caraça, Shawn precisa ensinar Justin a ser fofo assim, meus olhos já estavam marejados. -E tem isso aqui também. -entregou um body branco escrito; "Não é meu pai, mas também é o melhor do mundo." se referindo a ele e eu ri.

-Obrigada Shawn, realmente não precisava. -dei um abraço nele e depois um beijo na bochecha, e ele limpou minhas lágrimas que iam escorrer.

-Precisava sim, aliás eu sou o seu melhor amigo e esse é o seu dia, oficialmente. -falou quando deu meia noite. -Agora podemos ir. -concordei e voltamos para o carro, ele foi o único que se lembrou.

P.v. Alyson

Emma hoje havia me ligado para me avisar, ou melhor, dar a melhor notícia da minha vida, nosso plano tinha dado certo, eles tinham se separado.

Sem avisar para ela, fui até sua casa fazer uma surpresa, mas quando vi seu quintal percebi que hoje não era um dia comum para ele, então resolvi fazer outra coisa, uma surpresa melhor. Agora seria minha vez de ser sua namorada.

P.v. Brittney

Shawn estacionou na frente da mansão, parecendo algo comum para ele, e disse que iria me acompanhar até dentro dela, depois de tanta insistência eu aceitei.

-Nossa, aqui tá muito escuro. -falei preocupada, não tinha barulho de nada, nenhuma luz, acho que a casa havia sido invadida.

-SURPRESA!! -as pessoas que estavam ali gritaram, a única reação que tive no momento foi olhar surpresa e abraçar o Shawn que era o que estava mais perto de mim.

P.v. Justin Bieber

Naquele momento que vi aquela cena, ela com um buquê e outra coisa em sua mão que não conseguia enxergar direito, mas algo com certeza bem bosta, e Brittney abraçando aquele Mendes, minha vontade vontade foi de acabar com ele e a demônia que mandou ele como distração. Filhos da puta.

Fui até as bebidas, pegando um copo de vodka e bebendo observando ela agradecer a todos, e depois vir em minha direção.

-Não vai me dar parabéns? -falou sorrindo igual uma idiota, como se não tivesse feito nada.

-Parabéns. -falei seco.

-O que foi? Até no meu aniversário você vai ter crise de ciúmes? Se quiser eu posso muito bem curtir a noite com outra pessoa, quem sabe o Shawn queira. -falou virando as costas para mim.

Eu estava explodindo de raiva por dentro, queria ela bem longe dele. A puxei pela cintura, colocando uma mão em seus cabelos que se soltaram, colei nossos lábios a puxando para um beijo lento e voraz, com raiva deixando algumas mordidas em seus lábios.

-Me desculpa, eu confio em você mas não nesses caras que só te cobiçam.

-Saiba que em nenhum momento ele me cobiçou, na verdade ele é muito cavalheiro e respeitador e somos só amigos.

-Então você vai me trocar por ele? -elevei o tom de voz, ninguém percebeu nossa discussão graças ao som alto.

-Não vou te trocar por ninguém, porque é você que eu amo porra, enteda isso. -disse aquilo bravo e não pude evitar sorrir para ela. -Do que você tá rindo seu trouxa? -falou me empurrando brava e depois começou a rir.

-Gostosa. -peguei pelo queixo e dei um beijo rápido. -Quer ir ver seu presente? -confirmou com a cabeça.

A deixei esperando e fui até dentro da casa pegar a bola peluda que estava na sala. Voltando lá, ela estava de costa e a cutuquei fazendo se virar.

-Não acredito. -deu um pulo e me abraçou, depois pegou no colo. Seus olhos brilhavam, parecendo uma criança de 5 anos. -Eu estou tão feliz. É horrível estar sensível. -falou chorando e eu ri. -Esse é o melhor presente da minha vida, obrigada Justin. -a puxei para um abraço enquanto chorava.

-Que nome vai dar à ela? -ela pareceu pensar, ainda chorando.

-Candy baby. -falou sorrindo levantando ela. -Espera tem algo na patinha dela. -falou tirando a pulseira e esperou uma explicação.

-Essa pulseira é algo simples, acho que depois da Candy baby nem vai significar tanto pra você.

-Qual é o significado da pulseira?

-Bom, esses pingentes de carro, -mostrei para ela em minha mão. - Seria cada aventura que passamos juntos de carro, aproveitando cada adrenalina sem se importar com o amanhã, o coração, metade ouro significa que é seu lado, doce, gentil, bonito, precioso e além disso tudo, puro. O lado azul, da safira, seria o meu, serenidade, calma mas também inquietude sem fim, o caos, o frio e a beleza. Junto os dois se completam, cores diferentes, significados também, mas formas iguais formando uma só coisa, um coração unido, como se fosse um tipo "aqui há amor". -ri pelo nariz.

-Caralho Justin, quando eu acho que você não consegue surpreender você vai lá e consegue, sem contar que você ta sendo romântico e o caralho a quatro, tirando em alguns momentos. -riu, limpando os olhos.

-Se não fosse assim, eu nem seria quem eu sou. E tem mais uma coisa, aqui tem dois pingentes para ficar com você. -entreguei para ela.

-Um menino e uma menina? -olhou confusa.

-É o nosso bebê, nossa aventura a parte, quando descobrirmos o sexo você coloca.

-Caramba, você é o melhor namorado do mundo. -pulou no meu colo para um abraço agarrando meu pescoço.

-Eu sei. -disse baixo em seu ouvido, inalando seu cheiro.

-Own que fofos. Cadê que o Alex faz algo pra mim assim. -a demônia de Lilyan surgiu pegando nosso cachorro.

-Tava bom demais para certas pessoas não atrapalhar. -revirei os olhos.

-Vai tomar no seu cu. -mostrou o dedo do meio para mim, apenas ignorei. -Está na hora do bolo.

Todos foram para aonde estava as mesas, mas não havia bolo nenhum, de repente alguns seguranças começaram a empurrar um bolo gigante, cheio de fogos, da entrada até aqui, e eu comecei a rir.

-Caralho, foi você Ryan que escolheu o bolo? -falei rindo.

-Sim, mas não foi esse dude. -cesei a risada na hora e peguei minha arma, e todos que estavam armados fizeram aquilo também disfarçadamente. Pararam o bolo na frente de todos.

-Surpresa querido. -Alyson saiu do bolo vestida igual uma coelhinha da playboy. Minha vontade era de acabar com aquela desgraçada, porém Brittney me segurou sem dizer nada.

-Eu cuido dela. -falou andando até ela, que já estava de cara fechada e a pegou pelos cabelos indo para longe. Eu apenas fui junto, e voltaram com a música até pegar o bolo.

P.v. Brittney

-Isso aqui é pra você sua vadia. -dei um tapa na sua cara quando ela estava no chão. -Quem você pensa que é para tentar acabar com o relacionamento das pessoas. -dei  um soco tão forte quando a raiva me dominou que pude ouvir seu osso quebrar e o nariz começar a escorrer o sangue.

-Por que você não se enxerga, você acha que ele vai te querer pra sempre? Ele precisa de uma mulher de verdade. -levantou a mão para me bater mas Justin surgiu na frente.

-Sim, ela não só acha como tem certeza, se eu precisasse de uma mulher de verdade você nunca seria uma, só é uma vagabunda mal amada.

-Escuta aqui Alyson, eu quero você bem longe da minha família se não eu acabo com tu. -falei puxando seu cabelo com força e depois jogando com força no chão.

-Depois dessa vou até começar a respeitar você em Brittney. -falou Ryan brincando. -Acabou com ela, é isso aí. -estendeu a mão e eu bati nela, como um "toque" de parca.

-Que isso hein! Isso que eu chamo de briga de mulher, você é muito foda. -falou Chaz puxando para perto e bagunçando meu cabelo. -Agora vamos para o bolo real que eu quero encher a cara.

Dessa vez quem trouxe o bolo foi Chris, um bolo enorme que em um pedaço eu passaria mal mas não me importaria porque deve ser bom, muito bom. Cantaram parabéns pra mim e depois distribuíram o bolo, e Chaz jogou uma bomba sem querer me fazendo tomar um susto e mandou todos para a piscina e os garçons começaram a entregar shots, tequila, maconha embrulhada, tudo que tinha direito, e eu na vontade.

-Brittney, eu e Caitlin fizemos esse bolo aqui especialmente para você. -Lilly falou colocando na mesa.

-Meu Deus, vocês não prestam. -falei rindo, o bolo era de um pênis, não acreditei nisso.

-Que tal mais um presente antes de aproveitarmos o começo da festa? -sorri maliciosa para Justin.

Corremos até o escritório, acabei deixando candy baby com Lilly que séria a única da festa a não estar bêbada, e Justin jogou tudo da sua mesa no chão me deitando lá e começou a me chupar.

Ele estimulou meus clitóris, enquanto me chupava e eu gemia alto sem me importar pois tinha a batida da música de fundo. Não Segurei sua cabeça, apertando seus cabelos e inclinei chegando ao orgasmo.

Justin sentou na cadeira, comecei a rebolar em cima do seu membro já sentindo ereto, e a roçar nossos lábios. Tirei suas calças, com sua ajuda e ele mordeu meu pescoço forte deixando marca.

Comecei a beijá-lo sem cortar o clima, ofegante sentindo meu gosto e um leve gosto de bebida, e ele me penetrou. Com sua ajuda, fiz o movimentos de vai em vem, suas mãos apertavam com força minha cintura e seus gemidos roucos em meus ouvidos me deixava com mais prazer ainda.

Chegamos ao ápice, ficamos lá até conseguimos controlar a respiração e tirano nossas roupas, ficando só de sutiã e calcinha e ele de cueca e corremos para a piscina.

-Agora a festa vai começar. -gritamos juntos e todos fizeram o mesmo.

-Brittney. -Justin me chamou me puxando para perto, esgotando nossos rostos onde pude sentir seu hálito refrescante e sorri olhando fixado para seus lábios. -Eu também te amo. Obrigada por ser my angel.


Notas Finais


Agora decidam, românticos ou sei lá, selvagens e tarados? 😂😂


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...