História The Seven Wishes of a Rainbow ( JiKook, Sope, NamJin ) - Capítulo 37


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bangtan, Bts, Jikook, Namjin, Sope, Yaoi
Visualizações 123
Palavras 1.418
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Festa, Hentai, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


TENHO TRÊS LETRAS PARA EXPLICAR O ATRASO:

TPM<3

BOA LEITURA.

Capítulo 37 - Verdades (parte 1)


.

~ AUTORA ~

Filhotinhos, bebês, híbridos? É difícil dizer qual é o mais fofo, mas para Yoongi não existia nada mais fofo naquele momento, que o biquinho emburrado que Hoseok tinha nos lábios. Não era à toa que o que mais queria naquele momento, era prensa-lo contra o sofá que estavam e o encher de beijos.

- Para com isso amor – O híbrido pediu apertando ainda mais o ruivo em seus braços.

- Não! Me solta.

- Tira isso da cabeça Hoseok

- Não! Você é um idiota.

- Por te pedir em casamento?

- Por me pedir em casamento só por que estou “gravido”.

- Amor... – Hobi o fitou ainda com o biquinho nos lábios – Me responde... o que eu fiz logo depois que te pedi em casamento?

- Colocou essa aliança no meu dedo.

- Agora me responde: De onde essa aliança – que tem nossos nomes gravados – saiu, se eu – na sua cabeça – te pedi em casamento “só” por que você está “gravido”? Como eu a consegui tão rápido, se em um momento você jogou a bomba e no outro eu já estava desmaiado? – O outro apenas permaneceu calado – Amor, essa aliança já está comigo a algum tempo.

- Mas, namoramos a menos de um ano.

- E o que isso importa? Eu sou um hibrido renascente, eu não posso viver sem você. Por que perderia tempo em te fazer completamente meu, se nada me impede disso?

- Então...você não ne pediu em casamento por culpa da gravidez?

- Não – Disse selando os lábios brevemente – Eu só adiantei algo que estava programando para o natal, mas isso não significa que vou cancelar a viagem que tinha programado.

- Viagem?

- Já falei demais.

Hoseok como um típico curioso, começou a encher o – agora – noivo de perguntas sobre a possível viagem que planejara, mas a conversa não durou muito, já que Jin logo os chamara para ir à sala de jantar, onde os demais garotos já estavam à espera da comida do híbrido mais velho.

- Alguém mata o que está me matando... – Taehyung murmurava batendo a cabeça, um completo “maluco” como Jimin o nomeara – Jin hyung...eu vou morrer de fome.

- Calma... – Jin apareceu, trazendo com a ajuda de Jungkook as travessas com os vários pratos que preparara e os colocando no centro da mesa – Pronto, seus desesperados.

- Não tenho culpa – Tae reclamou – Estou em faze de crescimento.

- Seu pau – Yoongi provocou.

- Ele também! – Tae completou, levando os demais ao riso – O que eu disse?

- Nada bebê – Jin interviu mudando o assunto – Comam enquanto está quente.

Todos logo começaram a pegar os pratos, mas pararam assim que Taehyung soltou um gritinho nada másculo, quando tirou a tampa de uma das panelas sobre a mesa.

- Pela santa bunda do Jimin, tira esse camarão daqui hyung – O jovem com os cabelos recentemente pintados de laranja pediu – O que eu fiz para você querer me matar Jin?

- Calma Tae! – Jin pediu – Eu não percebi que tinha colocado perto de você – Disse tirando o prato de perto do amigo, que pareceu se acalmar – Ainda bem que você não comeu por acidente.

- Deus me livre, eu conheço essa praga até sego.

- Alguém me explica o que está havendo – Jimin perguntou.

- Ele é alérgico – Namjoon disse – Certo?

- Certo – Tae completou – Acertou o chute hyung.

- Ele não chutou Tae – Jin interviu, servindo o amigo de outro prato sem o fruto do mar e o entregando – Ele também é alérgico.

- Mesmo? – Perguntou e Namjoon assentiu – Mais um para sofrer com os elogios que os pratos com camarão do Jin hyung recebem – Choramingou – Isso é tão injusto.

- É, é injusto, agora os dois, longe do camarão que eu fiz algo diferente para vocês, e eu não quero ouvir mais um pio – E como os demais são adultos, nada melhor que irritar seu hyung, fazendo aquele cômodo parecer uma granja por alguns minutos – Calem a boca! – Reclamou sentando-se já sem paciência.

- Calma hyung – Hoseok que já era acostumado a acalmar os ânimos interviu – Por que esse estresse? – Perguntou comendo.

- Não é só estresse Hobi – Namjoon disse sorridente – Ele está estressado por que está com medo.

- Medo? – Hobi perguntou, mas os outros também queriam saber – Medo de quê?

- Meus pais chegam de viagem amanhã – Namjoon sorriu vendo o rostinho de seu namorado corar – Eles querem conhece-lo.

- Para Namjoon! – O híbrido pediu ainda corado – Eu não tenho culpa...se tenho medo de eles não gostarem de mim.

- Hyung, isso é impossível – Tae disse sem hesitar – É impossível não gostar de você.

- Eu não sei...acha mesmo? – Perguntou ainda apreensivo e os demais disseram em coro um “sim” verdadeiro – Obrigada, mas mesmo que vocês digam isso...eu ainda tenho medo.

- Então por que não tenta conquista-los com algo que nunca falha hyung? – Hobi perguntou pensativo

- E...o que seria? – Jin perguntou curioso.

- Sua comida.

.

.

.

O dia seguinte começou calmamente, e com o clima bom, Tae decidiu limpar seu quarto, encontrando em meio a bagunça algumas fotos de seus pais e avós, que mantinha guardadas para evitar qualquer resquício de tristeza ao seu redor.

Nem mesmo Hoseok ou Jin conheciam a face de seus queridos pais, mas os dois entendiam os motivos de Tae querer evitar remoer o passado, e acabar sofrendo com as lembranças.

Como ele mesmo dizia para si mesmo: “ Eu não sou museu, não vou viver de passado. “

Tae escolheu esconder o passado na gaveta, viver o presente e rezar para o futuro ser incrível. E o mais importante, era que ele não tinha dúvidas, que seu presente e futuro eram ao lado de um certo híbrido de coelho.

.

.

.                                  

Faltando um pouco mais de vinte minutos para o meio dia, Taehyung se apreçou para ir buscar seu namorado, já que os dois tinham que ir para a casa do casal Namjoon e Jin, onde participariam do fatídico almoço que estava deixando o híbrido mais velho com os nervos ao ponto de explodir.

Não demorou para o mesmo estacionar na frente da casa do namorado, e sem perder tempo, tocou a campainha, sendo prontamente atendido por seu sogro híbrido.

- Entra bebê – Maxon lhe deu passagem sorridente – Eu vou chamar o Baek, fique à vontade, já volto – Disse enquanto subia as escadas.

- Como eu faço para o meu outro sogrinho ser tão gentil assim comigo?

- Arrumando outro sogro – Aspen respondeu sem interesse enquanto lia um livro sentado no sofá espaçoso.

- Isso não seria problema... – Provocou – Maxon hyung é muito bonito e atraente...não seria difícil conseguir para ele um pretendente.

- É melhor não me provocar garoto, ou o meu filho que vai ter que procurar um outro pretendente.

- Qual é Aspen hyung? – Sentou-se ao lado do mais velho – O que eu tenho que fazer para você voltar a gostar de mim?

- Terminar com o meu bebê!

- Fora isso...

- Morrer!

- Fora isso também...

- TAE! – A vozinha doce de Baekhyun foi ouvida, e logo o híbrido de coelho estava ao lado do namorado – Já estou pronto – O pequeno sorrio ao perceber o olhar sedento do amado ao fitar suas cochas expostas pela bermuda que usava.

- Podemos ir então? – Tae perguntou já se levantando e se preparando para sair – Não quero me atrasar muito.

- Então vamos logo – Rapidamente Abeque se despede de seus pais com um beijinho no rosto e logo após os dois já estavam entrando no carro, deixando para trás um híbrido romântico, e um médico muito ciumento para com seu único filho.

.

.

.

O trajeto até a casa dos amigos se passou calmamente, com muitas conversas e risos entre o casal. Ao chegar na residência, os dois logo foram recebidos por um Jin que não aparentava estar calmo. Os dois logo entraram na conversa dos demais garotos ali, e pouco tempo depois Jin já se juntara a eles, deixando tudo pronto para a chegada de seus sogros.

Conversa vai e conversa vem, a campainha foi tocada quando se aproximava das uma da tarde, alegrando os garotos já famintos. Namjoon não demorou a seguir até a porta e abri-la, dando passagem ao casal que tanto amava.

Os garotos mantiveram-se calados a espera que Namjoon os apresentasse, mas as palavras de Taehyung o impedira de falar qualquer coisa, talvez o tirara a fala por muito tempo, pois ninguém intenderia o porquê de Tae ter dito aquilo.

 

 

 

 

 

 

 

- Omma? Appa?

 


Notas Finais


Eu sou inocente><


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...