História The Selection - TMJ - Capítulo 6


Escrita por: e Gabass

Postado
Categorias A Seleção, Turma da Mônica Jovem
Personagens Carmem, Cascão, Cebola, Denise, Do Contra, Magali, Marina, Mônica, Penha, Personagens Originais
Visualizações 41
Palavras 2.454
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Insinuação de sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olha só quem apareceu com a maior cara de pau, exatamente eu. 😓
Gente me perdoa pelo atraso. Sorry 😳
Mas olha Qm tbm trouxe um CAP, EU.😄
Então sem mais delongas...
Boa Leitura amores 💙📖📱

Capítulo 6 - Encontros


Fanfic / Fanfiction The Selection - TMJ - Capítulo 6 - Encontros

   Monica não estava acreditando, acabara de chegar ao castelo, e já estava no meio de uma briga.

   As duas mulheres à  sua frente,  discutiam sobre qual aroma  ela deveria usar. Cada qual, defendia com unhas e dentes o produto que jugavam ser o melhor, ou o preferido do príncipe.

   A menor achava engraçado de,  como aquelas mulheres falavam do aroma do perfume, como se ele pudesse definir a estadia dela na Seleção. Mas, e se definisse. É óbvio que ela  faria de tudo, para seguir seu plano à risca.

     A baixinha desviou sua atenção das duas, e começou a observar o grande salão. Era magnífico, como o restante do palácio (por mais que ela só tenha estado no hall de entrada e agora no salão). Ele estava lotado de profissionais, de manicure e pedicure, cabeleireiros maquiadores, que corriam de lá pra cá, tentando  se revezar em suas tarefas. Então, olhou o compartimento de cada divisória, que continham as outras selecionadas, todas entusiasmadas com a "transformação". Mônica Percebeu, que todas estavam preocupadas com os gostos do príncipe ou o que lhe agradaria mais, se deveriam pintar o cabelo, fazer um novo corte, qual a cor do esmalte que deveriam usar. Todas usariam as mesmas coisas, com base nos gostos do príncipe. Mas ela não, pensou.

     A baixinha virou-se para as duas, que continuavam a discutir.

     - Poderia ser outra? - falou ela sugestiva, interrompendo as duas.

     As mulheres a olharam, parecendo só agora notar a presença dela ali.

      - Como querida? - a loira perguntou não entendendendo.

      - Poderia ser outra fragrância?

       As duas trocam olhares.

       - Claro. Mas, você tem certeza? Essas são as favoritas do príncipe - a outra falou.

       - É que... Bem, todas as outras vão usar essas mesmas fragrâncias e... - a morena deixou a frase no ar, não a completando.

      - Ah sim, nós entendemos querida - ela sorriu malicioso - Você quer, que o príncipe Júnior lembre-se do seu perfume, que ele seje marcante.

   Sim um cheiro marcante, por exemplo um cheiro de gambá! Que emocionante não? Pensou a morena consigo mesma antes de rir.

      A mulher entendeu tudo errado, mas Mônica não se esforçou para desfazer o mal entendido. Apenas sorriu amarelo, deixando as mulheres pensarem oque quisessem.

     Depois, de escolher o aroma que mais a agradou, as duas mulheres se despediram de Mônica e a desejaram "um boa sorte" na seleção.

     Após a saída das duas, fora chamado um homem alto, moreno claro, ela supôs que poderia ser o cabeleireiro.

      -  Olá sou eu quem vai cuidar do seu cabelo, meu nome é Breno - falou arrumando suas coisas na bancada.

     - Oi, sou Mônica - sorriu nervosa.

     - Mônica... Hum - virou-se ele andando em direção à menina, parando para analisar o seu cabelo -  Vamos ver o quê faço com você.

      Ele pegou a cabelo da dentucinha, que já  batia no meio de suas costas e os colocou para trás. Então ela começou a estranhar, pois depois disso, ele parou para analisar o seu rosto, estava um silêncio constrangedor.

      - Mônica, já cortou seu cabelo no estilo channel ou curto alguma vez na vida? - perguntou se virando para o balcão, para pegar alguma coisa.

       - Já, mas foi aos sete anos de idade.

Ela lembrou-se, de quando sua mãe cortou o seu cabelo, na altura dos ombros, pois falava que ela iria ficar linda, oque aconteceu de verdade, mas Mônica gostou ainda mais daquele corte, por  ficar parecida com sua mãe.

     - Seu rosto combina perfeitamente com esse tipo de corte, você ficaria mais linda do que já é. - falou ele animado, por, poder pegar em uma tesoura.

     Mônica enrubeceu, não recebia muitos elogios de homens, que não fossem o seu pai.

     - Sem corte, por favor! - disse ela abruptamente percebendo as intenções dele.

      - Ok. Sem corte - disse ele com as mãos à sua frente, para acalmá-la. - Então uma lavagem, seguida de hidratação.

      - Gostei dessa alternativa - falou a morena sorrindo.

      - Mas, nem as pontinhas duplas - ele arqueou as sobrancelhas, sugestivo.

      - Tudo bem - Mônica se rendeu, revirando os olhos - Mas só - falou séria.

      - Como a senhorita quiser - sorriu vitorioso, começando o seu trabalho.

_____________________________

Paris, que vendo a cena da recém "colega" riu consigo mesma.

   A loira já estava magnificamente perfeita (ao menos era isso que as mulheres que estavam com ela diziam), suas mechas loiramente encaracoladas já estavam tão bem cuidadas, que, mal acreditava que aquilo era possível.

Teve que admitir para si mesma que  a fragrância predileta do principe não lhe agradava muito, porém, nem por isso recusou usar, até porquê ou era usar a fragrância ou entrar no meio das mulheres loucas que lhe arrumavam (coisa que ela não estava nada a fim de fazer, afinal, se fosse para voltar queria sair ao menos viva de lá)

Ao voltar sua atenção a morena, resolveu puxar assunto, mesmo que fosse uma competição não queria que aquilo fosse uma encenação de carnes sendo jogadas ao leão (ok, ela já estava bem nervosa com tudo, então o mínimo que poderia fazer era desviar toda essa ansiedade para outro lugar)

- Ele tem razão - a loira disse após a saída do cabeleireiro, Breno

- O quê?! Não! Com certeza não, obrigado - a morena retrucou com um sorriso de soslaio

- Você já é bonita, ficaria ainda mais com o corte Channel, já pensou? - indagou a menor que logo conseguiu cativar a atenção da dentucinha (que a propósito, me atrevo a dizer que, ficou bem ruborizada ao receber o elogio).

   - Elas fizeram um ótimo trabalho com você, está linda. - a morena disse, mudando o foco da conversa.

    - É bom escutar um elogio de uma pessoa que não seje    a sua  maquiadora. - Mônica riu.

    -  Ainda mais quando foram eles que fizeram  todo o processo. É de desconfiar mesmo. - as duas riram

     Fizeram isso sem perceber os profissionais que as olhava indignados.

      - Ops...- a morena falou olhando para a loira que começara a rir novamente.

     

___________________________

- Trinta e cinco garotas, Cássio! Sabe o que é isso?! - indagou mais para si mesmo do que para o amigo que observava de certa distância a crise do mais novo

- Não, vossa alteza. Eu não sei - respondeu em um tom brincalhão vendo o príncipe perder juízo (e o restinho de auto controle)

- SÃO TRINTA E CINCO GAROTAS! Não é uma, ou duas, são TRINTA E CINCO - falava exasperado gesticulando com as mãos

- Como um jovem principe disse para mim, vossa alteza: são apenas garotas - respondeu na maior calma, vendo seu amigo se jogar numa poltrona logo atrás dele - Cebola?

- Sim? - disse esfregando uma não sobre a testa, jogando a cabeça para trás respirando fundo

- São. Apenas. Garotas. - repetiu a fala pausadamente arrancando um sorriso do menor - Não precisa se preocupar, elas não irão te morder.... Bem, a menos que você queira, claro - sorriu maliciosamente para o amigo que acabou entrando na brincadeira, deixando levar o cansaço embora - Agora vamos, algumas delas podem chegar em poucas horas en......

- Ah isso é tão... tão... ahhh como você acha que é o príncipe? - ambos rapazes ouviram a voz de uma garota (selecionada) que praticamente cantarolava aos quatro cantos do Palácio

- Não sei... Quem sabe ele não seja perfeito?! Ahhhh - ouviu-se outra voz, tambem feminina, suspirando pelos cantos do Castelo

- Ah, Céus! Isso são....? - perguntou o príncipe sem ter certeza então deixou a pergunta de lado, que mesmo assim Cássio fez questão de lhe responder:

- Algumas selecionadas? Sim, eu tinha vindo avisar sobre a chegada das meninas de Jammins, e logo não vai demorar nada para o Palácio se encher delas, majestade - afirmou com sua postura ereta e perfeita

- Ah, certo - murmurou voltando a encarar o chão, ultimamente andava desse jeito, não era só a Seleção que o deixava assim, havia várias outros problemas, claro, mas a Seleção só abriu uma brecha para revelar um lado de Cebola que ninguém conhecia: o seu lado com medo.

E, bem, mesmo sabendo disfarçar com seu jogo de palavras minuciosamentes escolhidas, e seu jeito meio "largado", por assim dizer, pessoas próximas, tais como Cássio, Adam e até mesmo sua mãe, haviam reparado no comportamento impetuoso do príncipe

Cássio, apesar de tentar compreender e estar sempre ao seu lado, já estava cansado de tais segredinhos do principe com ele mesmo, ele queria ajudar, mas Cebola não cooperava muito com isso

- Cebola, você está bem? - o moreno perguntou se sentando numa outra poltrona ao lado do mais novo

- Ah, Cássio... eu estou... apenas cansado, okay? Não precisa se preocupar, conheço essa sua expressão, e antes que você comece um discurso saiba que eu estou ótimo e em perfeitas condições

- Será? - questionou o menor fazendo ambos rirem

- Tudo era mais fácil quando éramos menores, certo? - Cássio assentiu tendo que concordar com o amigo

- Éramos apenas crianças, só brincávamos e não havia preocupações ou lições para aprender... e eu não era apenas um conselheiro... era o seu amigo, Cebola - alfinetou de leve o menor, que logo se pôs de pé o encarando

- Cas... obrigado, de verdade. Tenho que ir agora, até depois do almoço - disse esperando a resposta do amigo, este por sua vez que estava calado - Certo?

- Hum? .... digo... certo, certo.. até mais tarde, majestade - levantou-se se curvando e saindo logo após o príncipe

      - Ai, Meu Deus! - olhava ela surpresa, vendo o seu reflexo no espelho.

___________________________

       Magali nunca tinha se visto tão linda como agora, os seus cabelos estavam brilhantes e macios,  a maquiagem fraca, mas que ajudava no processo, as suas mãos, que por mais, que os calos  não tivessem desaparecido, estavam macias e bem cuidadas.

     Ela nunca tinha recebido esse tipo de atenção e estava adorando tê-la.

     - E então, você gostou? - a mulher baixinha perguntou, por mais, que já soubesse a resposta, só de ver a expressão da menina.

      - Se eu gostei?!  Eu amei! - ela sorriu emocionada.

        A mulher acentiu, orgulhosa pelo resultado do seu trabalho, que nem era tanto, pois a menina já era bonita, só precisava de alguns cuidados, nada de impossível. 

       

      Quando Maga, saiu do grande salão, foi instruída por um guarda a seu quarto.

       Várias garotas andavam por aquela parte do castelo e distraída pela movimentação,  acabou se esbarrando em alguém e com o impulso do baque, iria ter caído, se não fosse por um par de mãos  fortes em volta de sua cintura, a puxando para cima, o que os aproximou.

       

      - Ah, me desculpe senhorita. Está tudo bem? - perguntou ele preocupado com a menina, que estava com a respiração acelerada.

       Magali o olhou e não soube o porque, mas se perdeu nos olhos castanhos do rapaz.

      - Ham...  Sim, claro - voltou a si - O senhor, que me desculpe, sou muito distraída. - falou ela nervosa, por seu coração ainda estar descompassado.

      - Tudo bem então - só depois disso, foi que ele percebeu que ainda estava com as mãos na cintura da menina, soltou-á rapidamente e sorriu - Espero que  tome mais cuidado senhorita, o chão do castelo pode ser bonito, mas não é muito confortável.

      Ele não esperou uma resposta da menina,  saiu com a mesma rapidez com que chegou. A morena ficou parada lá, até acalmar seu coração, só  então, seguiu o seu caminho.

  

___________________________

- Bu! - brincou o mais velho vendo o príncipe atrás de uma porta, parecendo estar se escondendo de algo, ou alguém

- CÁSSIO! - o menor se assustou gritando, logo em seguida só ouviu-se a risada do maior

- As vezes me pergunto: o que um príncipe faz escondido atrás de uma porta? - ambos acabaram por rir (mesmo o príncipe que antes se encontrava "nervoso", por assim dizer)

- Fugindo de selecionadas peculiarmente estranhas? - brincou esboçando um sorriso - Esbarrei com três, hoje nos corredores.... francamente, garotas são.... estranhas, sabe?

- Vai dizer que elas pediram um autógrafo? - perguntou o maior arqueando as sobrancelhas

- Na verdade... elas estavam de risinhos, me olhando de cima a baixo... elas me assustam - admitiu arrancando uma risada do maior - Ei! Isso não tem graça

- Perdoe-me, majestade, mas é engraçado sim - os dois rapazes voltaram a caminhar lado a lado em direção ao escritório do príncipe, que, agora, com a presença do amigo estava bem menos tenso

Ao adentrar o escritório do menor, Cássio logo se pôs ao lado do principe, sentando num sofá que estava ali perto. Cebola, estranhando um pouco o amigo, e sua expressão consideravelmente séria, logo tratou de "quebrar o gelo", ao ir puxar assunto com o maior

- Cássio? - chamou a atenção do moreno que o olhou, praticamente, no mesmo instante em que ouviu seu nome ser chamado

- Hum?

- Você está bem?

- Na verdade... tenho uma coisa pra te contar, Cebola - Cê logo reconheceu o tom sério do mesmo, afinal, na maioria do tempo os dois separavam o lado "profissional" do lado pessoal

- O que foi, Cascão? - o moreno suspirou antes de começar

- As selecionadas vão começar a ter aulas, precisarão de um guia, e antes de tudo eu vou ter que..... ser o mentor delas... isso significa que....

- Espera... você não vai mais ser meu conselheiro? É isso?! - perguntou receoso da resposta, e quase teve um "tique" ao amigo assentir confirmando sua resposta

- Vou passar o dia todo com elas... bem, ao menos até a seleção acabar. - continuou - Eu não vou poder mais ficar tanto tempo com você, já que seu pai quer lhe "testar"

- Ele não me falou isso

- E nem era pra eu estar falando, Cebola... estou correndo um risco - ambos suspiraram pesadamente até que o moreno se manifestou: - Até tudo isso acabar... eu poderei só te ver a noite, ou bem se manhã antes das selecionadas acordarem, o que é bom, certo?

-.... acho que... - suspirou novamente - sim, certo - os dois sorriram fracamente

Apesar de tudo, Cássio não iria contar a parte que _ele_ mesmo pediu para ficar com o cargo de mentor das selecionadas

Cássio considerava Cebola como seu irmão, mas apesar de tudo, Cebola estava agindo mais infantilmente que o normal, e o moreno estava um pouco frustrado com essa "birra" do Príncipe

E mesmo que não pudesse ver mais seu "irmão" como antes, faria de tudo para não perder o resto da amizade que havia sobrevivido ao longo desses anos


Notas Finais


Então gostaram?
Qm será esse misterioso da Maga hein?!
Ai amei a Mô e a Ris. Qm mais?
Comentem e obrgd por não me abandonarem. ❤❤❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...