História The Size Of The Moon - Capítulo 22


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Baki, Chiyo, Chouji Akimichi, Deidara, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hanabi Hyuuga, Hidan, Hinata Hyuuga, Hyuuga Hiashi, Ibiki Morino, Inari, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Jiraiya, Juugo, Kabuto, Kakashi Hatake, Kakuzu, Kankuro, Karin, Kiba Inuzuka, Kisame Hoshigaki, Ko Hyuga, Konan, Konohamaru, Kurenai Yuuhi, Kushina Uzumaki, Maito Gai, Mikoto Uchiha, Minato "Yondaime" Namikaze, Morino Idate, Nagato, Naruto Uzumaki, Obito Uchiha (Tobi), Orochimaru, Pain, Rock Lee, Sai, Sakura Haruno, Sasori, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Shino Aburame, Shizune, Temari, TenTen Mitsashi, Tsunade Senju, Yahiko, Zetsu
Tags Drama, Época, Gaaino, Hinasasu, Irmandade, Lilith, Misticismo, Narusaku, Reign, Reinado, Sasuhina, Shikatema
Visualizações 811
Palavras 4.792
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Terror e Horror, Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi! Oii! Oiii!
aqui tem muito mais que uma pequena amostra da infância deles, sim. Tem trairagem, tem frases dissimuladas, pedidos imperceptiveis aos olhos de muitos, tem ciúme, tem o clima de amor levemente ressaltado, tem até referência a baralho :p

boa leitura!

Capítulo 22 - Childhood.


Fanfic / Fanfiction The Size Of The Moon - Capítulo 22 - Childhood.

 

Infância.

 

 

O bastardo teve febre durante toda a noite, que deveras foi a mais longa da vida de Hinata, ela se recusou a deixa-lo, e após faze-lo engolir um porção de várias ervas medicinais e enfaixa-lo desde o braço até a barriga, ela se manteve observando-o, seus servos a ajudaram, mas nenhum deles demonstrava a mesma preocupação que ela e a mãe dele. Mikoto estava a ponto de enlouquecer, Minato não dormiria tão cedo sem o chá, sua amada lhe acompanhou até os aposentos reais, entre cuidar do rei e do seu filho ela vivia seu dilema, mas para a sua sorte Hinata estava lá, certificando-se do bem estar do marido. E enquanto isso a rainha se enfurecia porque Sasuke chegara sem os grãos e vivo! Pois começou a se arrepender de alertar Danzo da saída do bastardo do castelo, sim, foi ela...Ela avisou a Minato para não testar sua ira, no entanto, agora ela era quem devia tomar as rédeas da situação, arrumar grãos e fazer o rei dormir por longas horas e salvar o príncipe que estava supostamente em perigo, ele e a esposa poderiam sim sair sem vida dessa retaliação dos camponeses. Ela devia saber que um casamento não ia garantir a lealdade e o respeito desse povo rústico!

Era de se esperar que para um povo que cresceu e se fortaleceu nos campos simplesmente fossem bárbaros e vingativos. E Minato bem que podia aprender a lição e não confiar em mais ninguém daquela região, mas Naruto não seria o preço! Não seria! 

—  Hinata! - Kushina a despertou, dormia sentada no chão e com a cabeça recostada na borda da cama onde o marido dormia com o suor tomando sua charmosa face, muito parecida com a vádia da mãe por sinal.

Hinata levantou num pulo, e mesmo assim, ignorou completamente a rainha e analisou o estado do bastardo um tanto preocupada.

—   A febre não se vai! - Ela bateu o pé irritada e logo molhou um pano numa bacia de aluminio que tinha na mesa perto da cama.

—  Não chamei você para isso - A ruiva revirou os olhos, ela estava desesperada em seu tom de voz, embora sua potura fosse calma.

—  Desculpe-me senhora - Hinata cobriu a testa do rapaz desacordado com o pano e encarou a rainha - O que deseja?

—  Minato está a ponto de surtar, e você sabe de meu plano...precisamos de um rei bem mentalmente, então as decisões serão tomadas por mim agora - Ela inspirou e encarou Sasuke, o único membro que faltava para a equipe perfeita que Minato montava para a susposta salvação do seu filho - Mas meu tempo é curto! Eu nunca contei com a volta do bastardo mas a situação é crítica, Minato mandaria os seus mais confiáveis e melhores homens nessa missão, e iria junto, mas eu o impedirei! No entanto...

Hinata baixou o olhar, Kushina reparou em seu olhar preocupado, naquelas nuvens de aflição que transitavam nas invejáveis perolas da dama mais recatada de Sakura era mais do que apenas para o marido, ela se preocuva com Naruto e a princesa também...Era nítido.

—  Eu não tenho como saber se enviarei os homens de meu marido para a morte certa Hinata, mas não posso hesitar, é meu filho! - Kushina disse com seus olhos repletos de sentimentos jamais ditos. Ela temia a ira do marido e a morte do filho... - Me garanta que o que Ko disse não é mentira.

—  Senhora por favor! - Hinata a olhou determinada a  não deixar que seu cuidador, que tanto lhe dava alento na infância, fosse taxado de trapaceiro. - Ko não confiava em mais ninguém aqui, ele poderia deixar uma batalha acontecer...Mas, com todo respeito, meu povo não são enganadores profissionais como o pessoal de sua corte.

Kushina fuzilou a dama com o olhar, trincou os dentes e virou-se rodopiando sua saia junto com o corpo.

—  São um bando de camponeses bárbaros! - Ela quis insultar a pequena bonequinha do rei.

—  Pode até ser, mas pelo menos não damos uma palavra vazia, temos honra! E nem mesmo Sakura foi capaz de quebrar o acordo por está apaixonada por....- Hinata deixou suas palavras presas na língua, olhou para o marido e depois para o chão mal iluminado pelo conjuntos de velas espalhadas pelo local.

—  Pelo bastardinho conquistador - Kushina zombou virando-se para ela novamente - Pois está bem garota, mandarei a missão a Kakashi, a Obito e se der... - Ela olhou para seu " Enteado" e Hinata arregalou o olhar.

—  Ele está ferido! - Hinata descartou a ideia de Sasuke numa missão em plena enfermidade.

—  Da para perceber! - Kushina revirou os olhos. Mas pela primeira vez na sua vida, queria que Sasuke desse sinais de melhoras e completasse o time, qualquer outro homem não estava à altura, e Minato não podia se por em risco, ela não tinha outra opção. - Tomara que ele acorde antes do meu menino pisar em terra firme... 

Desejou, e Hinata não entendeu  o porquê dela dizer isso em voz alta, já que ela costumava hostilizar o fruto do maior pecado do rei e sem dúvidas queria a morte de Sasuke agora que Minato planejava legitima-lo, mas também a morena não perguntaria... A rainha se retirou a passos calmos e fechou as portas, por alguma ironia, a febre do bastardo baixou momentos depois. E Hinata mesmo surpresa, suspirou aliviada, passou as mãos pelo rosto do belo rapaz e sorriu, seu coração se encheu de uma sensação cálida quase se esquecendo de bater.

—   Eu sabia que você ia ser forte - ela acariciou o rosto do rapaz e lhe tirou o pano da testa antes suada.

Logo perdeu o sorriso ainda olhando para o homem, Sasuke estava melhorando, mas Naruto estava vindo em direção a morte, Kushina iria ajeitar tudo...Tinha que crer nisso!

Mesmo tão apegada ao marido agora ela ainda sim se preocupava com o loiro, dono do seu primeiro e inocente amor. Fora Sakura, elas sempre foram amigas...desde pequeninas. 

 

__x__

 

 Já pela manhã...

—   Então nossa princesa também corre perigo? - Ino quase deixou os olhos azuis pularem para fora. O que Hinata acabara de dizer? DEUS DO CÉU! Ko adiou uma guerra no mínimo e os herdeiros das terras unificadas corriam perigo, além disso Sasuke estava debilitado e não conseguiu os grãos.

—  Minha nossa! - Tenten levou as mãos ao rosto sem saber o que pensar, era no mínimo desesperador. - Neji não aprovaria isso!

—  O rei está receoso que seja um blefe a mando de papai, para retalaliar a humilhação para com meu primo - Explicou a morena.

Exausta, ela havia saído do quarto para buscar algo comestível na cozinha e suas amigas estavam lá tentando organizarem seus respectivos pratos, era costume delas se servirem ao invés de servos. Mas Hinata ganhou dois exclusivos então nunca parou para...reclamar. Sasuke estava com Sasori, mas Mikoto logo iria aparecer, então Hinata contou tudo à suas amigas.

—  Caramba! - Ino se levantou da mesa de madeira onde estava sentada e ajeitou seu vestido de cor azul clara, antes que viessem lhe reclamar de sua posição indevida - Vamos torcer para que tudo saia bem... Sakura não merece isso... poxa, viemos para cá tão felizes...

Elas três ficaram cabisbaixa, de fato...Parecia ser ontem que elas estavam na comitiva oficial das cerejeiras e brincavam na carruagem tentando adivinhar como seria o noivo da princesa. Sakura ria, ela sempre ria, ela costumava ser legal, ela era amável e não era de tratar nenhuma das damas de forma inferior.

Na verdade, para as quartro amigas, a infância foi um mar de rosas nas Terras Haruno's ( ah sério?). Quando não estavam aprendendo a ler e se importar com elegância, ou a exercer os seus respectivos papéis no mundo nobre, elas brincavam livres pelos domínios da família de Sakura. Corriam livre entre o pessoal do grande povoado quando haviam grandes festejos, ou quando iam a missa no vilarejo, tocavam o terror! O pega-pega não ficava só entre elas, pois se misturavam a meninos e meninas, nobres ou não. E Sakura e Tenten sempre reclamavam que o único motivo de não alcançarem Neji e os outros é porque não podiam  usar calças como eles.

Eram pirralhas cheias de energia, até mesmo quando Tsunade estava ensinando antigas canções, elas se destacavam saltitantes na ciranda, em meio a gargalhadas e gritinhos voltando a letra que antes haviam perdido. Elas cantavam:


De repente ela estava gasta - Elas seguravam suas saias e saltitavam  
 Como a vassoura voadora de uma criada - em direção ao meio da roda e depois para trás.
Querida garota! - Sakura pulava e girava primeiro.
Querida garota! - Seguida por uma Ino.
 Querida garota! - era a vez de Hinata em um pulo tímido e uma girada rápida.
 Espere um pouco - Tenten pulou para o meio da roda e as outras três a cercaram.
Não diga que não posso tê-la em meus braços mais uma vez - deram as mãos seguindo outra ciranda com saltos.

 

Elas foram criadas assim, entre a educação cortesa e o espírito livre camponês daquele continente. Danças nobres só aconteciam quando tinha festa para algum diplomata de Konoha e europeu, mas elas sempre preferiram dançar e pular sem se preocupar em rasgar tecidos finos e delicados, Kushina tinha razão, eram mais rústicos, porém... A amizade que tinham desde a tenra idade  era inabálavel, até o dia em que duas crias de Minato entraram em suas vidas, um trazendo o mundo de misticismo e o outro de reinado. Mal tiveram tempo para desfrutar dela.

—   E pensar que... tinhamos muitos planos de ficarmos juntas e dá um chute na bunda dos homens que quisessem nos prender - Ino soluçou.

—  Ai meu Deus! Ino você é uma desmiolada - Tenten bateu na testa dela e Hinata soltou uma risada. 

—  Isso é porque você já tinha marido! Mas eu, Sakura e Hinata planejavamos sim! - E as três acharam graça nas primeiras horas da manhã de um dia tão lastimável.

—  Quisera a Hinata ser capaz de pôr o bastardo para calar a boca - Tenten comentou, era para ser engraçado, mas logo se deram conta da atual situação. Tenten reconsiderou - Ai me desculpa... Hinata...

Não estavam mais "brigadas", mas aquele comentário  fez Hinata ir voando para o quarto, ao se lembrar de seu marido ferido na cama.
­

 

__x__

 

Ah finalmente a idiota tinha prepado a essência do chá, a rainha fez questão de leva-lo até seu rei, não se acovardaria para zelar pelo bem de seu marido, e ele iria beber nem que ela tivesse de força-lo pois ela era uma Uzumaki! Ele estava nos aposentos reais, Mikoto foi ver o seu azarado filho,  mas Minato estava lá numa mesa do quarto enrolando-se com contas e papiros, com uma visão que de longe era de exaustão. E estava claro que era preocupado com os grãos... Como ela resolveria isso??

—  Me diga que se decidiu e vai tomar um chá- ela tentou invadindo o local , e conseguiu ser lindamente gentil.

—  Chá? - Minato fingiu surpresa e arqueou uma sobrancelha logo em seguida, jogou o papiro sobre a mesa e gargalhou quando ela pôs a bandeja ao seu alcanse.

  Não gosta de chá? - ela o observou, sorrindo minimamente, pois a preocupação sobre Naruto recaía demais sobre os dois, e agora o bastardo tinha duplicado-a em Minato - Sei que Mikoto lhe faz um todos os dias.

Minato se inclinou na mesa para poder dizer.

—  Eu não gosto de você - Direto, como uma cartada  de um vencedor no jogo de baralho, um ás de espada.

—  Mas já gostou - ela serviu duas xícaras, pois o olhar do marido desconfiado caía sobre si. - como pode ver, estou me servindo do mesmo chá que você...não há truques. Agora desfaça essa cara e se permita relaxar.

Minato ainda semicerrou os olhos, e hesitou desconfiado, ela sorriu, e ele esperou.

— Amável... nem parece que vai arrancar os cabelos devido a atual situação do filho - ele levou a  xícara aos lábios e Kushina prendeu o ar na expectativa...

—  Sasuke...Naruto ... - Pronunciou os nomes dos filhos, e respondeu em seguida - eu mesmo vou consertar as coisas. - Ela já sabia porque Minato estava hesitante no ataque, ele queria ter toda certeza do mundo, e mais...ele não beberia o bendito chá a menos que Kushina engolisse o líquido também.

Bebericou um pequeno gole antes de questionar. 

—  O bastardo não recobrou os sentidos? - Ela simplesmente odiava Sasuke. Pior hora para ficar debilitado! O rei somente sacudiu a cabeça atento aos movimentos da mulher. - Você não deve ir...

— Ah... a sua opinião me importa muito mesmo - o rei disse irônico mas cedeu, tomou...finalmente, deu um longo gole sedento pela porção que sua amante sempre preparava para ele - Maldição! Está quente! - Ele praguejou.

—  Ouvi dizer que você só toma morno - ela bebericou mais um mínimo gole que pôde só para encorajar o homem a continuar. Pois aquela pequena bebericada lhe custaria no mínimo duas horas apagada, mas demoraria a fazer efeito, não se podia dizer o mesmo do rei. Minato podia ter ás de espada mas Kushiana tinha um coringa.

 

 

__x__

 

 

— Sasuke! Você acordou! - Mikoto disse tentando abraçar o filho, mas ele soltou um gemido de dor ao sentir sendo tocado. - Como se sente?

—  Horrível - disse Sasuke sentindo o mal estar - Como se uma tropa de cavalos tivesse passado por cima de mim.

—  Ai meu filho! - Mikoto se sentou na borda da cama - Quem fez isso com você? 

Sasuke balançou a cabeça, com um olhar cúmplice com a mãe, eles já se entendiam.

—  Kushina teve coragem de comprometer sua missão! - a morena pareceu irritadíssima. - Ela quer matar você...Meu Deus! Eu avisei a Minato que esse assunto de legitimação era um perigo.

Sasuke encarou a mãe, ela parecia pensativa, devia estar triste por mais um atentado contra seu menino, o rapaz se remexeu e a dor de cabeça e o enjôo era detestáveis, Sasuke mal teve coragem de mexer a língua.

—  Achei que ele soubesse o que faz - Disse ainda com a voz demonstrando sua fraqueza, numa clara referência ao que a mãe disse no dia do casamento.

—  Filho, você sabe que não poderia desfazer a vontade de seu pai na frente da corte - A mulher explicou pegando a mão do menino e acariciando a face pálida dele.- Quem você acha que pôs na cabeça dele a ideia de te dar a chance de aceitar ou não?

—   Tsc - Sasuke sabia dos efeitos que sua mãe tinha sobre o rei. Bem que ele tinha estranhando, seu pai após dar uma ordem bem convicto vir pedir a consideração dele para algo...- Já dei minha resposta.

—  Eu sei, meu filho, vai por em jogo sua irmandade com o amável Naruto porque seu pai pediu - Ela compreendia seu garoto. Sasuke baixou o olhar. - Você não quer a coroa certo?

—   E se eu quiser? - Sasuke fez uma careta, odiou a própria pergunta.

— Te criei para não dar valor ao poder - ela sussurrou - sempre lhe alertei da arrogância de um Uchiha com poder.  - Madara que o diga...

—   Eu sei mãe...- Sasuke desviou o olhar para  a mesinha com uma bacia com água e panos - Não quero aquela maldita coroa...

—   Mas Kushina não sabe disso, não liga para isso. Mesmo que ela saiba que é só um jeito de fazer o seu irmãozinho tomar jeito...O simples perigo que representa a dinastia dela... - A mulher balançou a cabeça.

—  Sei dos perigos, mãe...Cadê a Hinata? -Ele desviou-se do assunto e encarou novamente a mãe perguntando pelo seu Benzinho.
 

Mikoto suspirou, e sorriu só de reparar que o filho estava voltando a cor normal. Mas ainda sorridente  ela avisou num sussurro preocupante.

 Tenha cuidado, meu filho corajoso, ou você sangrará...Por uma coroa que nunca será sua. E pode banir para sempre a confiança que seu irmãozinho tem em você

 

__x__
 

Hinata entrou no quarto ouvindo essas palavras, mas o que importava era que Sasuke estava acordado. Ela nem sentiu seus pés, simplesmente foi de encontro a ele, com um semblante iluminado e feliz, aliviado e grato por vê-lo até conversando.

—  Sasuke! - Ela ficou ao lado da sogra e Sasuke soltou a mão da mãe para pegar a dela. - Graças as ervas de Mikoto!

—  Ah é...você não sabe o gosto ruim daquilo - Sasuke disse ainda sentindo o gosto amargo em sua boca. 

—  Nunca mais me  assuste assim - Hinata pediu, ignorando a amante do rei que assistia toda a cena. -E-eu...eu fiquei apavorada...

—  Eu sobrevivi benzinho... - ele tentou tranquiliza-la - Preocupações me fazem saber que você se importa

Ele puxou-a para mais perto afim de acariciar seu lindo rosto, ah como sentiu falta de vê-lo, de poder toca-lo, de simplesmente desenhar cada linha de expressão que ela fazia com seus próprios dedos, de sentir a satisfação de vê-la suavizar o semblante assim que tivesse explodido de prazer nas noites que dividiam, e a boca dela? Queria beijá-la ardentemente! Aquele olhar perolado... com o lilás quase imperceptível... Deus do céu! Desde quando seu peito trasbordava esse desejo?

—  É ló-lógico que me importo! - Ela disse tentando se manter firme diante das ônix mais fervorosas do que de costume. Mal podia ser calculada a saudade, queria se jogar nos braços dele e não se soltar nunca mais!

A atração estava clara, Mikoto sorriu discretamente e saiu do campo de visão dos dois. Enquanto eles se olhavam sem parar, sem dúvidas estavam relembrando dos efeitos que um tinha sobre o outro. "Tão novinhos" ...Pensou Mikoto "e com fardos tão grandes"

—  Pois é bom que se importe com sua princesa e Naruto também! - A rainha entrou. Lê-se: Invadiu. - novamente o quarto em menos de 24 horas. Hinata virou-se e Mikoto mandou um olhar de advertência à rainha, que foi muito bem ignorado. Sasuke surpreso estava, surpreso ficou mais ainda com a seguinte frase - Que bom que você acordou Sasuke.

Sasuke piscou 3 vezes para se certificar que não morreu e estava entre o céu e o inferno, porque aquelas frases não pareciam coisas que ele ouviria em vida. Incrédulo, trocou um olhar significativo com a mãe, e sentiu na alma. Seu irmãozinho estava em maus bocados!

—  O que está havendo? - Ele se endireitou na cama, ignorando a dor. Hinata o ajudou incerta se as palavras da rainha irritaram ou não seu marido.

—  Ah, bonequinha - Ela disse dissimulada - Não explicou para ele? 

—  Não enrola! - Sasuke já sentia seu peito apertando imaginando se seu irmão estava em perigo.

A rainha ouviu Mikoto sair do quarto a longos passos, iria ver Minato na certa, em coma profundo. Era o tempo de explicar tudo ao bastardo e ela mesma se juntar ao marido no mundo dos sonhos. E ela o fez, disse o que quebrar as pernas do Hyuuga desencadeou até as cartas. Sasuke ficou pensativo digerindo tudo, Toneri era mencionado por gostar de Hinata e ele apertou os lençois que lhe cobriam da cintura para baixo, Ko de mãozinha dada com a esposa e seus dedos quase rasgavam o tecido branco, mas quando soube que ela chegara até seu pai ele lançou um olhar furioso a esposa, que se encolheu toda.

— Agora, estamos perdidos...- Kushina terminava por fim - Minato aguardava você para arriscar uma equipe com as melhores habilidades...mas também esperava que trouxesse a fonte dos nossos mantimentos com você

Sasuke encarou a ruiva, enfurecido, trincou o maxilar. Ela esperava se livrar dele e pegar os grãos? Aqueles caras... Foram enviados dela? Lembrava-se claramente de ter trago um dos emboscadores consigo. Esperava que seu pai tivesse o mantido vivo!

— Sinto muito, o velho se negou a dar, papai tem algum conflito com ele - Mentiu o bastardo. E Kushina deixou sua aflição se mostrar na voz.

—  Terei eu de resolver. Pois seu pai...se encontra em sono profundo - Sasuke arqueou uma sobrancelha, mas lhe ocorreu de deixa-la sofrer. 

—  O que diabos você fez com papai? - Questionou curioso.

—   Eu o ajudei, ele estava a praticamente uma semana sem dormir preocupado com os filhos e o reino...a ponto de surtar, colocou na cabeça que iria completar a equipe de resgate a Naruto. Eu não permitiria, Kakashi e Obito irão sozinhos.

A rainha pousou o olhar sobre o bastardo, e ele devolveu-lhe friamente. Eles só tinham algo em comum... 

—   Sabe, eu me lembro muito bem, há uns anos atrás, quando Naruto com seus 7 anos estava chateado por não conseguir a atenção de Minato, não levava jeito com a espada e Kakashi deixava-o para ir treinar um certo bastardo, que tinha o melhor desepenho nos treinamentos. Nesse dia ele desapareceu...ele me fez correr por todos os corredores desse castelo junto com todos os servos, eu quase morri de preocupação por não acha-lo, até que procurei na parte externa, já anoitecia...e cheguei perto do chalé dos fundos onde a amante do rei residia. 

A rainha contava a história com um olhar nostálgico. Hinata apenas ouvia, e Sasuke olhava para baixo revivendo as lembranças de infância .

—  Sabe quem estava lá do lado de fora, brincando sozinho? Com uma espada de madeira...tão solitário...Oh Deus como ele estava sozinho!  A pequena criança do rei, com a aparência puxada da mãe promíscua, em nada se parecia com o pai exceto pelo modo de se movimentar. Ele ouviu meus gritos e quando nos encaramos... Eu pensei em trucida-lo! Mas ele não tinha medo, ah criança arrogante! 

Sasuke soltou um som de indiferença mas não levantou o olhar, Hinata estava de cara!...a rainha estava remexendo no passado dos dois? 

— Mas então, eu disse a ele " Seu príncipe escapou e pode estar em perigo". Dai ele ficou surpreso, eu vi em cada respiração que ele dava que sabia onde Naruto tinha ido, ele se importava com o pequeno príncipe... Eu disse "Vá  busca-lo e traga-o de volta para mim, e permitirei que sejam irmãos"...Você devia ver Hinata, como o bastardo saiu em disparada aos bosques, mais rápido que um cavalo de raça. 

Naquele dia o pequeno príncipe se refugiou nos bosques a meio caminho de casa. Emburrado com Deus e o mundo... Se assustou quando um grupo de morcegos passou enfurecidos por ele e alcançou o crepusculo acima das árvore, o loiro disparou a correr.  Sasuke que observava tudo muito bem escondido achou melhor ir atrás antes que o garoto mimado se perdesse e cortou caminho, acabaram tombando fortemente, numa colisão díficil de se manter
—   Aii por que ficou na minha frente?...- parou ao perceber quem era, e logo continuou esfregando sua testa calculando um possível galo - Garoto!
—  Eu? Você é que não olha por onde anda com esse despero - Sasuke desviou o olhar, o pequeno garoto abriu um sorriso de deboche - Você não está com medo, está? Gatinho assustado!
 EUUU ? MEDO DE QUE? DE VOCÊ ? - O príncipe fechou a cara. - Só se for.
Sasuke sempre o observou, e sabia que ele falava alto demais para alguém nobre. 
 Fale baixo, estamos no meio da floresta, não está vendo? - demonstrou toda sua arrogância prematura.
—  Tem razão! - Disse o garotinho das safiras mais brilhantes de Konoha - você ouviu isso ?- os dois por um momento ficaram no mais absoluto silêncio, mas o príncipe era um menino travesso - BUHHHHHHH
Sacudiu o outro pequenino causando o maior susto do mundo. Enquanto ria abersa, Sasuke encarava o loiro irritado
—   Oras, você se diz príncipe mas não passa de um bobo da corte - desrespeitou o loiro que apenas ria da cara de espanto que o bastardo tinha feito.
 Ah, você não está com medo está? Gatinho assustado ! - Devolveu a frase arrogante em meio a risadas finas de criança.
—  Idiota! Grande e patético idiota! - irritadíssimo ofendeu o príncipe, agora quem estava espantado era Naruto. Mesmo que fosse um desrespeito ele o fazia, sem finjimentos, sem medo de dizer o que achava e olhando bem no fundo dos olhos dele.
As safiras do pequeno loiro brilharam como nunca antes. Seu maior sorriso foi aberto.
—  Gostei de você  - revelou alegre e animado.
—  Ah - Sasuke estava acostumado a ouvir isso, mas devolveu o sorriso, não tão aberto ao irmão - Ei ei ei o que acha de apostarmos corrida até o castelo? - As safirias brilharam muito mais, ele tinha alguém para brincar! 
 

—   E...o que houve depois ? - Hinata indagou surpresa.

—   Ah depois... - A rainha passou as costas das mãos nos olhos se livrando de algumas lágrimas indesejadas - Minato juntou os dois em tudo que faziam, ele levou inclusive os dois para caçarem. Porém meu menino não é muito adépto a liberdade de um homem comum...sabe? Se ele se machucasse traria problemas ao reino...

Sasuke ficou calado, todas aquelas lembranças lhe fizeram se sentir ainda mais responsável pelo irmão... A rainha saiu ainda fungando. Hinata ficou desacreditada que a rainha tivesse sentimentos, a mulher até parecia não se manter firme sobre os próprios pés, vacilou uma ou duas vezes antes de sumir do campo de visão dela, mas Sasuke não reparou, pois estava emburrado.

—  Toneri, Ko e papai - Sasuke trincou os dentes, e só agora levantou seu olhar - Quem mais querida esposa?!

—  E-eu nem sabia dos sentimentos de Toneri - Ela explicou vendo a repentina fúria do homem debilitado - Ko era meu cuidador, Sasuke... e seu irmão estava em perigo, por isso me arrisquei indo até o rei.

—   Ah é, tem meu irmão também! - O ciúme estava tomando conta do bastardo, até que ele mesmo se deu conta - Falando naquele idiota...eu preciso... - Gemeu de dor tentando se levantar.

—   Sa-sasuke! - Hinata o impediu de se levantar - você mal se recuperou.

—  Mulher! Pegue minhas roupas, preciso me por de pé - Ele disse sem se importar com o alerta da moça.

—  Sasuke!! - Ela fez de tudo para impedi-lo. - Para de ser teimoso, homem! - Mas lá estava ele, se livrando da barreira que ela tentou fazer, com todo esfoço empurrou os braços dela e firmou seus pés no chão antes de se levantar. 

Viu tudo girar e o embrulho no estômago atingiu-lhe em cheio, mas se concentrou em não perder as forças. Suspirou enquanto Hinata ainda reclamava em seus ouvidos.

—  Nã-não pode ajuda-los, Kakashi e Obito já devem ter saído a essa altura e você não tem a menor condição...

—  Calada! - Ele vocíferou - Ele é meu bendito irmão! Não vou simplesmente deitar enquanto ele perde a vida!

—  Não...Sasuke, não pode se motivar por que teve uma simples conversa com a rainha... - Hinata tentou por ele no lugar, mas Sasuke mesmo sem forças parecia uma muralha.

—  Não foi uma simples conversa! - O tom de Sasuke mudou, algo mais sólido domou sua voz, e ele falava determinado - Foi um pedido.


'Seu príncipe escapou e pode estar em perigo'
' Vá busca-lo e traga-o de volta para mim'

 

A rainha andava vacilante, tinha que chegar ao seu quarto o mais rápido possível. Já tinha dado as ordens a Obito e Kakashi, seu corpo estava pesando, seu olhos desfocavam a visão, e a cada 5 segundos  tudo girava. Ela esperava que Sasuke lhw entendesse, o recado era mais que claro, mesmo com o maior orgulho do mundo ela pediu...Tinha certeza que aquele patife com olhos escuros e sagazes tinha compreendido perfeitamente. Pôs a mão na testa e se agarrou em uma parede. Inspirou e expirou lentamente e os servos a viram sem capacidade de se manter.

—  Majestade! Majestade está tudo bem? - Alguém, irreconhecível falou. 

—  Kushina! - Ah essa voz era muito bem conhecida pela rainha. Era a amante de seu marido! - Chame alguém mais forte para leva-la aos aposentos.

Kushina era incapaz de falar, ainda mais que pediu ao maldito filho dessa mulher, algo impossível. Simplesmente sugou o ar com todas as forças enquanto o caminhar de alguém fogia ao longe.

—  Você conseguiu por Minato para dormir, mas somente se crucificando junto não é...? - Mikoto falou ajudando-a a ficar de pé.

—  Não preciso de sua gentileza, preciso da força do seu bastado- Kushina conseguiu dizer, com a voz fraca. Apagou. Ali mesmo...sendo amparada por sua rival.


Notas Finais


👑 - A essência do capítulo é trazer um pouco da relação das moças e dos moços antes de tá todo mundo na mesma corte e nos rolos da vida. Talvez tenha saído um pouco grande...só um pouquinho


Eu só queria dizer que pro Sasuke tá ruim kk pior que ter a Kushina como inimiga, é ter com amiga. Que Deus o abençoe! Néh?

Infância mostrada pela autora, bora lá para o próximo -> Irmandade, que é o resgate do casal sensação kkk vai ser legal prometo!
Obigado por lerem! Próximo sai logo! sz
Obrigado àqueles que comentam também, minhas razões para viver aqui no site sz kk na moral, na moral... essa humilde e fulera escritora manda beijos!
Gente eu só quero mandar meus agredecimentos mesmo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...