História The secretary - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias 50 Tons de Cinza, Amor Doce
Personagens Alexy, Castiel, Kentin, Lysandre, Rosalya
Tags Amor Doce, Castiel
Visualizações 32
Palavras 2.504
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Um cap só da Mel
Pq se não ia ficar muito grande
Eu tinha escrito mais coisa mas perdi tudo😢

Capítulo 5 - Capítulo 5


Melissa POV

Eu estava saindo do banheiro quando fui bruscamente prensada na parede por ninguém mais ninguém menos que Castiel.

-tem-tem como você parar de fazer isso?- disse seriamente.-Nunca vai acontecer um "nós".

-O-O que? Por que não?- disse fazendo cara de confuso, e chateado?

-Porque você claramente é uma idiota que não se importa com ninguém além de si mesmo.- eu falei da forma mais grosseira possível.

-Olha garota você não tem direito de falar assim comigo!

-não é você que decide isso.

-Ora sua...- ele disse perdendo a paciência.- gostosa

-O que voc...- Fui interrompida por um beijo. Mas o quê? Isso não faz sentido algum, não deveria acontecer. Eu tecnicamente estou permitindo que ele faça com que eu virei uma das suas vadias.

Mais terrível de tudo isso é que eu estou gostando. Castiel sabe o que faz, ele tem um jeito controlador e voraz que faz com que faça exatamente o que ele quer, talvez a fala dele não era atoa.

-Preciso respirar- eu disse nos separando, mas sem nos separar totalmente, ainda deixando nossas testas juntas. Ele soltou uma leve risadinha gostosinha de se ouvir com a minha frase

-Você não tem noção do quanto eu esperei por isso, morena.- ele disse, mentiroso.

-Adoraria que fosse verdade, você deve falar isso para todas que caem na sua lábia.- eu disse o deixando confuso, no meio do corredor. Tentando entender o ocorrido, a minha própria frase me machucou.

Voltei para sala sorrindo, como se nada tivesse acontecido, ninguém precisava saber afinal de contas. Quando cheguei lá Valérie me perguntou se eu sabia onde seu filho estava, disse que ele tinha ido para o seu -antigo- quarto atender a uma ligação. Depois de um tempo Castiel voltou para sala meio aerado, adoraria sentir dó dele.

Ele disse que era melhor irmos, pois já estava tarde. Nos despedimos dos seus pais e fomos para o seu. O silêncio do carro era esmagador. Na ida quem gostaria de falar mas desistia era eu, agora isso está acontecendo com ele. Já estávamos chegando no meu condomínio quando ele aparentemente criou coragem e começou a falar. Na verdade não deu tempo, eu não o dei tempo. Mesmo nao tendo o que explicar, já que nós nunca nos falamos de verdade, ele pareria disposto a pedir e dar explicações.

Quando cheguei dentro do apartamento soltei o ar e chamei a atenção de Rosalya e Alexy.

-Oi amiga

-Oi gata, como foi no jantar com a família mais prestigiada de toda NY?

-ah, galera, foi legal, teria sido mais se Castiel não tivesse sido um babaca.

-Espera, como assim? O que aquele idiota fez?- Rosalya perguntei meio incerta.

-Ele me beijou! E disse que está esperando por isso há um tempo! Ele é babaca, acha que vou ser mais uma que cai nos seus encantos.

-Amiga, eu conheço o Cast. Nunca que ele faria algo para te magoar, ele nunca faz nada para magoar ninguém, ele só faz quando tem raiva da pessoa. Acho que você se precipitou.

-Como você sabe dessas coisas?

-Nós crescemos juntos, ele é meu melhor amigo hétero.

Soltei um longo suspiro, assenti e fui para o meu quarto, cansada daquela conversa.

21:00PM

Domingo

O dia hoje foi incrivelmente chato e entediante, eu dormi até tarde, conversei com Rosalya e Alexy sobre coisas aleatórias e depois liguei para minha família no Brasil, estão todos bem, na verdade só falei com meus pais, meu irmão está trabalhando, fora do País, em Paris com sua noiva- vadia-. Estou exaustade não fazer nada, agora eu estou sentada na minha cama enquanto toca uma música qualquer na rádio e estou pra terminar o meu livro. Meus amigos tentaram me tirar do apartamento mas a minha vontade de sair daqui está abaixo de 0.

(...) Acordei assustada com o despertador tocando, em que momento eu dormi pelo amor do bom senhor? Ah esquece, melhor eu ir me arrumar para o trabalho. Após tomar um banho que me despertou eu fui até a penteadeira onde estava o vertido que irei usar hoje, junto com o salto, fim uma maquiagem leve com com coque e coloquei um pequeno brinco. Saí do quarto e encontrei o meu melhor amigo na sala com um grande sorriso.

-Bom dia, meu bem.

-Bom dia, vida. Tem café pra você na bancada.- eu assenti com a cabeça e fui para cozinha, aproveitei que estava faltando um tempo até a hora de descer então fiz um bom café da manhã, já que provavelmente vai ter uma reunião hoje na hora do almoço. Fui para a sala de jantar onde Alexy estava com um sorrisão e com o celular na mão.

-Assistente do trabalho?

-Kentin.- ele disse me deixando surpresa.

-Como assim?

-Ele pediu meu número na noite da balada, desde então nos falamos sempre, ele é legal, um bom amigo.

-Amigo?- eu disse com um sorrisinho malicioso para o meu amigo que tem ciacado de apaixonite em apaixonite.

-É ué, eu posso ter amigos sabia?- ele disse divertidamente.

-Eu sei que pode, mas Kentin é bonito, se você não investir, eu invisto.- quando eu disse isso ele me olhou em alerta. - Só um aviso, garanhão. Tenho que ir, te amo- eu disse me levantando e lhe dando um beijo no rosto.

-Tchau, eu também te amo.

Corri no quarto colocar o meu salto, escovar os dentes mais uma vez, retocar o batom e pegar minha bolsa e meu casaco. Fui para fora do apartamento em direção a rua movimentada, chamei um táxi e fui em direção a empresa. Quando cheguei lá dentro dei de cara com Castiel que estava conversando com uma mulher da recepção.

-Melissa! Melissa, espere.- ele disse me pegando pelo pulso.

-Melissa solta Castiel! Diferente de você eu tenho responsabilidade com as coisas.- disse claramente me direcionando a trabalho e relacionamentos. Depois dessa frase ele me soltou e eu fui em direção ao elevador, sendo seguida por olhares curiosos da minha pequena discussão com o filho do chefe e vice-presidente da empresa.

Apertei o último andar do prédio enquanto as portas se fechava e eu trocava olhares afiados com Castiel.

Ao chegar lá em cima encontrei o senhor Collins mexendo nos seus horários, em cima da minha mesa.

-Bom dia, Senhor. Desculpe o atraso é qu..

-Você não está atrasada, senhorita Albuquerque. Eu só quis chegar mais cedo hoje por conta da reunião. A, e me desculpe por mexer nas suas coisas, eu não achei que chegasse tão cedo.

-Eu gosto de deixar as coisas prontas para quando o senhor chegar.-falei com um sorriso.

-Tudo bem então. Vou a Starbucks para assim você ter um tempo para que a senhora possa fazer as coisas da sua preferência.

-Obrigada senhor, quando chegar as cópias dos horários e dos documentos vão estar na sua mesa.

-Ótimo, até já.

(...)

Já faz cerca de duas horas que cheguei na empresa, e agora, bem...

-Então, qual o seu nome?

-Melissa.- eu disse seca para o loiro que estava na minha frente, se apoiando na minha mesa.

-Você é linda. Me chamo Dake. O que acha de nós sairmos, pra sei lá, tomar um café.

-Não, obrigado. Estou muito ocupada.- disse de uma forma incrivelmente seca.

-Ah qual é, Anthony nem vai perceber da sua escapada.

Eu ia dizer mais algumas coisas para esse tal de Dake, até que uma voz firme se pronunciou antes de mim. Claro, tinha que ser ele.

-Ela já disse que não Dakota, você é surdo por acaso?- Castiel disse de uma forma fria.

-Ah ele chegou, o salvador da pátria. Achei que só te veria na reunião.- Dake disse de forma sarcástica.

-Achei que só te veria no inferno, nós dois erramos no final das contas.

-Ela é linda, assim como Debrah. Não se importaria de perdela para mim também, não é mesmo?- Debrah?

-Dakota, saia daqui. Nós dois sabemos que eu posso destruir sua carreira.- Castiel disse enfurecido.

Dake bufou e saiu dali pelas escadas mesmo.

-E o que você faria se ele não fosse embora? Ia ficar aí falando até ele te agarrar?

-Olha Castiel, obrigada por me ajudar. Não te devo satisfação de nada.

Ele bufou e o senti se aproximar mais de mim.

-Precisamos falar sobre oque aconteceu no jantar sábado.

-não tenho oque conversar.

-Mas eu tenho, e você vai me ouvir.- ele disse me puxando e nos deixando próximos, muito próximos.- Olha eu não sei o que você escutou de mim, mas eu não sou esse mostro que você imagina. Se quisesse brincar com você, teria feito isso sexta, na balada. Mas em vez disso eu fiquei com outras, respeitei seu espaço. Eu estou aqui falando essas coisas como um namorado dando explicações pra namorada, mas estamos longe de ser isso! Porque você não me deixa nem chegar perto.- Quando ele terminou de dizer eu ainda estava ali, presa pela sua mão e olhando nos seus olhos tentando enxergar qualquer tipo de mentira.

-Castiel, não é hora e nem lugar para conversarmos sobre a nossa "relação". Estou trabalhando e tenho certeza que você também tem que fazer isso.

-Você é tão teimosa Melissa.- ele disse me soltando.- OK então. Você não vai fugir de mim. Hoje, 21 horas, eu te pego. Esteja pronta.- ele disse enquanto apertava o botão do elevador e me lançava um sorriso galanteador.

(...)

19:00 horas. Uau. Hoje o dia foi cansativo, tivemos três reuniões uma com a banda da semana passada, outra com o advogado de Dakota, e mais uma, dessa vez com o próprio. Ele é tão nojento, sempre me mandando sorrisos e piscadelas, tudo isso sob o olhar fulminante de Castiel sob nós.

Já estava tarde e eu estava na frente da empresa tentando mandar um mensagem para Alexy ou Rosalya vir me buscar, até que eu carro preto parou na minha minha.

-Quer uma carona?

-Eu acredito. Você não desiste não é, Dakota?

-A qual é. Castiel não está aqui para ser seu namorado, entra aí eu te levo pra casa e nós dois podemos nos divertir um pouco.

-Não, obrigada.- disse e segui em frente, acho que vou para casa sozinha mesmo.

O apartamento era um pouco longe da empresa, então estava demorando a chegar.

-Hey morena! O que está fazendo andando sozinha na rua a essa hora.

-Não queria aceitar carona e meus amigos não atendem o celular. Por que, Castiel?- Eu disse com a mão na cintura, o encarando enquanto ele estava dentro de um carro também preto, maior que o de Dake.

-Vem, eu te levo!- ele disse se atiranho sobre o banco do passageiro para abrir a porta para mim.

-Você ouviu a hora que eu disse que não quero carona?

-Ouvi, e espero que você ouça o seguinte: odeio atrasos. Não quero começar odiando o nosso primeiro encontro.

-E quem disse que eu vou?

-Você vai, eu sei que vai. Consigo ver a curiosidade de saber aonde vamos no seu olhar.- ele disse me fazendo revirar os olhos e entrar no carro.

-Só aceitei porque minha perna está doendo.-eu falei enquanto colocava o cinto de segurança.

-Aham, claro.- ele disse de forma divertida enquanto acelerava o carro direção ao meu prédio.

-Então Collins, como você conhece a Rosa? Eu sei que vocês são amigos desde a infância, mas como foi isso?

-Nós éramos vizinhos e nossas mães são muito amigas, conseguiu entender? Foi a mesma coisa com Lysandre, sabe? Sempre fomos muito unidos, mas Rosalya se apaixonou por Leigh, e ido nos aproximou mais, sabe? Ela falava sobre essas coisas com a gente, e nós falávamos de garotas com ela. A adolescência foi importante para a nossa amizade.

-Entendi.

-Podemos deixar essa conversa para o jantar vai ser melhor. O que você acha?- ele disse enquanto parava o carro na frente do prédio.

-OK, obrigada pela carona Castiel. Até mais tarde.- eu disse deixando um beijo castro na sua bochecha, próximo a boca.

Saí do carro calmamente enquanto entrava no prédio e cumprimentava o porteiro com um aceno de cabeça. Chamei o elevador e apertando o meu andar, já pensando em um roupa para usar hoje.

-EU PRECISO DE AJUDA!

-Para o seu encontro? Já separei a roupa, você tem pouco tempo. Tome um banho quando você sair nós vamos te arrumar. Anda anda anda.- ela disse me empurrando para o meu quarto enquanto Alexy olhava as opções de roupa, que estavam no sofá.

Eu a obdeci, era o que tinha que ser feito. A quanto tempo não tenho um encontro? Talvez desde.... Viktor. Não vou ficar mal agora. Nem ele é capaz de estragar a minha noite. Tomei um banho demorado, lavei os cabelos com cuidado, o banho estava uma delícia, até eu perceber que estava fazendo tudo isso para Castiel. Bem ele não é tão ruim, é bom na verdade, só é meio cachorro demais.

-VAMOS MEL! VOCÊ VAI SE ATRASAR AINDA MAIS!!!- Rosalya gritou enquanto esmurrava a porta do banheiro. Saí correndo de dente do bom, envolvendo meu cabelo com uma toalha, enquanto colocava o roupão e para o meu quarto me arrumar. Alexy arrumava meu cabelo enquanto Rosalya trabalhava na maquiagem. Castiel já tinha chegado e estava na sala conversando com Rosa e Alexy enquanto eu colocava o vestido escolhido.

Fui para sala e o encontrei com a roupa de sempre: jeans e smoking. Ele sorriu ao me ver e se levantou ignorando completamente o que Rosa e Alê o falavam.

-uau, você está... Incrível.- Ele disse fazendo cotar e agradecer de cabeça baixa, tentando esconder a vermelhidão da minha cara.

-Tudo bem crianças, tchau, cuidado, nós amamos vocês, cuide bem da minha garota, Castiel.

-Sim senhora.- ele respondeu, fingindo seriedade.

O caminho até o lugar misterioso foi muito bom, não falamos sobre nada sério, queria deixar o assunto de verdade para a hora do jantar. Chegamos a um lugar afastado da cidade, era um prédio abandonado, dava para ver toda a cidade de lá de cima, era tão lindo.

-Cast.. isso é tão... Lindo.

-É um dos meus lugares favoritos, nunca trouxe ninguém aqui. É especial de mais para trazer qualquer um.- ele disse olhando para a cidade.

-Você diz isso para todas?- indaguei brincando.

-Não, por quê? Funciona?

-Funciona.- eu disse sorrindo para ele.- Por que me trouxe aqui? Já que é o seu cantinho?

-Sabe morena, você é como um imã para o meu corpo, você só arruma problema, mas tem alguma coisa aí que me instiga a descobrir seus segredos, seus sentimentos e seus sorrisos, cada um deles.- ele disse enlaçando minha cintura e me puxando para um beijo.

Ainda me lembro do nosso primeiro beijo, foi bom, mas esse é melhor. Nossa línguas faziam uma dança quente e sensual, ele beijava bem, muito bem. Separamos o beijo por falta ar e sorrimos aos nos separar.

-Vem, vamos comer, deu trabalho trazer tudo para cá.- ele disse me empurrando delicadamente até o panobque estava no chão, junto com uma cesta. Estava tudo incrível.

-Então... Acho que podemos continuar a conversa de hoje mais cedo.


Notas Finais


O encontro vai ficar pro cap que vem!
bj


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...