História The Serendipity ( jimin ) BTS - Capítulo 61


Escrita por:


Notas do Autor


Oi galera! Tudo bom?

Oh quem voltooooo!!!
Tá aqui mais um capítulo, desculpa pela demora. Mas espero que gostem!

Boa Leitura♥

Capítulo 61 - Sequestrada?


Fanfic / Fanfiction The Serendipity ( jimin ) BTS - Capítulo 61 - Sequestrada?

     

    Acordei completamente perdida. 


Abri meus olhos lentamente e tive a visão de um teto alto e sem lâmpada, com uma pequena janela que clariava o lugar. Coçei meus olhos para melhorar a minha vista e depois digo...

S/n: foi um sonho? [Pergunto para mim mesma] 

...: não, não foi um sonho. [Respondeu um homem sentado numa cadeira, ele parecia com aqueles homens da máfia, usava roupa preta, tinha uma feição séria e intimidadora]

S/n: q-quem é você? Onde é que eu tô? [Pergunto calma, afinal aquele homem pode ter me salvado de alguém, não sei o que aconteceu] 

...: cale a boca! Isso não é da sua conta! [Ele diz rude e com a voz rouca. Aparentemente ele não era um homem bom] 

S/n: o que eu estou fazendo aqui? 

 Pergunto sem entender, afinal se fosse um sequestro eu estaria amarrada. Me levanto e fico sentada naquele chão gelado.

O homem bufa e depois revira os olhos.

...: você ainda pergunta? [Diz o homem]

S/n: você me sequestrou? [Pergunto]

...: você é bem burra, a resposta é óbvia. [Disse com cara de tédio]

S/n: por favor não faça nada comigo. [Falo no chão e começo a chorar] 

...: não se preocupe, não irei fazer nada, ainda... [Me olha ameaçador] 

S/n: me fala, quem é você? [Voltei a perguntar] 

...: não irei te dizer quem eu sou, eu só ajudei a te trazer pra cá. 

Fico um tempo em silêncio, eu estava com medo. Começo a chorar ao lembrar da minha mãe e no resto das pessoas que tanto amo, também penso no jimin, marcamos de ir no cinema hoje ou ontem... Não sei quanto tempo fiquei desacordada. Provavelmente ele, os meus amigos e minha mãe ficarão preocupados quando perceberam minha ausência. 

S/n: a quanto tempo eu fiquei apagada? 

...: já faz três dias. Você deve estar com fome. [Ignoro o que ele fala e choro mais ainda, meus olhos ardiam por conta do choro] -para de chorar! Isso está ficando enjoativo! [Ele grita] 

S/n: por favor não me machuque. [Imploro chorando] 

...: era pra eu esperar o meu chefe chegar, mas parece que eu terei que fazer algo com você antes disso, afinal está me irritando. [Ele diz grosso, mas no final coloca um sorriso maligno no rosto] 

S/n: eu só queria estar em casa agora, com tudo normal e...

...: já mandei calar a boca?! [Ele pergunta gritando] -você quer água? [Perguntou mudando completamente seu tom de voz e eu assenti] 

Ele sai da sala, que inclusive era escura, só havia aquela janela que iluminava o lugar. Olhei para a janela pensando na chance dela ser a minha saída, mas era muito alto para eu alcançar e também havia grades, seria impossível eu fugir por ali. Depois de um tempinho ele volta com uma garrafa d'água, no princípio pensei que era água suja, mas pelo contrário. A água era bem limpinha. 

S/n: e se dessem dinheiro a vocês? 

...: o que quer dizer? [Ele pergunta arqueado uma sobrancelha] 

S/n: e se pagarem um valor pra eu voltar pra casa? [Perguntei]

...: não, meu chefe nunca quis isso, e não é agora que ele vai querer. Até porque ele nem precisa do seu dinheiro. [Ele responde]

S/n: quero falar com minha mãe. Posso ligar pra ela? Só quero falar com ela uma última vez. [Perguntei chorando baixinho]

...: óbvio que não, ela colocaria a policia atrás de você. [Ele diz] -os policiais conseguirão rastrear o celular se fizéssemos ligação. 

Escutamos um som baixo de carro vindo do lado de fora daquela sala escura, olho diretamente pra janela e o som se intensifica, ficando ainda mais proximo. O homem se levanta vindo até mim. 

...: rápido, se levanta. [Ele ordena, e eu obedeço] 

S/n: o... o que foi? 

...: ele está vindo, preciso te amarrar. 

Ele pegou a cadeira que o mesmo estava sentado e a colocou atrás de mim, me sentou nela, sem delicadeza nenhuma e colocou minhas mãos atrás da cadeira, as amarrando com uma corda. 

S/n: o quê?! Por que? ele quem... quem está vindo? [Pergunto assustada]

...: meu chefe, eu preciso fazer isso, na verdade deveria ter feito isso quando você acordou. [Ele responde] 

Volto a ficar em silêncio. Depois de um tempo foi possível ouvir passos atrás da grande porta de ferro se intensificando e logo ouvimos o som da porta de ferro ser destrancada. Revelando a pessoa que eu menos esperava abri-lá. 

Jk: olá s/n. [Ele me olha com um  sorrisinho, jungkook estava usando uma de  suas camisas de marca, ele estava diferente desde a última vez que eu o vi. Estava com os fios de seu cabelo longos. Não creio que o tempo tenha passado tanto assim] -ela deu trabalho? 

...: não, ela se comportou direitinho. 

Jk: ótimo, agora pode nos deixar sozinhos. Se eu precisar eu te chamo. 

O homem sai e jungkook fecha a porta logo em seguida. Minha cabeça tinha um enorme ponto de interrogação, por que diabos ele tá aqui? Por que ele está involvido nisso? E onde é que eu tô? Alguém pode me responder?! 

S/n: que porra é essa jungkook? [Pergunto sem entender o que estava acontecendo e com uma certa raiva] 

Jk: nossa, eu te digo um "olá" e é assim que você me responde? [Fingi estar indignado e dá outro sorriso sínico] -achei que ficaria feliz em me ver. 

S/n: o que eu tô fazendo aqui? Onde eu estou? [Pergunto agoniada, eu queria respostas]

Jk: você deve estar cheia de perguntas, e é por isso que eu vim aqui. Pra respondê-las. Bom, primeiramente você está muito longe de casa, esse lugar é só uma pequena "construção" que mandei fazer. Na verdade você está na minha casa.

S/n: não podia falar comigo como uma pessoa normal ao invés de me sequestrar?! 

Jk: e você me ouviria? [Perguntou como se a resposta disse óbvia] - eu te trouxe aqui porque não vejo outra opção a não ser te sequestrar e te obrigar a ficar comigo. Você sabe que eu ainda sinto  algo  por você, tenho sentimentos por você. Não me imagino viver o resto da minha vida sem você. Por mais que eu tente, eu não consigo ficar sem você s/n.

S/n: e você teve essa ideia maluca de me sequestrar?! Me levar pra longe da minha família, pra longe dos meus amigos só porque não consegue lidar com meu namoro com o jimin?! Porque não acha que não tem outra opção?! [Dou uma pausa] -jungkook você tá maluco!! Você é doente, eu te odeio!! Me solta, me tira desse lugar. [Gritei em desespero] -você é louco! [Falo revoltada e inacreditada de que aquilo realmente estava acontecendo] -como pôde ter coragem de me sequestrar?! Destruir minha vida, arruinar meus estudos e ainda me manter presa aqui, e ainda por cima mandar um de seus capangas me amarrarem. 

Jk: mas eu posso te dar tudo o que você merece. [Ele vem até mim e me encara de perto, apoiando suas mãos na cadeira onde eu estava sentada] -Posso lhe dar uma vida melhor, mais conforto, posso oferecer meu amor pra você e um dia você pode aprender a retribuir. 

S/n: nunca! Eu nunca vou te amar igual como antigamente, você não passa de um riquinho exibido que acha que pode conseguir tudo que quer oferecendo apenas o seu dinheiro, esquece jungkook. Eu  nunca vou te amar. [Disse nem um pouco intimidada, jungkook me encara furioso, ele empurra minha cadeira com nas mãos até a mesma encosta na parede e depois as coloca na cintura andando pela sala escura] 

Jk: você pode estar negando agora, mas no final você vai acabar cedendo e vamos ser muito felizes juntos. Você vai ver. Logo logo você vai esquecer daquele seu namoradinho de merda. 

S/n: vai pro inferno, idiota! [Grito chorando] 

Jk: perdeu o juízo? Você acha que eu serei bom com você pelo fato de não ter feito nada ainda? [Ele pergunta furioso, logo em seguida empurra a cadeira, que me fez cair, como eu estava amarrada eu cai junto com a cadeira, o que me machucou e muito] 

A porta se abre revelando o homem que estava aqui antes, ele me vê no chão ainda amarrada na cadeira e depois olha pro jungkook. 

...: você parece estressado, não quer que eu fique de olho na garota? 

Jk: não, eu já disse que se eu precisar de você eu te chamo. Agora sai. 

Mandou e o homem saiu. 

Eu estava chorando, estava doendo muito, porque eu ainda estava caída no chão amarrada na cadeira, o jungkook vem até mim e se agacha. Ele estava bem próximo, eu podia sentir sua respiração em meu rosto. Fecho os olhos tentando virar o rosto, os abri e vi o mesmo em pé de costas pra mim mexendo em algo na sua cintura. 

S/n: p-por favor jungkook... me ajuda. [Pedi] 

Jk: isso não teria acontecido se você não tivesse me irritado. 

S/n: des... desculpa. [Falo começando a chorar, pois doia muito eu estar naquele chão e provavelmente acho que jungkook irá me machucar agora]

Ele se aproxima e se agacha novamente, ele me encara e depois levanta sua blusa mostrando ter uma faca grande amarrada na cintura, me assustei ao ver aquele objeto e jungkook retirou a faca. 

Jk: se eu fosse você não tentaria fugir. [Ele diz enquanto rodava a faca na mão] 

S/n: o... o que v-vai fazer jungkook? [Pergunto com apavorada com o que ele queria fazer com aquilo] 

Jk: está com medo?  [Ele pergunta e dá um sorriso maléfico] 

S/n: o-o que você vai fazer com isso? [Pergunto tentando me mover] 

Ele coloca a faca perto do meu rosto e tocando minha bochecha com a ponta afiada, eu estava com medo dele me cortar ou me matar ali mesmo. 

Jk: vamos, levanta daí. [Ele guarda a faca e levanta a cadeira que estava deitada no chão] 

S/n: jungkook me desamarra por favor, tá doendo... [peço chorando de dor] 

Jk: não posso arriscar, sei que vai tentar fugir. 

S/n: prometo não tentar, mas por favor... não sinto minhas mãos... [sou interrompida] 

Jk: você só sabe chorar? Vai desidratar desse jeito. [Caminha até a porta] 

S/n: seu canalha, me tira daqui! Me tira daqui seu cretino!! [Grito]

Jk: pare de gritar, s/n isso não vai fazer eu ter pena de você e te levar de volta pra casa. [Ele se aproxima] -você vai me amar mesmo que pra isso eu tenha que matar pessoas. 

S/n: saiba que eu vou tentar fugir  até o último dia da minha vida!

Jk: só é bom você conseguir, porque se não você vai ser castigada a cada falha sua.


Ele vai para perto da porta e a abre, depois o mesmo sai batendo a mesma. 

Será que jungkook vai me deixar presa aqui pra sempre? E amarrada nessa cadeira?! Não, não! Não pode ser!! 

S/n: JUNGKOOK!! JUNGKOOK POR FAVOR ABRE A PORTA! EI!! JUNGKOOK ABRE POR FAVOR!

Gritei o máximo que eu conseguia, não creio que ele me deixe aqui sentada e amarrada nessa cadeira. 

S/n: JUNGKOOK ABRE A PORTA!! SOCORRO, por favor alguém me ajuda... [Disse que a minha voz falha] 


Após ter gritado o máximo que eu pude por um tempo eu desisti e voltei a chorar. Não demorou muito para escurecer e aquele lugar virar um verdadeiro breu. Abaixei a cabeça, rezando para que me achassem e consseguissem acabar aquele pesadelo. 

S/n: por favor Deus, preciso de ajuda...



Foi a última coisa que disse pouco antes de apagar. 




CONTINUAAAA????












Notas Finais


Então galerinha??? Gostaram??

Tadinha da s/n...

Por favor não me odeiem por fazer o jk ser o vilão da história.

Mas espero que vcs tenham gostado do capítulo, tchau galera. ♡♡♡♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...