História The Sensual Teacher - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Ally Brooke, Camila Cabello, Camren, Demi Lovato, Dinah Jane, Fifth Harmony, Intersexual, Lauren Jauregui, Normani Kordei, Norminah, Trolly
Visualizações 243
Palavras 7.173
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Romance e Novela
Avisos: Homossexualidade, Intersexualidade (G!P), Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá pessoas, como vocês estão? Espero que estejam bem.

AVISO: Ouçam Promiscuous - Nelly Furtado ft. Timbaland quando for indicado pelo "Play".

Boa leitura.

Capítulo 3 - Capítulo 3


Fanfic / Fanfiction The Sensual Teacher - Capítulo 3 - Capítulo 3

- POV Lauren Jauregui -

Havia passado algumas semanas já desde a primeira aula que tivemos no estúdio C&J. Por Deus! Parecia que a professora de cabelos escuros ficava mais linda a cada dia. Fazíamos aulas de duas à três vezes por semana, às vezes alguma de nós não ia por algum imprevisto, mas o restante não deixava de ir por isso. Essa minha ideia de fazermos isso para nos divertir e passar mais tempo juntas realmente teve muito sucesso. Em todas as aulas tinha risadas e brincadeiras, sem contar que sempre era uma que caía no chão.

Acabamos criando uma amizade com as professoras tão facilmente que nem parecia que fazia poucas semanas que nos conhecíamos, isso graças a Ally que é a que faz amizade mais facilmente do grupo. Ela fala demais, seria capaz até de conversar com uma árvore. Esse jeito doce e único dela era incrível, conquistava qualquer um ao seu redor e não foi diferente com as professoras. Ela até mesmo disse que quando os gêmeos completassem um ano de idade, chamaria elas para a festa que ela planejava junto de seu marido. Isso era normal para alguém como Ally, ela quando gostava de alguém, queria essas pessoas sempre ao seu redor.

Estava ficando impossível desviar meu olhar da professora Cabello. Já era automático, mesmo que eu não quisesse, em algum momento eu me pegava olhando para ela. Algumas vezes ela me pegou observando seu belo corpo, sorrindo divertida e me deixando com vontade de abrir um buraco no meio da sala e me jogar dentro, mas apenas acenava com a cabeça e sorria de volta.

As coisas com Demi não era mais como antigamente, não havia tanta vontade da minha parte. Sempre que eu estava com ela uma certa professora invadia minha mente e me deixava completamente perdida. Em uma vez me lembro de ter quase chamado Demi de professora Cabello quando eu estava de olhos fechados, mas consegui me controlar e apenas mordi meu lábio inferior para me conter. Eu não queria chegar ao ponto de confundir os nomes, imagina que constrangedor seria?

Semana passada fomos informadas que as professoras de dança estavam ensaiando para um evento que ia acontecer na cidade. Era um evento anual e elas sempre participavam, seja elas mesmas dançando ou um grupo de seus alunos. Dessa vez, elas que iriam dançar. Devo dizer que estou um pouco ansiosa para vê-las. Camila fica tão linda dançando nas aulas que em um evento deve ficar mil vezes melhor.

Esse tal evento seria em um sábado à noite e elas nos convidaram para ir, caso estivéssemos afim. É claro que eu iria mesmo se nenhuma de minhas amigas fossem, não perderia por nada nesse mundo a oportunidade de ver Camila Cabello se apresentando em um evento de dança. Mas para a minha alegria todas minhas amigas iriam, exceto por Demi que disse que teria compromisso nesse dia. Até mesmo Troy iria nos acompanhar.

Era quarta-feira, depois de um longo dia de reunião com as pessoas envolvidas em nossos negócios da rede de fast-food, eu e Troy resolvemos relaxar em um barzinho qualquer. Foi um dia exaustivo e precisávamos beber e conversar sobre qualquer coisa que não fosse relacionado ao nosso trabalho.

- E então Laur, como vão as coisas nas aulas de dança? - ele pergunta, virando em seu banco para me olhar.

- Tensas Troy, bem tensas. - respondo bebericando minha caipirinha de limão e olhando para qualquer ponto a minha frente.

- Tensas? Por que tensas? Pensei que estava tudo indo bem, já que Ally só fala disso agora. - noto certa dúvida no seu tom de voz e resolvo olhar para o homem.

- Uma das professoras está me deixando doida Troy e olha que ela não faz nada a não ser dar suas aulas. - coloco minhas mãos na cabeça e solto uma respiração pesada só de lembrar naquela mulher dançando.

- Ora, ora... Lauren Jauregui tendo paixãozinha por uma professora de dança? Cadê aquela Lauren pegadora? Que vivia falando que não se apaixonava por ninguém? - provoca me fazendo bufar e dar um longo gole em minha bebida novamente.

- Eu não era pegadora ok? Nunca fui! E sobre se apaixonar, eu nunca disse que estava apaixonada por ela. - reviro os olhos.

- Isso não me convenceu muito, mas vamos fingir que sim! Mas enfim, o que você pensa em fazer em relação a isso?

- Eu não sei! Não sei nada sobre ela, não sei se está com alguém, não sei absolutamente nada. - termino com a bebida em meu copo e olho para ele esperando sua resposta.

- E você acha que essas informações vão cair do céu? Por Deus Lauren, se você não ter um tempo a sós com ela, nunca saberá isso tudo que disse. - segura em meu ombro esquerdo e aperta o mesmo.

- E se ela me der um fora? Se me der um não bem grande? E se… - Ele me interrompe antes que eu continue minhas perguntas.

- Ei ei ei, nada disso. Você é linda Lauren, dificilmente alguém te daria um fora ou um não bem grande, aliás... O não você já tem né? Vá atrás, chame ela pra sair, conversar... qualquer coisa, apenas chame.

- Eu farei isso. Se ela me der um fora eu esqueço essa mulher e tento ficar com algum homem. - Troy me olha com os olhos arregalados e eu acabo soltando uma risada alta. - Até parece né Troy?

Terminamos com a porção de fritas que restava e pagamos no caixa, saindo do local e caminhando em direção ao ponto de táxi que ficava próximo ao bar. Como sabíamos que iríamos tomar bebidas alcoólicas, não fomos em nossos carros. Nos despedimos entrando cada um em um carro, Troy seguindo para sua casa e eu para meu apartamento, morávamos em caminhos diferentes por isso cada um pegou um táxi.

Depois de chegar em meu apartamento, tomar um banho relaxante e comer alguma coisa me deitei na enorme cama de casal em meu quarto suspirando alto por enfim estar em casa. Dei uma última checada em meu celular e o deixei de lado para enfim poder dormir.

[...]

Finalmente já era sábado. Os dias se arrastaram desde minha conversa com Troy. Estava decidida a conhecer melhor Camila caso ela já não estivesse com alguém. Se ela não ficar muito ocupada depois do evento vou tentar conversar com ela lá no local mesmo. Não posso mais adiar isso, já que não tivemos aula nesses últimos dois dias e não nos vimos, teria que ser hoje.

Terminei de me arrumar, resolvi usar uma camiseta listrada preta e branca, uma calça preta com rasgos no joelho e minha bota preta. Não quis me maquiar muito, apenas o básico e deixei o cabelo natural.

Normani, Vero e Lucy já estavam prontas em meu quarto conversando entre elas enquanto eu terminava de escovar meus dentes andando de um lado para o outro. Troy e Ally disseram para irmos no carro deles, já que eles não iriam beber essa noite e poderia nos dar uma carona, já que seu carro tinha sete lugares e daria pra ir todos juntos. Acabei com a escovação e fui em direção ao meu quarto, onde as meninas estavam. Vero estava esparramada em minha cama, Lucy e Normani estavam tirando fotos uma da outra.

- Até que enfim Lauren, pensei que tinha morrido naquela banheiro. - Vero se levanta e começa a ajeitar sua roupa.

- Esqueceu que hoje ela está se arrumando toda para uma certa professora? - olho para Normani que apenas sorri para mim.

- Blábláblá, como se eu já não me arrumasse para ir ali na esquina. - reviro os olhos e todas vamos para a sala. Assim que íamos nos acomodar no sofá meu celular apita com uma mensagem de Ally avisando que já estavam lá embaixo nos esperando. Descemos pelo elevador e cumprimentamos o porteiro todo sorridente e avistamos o carro do casal próximo a entrada.

[...]

O local não era muito longe, levamos cerca de uns 20 minutos por causa do trânsito. No caminho Troy resolveu colocar umas músicas e todos no carro começaram a cantar. Lucy resmungava por ter ido no banco dos fundos com Vero porque era um pouco apertado e sua namorada era muito espaçosa, fazendo ela ficar com pouco espaço, mas esses resmungos parou assim que a menor resolveu agarrar ela e começar a sessão de amassos.

Depois de finalmente Troy achar uma vaga no estacionamento, adentramos o local e meus ouvidos logo foram preenchidos por uma música agitada. Corri os olhos pelo local e não reconhecia ninguém ali presente. É claro, as professoras deveriam estar se arrumando em algum lugar no momento.

Troy estava abraçando Ally por trás, os dois perdidos em sua própria bolha. Vero e Lucy saíram para andar pelo local e Normani estava ao meu lado, também parecia procurar por alguém.

- Já encontrou quem tanto procura? - pergunto sorrindo e ela me olha com os olhos cerrados.

- E eu estou procurando alguém? - cruza os braços na altura dos seios.

- Pelo seu olhar correndo pelo local, tudo me diz que sim e pela maneira que estava mordendo o lábio inferior também. - sorrio para ela que revira os olhos.

- É, talvez eu esteja. Uma mulher alta, dos cabelos loiros... Que tem um corpo lindo. - arregalo os olhos. Espera, Normani está afim da professora...

- Dinah? O que? Por que você não me disse? - me aproximo mais dela que sorri abertamente.

E então começamos a confidenciar uma para a outra que estávamos perdidas com aquelas duas professoras. Uma surpresa com a confissão da outra.

- POV Camila Cabello -

Estava me arrumando quando minha melhor amiga entra no cômodo que foi reservado para ser o nosso pequeno camarim.

- Menina, o lugar tá lotado. - ela diz sorrindo e se sentando na cadeira ao meu lado.

- Eu imagino que sim. Consigo ouvir o falatório mesmo com a música alta. - termino de passar meu batom vermelho e ajeitar meu cabelo, deixando minha franja caída sobre minha testa.

- Será que aquelas nossas alunas estão por ai? - me pergunta assim que me viro para ela.

- Tomara que sim. Elas estavam animadas com esse evento, ainda mais a Ally que só sabia falar disso em todas as aulas desde que fizemos o convite. - acabamos rindo da menor, era engraçado a forma como ela estava ansiosa.

Dinah seria a primeira a se apresentar por isso ela estava andando pra lá e pra cá enquanto eu me arrumava e me atualizando sobre o movimento do outro lado do cômodo. Era uma sensação maravilhosa saber que várias pessoas estariam ali para assistir a nossa apresentação e isso nos motivava a dar o melhor de nós. Não que já não fizéssemos isso, mas quando o lugar está cheio é diferente. Nós duas combinamos de uma gravar a outra dançando para que nós mesmas fizesse as devidas avaliações depois.

Ouço alguém bater na porta e nos avisar que ja era hora de ir para o palco. Dinah e eu nos abraçamos e eu desejei boa sorte para ela, como sempre fazia. Saímos da sala de mãos dadas e só soltamos quando ela foi para atrás do palco e eu caminhava em direção às escadas onde ninguém que estava no local tinha acesso, apenas nós por pedirmos para os seguranças justificando que era para a filmagem. Resolvi andar pelo lugar estreito até me certificar que era em frente ao palco para ter uma visão melhor. O casal que organizava o evento subiu ao palco para fazer os devidos agradecimentos e as boas vindas e logo anunciando minha amiga.

Dinah subiu ao palco com um dançarino e então a música estourou nos altos falantes, arrancando gritos e assobios de todos ali presentes. Enquanto eu segurava o celular da mais alta em minhas mãos, comecei a olhar o público ali presente para me certificar se havia alguns de nossos alunos e tendo a certeza que aquelas meninas que falamos no camarim estavam bem próximas ao palco e tão animadas que eu poderia chamá-las de fã.

- POV Lauren Jauregui -

Professora Jane estava dançando bem na nossa frente e parecia não ter nos visto ali ainda. Nosso pequeno grupo era o que mais estava agitando o local com gritos e assobios e fazendo algumas pessoas nos olhar de cara de poucos amigos, mas isso não nos impedia de fazer nada.

Dinah e seu dançarino terminaram a dança e fizeram uma reverência para o público e logo saíram do palco sendo aplaudidos por todos.

- Você viu aquilo? Ela dança demais gente! - Normani diz toda animada.

Todos olhamos para ela com um sorriso no rosto e ela se retraiu um pouco.

- Parece que as duas encalhadas estão se apaixonando pelas nossas professoras. - Vero diz rindo, tomando um gole de sua bebida.

- Vero, cale a boca! - Normani e eu exclamamos juntas, fazendo a de cabelos escuros levantar a mão em rendição.

O casal que havia anunciado a professora Jane volta ao palco e elogiando a mesma e mais umas vez agradecendo a presença de todos. Não estava nem prestando muito atenção no que ele dizia, estava ocupada demais conversando com minhas amigas quando algo me faz para de falar na hora.

-... e com vocês, Camila Cabello! - e então Camila sobe ao palco do lado do mesmo dançarino que estava com Dinah. Ela estava linda, mais que o normal se isso é possível. Vestia uma calça jeans de tom claro que ia até suas canelas, um croped cinza, nos pés um salto não muito alto e seus cabelos estava levemente bagunçados com sua franja caída. Então a música começou com uns leves estalos de dedos e eles começaram a se mexer, até então afastados.

Eles nem tinham começado a dançar ainda e eu já estava paralisada e de boca aberta. A batida da música então começou e eles se aproximaram dançando colados um ao outro. Camila sorria o tempo inteiro e parecia estar bem a vontade, diferente do rapaz que parecia um pouco concentrado nos passos. O quadril da mulher de cabelos castanhos se movia com maestria de um lado para o outro e eu não conseguia desviar meu olhar daquela região de seu corpo. Eles rodavam pelo pequeno palco aproveitando bem o espaço e quando meus olhos sobem para o rosto de Camila é como se o resto ao meu redor não existisse, ela estava me olhando e sorria para mim e eu retribui seu sorriso na mesma hora e sustentei seu olhar. Os dois se afastaram e o rapaz começou começou fazer movimentos de break e ela tremia seu corpo e passou suas mãos por seu corpo, subindo até seu cabelos e bagunçando os fios e então eles se aproximaram novamente. Sempre que ela ficava de frente para o público ela procurava meu olhar e parecia estar dançando para mim. Ouço meus amigos ao meu lado gritar e assobiar para os dois no palco e eu não consigo mover um músculo, apenas sorrir e prestar atenção.

Eles continuaram dançando enquanto a música ainda tocava e eu não desviava o olhar por um segundo sequer, não queria perder um movimento da mulher a minha frente. Camila veio até a beirada do palco junto com o rapaz e piscou o olho direito para mim e então voltou para o meio do palco, juntando seu corpo ao outro e fazendo um movimento de onda próxima dele. Naquele momento eu queria muito ser aquele dançarino só pra ter a oportunidade de estar bem próxima da professora. A música então acaba, para a minha tristeza e os dois fazem uma reverência para agradecer e saem do palco.

- Vejo que tem alguém em outro mundo nesse momento. - Ouço Troy falar e então me viro para o homem mais alto.

- E estou... e ele se chama professora Cabello! - falo simples e dou de ombros.

Eles então começaram a me zoar e eu já nem iria ligar mais, afinal era a verdade e não ia adiantar nada negar, já que eles viram meu estado quando Camila estava dançando. Vero até me gravou com seu celular e eu nem queria assistir aquilo naquele momento. Depois de todos me provocar e rir, resolvemos ir até o bar para beber alguma coisa, estava um pouco abafado no local e já tínhamos visto quem queríamos, então sem problemas de sair da frente do palco.

[...]

Normani, Vero e Lucy resolveram beber caipirinha hoje, enquanto Ally, Troy e eu ficamos nos sucos naturais, de primeira todos estranharam eu não estar tomando bebida alcoólica hoje, mas não falaram nada. Eu não queria conversar com Camila com incentivo de álcool, eu não precisava disso.

- Olha quem está vindo ali, mas disfarça. - Normani sussurrou próxima ao meu ouvido e eu quase virei meu pescoço em 180º graus para olhar, recebendo um tapa no braço ao fazer isso. - Eu falei pra disfarçar merda!

- Ai, doeu! - Esfreguei minha mão na região que minha amiga me bateu e tentei disfarçar para olhar na direção que ela havia apontado, começo a procurar quem ela se referia e vejo Dinah e Camila caminhando sorridentes em direção ao nosso grupo. Puta que pariu! Elas estão vindo pra cá, socorro Deus!

- Oi gente! Vocês vieram. - Dinah diz toda animada e começa a cumprimentar todos ali e Camila faz o mesmo. As duas trocando olhares assim que cumprimentaram eu e Normani.

- Vocês foram incríveis! - a negra ao meu lado diz toda sorridente para Dinah que agradece.

- Obrigada e eu fico muito feliz que vocês estão aqui. - Camila fala e então todos entramos em uma conversa. Ally apresentou seu marido à elas e ele começou a contar como a baixinha só falava delas e elas começaram a rir.

Já era mais de 2h da manhã quando chegamos todos na boate que eu e minhas amigas sempre íamos. Dinah queria sair pra dançar e logo sugerimos o lugar. Todos eles já estavam na pista de dança exceto eu e Camila, que conversávamos desde que todos se afastaram. Ela estava sentada do meu lado esquerdo e não desviava o olhar do meu por um segundo. Resolvemos beber um drink, só aceitei depois de muita insistência da menor ao meu lado. Eu tinha perdido a noção do tempo já, a conversa com ela fluía naturalmente sem aqueles silêncios constrangedores. Já tinha descoberto várias coisas sobre a professora, como por exemplo as comidas que ela mais gostava, os tipos de música, filmes e por aí vai. Uma das coisas que mais me deixou feliz era saber que ela estava solteira, mas também me deixou um pouco surpresa, como uma mulher como ela poderia estar solteira? Talvez ela seja muito seletiva com as pessoas ou não quer ninguém no momento mesmo. Assim como ela também foi sabendo sobre os meus. Eu me senti muito a vontade naquele momento e acabei contando a professora que eu era um pouco diferente, eu não sabia se deveria, mas apenas acabei falando da minha condição porque eu já lidava melhor com isso. A reação dela foi de total surpresa, mas ela me contou que pra ela era um tanto quanto normal, que na época da faculdade dela ela acabou conhecendo uma menina assim também e que ela tinha achado que era mentira, até que um bando de babaca começou a vazar fotos da menina nua, tudo por descuido por ter mandado para uma pessoa curiosa que disse manter segredo, mas foi total mentira. Não vou mentir que me senti um pouco aliviada por ela não me abominar, mas era melhor eu contar do que ela descobrir caso rolassem coisas entre nós duas, pelo menos ela já estaria ciente disso. Eu sempre preferi que soubessem da minha boca do que de terceiros. Ela me disse que notou que eu sempre ia com calças mais larga na região e que agora ela tinha entendido o motivo.

Estava alheia ao que acontecia ao nosso redor quando Normani e Dinah voltaram meio alteradas e rindo à toa e sentaram na nossa frente nos observando.

- É sério que vocês estão em uma boate dessas e vão passar a noite inteira nessa mesa? - Dinah perguntou tomando um gole da bebida de Camila, que apenas olhava sua amiga com a sobrancelha esquerda arqueada.

- Isso é proibido? - A menor perguntou e sua amiga afirmou sorrindo. - Não sabia, me desculpe. - Camila sorriu cínica e se levantou me olhando. - Vem, vamos dançar um pouco, antes que elas nos arraste para a pista.

- Ainda bem que você sabe Cabello! Vamos todas juntas. - Dinah se levantou puxando Normani pelas mãos e seguimos as duas à nossa frente. Chegamos perto de onde todos estavam e começamos a dançar com eles, os únicos sóbrios daquela turma era Ally, Troy, Camila e eu. Vero e Lucy estavam se agarrando sem se importarem com nada, Dinah e Normani dançavam como loucas quando uma música da Beyoncé explodia nos altos falantes do lugar, pelo visto a negra achou alguém que goste de algo como ela.

(PLAY)

Uma música que eu adorava começou a tocar e eu deixei me levar pela batida que ecoava pelo ambiente. Camila estava dançando um pouco a minha frente e parecia gostar da música também, mas continuei dançando em meu lugar, fechei meus olhos e comecei a remexer meu corpo. Senti uma mão quente e macia pegar minha mão direita e me puxar para frente e abri meus olhos no mesmo instante para ver quem tinha me puxado encontrando Camila me olhando com um sorriso nos lábios e virando o corpo para ficar de costas para mim, levando minha mão para sua cintura e então começando a dançar. Não perdi tempo e colei meu corpo ao dela, tentando acompanhar seus movimentos. Ela deitou a cabeça em meu ombro direito e procurou minha mão esquerda com a sua e eu logo coloquei na sua barriga exposta, espalmando ali no local. E então comecei a cantar no refrão seguinte.

- Promiscuous girl, wherever you are. I'm all alone and it's your that I want. (Garota promíscua, aonde quer que você esteja. Eu estou sozinho e é você que eu quero). - Cantei sem ligar para a letra da música, só que ela continuou a parte da cantora.

- Promiscuous boy, you already know that I'm all yours. What you waiting for? (Garoto promíscuo, você já sabe que eu sou toda sua. Está esperando pelo que?). - Sorri involuntariamente e continuei.

- Promiscuous girl, you're teasing me. Your know what I want and I got what you need. (Garota promíscua, você está me provocando. Você sabe o que eu quero e eu tenho o que você precisa). - A música então começou a fazer sentido mas isso não importava no momento, eu só queria aproveitar o calor que emanava de seu corpo.

- Promiscuous boy, let's get to the point cause we're on a roll. Are you ready? (Garoto promíscuo, vamos direto ao assunto porque estamos enrolando. Você está pronto?). - Ela canta com a voz um pouco rouca perto da minha orelha e isso estava fazendo um pouco de efeito dentro de minhas calças, já que ela se esfregava e rebolava contra meu corpo. Ficamos uma parte da música sem cantar, apenas dançando o mais coladas possível. Mas não aguentei e comecei a cantar de novo.

- Wait! I don't mean no harm. I can see you with my t-shirt on. (Espere! Eu não quero te fazer mal. Eu posso te ver vestida com a minha camisa).

- I can see you with nothing on feeling on me before you bring that on. (Eu posso te ver sem roupa me tocando antes de você chegar lá). - Ela canta com uma voz tão sexy que eu acabo apertando sua cintura com a minha mão direita e ela vira seu corpo me encarando com aqueles olhos castanhos tão lindos que acabo sorrindo.

- Bring that on? (Chegar lá?). - Arqueio minhas sobrancelhas.

- You know what I mean. (Você sabe o que eu quis dizer). - Ela responde cantando e pisca com o olho direito pra mim.

- Girl, I'm freak. You shouldn't say those things. (Garota eu sou um maluco. Você não deveria dizer essas coisas). - Passo minha língua em meus lábios que estão secos e ela abaixa o olhar e acompanha meu movimento e morde o lábio inferior. Eu não poderia lidar com aquilo, era muito pra mim. Minhas mãos estavam em sua cintura ainda e ela apoiava suas mãos em meus ombros e só então percebi que tínhamos parado de dançar.

- Branquelaaaa! - Vero chega me abraçando e acaba nos assustando, nos tirando do transe em que tínhamos ficado por longos minutos. Maldita hora pra aparecer Iglesias!

- Por Deus, Veronica! Que susto porra. - Ela nem presta atenção no que eu disse, apenas bebe o líquido azul em seu copo e olhando ao redor.

- Espero não ter atrapalhado em nada, mas Ally disse que eles já estão indo pra casa e como nós viemos com eles, hora de ir embora. - Ela revira os olhos, se fosse por Veronica ficaríamos ali até a boate fechar.

- Er... Bom, se você quiser, você e Normani pode ir no carro com a gente, já que só vai eu e Dinah mesmo. - Olho para o lado e Camila sorri.

- Claro, se não for incômodo para vocês! - Respondo na mesma hora, Normani não iria querer ir embora agora e eu poderia aproveitar mais tempo com a professora também. Veronica que já está abraçada com Lucy, me lança um sorriso malicioso e sussurra no ouvido de sua namorada que sorri maliciosa também.

- Hmm, tá bom então! Eu já vou indo com eles... E Lauren, amanhã é na casa do casal vê se não se atrase. E você professora Cabello. - Fala apontando para a mesma. - Também está convidada. Leve Dinah com você. Boa madrugada para vocês. - Lança um beijo no ar e Lucy acena com a mão e apenas acenamos para elas.

- Estou convidada? Para o que? - Ela me pergunta confusa se aproximando novamente e segurando em meus ombros mais uma vez, volto minhas mãos para sua cintura e encaro seu belo rosto.

- Para almoçar com a gente. Certamente Ally pediu para Veronica fazer o convite por já ter ido com Troy para o carro. - Dou de ombros e sorrio.

- Ally é um amor de pessoa. Aposto que se eu não for, ela provavelmente irá me matar na próxima aula. - Nós duas rimos e começamos a andar pelo local para procurar Dinah e Normani que não tinham aparecido até agora. Camila me puxava pela mão e eu apenas a seguia indo em direção ao banheiro já que elas não estavam na pista de dança. Entramos no lugar e ouvimos risadinhas em uma das cabines e uns sons que indicavam que as pessoas estavam se beijando. Camila olhou pela parte baixa da porta que não era fechada e me cutucou, apontando com a outra mão para os dois pares de pés próximos. Eram os mesmo sapatos de Dinah e Normani. Minha amiga não perdeu tempo mesmo, teria que aguentar ela falando sobre a loira pelas próximas semanas. Camila virou o corpo para mim novamente e me puxou para fora do banheiro, não iríamos atrapalhar nossas amigas, é claro. Fui surpreendida quando a menor me empurrou contra um canto escuro logo colocando suas mãos em meu rosto e encostando seus lábios aos meus. Ela parecia tensa, mas logo coloquei minhas mãos em sua lombar e aproximei ela do meu corpo, isso pareceu relaxar a mulher à minha frente. Ela deslizava seus lábios sobre os meus e então logo pedindo passagem com sua língua. Deixei que ela invadisse minha boca e quando nossas línguas se tocaram ambas gememos na boca da outra.

Os lábios de Camila eram tão macios e cheios que eu poderia ficar beijando por horas sem parar. Aprofundei o beijo e suas mãos foram para minha nuca enfiando os dedos finos por meus cabelos e puxando levemente para trás. Ela parou de me beijar e levou seus lábios à minha orelha esquerda, mordendo de leve e depois chupando o lóbulo. Subi minha mão direita por suas costas e puxei ela mais pra perto e voltamos a nos beijar, só que dessa vez mais intensamente. Camila parecia tão desesperada quanto eu durante o beijo. Passei minha língua por seu lábio inferior e dei uma mordida leve no local, puxando em minha direção.

- Laureen... - Ela soltou em um gemido e abri meus olhos para encarar seu rosto que estava com os olhos fechados ainda, mas logo abrindo e encontrando com os meus. - Precisamos ir embora.

- Logo agora? Tem certeza? - Camila solta uma risadinha e eu apenas sorrio.

- Já está tarde e temos um almoço para ir amanhã.

- Você vai mesmo? - Apenas afirma com a cabeça. - Ótimo! Você não vai se arrepender e Ally não te ameaçará de morte. - Ela me dá um tapa leve no braço mas acaba rindo.

Trocamos mais alguns beijos antes de irmos para o estacionamento e Camila ligar para Dinah avisando que já estávamos esperando elas. Não demorou muito até que elas vieram cambaleando para o carro e sorrindo abertamente, Dinah logo entregou a chave do carro para Camila e entrou no banco de trás com Normani, me deixando na frente com a professora Cabello e seguindo para meu apartamento já que minha melhor amiga passaria esse resto de noite lá.

[...]

Um som irritante tocava ao longe sem parar e eu não queria ter que levantar para descobrir o que era, o som parou pelo o que eu podia deduzir ser uns 5 minutos e então voltou a tocar. Abri meus olhos preguiçosamente para se adaptarem à claridade que invadia meu quarto e me estiquei na cama para pegar o dono do barulho irritante jogado no chão. Essa mania de dormir com o celular na cama e acordar com ele no chão já era normal, sorte que tinha um tapete muito grosso que impedia que o aparelho se quebrasse. Desliguei o alarme, já marcava 10:00h no visor e vi que tinha uma notificação em meu whatsapp. Assim que Camila nos deixou em meu apartamento na madrugada, convidei ela e sua amiga para ficarem por aqui, já era muito tarde e a volta para sua casa seria perigoso, mas elas agradeceram o convite e seguiram rumo a casa delas. Acabei passando meu número de celular para ela caso algo desse errado pelo caminho e pelo o que ela tinha me mandado, tinha ocorrido tudo bem. Resolvi mandar um bom dia e perguntar se elas iriam mesmo. Me levantei, deixando o aparelho de lado e indo em direção ao banheiro para minha higiene matinal.

Coloquei uma camiseta que ia até metade de minhas coxas e fui em direção ao quarto de hóspedes que estava com a porta aberta e ainda estava em silêncio. Caminhei até às cortinas e abri as mesmas para tentar acordar minha melhor amiga com a claridade mas não vi um sinal de movimento. Me aproximei da cama e puxei levemente o edredom para descobrir e acordar a negra ali.

- Acorda Mani! Temos que ir para a casa da Ally. - Cutuco em seu ombro e ela solta uns resmungos que não consigo identificar. - Vai Mani, ninguém mandou encher a cara ontem, agora tá aí com uma puta ressaca.

Ela começa a se mexer e tentar abrir os olhos mas logo cobrindo o rosto com o edredom por causa da claridade ali presente.

- Puta que pariu Lauren, fecha a porra dessa cortina! - esbraveja e eu começo a rir pelo seu mau humor.

- Bom dia pra você também. Te dou 15 minutos para você levantar, dar um jeito nessa sua cara amassada e ir tomar café comigo. Até daqui a pouco. - Saio do quarto e vou para a cozinha preparar algo leve, já que ela estaria com o estômago ruim. Mas antes passo em meu quarto para pegar meu celular e deixar próximo para ver se Camila iria responder.

Preparei nosso café da manhã e ajeitei a mesa para esperar minha melhor amiga que não tinha saído do quarto ainda, ouço meu celular apitar e logo o pego para ver que Camila tinha me respondido.

Professora Cabello: Bom dia! Nós vamos sim, só estou esperando Dinah se arrumar e estaremos prontas. - Sorrio para o visor do celular e respondo.

Eu: Estou na mesma situação aqui com Mani. Me avise quando estiverem prontas e estarei aí para buscar vocês. - Bloqueio a tela novamente. Ontem combinamos de passar na casa das professoras para levar elas para à casa de Ally, na verdade Normani que resolveu propor isso e elas aceitaram. Ouço barulhos e levanto minha cabeça para ver Normani se aproximando já arrumada e com uma aparência melhor da que eu vi na cama.

- Agora sim, bom dia branquela. - Sorri e me da um beijo rápido na bochecha. - Estou morta de fome.

- Bom dia pegadora. - Balanço minhas sobrancelhas para ela que engasga com a torrada que estava mastigando.

- O que? Vai falar que você viu? - Ela pergunta curiosa e eu apenas aceno com a cabeça. - E eu pensando que não ficaria nem sabendo antes que eu te contasse.

- Resolvemos procurar vocês e acabamos reconhecendo pelos sapatos mas não queríamos atrapalhar e fomos para um canto. Aliás, fui empurrada! - Ela arregala os olhos e eu continuo. - A noite não foi boa só para você meu amor. - Pisco para ela e engatamos em uma conversa sobre como foi nossa noite com as professoras e tomamos enfim o nosso café da manhã.

- POV Camila Cabello - 

- O QUE? - Dinah grita quando eu conto que havia beijado Lauren na boate ontem a noite.

- Isso mesmo que ouviu. Assim que "vimos" vocês duas no banheiro. - Falo fazendo aspas com os dedos.

- Não sei pra que ficar indo me procurar, sabe que quando eu sumo com certeza estou com alguém. Mas e ai? Saiu da seca finalmente hein Chancho devíamos comemorar. - Acerto uma almofada em seu rosto, estávamos sentadas no sofá esperando Lauren e Normani chegar. Eu não havia contado para Dinah sobre a condição da morena de olhos verdes, não era sobre mim e ela que teria que fazer isso caso fosse contar à minha melhor amiga.

Lauren e Normani chegaram um tempo depois. A de olhos verdes ia me cumprimentar com um beijo no rosto mas eu logo virei, recebendo um beijo no canto de meus lábios. O clima entre nós não estava estranho como eu pensei que ficaria, ainda bem. Seria horrível ter que forçar algo.

[...]

Chegamos na casa de Ally depois de alguns longos minutos. O lugar é muito bonito por fora, só consigo imaginar como é por dentro. Fui entrando com Lauren enquanto as outras duas ficaram para trás e pude concluir que era lindo por dentro também. A porta estava aberta porque Lauren tinha avisado que já estávamos perto e então avistamos o marido de Ally e dois bebês no tapete da sala. Os bebês estavam de roupinhas de bichinhos e o homem logo se levantou para nos cumprimentar.

- Professoras, que bom que vocês vieram. Deixa eu apresentar as crianças, essa é Chloe e esse é Theo. - Ally só havia mostrado seus filhos em algumas fotos e eles são as coisas mais fofas que eu já vi. Me ajoelhei no tapete e fiquei perto dos dois. (n/a: a foto da capa é o jeito que eles estão.)

- Oi bebês, vocês são tão lindos - Eles então me encaram e me dão um sorriso banguelo e sinto vontade de apertar aquelas duas coisinhas pequenas. Estava perdida brincando com os bebês quando vejo Lauren deitando no tapete e se aproximando para brincar com eles. Theo logo estende os bracinhos em sua direção e ela o pega colocando ele sentado em sua barriga e fazendo barulhos com a boca pro menino. Ele parecia ser bem apegado à ela. Chloe logo olhou em minha direção e também estendeu os bracinhos e não demorei nada para pega-la e me sentar encostada ao sofá para brincar com a pequena a minha frente.

[...]

- Adorei almoçar com todos eles hoje. Por mim eles podem nos chamar todos os domingos, eu nem ligaria não. - Minha melhor amiga fala voltando do quarto. Já estávamos em nossa casa, apenas nós duas. Lauren saiu à poucos minutos daqui com Normani, elas nem entraram. Já era de noite e elas não queriam atrapalhar, já que Dinah e eu acordaria cedo no dia seguinte e precisávamos descansar.

- Eu sei que você não ligaria. Tendo comida e Normani no mesmo lugar você não pensaria duas vezes antes de ir.

- Como se você não fosse do mesmo jeito, só trocando Normani por uma branquela dos olhos verdes. - Ela me olha sorrindo e eu nego com a cabeça.

- Fala como se eu já estivesse loucamente apaixonada por Lauren. - Reviro os olhos e me jogo no sofá.

- E não está não? - Nego com a cabeça. - Pode não estar loucamente apaixonada agora, mas não dou uns meses para vocês estarem se agarrando por todo lugar.

- Até isso acontecer, você e Normani já vão estar namorando. - Ela solta uma gargalhada alta e eu a acompanho.

- Namorando? Meu amor, daqui uns meses já vamos estar casadas. Sapatão é rápida querida. - Ela ri mais uma vez e me olha séria. - Mas é sério, vocês duas até que fazem um par bonitinho. - Da de ombros.

- Até que você e Normani também fazem. E quando vocês casarem, serei a madrinha já deixando bem claro.

Dinah parecia que estava voltando ao seu tempo de colegial, começava a falar sobre o futuro como se ela tivesse a certeza de que seria do jeitinho que ela estava me falando. Fazia tempos que eu não a via desse jeito, então deixei que ela continuasse falando. Ela até resolveu deitar em minha cama para que terminasse de contar tudo que pensava.

Estava deitada em minha cama quase dormindo quando ouço a campainha tocar. Quem poderia ser tarde da noite? Me levantei preguiçosamente e andei na ponta dos pés para não fazer barulho, caso fosse alguém que eu não conhecesse nem iria abrir a porta, não sou louca. Cheguei perto da janela da sala que dava para olhar em nosso portão e não podia acreditar no que eu via. Abri a porta rapidamente e corri para o portão. Quando enfim abro, Lauren me agarra e me beija ali mesmo. Tento fechar o portão sem parar de retribuir o beijo e depois de muito tentar consigo. A mulher a minha frente não parava de me beijar um segundo, me beijava com tanta urgência que nem parecia que tínhamos feito isso uma noite atrás.

- Eu precisava disso e resolvi vir o mais rápido possível. - Ela fala entre o beijo com a respiração alterada e eu me afasto dela, pegando em sua mão e a levando para dentro. Lauren me segue e logo entramos em casa. Fecho a porta devagar para não acordar Dinah e empurro Lauren para sentar no sofá e ela apenas me olhava ansiosa.

- E isso são horas de aparecer na casa de alguém Lauren? - Ela ia responder mas antes que fizesse isso, me sento em seu colo com meus joelhos ao lado de suas coxas e seguro sua nuca, olhando em seus olhos que estavam em uma tonalidade mais escura do que o comum. Suas mãos logo foram para minhas coxas expostas por causa do meu short curto e apertaram a região, a palma de suas mãos estavam quentes e úmidas e não esperei por mais tempo e ataquei seus lábios. Ela gemeu na minha boca quando fiz pressão em seu colo e suas mãos subiram para minha cintura, me pressionando mais em seu quadril.

- Talvez eu devesse te fazer mais visitas nesse horário. - Leva sua boca até perto de minha orelha para falar e eu sorrio mordendo seu ombro por cima de sua camiseta.

- É, talvez você devesse. - Começa a beijar meu pescoço e a apertar mais minha cintura. Sinto sua ereção abaixo de mim e começo a rebolar contra ela que me auxilia nos movimentos da maneira que ela quer. Sinto ela morder meu ponto de pulso e solto um gemido baixo.

- Camila... Eu preciso de você. - Ela sussurra e um arrepio percorre todo meu corpo quando ela se levanta comigo em seu colo e nos vira no sofá, me deitando com a cabeça no apoio de braços e se posicionando entre minhas pernas. Lauren começa a esfregar sua ereção em meu sexo apenas com os tecidos de nossas roupas nos impedindo de ter um contato maior e volta a beijar meu pescoço, sua mão direita apoiada no sofá e a esquerda percorrendo meu corpo.

- Lauren... Não enrola! - Solto entre dentes por ela estar enrolando demais. Ela então levanta o tronco e fica de joelhos no meio de minhas pernas me observando enquanto abre o botão de sua calça e desce o zíper abaixando a calça logo em seguida e deixando na metade de suas coxas. Lauren vestia uma cueca boxer vermelha apertada e aquilo deixava seu membro ereto ainda mais visível. Levantei meu quadril do sofá para que ela tirasse meu short quando suas mãos correram para minha cintura, puxando minha calcinha branca de renda junto. A de cabelos escuros inclinou seu corpo novamente, encostando seu membro ainda coberto pela cueca em meu sexo e iniciou um beijo lento, apoiando agora a mão esquerda ao lado de minha cabeça e levando sua mão direita ao meio de nossos corpos, então senti seu membro quente me tocar e mordi seu lábio inferior e ela sorriu. Senti ela passando a glande em meus lábios menores e indo até meu clitóris, depois deslizando para baixo e posicionando em minha entrada e desci meu olhar para ver seus movimentos.

- Camila! Camila! - Sinto algo me balançar e uma voz que não era a de Lauren me chamar. - Camila, acorda porra! - Abri meus olhos e vi Dinah me olhando assustada e logo sentei na cama olhando ao redor procurando por Lauren, mas apenas Dinah estava no quarto comigo. - O que houve? Estava tendo algum tipo de pesadelo? Você tava resmungando e se mexendo muito então resolvi te acordar. - Me observa atentamente e eu apenas aceno com a cabeça.

- Tive um sonho estranho, mas está tudo bem. Boa noite novamente. - Vejo ela apagar a luz e voltar a dormir. Me deito na cama e suspiro. Acabei pegando no sono enquanto Dinah ainda falava e acabei sonhando com Lauren. Eu não podia acreditar que isso tudo era apenas um sonho, foi muito real. Tudo isso por culpa de Dinah.


Notas Finais


Professora Cabello sonhando com Lauren Jauregui e a culpa é da Dinah? Ata!

A letra e a tradução da música peguei no site, relevem caso esteja errada!

Mais tarde terá mais algumas att.

Até mais nenês.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...