História The Sensual Teacher - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Ally Brooke, Camila Cabello, Camren, Demi Lovato, Dinah Jane, Fifth Harmony, Intersexual, Lauren Jauregui, Normani Kordei, Norminah, Trolly
Visualizações 191
Palavras 3.787
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Romance e Novela
Avisos: Homossexualidade, Intersexualidade (G!P), Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Mais um capítulo pra vocês, meus nenês.

Boa leitura!!

Capítulo 4 - Capítulo 4


Fanfic / Fanfiction The Sensual Teacher - Capítulo 4 - Capítulo 4

         Aquele sonho com Lauren me perseguiu durante dias. Dinah me deixou maluca me falando aquelas coisas todas e o resultado foi aquele maldito sonho. Ou talvez não seja culpa de minha melhor amiga, mas só talvez.

Quando Lauren me contou que ela tem um pênis, me deixou muito curiosa sobre isso. Eu nunca tinha me envolvido com alguém assim, até porque são raras essas pessoas. A única que conheci na época da faculdade não era próxima e não tive chances de conversar mais a fundo.

Nas aulas da turma de Lauren, sempre notava as calças largas na região do quadril dela e sempre me perguntava o motivo da morena só usar calças assim, mas eu não podia simplesmente chegar e perguntar "Oi, então… Por que você só vem com calças assim?", seria idiota e curioso demais. Mas apenas deixei isso de lado e afastei essa minha dúvida.

Nossa conversa naquela noite na boate me fez ver um lado dela que eu não via nas aulas. Ela estava mais solta, mais a vontade, me contando coisas que eu não imaginei que ela compartilharia com sua professora de dança. No momento que ela disse sobre sua condição ela estava tão a vontade que isso apenas me mostrou que ela confiava em mim, e isso era ótimo.

Sobre ter beijado ela naquela mesma noite, não consegui evitar. Depois que Dinah me informou que ela me olhava com um olhar diferente nas aulas, passei a observar mais a de olhos claros e muitas vezes peguei seus olhos em meu corpo, na maior parte do tempo em minha bunda. Algumas vezes ela percebia, outras não porque estava perdida demais em seus próprios pensamentos. E se ela me encarava daquela forma nas aulas, com os olhos transbordando desejo e eu me sentia atraída por ela, por que não fazer algo acontecer? Eu poderia me perder naqueles lábios por horas, mas me contive e foram apenas alguns minutos.

A morena dos olhos claros sempre me mandava mensagem depois de trocarmos nossos números, sempre perguntando como estou e prolongando a conversa por horas. Falávamos absolutamente de tudo, eu gostava de gente assim como ela, de conversa fácil, que não sinto vontade de parar de conversar por um segundo e que compartilhava de tudo. Nas aulas era difícil termos um tempo a sós, era impossível com aquele tanto de gente juntas, mas isso não era um problema para nós. Era até bom todas se sentirem bem umas com as outras.

Lauren havia me convidado para sair com ela, era sexta-feira e ela disse que não queria ficar em casa. Como Dinah havia ido para a casa dos pais com a pequena Júlia, resolvi aceitar o convite. Já tinha se passado um mês desde aquela noite na boate e esse seria o nosso primeiro encontro.

Eu estava nervosa, fazia um tempo que eu não tinha um encontro assim com alguém e estava andando de um lado para o outro em meu quarto, em dúvida do que vestir e esperando que uma roupa saísse em um pulo de dentro do guarda-roupas para me ajudar na escolha.

- Droga! Eu não sei o que vestir. - Murmurei baixinho, suspirando logo em seguida. Faltava duas horas para Lauren vir me buscar, mas isso pra mim eram minutos e então resolvi experimentar várias roupas e sapatos. O tempo estava em uma temperatura boa, então estava apenas olhando os vestidos.

Uma hora depois e acabei escolhendo um vestido preto justo que ia até o meio de minhas coxas, com um decote na frente e com alças finas em meus ombros. Nos pés um scarpin alto, também da cor preta.

- POV Lauren Jauregui -

Saio do banheiro enrolada em minha toalha indo em direção ao meu quarto para começar a me arrumar. Coloquei meu short de compressão, meu sutiã preto, uma regata também preta, uma calça branca justa e decidi levar minha jaqueta de couro caso esfriasse. Nos pés uma bota preta de salto baixo. Sequei o cabelo, deixando ele levemente bagunçado e passei uma maquiagem para destacar meus olhos. Ainda restavam alguns minutos para o horário que marquei com Camila, mas resolvi ir assim mesmo.

Levei cerca de quinze minutos e já estava estacionando em frente ao portão de sua casa. Olhei pela janela do carro e observei a casa da professora e então resolvi mandar uma mensagem avisando que eu já estava a esperando. Continuei observando a casa ao meu lado enquanto tocava uma música no rádio do carro e eu cantarolava baixinho, batucando o volante com meus dedos. As luzes da casa começaram a se apagar e então resolvi sair do carro, me encostando na lateral do mesmo.

Ouvi o som dos saltos e logo o portão se abriu e eu pude ver Camila a minha frente. Meus olhos se arregalaram um pouco e minha respiração parou. Camila estava maravilhosa em seu vestido preto justo, revelando suas coxas definidas e bronzeadas. Ela estava mais alta devido aos seus saltos. Subi meu olhar e ela sorria timidamente.

- Er… Oi Lauren. - Ela me analisava assim como eu fiz.

- Oi Camila. - Me aproximei de seu corpo e a cumprimentei com um beijo em seu rosto e ela fez o mesmo. - Você está linda, mas isso é um fato.

- Obrigada, você também está muito linda.

- E então, podemos ir? - Ela abriu um sorriso lindo e acenou com a cabeça. Conduzi ela para o lado do passageiro e abri a porta para que ela pudesse entrar. Logo corri para o meu lugar e então seguimos em direção à um restaurante no centro da cidade.

No caminho conversamos sobre coisas aleatórias e quando eu estava focada na rua a minha frente, sentia o olhar da menor ao meu lado queimando meu corpo. As vezes eu a observava rapidamente com o canto de meus olhos e admirava o quão lindo era seu perfil. Admirar ela nas aulas era uma coisa, mas ela toda arrumada e tão próxima era totalmente diferente.

Eu havia feito uma reserva em um restaurante japonês, Camila me disse que come de tudo e que também gostava de comida japonesa assim como eu, então esse seria nosso destino essa noite.

Já havíamos nos acomodado na nossa mesa e o garçom já tinha anotado nossos pedidos. Camila sentou em minha frente e estava admirando o local ao redor de nós.

- E então, gostou do lugar? - Pergunto para ela que logo me encara.

- Aqui é lindo. Vem sempre aqui?

- Aqui é quase minha segunda casa. - Dou uma risada. Aquilo realmente era verdade, se eu pudesse morava naquele lugar. Camila solta uma risada e nega com a cabeça. O garçom então volta com nossos pedidos e começamos a nossa refeição. Camila se atrapalhou com os hashis e aquilo arrancou risada de nós duas, fazendo algumas pessoas do local nos olharem torto, mas apenas ignoramos. Ela me disse que já fazia algum tempo que não comia e por isso não sabia mais como segurar corretamente. Resolvi ajudar ela com os palitinhos e ela finalmente conseguiu comer corretamente depois de várias tentativas.

[…]

- Lauren, você deveria ter dividido a conta comigo. Não acho isso justo. - Camila fala emburrada ao meu lado com os braços cruzados na altura de seus seios. Já estávamos no caminho de sua casa e ela ainda não tinha aceitado que eu tinha pago a conta sozinha.

- Até parece Camila, eu te chamei pra sair e isso não foi nada. - Falo revirando os olhos e estacionando em frente sua casa.

- Mesmo assim, não custa nada dividir. - Ela pega sua pequena bolsa de mão para pegar suas chaves e me encara. - Hm... Eu adorei hoje. Obrigada pela noite, mesmo não me deixando pagar. - Ela bufa mas logo sorri.

- Obrigada você por ter me acompanhado, caso contrário iria ficar em casa em um tédio horrível. - Saio do carro e dou a volta para abrir a porta para ela, que logo agradece e sai.

- Você não quer entrar? Ainda é cedo e Dinah pelo visto não chegou. - Ela fala mordendo seu lábio inferior e gesticulando com as mãos.

- Não irei te atrapalhar? - Nega com a cabeça. - Então eu aceito.

- Guarde o carro na garagem, você não quer ficar sem, não é mesmo? - Ela caminha em direção ao portão, abrindo-o para que eu entre. Entro no carro e estaciono na sua pequena garagem. Vejo Camila fechando o portão pelo retrovisor e saio do carro acompanhando ela para dentro de sua casa.

- Bela casa, professora Cabello. - Falo e observo o local. Não era grande, mas era muito aconchegante. Os móveis claros e tudo ajeitado corretamente.

- Obrigada, Jauregui. Quer beber alguma coisa? - Fala indo em direção à cozinha e eu acompanho.

- Apenas uma água mesmo. - Ela acena e vai em direção à geladeira. Olho para seu corpo quando ela se abaixa levemente para pegar algo na geladeira e porra, sua bunda parecia cada dia maior. Fico admirando ela enquanto ainda está de costas e quando ela se vira logo desvio meu olhar. Camila me serve um copo de água gelada e eu agradeço. Ficamos uns segundos nos encarando que mais parecia uma eternidade. Seus olhos se abaixaram em direção à minha boca e eu sorri quando ela umedeceu seus lábios com sua língua.

Seu corpo estava próximo ao meu e eu coloquei minhas duas mãos em sua cintura, puxando em direção ao meu e deixando nossos rostos a poucos centímetros de distância. Seus braços finos rodearam rapidamente meu pescoço e logo juntamos nossos lábios. De início, ela apenas deslizou seus lábios carnudos sobre os meus e eu não aguentei e logo pedi passagem com a minha língua e rapidamente ela cedeu. Nossas línguas se tocavam calmamente, diferente do beijo na boate, estávamos aproveitando o momento. Camila mordeu meu lábio inferior e puxou em sua direção, abri meus olhos e encontrei seus castanhos agora com uma tonalidade mais escura e com um lindo brilho me olhando.

- Vem, vamos para a sala. - Pegou minha mão direita entrelaçando nossos dedos e me levando em direção ao outro cômodo. Olhei para nossas mãos e elas se encaixavam perfeitamente. A professora logo senta no sofá e eu me sento ao seu lado. Pelo visto Camila queria levar as coisas devagar e eu não estava achando isso ruim, é claro que respeito sua escolha, não iria forçar ela a nada.

- POV Camila Cabello -

Assim que Lauren sentou ao meu lado me virei e voltei a atacar seus lábios. Deixei minhas mãos em sua nuca e a puxava em minha direção. Senti sua mão em minha coxa esquerda, me puxando para deixá-la em cima de sua coxa, fiz o que ela queria e fiquei em uma posição melhor para poder beijar a morena dos olhos claros. Sua mão estava apoiada em minha coxa e ela deslizava desde o joelho até um pouco acima do limite do vestido, a palma da sua mão era tão macia e quente, que apenas esse toque simples fez meu corpo inteiro arrepiar. Lauren sorriu entre o beijo e talvez ela tenha percebido isso.

Apesar de não ter falado nada sobre limites com a mulher que agora estava beijando meu pescoço, ela estava me respeitando mesmo assim. Talvez ela não fosse como outros qualquer, que queira apenas sexo e nada mais. Além do mais, eu não sou do tipo que transo com alguém no primeiro encontro, talvez isso seja careta mas eu sou assim.

- Laureeen… - Solto em meio a um gemido quando sinto seus lábios chuparem meu ponto de pulso e depois o local ser rodeado pela sua língua quente. Inclino minha cabeça para o outro lado para expor melhor meu pescoço para ela e então sinto sua mão apertar minha coxa.

- CAMILAAAA… DE QUEM É AQUELE… - Ouço a voz alta de Dinah e me afasto de Lauren para olhar minha melhor amiga parada próxima a porta com um sorriso enorme no rosto. - Ah, oi Lauren. - Ela acena para a mesma que retribui no mesmo instante. Lauren se ajeita no sofá com uma almofada em seu colo e olha em minha direção, seus olhos caindo em minhas coxas que agora estão mais expostas por conta do vestido ter subido.

- Cadê a Ju? - Pergunto quando vejo que Dinah está sozinha. Me levanto e a cumprimento com um beijo no rosto, aproveitando para ajustar o vestido.

- Ficou lá com meus irmãos, ela estava se divertindo então resolvi deixar ela lá por hoje. - Da de ombros e vai em direção à cozinha. - Sorte que ela ficou lá, imagina se ela vê a tia dela nesse agarramento no meio da sala? Ia constranger a criança. - E assim some em nossa cozinha. Olho para Lauren que está com o rosto inteiro vermelho e os olhos levemente arregalados.

- Er… Me desculpe! Não queria te atrapalhar, talvez eu devesse ir embora.

- Não tem que se desculpar, Dinah só falou isso para provocar nós duas. - Reviro os olhos ao ver ela voltando com um vinho e três taças.

- Não vá embora Lauren, faça companhia para nós e tome um pouco de vinho. - Dinah abre a garrafa e começa a nos servir.

- Eu não posso beber, tenho que dirigir de volta pra casa ainda.

- Dorme aqui, tem espaço para você também. - Dinah só podia estar de brincadeira comigo.

- Dinah, não seja inconveniente! - Falo ao perceber Lauren se remexer um pouco.

Acabou que Dinah insistiu para Lauren beber e ela aceitou. Tomei uma taça, não queria beber muito, teria que cuidar das duas que estavam bebendo o líquido avermelhado da garrafa inteira.

- E então, você e Normani, estão firmes? - Lauren perguntou curiosa. Eu estava sentada ao lado dela e Dinah no outro sofá ao nosso lado. A morena ao meu lado colocou sua mão sobre minha coxa esquerda e começou a circular seu polegar ali na região.

- Nós nos vimos mais algumas vezes depois da noite na boate, mas nada muito sério. - A loira responde dando de ombros e tomando o líquido em sua taça e olhando para nós com um sorriso sapeca.

E assim ficamos, conversando e rindo das coisas que Lauren contava para nós duas. As duas estavam um pouco altas e eu apenas enrolando com a bebida. Dinah resolveu que veríamos filme e foi para a cozinha preparar pipoca para nós. Ela com certeza dormiria nos primeiros vinte minutos de filme, mas não a contrariei.

- Hey! - Lauren sussurrou e beijou meu rosto me fazendo sorrir e fitar seus lindos olhos verdes. - Se você estiver mal sobre eu dormir aqui, posso chamar um táxi ou você pode me levar… Mas eu não irei dirigir depois de beber, não estou afim de perder minha habilitação.

- Tudo bem Lauren. Nem você, nem Dinah e nem eu podemos dirigir, todas bebemos, mesmo que eu tenha bebido apenas uma taça. E você não irá de táxi, já é tarde e é perigoso. Sem problemas você ficar aqui. - Dou um selinho demorado e ela suspira, relaxando o corpo.

- CAMILAAAAAA!!!! - Dinah grita da cozinha e logo ouço barulhos de algo sendo batido no chão. Me levanto correndo em direção a cozinha e a vejo com os olhos arregalados.

- Que foi Cheechee? - Começo a olhar em volta e não vejo nada. Lauren aparece logo em seguida e vejo que ela tirou sua jaqueta.

- Tem uma barata ali. Caralho, mata esse negócio nojento por favor!! - Ela aponta para um negócio próximo a cadeira e eu estreito meus olhos para observar e acabo gargalhando alto. - Do que você tá rindo, idiota?

- Dinah, aquilo é plástico de bala de café. Júlia deve ter esquecido na mesa e caiu ali. - Continuo gargalhando e ela me olha com o cenho franzido. Se aproxima da tal "barata" e cutuca com o chinelo e se afastando logo em seguida. - Me deixe fazer isso. - Me abaixo e pego o plástico e mostro para minha amiga que nega com a cabeça.

- Quase tive um treco por uma porcaria de embalagem de bala, que porra. - Bufa e volta ao que estava fazendo. 

Despejamos a pipoca em dois baldes, um para Dinah e o outro para Lauren e eu. Fomos para o meu quarto, segundo Dinah lá era mais confortável e se ela dormisse já estaria na cama.

- Que filme vamos assistir? - Lauren perguntou.

- Nada de terror e nem drama. - Dinah respondeu ligando a TV.

- Temos que trocar de roupa antes, não aguento mais esse vestido justo. Lauren, você se importa se eu te emprestar alguma roupa? - Ela nega rapidamente, sentando na beirada da cama e vou em busca de algo para ela e eu vestirmos. Dinah correu para seu quarto. Olhei novamente para Lauren e ela estava distraída enquanto observava o quarto, ela não tinha o corpo tão diferente do meu então resolvi pegar uma calça de moletom larga e uma camiseta grande. Peguei meu pijama de bananas e fui em direção à ela. - O banheiro é na segunda porta do corredor, pode se trocar lá enquanto eu me troco aqui.

Lauren saiu do meu quarto com as peças de roupas em mãos e cantarolando alguma música desconhecida por mim. Deixei meus saltos no canto do quarto e comecei a tirar o vestido quando a porta do quarto abriu bruscamente.

- Ai porra, que susto Jane! - Termino de me despir e visto meu pijama que é um short larguinho e uma regata. Dinah trouxe seu edredom e seu travesseiro e já arrumava no lado esquerdo da cama. - Quem vai ficar no meio?

- Você é louca ou se faz? - Ela se joga na cama e pega o balde de pipoca dela. Continuo olhando para ela que me analisa. - Você né, Camila? Lauren que não é. Ela não iria se sentir confortável caso acordasse agarrada em mim pensando ser você. - Solta uma risada e continua sua busca por algum filme.

- Até parece Dinah. - Escuto duas batidas rápidas na porta e logo ela é aberta por uma Lauren sorridente. Olhei para seu corpo e as roupas ficarem bem nela.

- Onde posso colocar? - Ela me mostra suas roupas perfeitamente dobradas em sua mão e eu aponto para meu puff jogado atrás da porta. Depois de tudo arrumado, luzes apagadas e todas na cama, Dinah deu play em Se ela dança, eu danço. Já tínhamos visto esse filme milhões de vezes, mas mesmo assim ela resolveu que seria esse.

[…]

Como eu havia pensado, Dinah dormiu com quinze minutos de filme apenas. Ao contrário de Lauren, que estava acordada e prestava atenção no filme.

- Você nunca assistiu esse filme? - Perguntei me virando de lado para ela, ficando de costas para Dinah.

- Já assisti sim. Inclusive acho bem legal! - Ela me olha e eu fixo meus olhos nos dela, graças a luz da TV consigo ver seu rosto. Aproximo meu corpo lentamente e sorrio quando ela morde seu lábio inferior.

- Você prefere continuar assistindo? - Sussurro em seu ouvido, não queria que Dinah acordasse e nos mandasse dormir.

- Eu já sei o que acontece no filme, então não me importo se você desligar. - Ela leva sua mão para minha cintura me puxando para ficar bem próxima e eu logo alcanço o controle da TV desligando-a e ficando com metade do meu corpo em cima do corpo de Lauren. Inclinei minha cabeça e passei minha língua pelos lábios dela que chupou para dentro de sua boca me fazendo gemer baixinho e levar minha mão até seus cabelos e enfiar meus dedos ali, puxando levemente.

Ficamos em uma troca de beijos durante boa parte da madrugada, não querendo acordar Dinah, decidimos dormir. Lauren me deu um longo selinho me desejando boa noite e eu me virei de costas para ela. Senti seu braço direito me envolver e seu corpo colar em mim em um conchinha, sua respiração quente batendo contra meus cabelos e deixando um beijo ali.

Dessa vez não era sonho, dessa vez Lauren estava mesmo em minha cama, dormindo de conchinha comigo. Ouvindo sua respiração tranquila deixei-me cair no sono como as outras duas ao meu lado.

Talvez eu devesse agradecer minha melhor amiga quando acordasse na manhã seguinte, por ter falado para Lauren dormir aqui essa noite. Não seria loucura chamar a de olhos verdes para dormir aqui, ela já não era mais uma estranha. Se isso fosse logo na primeira semana que nos conhecemos, eu certamente mataria Dinah.

- POV Lauren Jauregui -

Abro meus olhos lentamente, sentindo uma pontada em minha cabeça devido a claridade e logo fechando meus olhos de novo. Me espreguicei e senti um peso em meu peito me fazendo abrir os olhos e olhar para baixo, encontrando Camila com a cabeça em meu peito e as pernas entrelaçadas com as minhas. O cheiro suave de seu cabelo logo entrando pelas minhas narinas assim que respirei fundo. Olhei para o lado e estava vazio, Dinah já tinha levantado. Não queria acordar Camila, então permaneci parada e levando minha mão esquerda até sua cabeça e fazendo um cafuné.

- Bom dia, Lauren. - Ouço a voz grogue e rouca da menor e sorrio.

- Bom dia. Me desculpe, não queria te acordar. - Camila nega com a cabeça e apoia o queixo em meu peito e me observa.

- Sua voz fica fofa quando você acorda. - Sorrio para ela e então resolvemos levantar para nossa higiene matinal.

[…]

- Até que enfim as bonitas acordaram, pensei que teria que jogar água nas duas. - Dinah resmunga enquanto preparava o café.

- Tia Mila! - Vejo uma criança correndo em direção a mulher do meu lado e sorrio com a cena das duas se abraçando. Reconheço ser a filha de Dinah, ela já havia nos mostrado fotos da pequena.

- Júlia, diga oi para a Lauren. - Camila fala para a criança em seu colo e a pequena sorri tímida.

- Oi Lauren. - Fala em um sussurro e logo esconde o rosto no pescoço de Camila.

- Quem vê pensa que é tão tímida assim mesmo. Mas é só por enquanto, se prepara Lauren. - Dinah que ajeitava a mesa veio em nossa direção para pegar a filha no colo. - Meus pais trouxeram ela logo cedo, por isso já estou acordada, se não, estaria dormindo ainda. - Revira os olhos.

E assim tomamos o nosso café da manhã, entre risadas e com Júlia ainda tímida. Dinah havia dito que ela era sua pequena e eu mal esperava para ver essa criança bagunçando.


Notas Finais


Camrenah é lindo aaaaaa.

Volta daqui a pouco com mais alguns capítulos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...