História The Secret of the Garden - Terror Jungkook - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Slender (Slender Man)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bangtan, Bangtan Boys, Bts, Hentai, Hoseok, Hot, Imagine, Jeon Jungkook, Jhope, Jimin, Jung Hoseok, Jungkook, Kim Taehyung, Min Yoongi, Park Jimin, Suga, Taehyung, Terror, Yoongi
Visualizações 51
Palavras 2.851
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drabs, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Primeira fic de terror. Espero que gostem


Boa leitura 😄

Capítulo 1 - Chapter One


Para se enteder o presente, é necessário saber do passado, por isso, deixe-me te levar a 45 anos atrás

45 anos atrás - 21 de janeiro de 1973

Querido diário,

Hoje, vou me mudar com meu Appa para os Estados Unidos. Depois que a Omma se foi, as coisas tem estado um pouco difíceis para o papai. Ele não me fala nada, porque diz que sou muito nova para saber, mas eu sei que ele está mal. Por um lado, vou ter que deixar todos os meus amigos na Coréia do Sul, mas vou conhecer novos nos Estados Unidos. Meu appa disse que a casa que vamos nos mudar é muito grande, quase uma mansão e que tem um jardim lindo, principalmente no inverno. Ele está me chamando, até mais!

21 de janeiro de 1973

- Misaki, minha filha, temos que ir. - o pai de Misaki se ajoelha perto da filha, que guarda o seu diário e vai com seu pai para a estação de trem. Eles embarcam no trem.

- Appa, quem mais mora lá? - pergunta Misaki, que olhava para a janela do trem 

- Bom, tem o seu tio e os empregados da casa. Misaki, - diz olhando para a filha e pegando em suas mãos - a partir de agora somos só nos dois. Desde que sua mãe se foi, tenho que trabalhar mais, então não vamos nos ver com tanta frequência como era antes, mas saiba que eu te amo muito - ele beija as mãos da menina

- Esta bem Appa. - ela se vira e volta a olhar a janela. 

(...) 

Eles chegam a mansão e são recebidos pelo tio de Misaki, Yuri Nakamura. 

- Como vai, Misaki? - pergunta o sr. Nakamura para Misaki, se abaixando, para ficar da mesma altura da menina - Esta com quantos anos?

- 7 anos - diz com um sorriso no rosto. 

- Imagino que não saiba ler e escrever, ou sabe? - diz com um olhar curioso para Misaki. 

- Sei sim senhor. Minha Omma que me ensinou. - diz confiante para o mais velho. 

- Temos aqui uma menininha muito inteligente, então - ele se aproxima dela, próximo ao seu ouvido, como se fosse contar um segredo - Sabe, não são todas as crianças que aprendem a ler e escreve tão jovem assim, então se considere especial. 

- Obrigada tio! - responde alegre 

- Misaki, pode nos dar licença, gostaria de falar com seu pai. - Fala se levantado e olhando para o pai de Misaki, Ryung 

- Como vai Yuri? - diz o pai de Misaki, apertando a mão de Yuri - Os negócios estão indo bem? 

- Sim Ryung, esta tudo indo muito bem. - ele se vira e chama duas mulheres atrás dele - está é minha esposa, Adele Everdenn - ele aponta para uma mulher de 25 e com um vestido vermelho - e está é Teresa, a governanta da casa - ele agora aponta para uma mulher de 28 anos com roupas de quem esteve na cozinha agora pouco - Teresa, mostre a casa e o quarto onde Misaki irá ficar, por favor. 

- Claro senhor Nakamura. - Teresa estende a mão para Misaki - Venha comigo, vou lhe mostrar a casa. - elas entram na casa e ficam apenas Yuri, Adele e Ryung. Eles entram na casa e são servidos pelos empregados da casa 

- Então, meu amigo, como está se sentindo desde que sua esposa se foi? - pergunta Yuri se servindo de uma xícara de chá. 

- Muito mal Yuri. Mi-Chan era única, mas tenho que seguir em frente. Mas por favor, não vamos falar dos meus problemas, gostaria de conhecer um pouco mais a senhorita Everdenn, se não for incomodo algum. 

Enquanto eles conversavam sobre negócios, Teresa mostrava todos os lugares da casa, até que chegaram no jardim. 

- Misaki, esse aqui é o jardim. Ele é aberto, e você pode entrar na floresta sem perceber, por isso, saia somente quando estiver com alguém. Não saia de casa sozinha me ouviu bem? 

- Sim senhora. - afirma Misaki que olhava para um ponto branco no meio dos galhos das árvores. - Senhora Teresa, o que é aquilo? - aponta para o ponto branco

- Não vejo nada. De que cor é?

- Já foi embora. Deixa para lá. 

- Muito bem, agora vamos para o seu quarto. - ela segura na mão de Misaki, que continua a olhar a floresta. 

Presente - 21 de janeiro de 2018 

- Agatha acorde. Já estamos chegando nos Estados Unidos - sinto Jimin me balançar e me acordar. 

- Estou acordando Jimin. Já pousamos? - pergunta esfregando os olhos. 

- Ainda não, quase. Já chegamos nos Estados Unidos. 

- Alguém vai vim nos buscar ou vamos até lá sozinhos? - pergunta Agatha 

- Não, Jungkook irá nos mostrar o lugar e nos levar até lá. 

- Seu amigo de infância e que você fala pela internet? 

- Esse mesmo. Ele é gentil e legal. Vai gostar dele. - a voz do piloto avisa que estamos pousando e para apertamos os cintos. 

O avião pousa e pegamos nossas malas e começamos a andar pelo aeroporto até achar Jungkook, o amigo de Jimin. No meio do caminho, paramos para comer.

- Jimin, onde você acha que a mamãe e o papai estão? - pergunta Agatha triste

- Não sei Agatha, mas devem estar em um lugar melhor. Somos só eu e você agora. Temos que lidar com o fato que vamos ter que assumir a empresa de nossos pais. 

Pensamentos Agatha on 

Claro, como eu fui esquecer. O sobrenome Everdenn tem uma grande influência em boa parte dos Estados Unidos e da Corea. Everdenn é um sobrenome tão poderoso que, antigamente, os homens ou mulheres que se casavam com ancestrais de minha família não queriam mudar o nome, e foi assim que minha família tem o mesmo nome há 40. Será melhor se fosse o jhope, Jin, Jimin e Jungkook todos juntos5 anos. Com a morte de nossos pais, eu ou Jimin terá que assumir a empresa de nossa família e continuar que o nome Everdenn continue a crescer e crescer. A maior influência do nosso nome é aqui, nos Estados Unidos, por isso, mudamos para cá. Enquanto nenhum de nós tem 18 anos - Não podemos morar sozinhos e muito menos assumir a empresa - Vamos morar em uma velha mansão da nossa família, com nossos primos Alyssa e Dylan. Alyssa, até onde sei, é casada com Taeyang, mas ele sempre está viajando, já Dylan é noivo de uma mulher chamada Nicole. Já ouvi uma história sobre uma menina que desapareceu, mas não lembro como ela é. 

- Agatha vamos, estou vendo Jungkook. - Nos levantamos e vamos em direção a um garoto de cabelos pretos, também decendência coreana e aparenta ser da mesma idade que eu e Jimin. 

- Agatha esse é Jungkook, Jungkook essa é Agatha - Jimin nos apresenta 

- É um prazer conhecer você Agatha. Jimin me falou muito bem de você para mim - diz com um sorriso no rosto 

- Jimin me falou muito bem de você também Jungkook. Acho que temos muito em comum, pelo que ele me falou - digo olhando para o moreno

- Também acho Agatha. Vamos? Alyssa e Dylan estão nos esperando. 

- Não vejo a hora de chega em casa e deitar em uma cama e não levantar nunca mais - comenta Jimin, cansado do vôo

Saimos do aeroporto e caminhamos até o carro de Jungkook. Colocamos nossas malas no porta-malas e entramos no carro. O caminho até a casa foi um total silêncio de minha parte, já que Jungkook e Jimin não paravam de conversar. Afinal, são 10 anos sem se ver pessoalmente. A casa é um pouco mais afastada da cidade e no caminho, há um floresta que da um pouco de medo. Quando paramos, pensei te visto algo entre os galhos, algo branco, parecia uma coruja. Depois de um tempo, o ponto branco desapareceu. Preferi ignorar. Deve ser apenas uma coruja. 

Chegamos na casa. Ela não é tão grande a ponto de ser uma mansão, mas é bem grande e antiga. Na porta da casa uma Alyssa e Dylan estão nos esperando. 

- Jimin, Agatha, estes são Alyssa - uma mulher de cabelos pretos e pele bastante Clara e olhos castanhos. - e Dylan - Dylan tem o cabelo castanho e olhos claros. 

- É um prazer finalmente conhecer vocês. Queria ter mais tempo com vocês, mas temos que ir para a empresa para remover alguns assuntos. - Alyssa responde e Dylan a interrompe 

- Jungkook mostre a casa para eles por favor? 

- Sim, Dylan. Venham, me sigam. - entramos na casa com Jungkook e Alyssa e Dylan vão embora. A casa parece ser bem maior por dentro do que por fora. Depois de andar muito, chegamos ao jardim. 

- E aqui é o jardim. Ele é aberto para a floresta, por isso não saiam sozinhos se forem para a floresta. Na verdade é melhor nem irem. - Jungkook nos avisa - Ninguém vai lá.

- Por que? - pergunto curiosa

- As pessoas têm medo do que encontrar lá. - Olha sério para eu e Jimin

- E do que elas têm medo? - pergunta Jimin com um pouco de medo 

- Uma garotinha desapareceu na floresta e nunca foi encontrada. Foi a 40 anos atrás, mas o medo ficou. - responde Jungkook fitando a floresta

- Como é essa história? 

45 anos atrás - 31 de janeiro de 1973 

- Misaki, amanhã será seu aniversário, e infelizmente não vou está com você,  por isso seu presente - Ryung dá para Misaki uma boneca parecida com ela, com olhos de botão.

- Obrigada papai. - ela da um abraço em seu pai - Vou brincar com ela para sempre! - ela sai correndo para seu quarto. 

O dia amanheceu e Misaki saiu para o jardim. Ela andou e andou, até que entrou na floresta sem perceber. 

- Olá! Como você se chama? - a boneca cai de sua mão e uma expressão de pânico fica no rosto da menina e um grito agudo se ouve.  

Presente - 21 de janeiro de 2018

- E o que aconteceu depois? - pergunto curiosa 

- Bom, só foi encontrada a boneca no local que ela desapareceu. O corpo? Nada. As pessoas acham que ela foi sequestrada e assassinada por um assassino em série. 

- E o que houve com o pai? - pergunta Jimin 

- Enlouqueceu. Passou anos a procura da filha e nada. Uns dizem que ficou louco de vez e chegou na delegacia e disse que viu um homem alto, de terno, sem rosto. Não acreditaram nele e nunca mais foi visto. Outros dizem que ele entrou na floresta e nunca saio. 

- E no que você acredita? - pergunto olhando para ele.

- Particularmente, em nenhuma das versões. Acho que ele desistiu de procurar pela fliha e seguio uma nova vida. 

- Qual era o nome da menina? - pergunto a Jungkook

- Misaki. - olho imediatamente para Jimin e vejo que ele teve a mesma reação que eu. Misaki. Já ouvimos esse nome milhares de vezes mas nunca sabíamos de quem se tratava. 

- Ela morou aqui?! - perguntou Jimin, assustado - Mas essa casa sempre foi de nossa família. 

- Sim, é verdade. Misaki é uma ancestral de vocês. A história é real. 

Ouvi um riso abafado, parecia uma criança, uma menina; que vinha em direção da floresta.

- Ouviram isso? - digo olhando em volta

- Isso o que? - pergunta Jimin 

- Esse riso. Parece ter vindo da floresta. - digo olhado para os galhos da floresta 

- Agatha, não tem ninguém. Vamos voltar para dentro. - Jungkook se aproxima de mim, colocando sua mão sobre meu ombro 

- Esta bem. Vamos entrar. - Ainda olhava para a floresta. Dessa vez pensei ter visto algo se mechendo pelas árvores. 

- Agatha? - Jimin me pergunta. 

- Estou indo. 

Entramos na casa e vou em direção ao meu quarto. Ele até que é bem bonito. Arrumo minhas coisas e me jogo na cama. Fico mechendo no meu celular até que decido ir olhar o resto da casa. Quando saio, escuto um barulho do quarto ao lado. É como se fosse alguem batendo na porta de madeira. Eu me aproximei da porta, para abrir até que alguém segura minha mão. 

- Trancada. Sempre foi assim e sempre será. - Alyssa apareceu ao meu lado, me fazendo levar um leve susto. 

- Esse era o quarto de Misaki? - encaro a maçaneta.

- Então você conhece a história. Sim, esse era o quarto dela. Ryung trancou o quarto e levou a chave com ele. Ninguém sabe o que tem aí dentro. 

- Mas eu ouvi algo batendo na madeira da porta vindo desse quarto.

- Deve ter vindo de outro quarto Agatha. - ela me olha 

- Tenho certeza que foi desse - olho para ela. 

- Acho que a história de deixou muito impressionada. Sabe, o medo nos faz criar coisas em nossa mente. Coisas que não são reais, mas acreditamos. Deve ser apenas sua cabeça.

- É, deve ser isso mesmo. - olho novamente para a porta. - Acho que vou para o quarto do Jimin ou para o meu. Com licença. - entrei no quarto do Jimin. 

- Você ouviu? - pergunto fechando a porta de costas para ele

- Ouvi o que? - diz confuso

- As batidas. 

- Agatha, você tá viajando. Não teve nenhuma batida em nada. 

- Sabia que o quarto ao lado era de Misaki? - digo me jogando ao seu lado, na cama

- Não, e você deveria para de pensar nisso. - responde preocupado.

- Por que? 

- Você tá parecendo muito assustada com essa história. Primeiro o riso de criança no jardim e agora batidas nas portas. 

- Eu não disse que era um riso de uma criança, eu disse que era um riso. Você ouviu não foi? - disse me sentado na cama. 

- Tá,  ouvi sim. Só achei que fosse da minha cabeça, agora, parando para pensar, somente nos dois ouvir não é normal, ou é? 

- Acho que não. Enfim, quando teremos que ir para escola? 

- Espero que nem tão cedo. Talvez segunda. Vou dormir um pouco, esta bem? Estou cansado.  

- Ok. Acho que vou andar pela cidade. 

Voltei para o meu quarto e peguei um casaco. Saí da casa e fui em direção ao jardim. Essa era minha real intenção. Comecei a andar e realmente ele é bem bonito. Por alguma razão sinto que eu deveria está aqui. Comecei a ouvir passos atrás de mim, galhos quebrando. Olhei em volta e ouvi alguém chamar meu nome. Era uma voz grossa. 

- Agatha! - era Jungkook - O que está fazendo aqui na floresta sozinha? - olhei em volta mais uma vez e não me dei conta que estava bem longe da casa.

- Você me assustou!  - ele se desculpa - Não tem problema, mas por que fez essa voz? 

- Que voz? - ele me olha confuso 

- Deixa pra lá. O que você está fazendo aqui? 

- Eu que pergunto! Eu te falei que perigoso aqui, principalmente para você que não conhece a floresta. - diz preocupado 

- Pensei que ninguém entrasse aqui. - olho para o moreno - Por que seria perigoso? 

- Primeiro, vamos sair daqui. - andamos e descobri que estava mais longe do que imaginava - Bom, aqui seria perigoso, porque não se sabe o que se pode encontrar lá. Como você chegou ali?

- Eu nem percebi que entrei. Por que você estava lá? 

- A irmã mais nova de um amigo desapareceu. Tem ocorrido muitos casos assim. Quis ajudar ele. 

- Mas você pode ir a ter ficado em perigo! E se você sumisse também? - digo cruzando os braços 

- Ninguém ia se importar. - diz de cabeça baixa

- Seus amigos, Jimin, eu, seus pais...

- Meus pais não me quiseram. Morei a vida toda na casa de sua família. Minha avó era governanta. Conheceu Misaki. Fui deixado lá com 3 dias de vida. Ela me criou e cuidou de mim. Seus primos são gentis e me deixaram morar lá depois que ela morreu. 

- Eu sinto muito... - olhei para baixo e continuamos a andar. 

- Não tem problema. Você se importaria? 

- Claro que sim Jungkook! Você... é ééé.... - Eu realmente não sei o que dizer. Ele sorrir e se vira para mim 

- Que fofa. Você não é como as outras garotas que conheci. Se parece com seu irmão. 

- Desculpa tocar no assunto mas você se lembra da sua avó? 

- Sim, lembro sim. O que me chamou atenção foi no dia que ela morreu. 

- E o que ela disse? 

2 anos atrás -  2016

- Vovó, por favor, não me deixe, você é a única que tenho. - lágrimas cama dos olhos de Jungkook. 

- Infelizmente todos temos que ir um dia. Me prometa uma coisa: ajude Misaki. Salve Misaki.

- Mas eles morreram a 43 anos atrás. Ela nunca foi encontrada. 

- Salve seu espírito. Ele está preso na floresta. Salve ela de Adele...







Notas Finais


Tô falando sério: se não gosta, não leia. Se vc é teimoso como eu, daqui a pouco você perde o medo

Desculpa qualquer erro

😊😊😊😊😊😊


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...