História The Selection - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias A Seleção, Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Park Jimin (Jimin)
Tags A Seleção, Jikook, Jimin, Jungkook, Kookmin
Visualizações 105
Palavras 1.686
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Hentai, LGBT, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


IAI, CAMBADA, TUDO POM? Aqui é a jeonpark, linda e maravilhosa

Cof cof, iludida

Então, deem muito amor a esse capítulo, ele quase não saiu, ficou bem bugado, porque quem posta não sou eu e sim a Dake, mas tava saindo tudo repetido e errado.

ENTÃO, AMEM MUITO, AMÉM!

Capítulo 2 - Two


Jungkook

Ah, eu estava em apuros.

Maldito príncipe, maldito castelo, maldita seleção!

Após terminarmos nossa refeição, poderiamos aproveitar o castelo, mas eu apenas me tranquei no quarto. Aquilo não era real, não podia ser real.

Jimin era maravilhoso, não nego, mas não passa de um mimadinho.

Ele gosta de brincar, usar as pessoas, como todos da realeza, somos apenas peças insignificantes no seu jogo, apenas um divertimento.

Começo a me despir, indo em direção a banheira preparada, afinal, eu tinha que ficar "perfeito" para o príncipe. Sem ânimo algum, esfrego-me lentamente, passando o líquido cheiroso em meu corpo, logo em seguida, lavo-me.

Saio da banheira e vou em direção a toalha sedosa, passando-a pelo meu corpo.

Coloco uma roupa confortável, indo em direção a cama enorme, uma das coisas que gostei desse castelo, mas às vezes me sinto sozinho na mesma.

Me enrolo e deito-me, olhando para o teto, sem qualquer ânimo.

Por quê tudo teve que ser assim?

Eu sinto falta da minha família, dos meus amigos e do Yoongi...

Mesmo depois de tudo, mesmo depois de cada palavra dolorosa, eu o amo e sinto saudades.

Limpo uma pequena lágrima que escorreu, me entregando ao mundo dos sonhos.

[...]

— Senhor Jeon, está quase na sua vez. — Anne, me chamou, balançando-me.

—Certo. — murmuro, me levantando.

Vou até a roupa que a garota fez, pegando-a, a roupa era muito bonita, mas não fazia meu tipo.

Me arrumo e volto até onde a garota está, me assustando ao ver Jimin na porta, me esperando. Estou atrasado? Bem mais que isso.

Jimin me olha sorrindo, um sorriso natural, de certa forma, sincero. O olhei e não pude deixar de sorrir, mesmo não querendo.

Entrelaço meu braço no seu e ele me olha, assustado por minha ação. Dei de ombros, afinal, talvez eu queira um pouquinho me vingar daqueles mimadinhos.

— Jimin, por que me escolheu? — perguntei, parando de andar.

— Eu não sei te explicar, você é diferente. — me olhou — Você não se importa se sou o príncipe ou não, me trata como uma pessoa normal, eu gosto disso, é chato toda hora ter pessoas no pé te tradando como um "Deus".

Uau, talvez eu esteja me sentindo culpado agora, ele só queria ser normal e eu o julguei como mimamdinho sem inteligência.

— Você é um príncipe, não um Deus! — sorrio e ele me olha, sorrindo também.

Mas que diabos estou fazendo? Esse infeliz desgraçou minha vida!

Volto a minha pose normal, começando novamente a andar, deixando príncipe para trás, que logo corre, me acompanhando.

— Onde vamos? — perguntei, sem desviar o olhar da saída.

—Ah, não faço a mínima idéia. — dou uma pequena gargalhada.

— Sabe cozinhar? — perguntei.

— Jungkook, olha para minha cara e vê se eu sei. — o olhei e comecei a rir.

— Acho que não. — me olha indignado.

— Você ainda acha? — começa a rir junto comigo.

Vou o puxando até a cozinha, olhando as pessoas por lá.

— Jimin...—

— Vocês poderiam nos deixar a sós? — perguntou aos empregados, que concordaram, saindo.

— Obrigado. — murmurei e comecei a pegar algumas coisas.

— O que vamos fazer? — perguntou, curioso.

— Biscoitos. — falei, pegando o leite.

— Ah, não! — ele começou a rir loucamente.

— O que foi? — perguntei, indignado.

— Isso é canibalismo! — gargalhou ainda mais.

— Como assim, louco?

— Você parace um biscoito, sem contar que seu nome tem "kook". — joguei uma colher na sua direção

— Dissimulado! — falei na intenção de onfende-lo, mas o desgraçado riu ainda mais.

[...]

A tarde até que foi bem divertida, Jimin queimou toda a sua parte, mas, conseguimos comer a minha.

O encontro não foi chato como pensei, eu até que gostei.

— Jungkookie-ah, por que me odeia tanto? — perguntou, me olhando.

Estávamos sentados em um banco no jardim, olhando a paisagem, que, de fato, era magnífica.

— Como? — questionei, nervoso.

— Você me olha como se eu tivesse te tirado algo muito importante, com ódio e nojo. — murmurou, baixando a cabeça e depois me olhando.

— Certo — o olhei — Se suas malditas mãos não tivessem tirado meu nome, eu estaria em casa, com minha família, com meus amigos e com Yoongi... Por sua culpa tudo acabou! Eu escutei palavras horríveis da pessoa que amo, tudo porque ela queria que fosse feliz, aqui. — falei, o olhando.

Eu esperei xingamentos, gritos e até mesmo está sendo expulso agora mesmo, mas ele não fez nada, apenas ficou parado, olhando pro nada.

— Certo, Jeon. — me olhou — Uma semana. Se em uma semana não mudar seu conceito, eu te deixo ir embora. — sorriu, se levantando.

Me levanto junto, pasmo.

— Jungkook, sorria finja que estamos tendo uma boa conversa — Pediu entre dentes.

— Por que?

— Tem uma câmera tirando fotos, vai, faz o que eu mando! — Ele se abaixou e pegou uma flor aleatória, e a colocou no no meu cabelo, dando um sorriso, dei meu sorriso mais forçado de volta.

Depois que o câmera foi embora, voltamos a nossa conversa.

— Por que isso, Alteza? — falo, baixo, me sentindo de certa forma, feliz por não ter sido expulso.

— Jimin, me chame de Jimin — virou-se de costa para mim — Eu te entendo, mas quero que entenda: eu não escolhi acabar com sua felicidade, eu não escolhi pegar seu nome naquele maldito sorteio e eu não escolhi que você sofresse. Por isso, eu quero que dê uma chance ao castelo, em uma semana, aproveite tudo, se gostar, fica... Se não, você vai.

Assenti com a cabeça, assustado e ... Feliz? Sim, eu estava feliz.

— Obrigado. — ele saiu andando, como se nada tivesse acontecido.

[...]

Era de noite e estavamos voltando para nossos aposentos após o jantar, como sempre, o assunto principal era sobre o príncipe, mais específico, como o encontro de Jimin e Taemin havia fluido muito bem, sério? Até Jimin estava cainda na máscara daquele cara? Só podia ser burro!

Senti um toque no meu ombro e logo o Lee estava ao meu lado, com um sorriso vitorioso. Ja sentia o ódio tomar conta do meu corpo.

— Meu encontro com o Jimin foi tão bom.. Pareciamos até um casal!

— Sério? Que interessante! — Reviro olhos

— Ai ai, artistazinho de merda, se você quiser continuar vivo até o dia que for eliminado, o que não vai demorar muito — Me analisou de cima abaixo com deboche. Bufei — Você deveria saber com quem esta falando.

— Eu sei com quem estou falando, com o idiota babacão mimado Lee Taemin — Senti um tapa no meu rosto e eu fui ao chão, ouvi o som das portas dos quartos se fecharem na hora.

— Deveria ter calado a boca quando eu mandei — Uma série de socos eram desferidos contra o meu rosto, eu sentia o sangue escorrendo dos cortes junto com minhas lágrimas, todas as minhas dores se intensificaram, aumentando a intensidade do choro.

Eram socos, tapas, chutes, eu nem sabia mais dizer, mas Taemin só parou quando eu implorei num fio de voz, era isso, ele queria me humilhar, apenas isso, e conseguiu.

— P-Por favor, Taemin.. Para!

— De agora em diante é assim que você deve falar comigo, implorando, de joelhos, no chão, onde é o seu lugar, Cinco.

Senti um chute na minha barriga e cuspi mais um pouco de sangue. Eu não conseguia mover um músculo, não tinha forças...

O chão do corredor estava frio, o palácio estava frio, meu corpo inteiro tremia sem cessar, mas, a luz da lamparina de Anne, enviada pelos céus, ofuscou a minha visão.

— Anne.. — Disse num fio de voz

— Jungkook! — A mesma correu até mim e deixou lamparina de lado, com muita dificuldade me colocou apoiado no seu ombro e pegou a lamparina, e me levou até o quarto.

A mais velha me deitou na cama com cuidado, e me despiu, nem forças parar corar ou manda-la parar eu tive, então apenas deixei.

Anne pegou uma caixa de primeiro socorros e começou a cuidar dos meus machucados, aos sons dos meus gemidos e choro dolorosos.

[...]

Acordei com um pouco de dor e agradeci a Anne por cuidar de mim fora de seu horário de trabalho, e a mesma me ajudou a me vestir, ajudando com maquiagem para esconder os cortes e roxos.

Desci para tomar café da manhã juntos dos outros, me mantendo longe do Lee o quanto possível, me sentei numa cadeira aleatória, esperando a chegada do mimadinho real, o que logo aconteceu.

Todos ficaram distantes de mim, assim, tinham duas cadeiras vazias de cada lado meu, mas eu pouco me importava. Era até melhor.

Mas para minha surpresa, e acho que de todos, incluindo o Lee, Jimin sentou-se do meu lado direito, o olhei de canto um pouco surpreso, mas não vos dirigi a palavra.

— Bom dia a todos, espero que aproveitem o café — Sorriu gentil, e todos ali derreteram, menos Taemin e eu.

— Claro alteza, é um prazer desfrutar de sua companhia — Taemin sorriu falso, suspiros e sussuros foram ouvidos.

Jimin apenas assentiu sorrindo e iniciou o café dando uma boa mordida no seu Waffles, eu sorri, mas soltei um grunhido baixo de dor pelos cortes nos lábios, e parece que o Park ouviu.

— O que foi, Jungkook?

— N-Nada, Alteza.. — Tentei falar com dificuldade, mas era difícil com os cortes doendo a cada movimento.

Voltamos a comer normalmente, peguei meu copo de leite quente e levei a boca, os cortes arderam de novo, e eu soltei outros grunhidos, dessa vez Jimin segurou meu queixo e virou para seu rosto.

O silêncio tinha se instalado na sala, todos olhavam a cena curiosos, Taemin me fuzilava.

— Jungkook... O que? — Passou os dedos sobre meu rosto, a marca dos cortes se tornaram evidentes conforme ele dedilhava minha pele. Park parou com os dedos no meus lábios, sobre os cortes, agora recem abertos, que sangravam um pouco.

— Quem fez isso..? — Olhou nos meus olhos

— Alteza... — Quebrei o contato e abaixei a cabeça.

— QUEM FEZ ISSO, JUNGKOOK?! — Gritou alterado e bateu na mesa, senti todos ali extremesserem de medo.

Parabéns, Jungkook! Além de um cinco inútil, você só atrapalha a vida do príncipe!


Notas Finais


Então, foi isso, pps

Espero que gostem, sério, estamos fazendo com o coração e o cu na mão, pq é complicado saporra KKKKKKKKKKKKK

BEIJOS


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...