História The Sensual Teacher - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Ally Brooke, Camila Cabello, Camren, Demi Lovato, Dinah Jane, Fifth Harmony, Intersexual, Lauren Jauregui, Normani Kordei, Norminah, Trolly
Visualizações 204
Palavras 3.976
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Romance e Novela
Avisos: Homossexualidade, Intersexualidade (G!P), Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


O que foi essa performance da Camila no EMA? Mdssss... cada performance me apaixono mais ainda por ela.

Fifth Harmony ganhando também, amém.

Mais momentos camren pra vocês.

Boa leitura.

Capítulo 9 - Capítulo 9


Fanfic / Fanfiction The Sensual Teacher - Capítulo 9 - Capítulo 9

- POV Lauren Jauregui -

Levanto em um impulso que acabo sentindo minha cabeça girar e deito de novo. Minha cabeça agora latejando. Droga! Eu não deveria ter bebido muito.

Me espreguiço e finalmente abro os olhos devagar para acostumar com a claridade que adentra o quarto, observando o sol forte me dando bom dia. Sinto um peso sobre minhas pernas e levanto o edredom pra ver as pernas morenas ali. Viro o rosto e Camila dormia largada ao meu lado. Fico de lado, suspendendo sua perna direita até minha cintura e deixando-a ali. Me aproximo lentamente dela e passo a ponta dos meus dedos em seu cabelo que cobre parte do seu rosto e afasto os fios e deixo meu rosto em seu pescoço inalando seu cheiro. Camila é tão cheirosa que é impossível não querer sentir seu cheiro. Passo a ponta do meu nariz em sua pele e sinto seus pêlos dali eriçados.

- Bom dia, Camz. - Sussurro perto de sua orelha e começo a beijar seu rosto. Ela começa a se remexer e murmurar coisas que eu não consigo entender. - Acorda Camz. - Mais uma vez ela se remexeu e foi abrindo os olhos devagar. Piscou várias vezes e de repente ficou séria.

- Bom dia. - Se afastou de mim e virou de costas bufando. O que eu fiz de errado?

- O que aconteceu? - Me aproximo colando meu corpo ao seu e deixo um beijo no topo da sua cabeça.

- Você não lembra?

Forcei minha mente e nada vinha. Só lembro de Dinah ter ido até a piscina e a gente subindo para o quarto.

- O que eu fiz?

Ela bufou de novo. Parecia uma criança fazendo birra e eu achei tão fofo que não aguentei e comecei a rir.

- O que é engraçado? - Ela então virou o corpo ficando de frente mais uma vez e com um olhar que poderia me matar ali mesmo.

- Você tá de birra e eu não lembro de nada. - Continuei rindo e ela me acertou um tapa no braço.

- Você é uma idiota!

Camila ameaçou levantar e eu segurei em sua cintura, puxando-a de volta e a deitando na cama. Ela se debateu tentando escapar e eu deitei em cima dela para impedir que ela continuasse, ficando entre suas pernas e segurei suas mãos acima da sua cabeça.

- Me diga o que eu fiz, eu não consigo lembrar. - Fiz beicinho e ela revirou os olhos.

- Você me provocou na piscina e quando enfim ficamos sozinhas aqui no quarto você dormiu.

E então eu fui lembrando aos poucos, alguns flashes me mostravam nós duas no quarto, eu tomando banho, ela entrando no banheiro e eu deitada na cama para esperar ela e então mais nada. Eu havia dormido e deixado ela na mão, droga!

- Me desculpa Camz, por favor. Não era minha intenção dormir. Você demorou no banho.

- Eu não demorei! - Ela estava com um bico enorme e o cenho franzido. Tão adorável.

- Me desculpa, é sério.

- Não vou desculpar. - Virou o rosto quando tentei beija-la. Eu queria rir de novo mas se eu fizesse isso com certeza ela me mataria.

- O que eu tenho que fazer para você me desculpar?

Camila virou o rosto e seus olhos brilharam. Levantei uma sobrancelha e continuei segurando seus braços acima da cabeça. Ela desceu seu olhar e observou a posição em que estávamos.

- Vai fazer o que eu quiser?

- Depende do que for.

- Primeiro quero que me solte. Depois vamos escovar os dentes e tirar esse seu hálito de bebida. - Levanto as sobrancelhas e ela solta uma risadinha.

- Tá falando que eu tô com bafo?

- Você bebeu a noite inteira, não é pra menos não acha?

- Tudo bem. E depois que escovarmos os dentes?

- Você vai terminar o que começou ontem na piscina, se você estiver em condições é claro. - Então se desvencilha dos meus braços e sai da cama. Permaneço na mesma posição, encarando o colchão abaixo de mim. - Você não vem?

Olho em sua direção e ela está encostada no batente da porta do banheiro. O short do seu pijama curto e a regata quase transparente me deixava observar cada pedaço do seu corpo. Observei seu rosto e ela sorria satisfeita e virou para entrar no banheiro, me deixando olhar seu corpo mais um pouco. Aquele short era muito curto atrás, mostrava parte de sua bunda e eu já estava ficando excitada só olhando-a. Corri pro banheiro e ela já estava com sua escova em sua boca e olhando no espelho murmurando alguma música e dançando. Pego minha escova que ela tinha deixado na pia e faço o mesmo que ela. Queria acabar logo com aquilo e aproveitar o que não aproveitamos ontem, antes que alguém viesse nos chamar para o café.

- Está com pressa? - Ela me observava pelo espelho com um sorriso brincando em seus lábios e eu apenas dei de ombros, não queria dizer que estava e parecer uma adolescente ansiosa por sexo com sua nova namorada.

Camila terminou e foi para o quarto. Terminei de escovar meus dentes e joguei uma água no rosto. Voltei para o quarto e ela já estava na cama coberta com o edredom. Fui até a porta para verificar se estava trancada e olhei pra ela que me chamou com o dedo indicador e um sorriso de lado. Sentei na cama, levantando o edredom para que eu pudesse me aconchegar ao seu lado, ela sustentava meu olhar com um sorriso travesso e eu me deitei rapidamente. Ela me puxou pela camiseta, me deixando quase em cima dela e começou a me beijar. Procurei sua coxa com minha mão e fui subindo até o seu short, mas não havia mais nenhum short ali. Parei o beijo e levantei o edredom para ver seu lindo corpo apenas com uma delicada calcinha branca. Na mesma hora senti meu membro pulsar.

- Tire a camiseta! - Sem pensar duas vezes fiz o que ela mandou e me posicionei entre suas pernas. - Bem melhor assim.

Suas mãos correram para as minhas costas me puxando para baixo. Apoiei meus cotovelos na cama e colei nossos lábios. Camila passou sua língua em meus lábios e eu logo abri dando passagem para ela que adentrou sem cerimônias. Sua língua com gosto de menta tocava a minha em uma dança sensual, lenta e intensa. Senti sua mão descer pelas minhas costas e parar em minha bunda onde apertou com força por cima da cueca. Forcei meu quadril para baixo, deixando meu sexo esfregar no dela ainda por cima dos tecidos de nossas roupas íntimas e ela gemeu baixinho, afastando nossas bocas. Abri meus olhos e encontrei com os dela, mais escuros do que o normal.

- Não temos muito tempo. - Sussurou assim que me esfreguei mais uma vez nela.

- Temos o tempo necessário, Camila. - Deixo um selinho demorado em seus lábios e vou descendo em direção ao seu pescoço, deixando minha língua brincar com a pele quente e cheirosa. Desço meus lábios para seu busto, observando seus peitos com os bicos rígidos e não demoro em atacar um deles, rodeando a língua e deixando meus dentes rasparem levemente. Camila geme e segura meus cabelos, me aproximando mais dela. Fecho meus lábios em seu mamilo e sugo para dentro de minha boca o provocando com a língua. Deixo minha mão brincar com seu outro peito, com a ponta dos dedos aperto e puxo o bico devagar e ela se contorce abaixo de mim. Depois de satisfeita com um peito, fui dar o mesmo tratamento para o outro com a minha boca, deixando minha mão descer por seu corpo.

Levanto o tronco, afasto o edredom e sento em meus calcanhares para observar o corpo à minha frente. Seu peito subindo e descendo rapidamente. Suas mãos inquietas sobre o lençol. Fui descendo meu olhar e observei sua calcinha, por ser branca pude notar sua excitação molhar o tecido fino.

- Onde está a minha carteira?

- Ali na cabeceira. - E aponta para o móvel cinza ao lado esquerdo da cama. Ontem eu havia deixado em sua bolsa, então não fazia ideia de onde poderia estar. Estico o corpo para pegar o que eu tanto precisava naquela hora e jogo a carteira no chão deixando a embalagem ao meu lado e uma Camila impaciente me observando.

- Está com pressa? - Levanto uma sobrancelha e ela revira os olhos.

- Estou excitada!

Apoio minhas mãos em seus joelhos e vou subindo lentamente, deixando meus polegares apertar minimamente o interior de suas coxas torneadas até chegar próxima a sua virilha. Camila se remexe mais uma vez me fazendo sorrir pela sua impaciência, deslizo minhas mãos para o lado e seguro na lateral de sua calcinha e puxo para retirar de seu corpo. Ela flexiona os joelhos para me ajudar a tirar a peça e vejo seu sexo rosado todo encharcado, minha boca saliva na mesma hora e não perco tempo, inclino meu tronco e beijo apenas superficialmente a parte mais íntima do seu corpo. Afasto suas pernas com minhas mãos e deixo minha língua percorrer toda sua extensão. Seu gosto inebriante em minha língua.

- Lauren… Aah! - Suas mãos em meus cabelos para me puxar para mais perto e ela rebola em minha boca em busca de mais contato. Fui em direção ao seu clitóris e circulei seu nervo e depois deixei minha boca cobrir seu sexo todo. Abri meus olhos e encontrei os castanhos em chamas, sorri contra seu sexo molhado. Seu lábio inferior entre os dentes impedindo que ela soltasse seus gemidos. Deslizei minha mão direita por seu corpo até alcançar sua boca, deslizando meu polegar por seu lábio inferior em uma carícia leve e ela logo abriu me dando passagem, enfiei meu dedo médio e ela rodeou com sua língua tão sexy que acabei gemendo com seu sexo ainda em minha boca. Ela sorriu travessa e umedeceu os lábios assim que retirei meu dedo dali. Afastei minha boca de seu sexo e levei o dedo molhado para sua entrada apertada e enfiei lentamente, sua saliva misturada com sua excitação facilitando minha entrada. Ouvi seu gemido manhoso e aquilo estava me deixando louca, eu precisava estar dentro dela mas ainda não era a hora. Com a outra mão afastei seus grandes lábios e vi seu nervo rosado e inchado implorando por atenção e foi o que fiz. - Puta que pariu! - Ela rosnou e eu sorri.

- Não faça barulho, não quero ninguém nos interrompendo. - Ela acenou com a cabeça e voltou a morder o lábio inferior. Sua pele já coberta por uma fina camada de suor, seu peito descendo e subindo com mais frequência. Coloquei mais um dedo e acelerei os movimentos de vai e vem, acompanhando minha língua em seu clitóris. Senti seus músculos internos contraindo e tirei meus dedos dela.

- O que você tá fazendo? - Ela me lançou um olhar mortal e eu ignorei. Enfiei meus dedos em minha boca e suguei sua excitação, sua boca estava aberta e os olhos fixos em meus movimentos. Peguei a embalagem de cor preta com escritas douradas ao meu lado e abri, tudo sob o olhar atento da mulher impaciente na minha frente. Abaixei minha cueca e desenrolei a camisinha pelo meu membro rígido e o segurei pela base, inclinei meu corpo para poder me posicionar em sua entrada molhada. Deixei meu braço apoiado ao lado da sua cabeça e forcei meu quadril. Camila ficou tensa e subi meus olhos para seu rosto em busca de reprovação ou um pedido para parar o que estávamos fazendo. - Só vai devagar, por favor!

- Eu não vou te machucar, jamais faria isso. Apenas confie em mim e relaxe. - Sussurro próxima de seus lábios e olhando no fundo de seus olhos.

Com a mão levanto sua perna para deixar em minha cintura e ela logo coloca a outra me abraçando com as pernas. Isso iria facilitar minha entrada e não iria incomoda-la. Mesmo ela não sendo mais virgem, ela continua apertada e eu não iria ser bruta e machucar por um descuido meu. Busco sua boca com a minha, um beijo faria ela relaxar e foi isso o que aconteceu. Fui entrando devagar enquanto me dedicava ao beijo intenso que ela me dava. Chega a doer de tanto que ela é apertada, mas não é uma dor ruim e sim uma dor gostosa e prazerosa. Deixei meu membro ir ganhando espaço lentamente enquanto ela estava focada em chupar minha língua e parei meu movimento assim que estava toda dentro dela e permaneci assim por algum tempo até que ela se acostumasse para que eu pudesse começar com meus movimentos. Parei com o beijo porque meus pulmões imploravam por oxigênio e então ela remexeu o quadril. Deixei nossas testas coladas e comecei a mover meu quadril de encontro ao dela.

- Camila! Lauren! - Escuto rês batidas rápidas na porta. Olho para Camila que me olhou no mesmo instante. Coloco minha mão sobre sua boca para impedir que ela falasse algo.

- Não fala nada, Vero vai pensar que estamos dormindo e vai descer. - Sussurrei em seu ouvido enquanto me movimentava dentro dela, evitando ao máximo fazer barulho para que Vero saísse logo dali. - Mas se quiser parar, eu aviso que já estamos acordadas. - Na mesma hora ela apertou as pernas em minha cintura e agarrou minhas costas.

- Você não é nem louca de parar agora. - Falou entre dentes e apenas sorri e enfiei meu rosto em seu pescoço.

- Devem estar dormindo, depois elas descem. - Vero falou do lado de fora e escutei os passos se afastando.

Então acelerei meus movimentos, graças a sua excitação estava mais fácil de me movimentar dentro dela. Camila impedia seus gemidos mordendo meu ombro esquerdo e eu abafava os meus em seu pescoço. Levanto meu tronco e observo meus movimentos dentro dela. Meu pênis todo melado e brilhando pela sua excitação. Mais uma vez sinto suas paredes contraindo, Camila já estava próxima do seu ápice. O suor já escorria por minhas costas e minha testa. Levo minha mão direita para seu ponto de prazer e com meu polegar começo a friccionar seu nervo para que ela enfim se entregasse ao orgasmo.

Seu rosto rosado, sua franja colada em sua testa pelo suor, os lábios inchados, os gemidos contidos, os seios se movimentando a cada investida que eu dava e as mãos apertando os lençóis, o conjunto disso tudo era a prova de que Camila realmente é uma obra de arte.

- Lauren… Lauren… Aah! - Seus gemidos agora não estavam mais sendo contidos, mas permanecia baixo. Acelerei o movimento de meu dedo e dos meus quadris e então ela jogou a cabeça para trás e se entregou ao orgasmo. Seu corpo convulsionava e seus músculos internos me apertavam. Eu não ia aguentar por muito tempo, então segurei em sua cintura e continuei minhas estocadas. Senti minhas bolas se contraírem, um choque elétrico percorreu meu corpo desde a ponta dos dedos dos meus pés até minha nuca e então o orgasmo veio com força, me fazendo gozar divinamente. Deixo minha cabeça pender para trás e começo a gemer baixinho. A sensação do corpo estar flutuando e ser dividido em pequenas partículas era maravilhosa. Aos poucos fui sentindo a sensação sumir e meu corpo voltando ao seu estado normal. Caio deitada de costas na cama de olhos fechados e tentando recuperar minha respiração e sinto Camila se aconchegar ao meu corpo. - Você é maravilhosa, sabia?

Abro meus olhos e sorrio. Ela então me beija com tanto carinho que nós duas suspiramos juntas.

- Você é mesmo real? - Camila sorri tímida e vejo suas bochechas rosadas. - Você é linda, Camila. O que acha de tomarmos um banho e descer?

- Por que? Estou fedendo?

- Nunca. Você é a pessoa mais cheirosa que eu conheço. - Afundo meu rosto em seu pescoço. - É que estou suando e preciso me refrescar, se quiser me acompanhar eu não ligo. - Dou de ombros.

- Apenas um banho? - Faço um som nasal confirmando. - Então vamos, antes que alguém apareça aqui de novo.

- Se quiser fazer sexo de novo, eu também não ligo não.

- Lauren! - Me da um tapa leve nas costas e começo a rir.

- Estou brincando. Vamos logo! - Seguro em sua mão e vou em direção ao banheiro.

[…]

Saímos de mãos dadas do quarto ao mesmo tempo que Troy e Ally estão saindo também, ambos sorridentes assim como eu e Camila. Troy me lança um olhar malicioso e eu apenas sorrio, nós dois confirmando silenciosamente o que havia acontecido em nossos quartos.

- Bom dia casal. - Falo assim que eles se aproximam. Ally nos abraça, logo depois Troy.

- Bom dia meninas. - Os dois falam juntos e assim seguimos para a cozinha, onde já havia um falatório.

A mesa estava cheia. De longe era possível sentir o aroma do café fresquinho. Tudo graças a governanta da casa, porque se fosse por Veronica só teria pacotes de biscoito e leite na mesa.

Dinah estava ao lado de Normani no lado direito da mesa. Veronica estava na ponta com Lucy ao seu lado esquerdo. Assim que entramos na cozinha todas nos olharam e sorriram.

- Bom dia casais. - Vero fala animada com a boca cheia de bolo de chocolate, recebendo um olhar de Lucy que fez todos cair na gargalhada. Era sempre assim.

Sentamos na mesa, Camila ao meu lado direito e Troy e Ally na nossa frente. Meu estômago implorava por comida, já que eu não havia comido quase nada na noite anterior, peguei um pedaço de bolo de chocolate e uma xícara de café. Camila estava distraída conversando com Ally.

- O que você quer comer Camz? - Ela mesma poderia pegar o que queria, mas eu queria fazer isso por ela.

- Pode deixar que eu pego, não precisa se incomodar.

- Eu faço questão. - Ela ia levantar para pegar e na mesma hora a impedi, insistindo para que deixasse eu pegar o que ela queria.

- Lauren Jauregui toda fofinha. Chega a ser lindo. Aproveita Camila, porque com a gente é uma cavala. - Vero fala ainda comendo seu pedaço de bolo. Reviro meus olhos e volto a olhar para minha namorada. Ela olha em meu pequeno prato e em minha xícara e sorri.

- Pode ser um pedaço de bolo e um copo de suco, obrigada. - Sela nossos lábios rapidamente e volta a conversar com Ally, pelo que consegui ouvir as duas falavam da festa dos gêmeos. Pego um pedaço do bolo e um copo grande de suco e coloco na sua frente e volto a comer em silêncio, apenas degustando daquela maravilha também conhecida como bolo de chocolate.

- Vamos continuar com o churrasco daqui a pouco. Sobrou muita carne ainda. - Lucy avisa todos na mesa após acabarmos com o nosso café. - Só entre nós.

[…]

- Lauren, não! Me solta. - Camila gritava em meus braços e eu corria com ela.

- Troy eu não quero. Me coloque no chão agora. - Ally gritava com Troy que também a segurava em seus braços.

Estava calor e ninguém estava na piscina ainda, então eu e meu amigo resolvemos pegar as meninas e correr com elas para pularmos juntos na água.

Camila se debatia e ria, ao contrário de Ally que estava séria ou pelo menos tentava, já que assim que seu marido falou algo baixo para ela seu sorriso foi enorme.

- Pronto Laur? - Me pergunta assim que estamos próximos da piscina.

- Pronto Troy!

Pulamos com as meninas em nosso colo, todos ainda de roupas. Rapidamente subi meu corpo e consegui ver o restante das meninas também pulando.

- Sua idiota! Agora eu não tenho mais nenhuma roupa seca. - Camila fala com um bico nos lábios.

- Eu te empresto ou você vai apenas de toalha, sei lá. - Me aproximo dela e ela recua. - Ah, qual é?

- De toalha Lauren? Sério? - Revira os olhos e vai em direção à escada para sair da piscina. Mergulho e nado até pegar seus pés por baixo da água e a segurando para não sair.

- Fica aqui Camz, está calor e você já molhou suas roupas mesmo. E todo mundo tá aqui também.

- Deixa de ser fresca Camila, fica aqui e tá tudo certo. - Dinah fala atrás de mim me ajudando e Camila desiste de sair da piscina e vem pra perto de mim, pulando e colocando suas mãos sobre minha cabeça e me afundando na água, aproveito que estou debaixo d'água e deixo uma mordida leve em sua barriga que está bem em minha frente e ela acaba puxando meu cabelo.

- POV Camila Cabello -

Todos estávamos na área perto da churrasqueira, sentados na mesa e conversando, exceto por Lauren que havia adormecido na rede ao nosso lado e parecia estar em um sono tranquilo.

Veronica e Normani estavam distantes do nosso grupo e com pequenos baldes em mãos, ambas rindo descontroladamente.

- Elas vão aprontar alguma coisa. - Lucy falou ao meu lado, também observando as duas. - Não sossegam, sempre tem que fazer alguma coisa.

E então Veronica e Normani foram para perto da piscina e afundaram os baldes na água e os encheram. Veronica acabou escorregando e derrubando toda a água que havia em seu balde de cor laranja e teve que voltar para pegar novamente.

Enquanto isso, eu, Lucy, Ally e Troy observava as duas se aproximando de nós e correndo para perto de Lauren.

- Vai Mani, no três. - Veronica mal conseguia falar de tanto que ria e ficou ao lado de Lauren.

- Um, dois… TRÊS.

Normani gritou e as duas viraram os baldes em Lauren, que acordou assustada e agora toda molhada.

- Suas malditas! - Ela exclamou irritada e levantou da rede.

Todos começamos a gargalhar de sua carinha emburrada. Ela tirou a camiseta que estava usando e começou a torcer para tirar o excesso de água, ficando apenas com um sutiã preto e seu short jeans. O corpo dela era tão perfeito. O abdômen com as laterais marcadas, os seios médios em um sutiã apertado. Tão linda!

- Achou que eu ia deixar por isso mesmo branquela? Não me esqueci daquela vez em seu apartamento não. - Veronica falou e mandou um beijinho no ar.

- Até que demorou pra você revidar. - E então ela começou a rir junto com todos ali.

[…]

- Fica aqui. - Falei pela milionésima vez.

- Eu tenho que ir pra casa Camz. - Lauren me abraçava e beijava o topo de minha cabeça.

Vinte minutos se passaram desde que chegamos em minha casa e eu estava implorando para Lauren ficar e passar a noite comigo mas ela não queria, porque teria que resolver umas coisas cedo e não queria ter que me deixar sozinha.

- Camila, por favor né… Deixa ela ir descansar na casa dela. Que grude, credo. - Dinah apareceu na porta e começou a me puxar. - Vamos, as duas precisam descansar, anda logo.

- Aí Dinah, saí! - Resmunguei e cruzei os braços na altura dos seios.

- Te dou dez minutos. Boa noite Lauren!

- Boa noite, Dinah. - Lauren sorriu para minha melhor amiga e então me abraçou de novo. - Amanhã a gente vai se ver. Você sabe disso.

- Tá bom. Eu sobrevivo até lá.

- Ai que pessoa carente. - Fez biquinho e me agarrou para um beijo calmo. - Nos vemos amanhã pequena. - E assim foi embora.

Eu só queria poder passar mais tempo ao lado dela, será que é pedir muito? 


Notas Finais


Volto jaja com o próximo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...