História The Size Of The Moon - Capítulo 31


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Chouji Akimichi, Deidara, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hanabi Hyuuga, Hidan, Hinata Hyuuga, Hyuuga Hiashi, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Juugo, Kabuto, Kakashi Hatake, Kakuzu, Kankuro, Karin, Kiba Inuzuka, Kisame Hoshigaki, Konan, Kushina Uzumaki, Maito Gai, Mikoto Uchiha, Minato "Yondaime" Namikaze, Nagato, Naruto Uzumaki, Obito Uchiha (Tobi), Orochimaru, Pain, Rock Lee, Sai, Sakura Haruno, Sasori, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Shino Aburame, Temari, TenTen Mitsashi, Tsunade Senju, Yahiko, Zetsu
Tags Gaaino, Hinasasu, Lilith, Misticismo, Narusaku, Reinado, Sasuhina, Shikatema
Visualizações 331
Palavras 4.805
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Terror e Horror, Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi! Oii! Oiii!

Dessa vez eu corrigi, só falta corrigi a Fic dos Deuses e postar também :v

Enfim, o início do Motim.
Gente...O próximo já está pronto também tá?

— As pessoas feridas são fortes, elas sabem que podem sobreviver e por isso são perigosas - Tsunade.

Capítulo 31 - Capítulo 31 - Attack on the Castle.


Fanfic / Fanfiction The Size Of The Moon - Capítulo 31 - Capítulo 31 - Attack on the Castle.

 

Atentado ao Castelo

 


Naquele fim de tarde....
 

— Mudança de planos - Chiyo avisou ao capacho disfarçadamente - Kushina acabou me pondo numa situação delicada, qualquer morte nos complicaria.

— Vamos cancelar o atentado ? - Questionou o servo.

— Não...Inclua Temari na lista...se uma de Suna morrer não terão como acusar-nos. - Chiyo não mostrava emoções em decidir o futuro da neta, olhou para baixo da escadaria e viu quando as meninas se encontraram no salão onde Kushina analisava toda a decoração para o baile, Tsunade estava um pouco atrás fazendo sua própria avaliação.

— Oh esse aqui cabe cinco velas, espalhe mais deles mas mantenha longe das cortinas - Kushina disse a um criado, bem humorada, analisando um castiçal mais luxuoso do que os que ficavam nos quartos ou em outros ambientes do castelo.

— A rainha me parece mais feliz hoje - Sakura comentou assim que chegou perto da avó - Na maioria das vezes ela tem sempre um olhar duro e massivo. 

— Sim, Kushina é constantemente deixada de lado em assuntos passionais...e políticos, Sakura...É uma desigualdade absurda que um homem possa ter várias amantes e uma mulher apenas beijar outro que não seja o marido perca a cabeça acusada de adultério - Tsunade explicou baixinho enquanto a rainha mandava o servo trocar a cortina de lugar numa janela - A vida dela muitas vezes é solitária, além de que, quando a conheci, ela havia se apegado a Minato com um amor jovem e impulsivo. Ser trocada por uma costesã deve latejar no peito como um espinho incomodando sua ferida.

As meninas baixaram o olhar pensativas, e mais uma vez Ino reforçou sua tese do amor recíproco, ironicamente, o mesmo homem que massacrava os sentimentos da poderosa Kushina, foi o que lhe abriu os olhos. Hinata imaginou por um momento se Sasuke seria como o pai, e Sakura imaginou se teria um casamento como o deles, visto que, Naruto tinha uma relação com uma cortesã chamada Shion, mas quem era ela para cobrar algo ?

— Mas ela sobreviveu - Tenten lembrou, com medo de ficar com dó da rainha, e definitivamente, Kushina não precisava de ninguém para tomar as dores por ela. - É o que importa!

— Exatamente meninas...- Tsunade lhes passou a lição - Kushina é uma pessoa ferida, mas as pessoas feridas são fortes, elas sabem que podem sobreviver e por isso são perigosas, não testem a ira dela tão cedo.

As meninas assentiram, e a mais velha as deixou livres para conferir as toalhas de mesa, Sakura foi até Kushina e suas damas a seguiram.

— Filha! - Kushina exclamou assim que virou-se - já ia perguntar aonde está Naruto, mas acabei de lembrar que você quase nunca sabe da vida dele.

Sakura revirou os olhos.

— Assim como você não sabe de Minato, e nem Hinata sabe de Sasuke - Rainha e Dama semicerraram o olhar sentindo as alfinetas. E Sakura encarou suas duas damas restantes.

—  Neji está cuidando dos negócios com Hiashi! - Tenten garantiu.

— Eu não sou casada! - Ino se defendeu.

— É, felizmente é uma sina para poucas -  Kushina estalou os lábios, acostumada a própria situação há muito tempo. - Gostaram ? - perguntou da decoração esplêndida já quase terminada. 

— Está maravilhoso - Hinata observou o local e por um momento se imaginou dançando com Sasuke, mas ele não gostava de dançar, ele apenas observava nas noites em que sempre organizavam boa música e diversão entre os nobres.

— Sim, sim - Sakura reforçou - Kushina, desculpe-me a curiosidade mas...ouvi de Tsunade que você foi educada em um convento, e sofreu um atentado...eu fiquei...curiosa

— Ah - Kushina lembrou-se da troca de farpas com a loira, uma criada lhe trouxe um papel com a refeição listada e a rainha pegou para ler - Na época ela era esposa do mandante do atentado.

— Meu avô ? - Sakura pasmou e por um momento as meninas não puderam controlar o espanto.

—  Siiim - Kushina analisou o papel de cima para baixo ao mesmo o tempo em que falava - Só souberam do atentado porque ela mesma nos avisou, ela era contra machucar virgens, eu tenho uma certa divida com ela...- a ruiva levantou o olhar e reviveu o passado por um breve segundo - Mal tivemos tempo de saber o que estavam acontecendo, homens entrando em lugares sagrados e trancando as noviças na dispensa...Enquanto eles procuravam pela princesa Uzumaki, escondida debaixo de uma cama num dos quartos, ela se viu ser arrastada para fora do esconderijo e viver momentos de terror...

Hinata jamais imaginou que teria essa parte na história da rainha, pensar na mãe de Naruto com medo de um dos camponeses...era quase indigerível. Nem mesmo as outras conseguiam engolir

— E o que houve depois ? - Ino perguntou ainda pasma.

— Bom - a rainha piscou e fechou a lista - Depois Minato apareceu e matou o homem que tentou me estuprar com uma facada bem no meio do peito, e descobrimos que o convento foi profanado com derramamento de sangue, enquanto as rezas das meninas eram ocultadas pelos gritos de dor e guerra. Foi lá que me apaixonei pelo traste - Kushina engoliu um seco e sorriu - Uma boa história para ser escrita, o que acha ?

— Um pouco...tensa, mas pelos menos você ficou bem...e teve um filho com Minato depois...meu marido - Sakura sorriu forçada. E Temari chegou bem na hora chamando-as para ver os homens num jogo.
 

O bastardo mirou no alvo, enquanto Naruto falava ao seu lado sobre a neve ter aumentado. Soltou o cabo por fim e a flecha voou por um instante antes de uma onda de vento forte o suficiente para atira-la no chão passar.

— Merda! - ele praguejou. 

— Isso sim se chama azar - Gaara comentou ao lado de Naruto enquanto o loiro sorria por não ter sido o único a errar.

Isso sim era inusitado, ele tinha conseguido se esquecer das palavras amedontradoras de sua mãe por um segundo para se concentrar e acertar aquele alvo idiota e ele tinha errado ? O que diabos estava acontecendo ? O tormento lhe tomava conta.

Sasuke havia voltado de sua caçada magnífica. Hinata via ele de longe tentar acertar flechas no alvo com o amado irmãozinho, Gaara os acompanhava, ela não sabia como funcionava o jogo, só sabia como funcionava a brisa, e sempre que ele atirava ela o fazia errar, e se ele errava, não ganhava pontos certamente. Querer evita-la era compreensível mas fingir que ela não estava lá ? Era o fim! Eles estavam perto das árvores do terreno a frente do castelo, onde havia menos neve, e as meninas viam tudo escada da entrada.

—  Sasuke é uma graça até errando - Comentou Temari, e Hinata revirou os olhos.

— Ele é a graça em pessoa, todos dizem... - Comentou ela com o tom sarcástico e Sakura se intrometeu com medo de Hinata ir longe demais.

— Meu marido é melhor com espadas, posso garantir.

— É...o príncipe é péssimo em arco e flecha, mas o seu irmão Temari...ele é ótimo. - Ino comentou abrindo um pequeno sorriso.

—  Gaara talvez seja o melhor, mas só porque Sasuke está tendo uma onda de azar, o vento vem sempre na hora errada. - Tenten defendeu o bastardo, uma atitude incomum, ela não costumava gostar de Sasuke.

— Ah, mas Gaara é habilidoso - Ino levou uma mexa de seu cabelo para trás da orelha, estranhamente envergonhada?

Era a vez de Sasuke novamente, mas dessa vez ele concentrou-se por mais tempo, aguardando a provável brisa passar, então ele fingiu que ia soltar a flecha mas desfez a posição e a mira, e o vento passou nesse exato momento e Hinata xingou mentalmente. Ele havia percebido...não era bobo, olhou na direção dela por um momento, e Deus, como ela havia sentindo falta daquelas orbes negras...queria correr até ele e beija-lo, mas o que for que estivesse pensando ele deixou de lado, e entregou o arco e a flecha para Gaara murmurando algo.

— Tire os olhos de Gaara e foque no irmão dele - Sakura repreendeu Ino e trazendo a mente de Hinata de volta para a conversa delas - Chiyo gostou de você e não te quero divida entre os dois irmãos do deserto.

Ino ficou vermelha como um camarão, mas não era de vergonha, franziu sua expressão numa irritação bem aparente e enfrentou sua alteza.

— Não, não se preocupe Sakura, eu não vou ficar divida entre dois irmãos e ter um casamento afim de viver um amor proibido como você - Surpreendeu a todas com uma frase bem incômoda.

— Não me desrespeite Ino! Sou sua amiga, mas meça as palavras! - Sakura a alertou. E Temari estava branca quase como a neve abaixo das escadas.

— Do que estão falando? - a forasteira do deserto não estava entendendo nada, afinal o assunto tinha saído do controle quando estavam falando de seus irmãos.

— Por que não conta a ela, Hina? - Ino indagou cruzando os braços num olhar marejado, e o coração de Hinata vibrou em desespero. - Vamos...pode dizer que o bastardo bonitão é seu marido! Porque eu não faço a mínima questão que você sofra por mim, eu não vou dar um mínimo passo para me aproximar de Kankuro...

— Já chega Ino! - Sakura levantou o tom de voz. - Você deve me obedecer. - Sakura pela primeira vez usou sua posição para encurralar a amiga, mas odiando.E Temari encarava Hinata incrédula e depois olhou para Sakura, e pedia com o olhar que Tenten explicasse mas esta se preocupava em acalmar Ino.

— Sossegue Ino, não levante o tom para a princesa. - Mas estava claro, ela também havia odiado que Sakura ultrapassasse os limites da amizade por causa de Suna.

— Pois então...Alteza, obedecerei, serei cortejada por Kankuro - as lágrimas da loira de olhos azuis ousaram escapar de seus lindos olhos, e trazendo tristeza naturalmente as demais ali - Mas eu espero que seu plano dê errado! Todos eles! E saiba que Hinata e o bastardo estavam muito bem até você e seu marido idiota aparecer! 

A loira jogou a verdade e se retirou, devolvendo a mágoa que Sakura tinha lhe causado, ignorando Tenten e livrando Hinata de seu tormento desnecessário. Sakura olhou tão branca para Hinata que Temari nem chegava a seus pés em termos de surpresa, por um breve momento elas se encararam com as palavras perdidas e a voz oculta sobre o nó na gargante.

— O que estamos esperando?! - Tenten passou por elas e correu atrás de Ino tentando alcançar a amiga - Ino espere!!

Sakura se tocou e moveu seus pés, segurando as saias também gritou por Ino, e Hinata não ficaria ali para ouvir questionamentos de Temari e foi atrás deixando para trás seu amor ausente, mas foi seguida pela loira.

Os meninos viram a pequena confusão entre as mulheres mas quem era louco para se intrometer? Ninguém..Assim que as cinco começaram a correr para dentro do castelo, eles voltaram aos seus jogos e Sasuke sentiu a brisa quase imperceptível se lembrando do rosto de Hinata, ela estava querendo a atenção dele...era óbvio, mas como ele diria que não a queria mais? Se queria, e só por causa de Naruto? Além disso Mikoto lhe encheu a cabeça e agora ele ligou as cenas do sonho que sua mente confundia com  a realidade, era sempre algo a ver com um Uzumaki e Hinata...sim pois aquela sensação ruim que sentia quando Minato se aproximava dela... Por fim soltou a flecha e ela foi certeira no alvo e Naruto murchou o espírito competitivo.

—  Parece que as mulheres lhe tiram o talento - comentou Gaara, batendo a mão levemente no ombro do moreno.

—  Apenas uma em especial - Sasuke revelou, e viu seu irmão ficar apreensivo, será que ele estava querendo saber se era Sakura ou Hinata?

—  Que seria? - Gaara ousou perguntar.

—  Minha doce esposa...- Sasuke comentou ajeitando o arco e preparando outra flecha. 

—  Ela seria loira? - Gaara estava à beira de um interrogatório. Naruto caiu na gargalhada e Sasuke também quis rir, então quer dizer que o ruivo se encantou por Ino? É o fim!

—  Não, era a morena de olhos cor da lua - Sasuke mirou novamente. - Ela me arranca capacidades....- Soltou a flecha e foi novamente no centro do alvo - Como essa. 

—  Ela é muito bonita - Gaara comentou e Sasuke juntou as sobrancelhas - com todo respeito, mas eu não vejo vocês muito...juntos?

—  E pode não ver nunca - Ele comentou sentindo o amargo de suas palavras invadirem sua boca - certo, irmão

Naruto baixou olhar, Sasuke estava dizendo que estava disposto a abrir mão dela, ele nunca tinha dito nada sobre o que achava dos planos do príncipe, ele nem gostava de comentar de Hinata, e muito menos de Sakura. Mas certamente aquela era a resposta dele...Naruto soube.

—  Certo.  - respondeu, e Gaara criou um inesperado interesse pela mensagem oculta dos dois irmãos. 

Eles pareciam está fazendo uma barganha muito descontentes. A troca seria de esposas? Pelo modo que Sasuke se referiu a esposa era quase como se ele estivesse desejando correr atrás dela e dizer tudo aquilo que ele disse ali, sobre o poder dela de tirar-lhe a habilidade do arco e flecha.

—   Valha-me Deus! - soltou Gaara - E eu que achava esse reino normal...

 

__x__

 

Hinata fugia das perguntas de Sakura, que tentou lhe arrancar respostas sobre seu casamento após pedir  mil desculpas às damas e Temari, ela se dispôs a ajudar Ino a se desviar do tal Kankuro pondo sua amizade e o bem-estar da amiga acima  de interesses políticos, quisera a Bonequinha que Sakura intercedesse por ela no dia do seu casamento também, evitaria muita coisa, muitas complicações, com sua vida e com Sasuke.

 Visto que até ela tremeu na mira da espada do General, apontada pelo próprio rei, não havia como julgar sua alteza e amiga. Mas havia como fugir dela  naquele castelo enorme, após jantar na cozinha com Ko sobre olhares de criados ela ainda tentou quebrar a barreira de servo e ...patroa?  E pasmem, pois os servos fofocavam como velhas faladeiras, sabiam que o rei tinha dormido com a rainha ontem e por isso a ruiva estava de bom humor, sabiam que Chiyo visitava o capacho na ala onde os soldados repousavam, sabiam até mesmo sobre o interesse do velho conselheiro do rei pela irmã mais nova da Hyuuga.

Hinata só ficou 100% atualizada dos assuntos do castelo umas 4 horas depois de se sentar e cochichar com eles, Ko tinha conseguido bons amigos e pessoas de bem, apesar de ter uns tão mal-humorados que chegava a doer um rim de Hinata, sempre que eles lançavam seus olhares preconceituosos. Acabou se livrando deles quando a madrugada já caia e somente porque eles levantariam junto com o raiar do dia, pois se fosse por ela...ela não se importaria em ter companhia a noite, pois  mesmo que Sasuke estivesse voltado ele dormiria em outra cama, na de seu antigo quarto...talvez com outra. Conseguiu segurar as lágrimas assim que chegou no seu quarto, estava um pouco cansada e graças aos criados ela dormiria essa noite, então se pôs naquele tecido de seda que Sasuke ameaçou rasgar...tudo fazia ela pensar nele!!

Ela começou a apagar as velas, e deixou só o braseiro aceso pois estava frio. Mas quando alcançou o último castiçal perto da janela...Uma presença estranha lhe trouxe calafrios, o homem mostrou sua lâmina e pediu por silêncio, Hinata sentiu sua espinha gelar, e inconscientemente sem nem saber o que era,  o coração saltitou preparando seu sangue para uma possível corrida, porque...Tudo naquele homem indicava perigo, e as batidas começaram a ficar mais fortes...

— Nem pense em gritar Bonequinha - O homem desconhecido a chamou pelo apelido que o rei lhe dera, deixando Hinata mais confusa ainda - Disseram-me para te cortar e depois costura-la como se você realmente fosse feita de pano.

Hinata engoliu um seco e oh deus...a imagem de seu pai dando aquela ordem fez seu peito falhar. O rei tinha que se mostrar encantado para seu pai também? Agora ela iria ser zombada até na forma de morrer. Quando o desconhecido deu um passo, Hinata deu outo para trás e sentiu a quentura que o braseiro oferecia à suas costas. Num cumprimento grande, o espaço do quarto lhe oferecia de um lado a cama e do outro a porta, e ela deu um passo rápido para a saída mais o homem correu até ela a segurou bruscamente impedindo-a.

Hinata sentiu aquelas mãos grotescas em si, e ele gargalhar quando ela tentou se livrar das malditas garras. 

— SOCO--- Uma mão do homem a calou e Hinata comelou a espernear. - Hmmmmmmmmmmmm

—  Calada! - Ele exigiu encostando a faca no pescoço de Hinata e ela travou-se por inteiro.

Oh senhor, mande a bendita legião de Lilith porque ela necessitava disso imediatamente...  lágrimas de desespero e medo desceram de suas perolas oscilantes e o homem começou a puxa-la pelo cabelo.

—  Ai, ai, po-por favor pare - Ela pediu, mas o homem sorriu.

—  Você é um anjinho sabia? - Ele desceu a lâmina fria pela pele do pescoço de Hinata até os seios cobertos pelo tecido leve. - Mas o que me pagaram para não te violentar...- O homem balançou a cabeça e a luz do braseiro deu um vislumbre de sua cara feia e nojenta  - estou pensando se aquele ouro foi muito pouco...Uma beleza que nem você, não se desperdiça. Mas trato é trato, irei apenas surra-la até a morte.

Hinata sentia todo o corpo tremer, e o embrulho no estômago não parecia ser menos que nojo das palavras daquele matador de aluguel, ela tentou trazer a brisa mas estava descontrolada demais para controlar a natureza, suas mãos suavam e seu coração disparava se batendo nas pequenas paredes de seu peito. Oh onde estaria Sasuke?

 

__x__

 

No dormitório dos soldados, onde ele tinha passado metade das noites de sua vida, apostando nos jogos de mesa, bebendo, jogando conversa fora após voltar das tabernas ou de bordeis. Mas agora ele não frequentava esses lugares, apenas tentava se divertir mas sabia que Kiba jogava sujo com os dados, e Shikamaru disputava com General o xadrez desde duas horas atrás. Não estava divertido...Ele queria simplesmente largar aquilo tudo e correr para os braços de Hinata, o pensamento dela lhe trouxe a vida para a marca pagã entre seu ombro e seu pescoço. Tocou nela suavemente enquanto Chouji reclamava com Kiba de alguma falha no jogo, virou-se irritado e encostou-se na parede, e em sua mente surgiu a imagem de sua esposa com a uma lâmina contra seu pescoço, e impetuosa a marca espalhou suas chamas pela corrente sanguínea do bastardo o obrigando a dar um passo...

—  Dr-droga!- Ele rosnou e todos pararam a baderna para encara-lo - O castelo está sendo atacado!

—  Como você sabe? - Indagou o General já ajeitando sua armadura e suas armas assim como os demais.

Sasuke nem havia notado quando a raiva havia penetrado em suas veias, quando viu-se procurar por sua própria espada e encaixa-la na bainha em sua cintura e oferecer seu olhar tempestuoso entre a raiva e o desespero a seu professor.

—  Eu e Hinata temos um código que funciona mesmo se estivermos longe um do outro - Disse sendo o primeiro a seguir para a porta, e alcançar o corredor que lhe levava para as colunas principais da fortaleza mais rápido do que ele costumava ser. A marca reclamou de sua demora quase fritando seu ombro - já estou indo meu amor

 

__x__

 

 O corpo de Hinata se bateu na parede enquanto o homem brincava com a lâmina ameaçando lhe cortar.
Hinata olhou para a janela e o bendito corvo não estava lá essa noite, e ele sempre oferecia sua companhia quando Sasuke não estava! Só podia ser seu destino morrer ali...Pois Sasori se foi, Deidara também, nem Konan poderia adivinhar...E Sasuke...Oh Deus, Sasuke era o dono de sua desilusão. As lágrimas passaram de desespero para tristeza.

—  Ah vamos ver...por onde começamos ? Você tem que sentir a dor mas não pode fazer barulho...- Ouvi-se gritos agoniantes lá fora e Hinata arregalou os olhos, o homem apenas sorriu zombateiro- Agora pode. 

—  O-o que?

—  Os guardas lá fora Bonequinha, estão sendo mortos...então agora você poderá gritar de dor a vontade...- O Homem calculou o corte na bochecha de Hinata enquanto ela fungava acreditando que se morresse, Hyuuga Hiashi pegaria tuberculose como o irmão! - Aqui... - o homem afundou a ponta da lâmina e Hinata fechou os olhos esperando pelo corte

Mas o homem foi puxado pelo ombro, e foi pego pelo soco de um Sasuke furioso e num movimento rápido a faca foi parar bem longe de sua mão. Em sua cólera, o bastardo sentiu vontade de quebrar cada um dos ossos daquele desgraçado, e iria fazer isso! Ninguém tocava em Hinata assim! Ninguém! Desferiu uma série de socos no homem até ele começar a sagrar e gemer em agonia

A marca em seu corpo só trazia mais ânsia em ver o homem sofrendo em agonia, ele mal pôde notar uma Hinata assustada assistir sua crise de violência, pois Sasuke pegou o homem pelo braço e o pôs de costas. Alcançou o primeiro dedo, era o mindinho, Sasuke o quebrou com facilidade. Em seguida veio os 4 dedos restantes e o homem começou a amaldiçoar o bastardo, mas então Sasuke resolveu quebrar-lhe o pulso, e quando chegou no antebraço Hinata gritou.

—  P-POR FAVOR!! - Pediu em meio a lágrimas e medo, ela nunca tinha visto Sasuke tão...cruel.

—  Eu iria quebrar cada osso desse miserável! - Ele rosnou, e então viu sua vítima chorar de dor mas não sentiu dó, o segurou pelo queixo  ainda de costas para si, e o obrigou a olhar Hinata - Veja...a Bonequinha se torna sua salvação, tão bondosa a ponto de não querer vê-lo sofrer...mas reze para que o criador tenha apreço por mim e arrebate minha alma, pois se eu te encontrar no inferno, você irá preferir os castigos do diabo - Sussurrou e assim que fechou a boca girou a cabeça do homem de forma violenta e só seu ouviu um estalo, o pescoço se quebrou e o corpo caiu no chão.

O bastardo sentiu a cólera se esvair, e suspirou encarando sua esposa toda trêmula de medo,  ela já não sabia se era da situação ou do marido, ele passou por cima daquele morto infame e ergueu sua mão até ela, que num reflexo virou o rosto no medo de ser surrada. Mas ele a tocou ternamente.

—  Você está bem? - Ele questionou preocupado, e Hinata abriu os olhos sentindo o medo abandona-la - ele...ele machucou você?

Hinata apenas balançou a cabeça ainda chocada com o homem desumano que  Sasuke fora a poucos segundos... 

—  Não mente para mim, Benzinho - Ele pediu baixinho, tanto que a correria fora do quarto foi ouvida, haviam soado o alarme, Sasuke estava certo.

—  Na-não Sa-sasuke - ela se permitiu chorar sentindo o polegar dele passar pela sua bochecha onde antes uma lâmina pousava - se...se você ao menos soubesse que...

—  Me diga! - Ele pediu preocupado em seu tom autoritário. Hinata engoliu um seco desencorajada e sons de luta foram ouvidos, pois a porta estava aberta.

—  Que doeu muito menos do que sua ausência - Ela revelou soluçando, prestes a chorar novamente, mas  se recompôs, enquanto Sasuke sentia as palavras dela fazerem efeito em seu coração.

—  Eu...- Suspirou e considerou contar seus planos - eu tenho feito isso por você e Naruto...

—  Você o que? - Hinata esqueceu do susto e da tristeza e encarou o marido mais confusa do que nunca.

—  Não era o plano dele? Deixar Sakura livre, e ter você - ele explicou e ela balançou a cabeça negando a idéia - Eu...se você o ama Hinata, eu não vou impedir vocês de ficarem jun--

—  Mas eu amo você! Homem tolo! - Ela afirmou se controlando para não socar aquele rosto bonito e idiota. Sasuke recebeu a surpresa totalmente despreparado, abriu a boca e fechou duas vezes antes de encarar as perolas sérias e sinceras o acusando de ser burro.

—  Repete...- ele pediu sentindo o peito pulsar, sentindo uma chama consumi-lo e queimar interninavel por dentro.

—  Homem tolo! - Ela o insultou sem medo ou talvez lembrança da crueldade que ele desmonstrou há poucos segundos e ainda deixou suas mãos baterem no peito dele expressando sua revolta.

—  Não - ele pegou as mãos delas e puxou-a contra si com um olhar suplicante - Antes disso, Hinata, diga de novo.

Ela corou dos pés a cabeça ao se lembrar o que deixou escapar, não era para revelar assim, ele nem merecia saber após deixa-la sofrer sozinha, mas ouvir que ele a deixaria para Naruto era o fim! E guardas lá foram gritavam sobre invasão e rebeldes.

—  A-amo você - Ela disse mais baixo do que ele queria, mas tudo bem, pois uma euforia tomava conta  de seu espírito sofrido pela falta dela.

—  Verdade? - Ele indagou ainda não acreditando.

—  Oh Sasuke não duvide - ela pediu entrelaçando seus dedos nos dele e começou a soltar as palavras sem pensar e parar para respirar- Meu coração bate tão depressa quando estou sobre seu olhar, só de pensar em você sinto vontade tê-lo só para mim...Não, não quero outro, assim que ousei sentir seus lábios sobre os meus, eu...eu jurei ser sua, não jurei? Por que quer me deixar? Me desculpe, eu nunca quis chama-lo daquele nome...eu não pensei na hora...

Enquanto ela falava Sasuke apertou sua mão na dela, e a outra a trazia mais para perto, o cheiro dela estava penetrando suas narinas e ele estava embriagado, pelas palavras, pelo cheiro, pela voz, pelo modo que ela dizia.

 Eu nunca disse que queria deixa-la - Ele a corrigiu quase encostando seus lábios nos dela - nunca, meu amor - ele levou seus dedos até a  face dela para acaricia-la - Não tem nada a ver com o nosso primeiro desentendimento, é só que... - E agora? Ela nem sabia que ele queria se ver livre da profecia da salvação, mas não queria se ver livre dela...não, depois de saber que ela o amava,  ele DEFINITIVAMENTE não a deixaria para Naruto! E como ele tinha o dom de falar a verdade sem precisar revela-la totalmente...- achei que fosse o melhor para você. Mas você...não ama ele...você...

—  Te amo! - Ela repetiu o assegurando. - Amo muito...

—  Eu também amo você Hinata! - ele falou de um jeito tão apaixonado, que Hinata jamais imaginou ouvi-lo falar daquele jeito, e o coração bateu loucamente, era hoje que ela morria mesmo! E se não de infarto, seria de desejo pois o bastardo estava provocando-a com o hálito quente dele penetrando sua pele naquele clima frio, frio e agitado pois lá fora o caos se espalhava. - estou certo que da próxima vez você é quem me fará rastejar, pois a partir de agora eu não a perderei para ninguém.

Ela não teve tempo de digerir aquilo, os lábios dele finalmente alcançaram os seus, e ela sentiu fechando os olhos, até a pequena cicatriz que ele carregava, tão quentes e vorazes que o corpo dela estremeceu de imediato, reagindo aquilo com prazer, com uma sede insaciável de ter mais da sensação oferecida. lábios doces novamente, prazerosamentente, delicadamente sobre os seus, Sasuke ainda pôde ouvir as ordens de Kakashi passadas a algum soldado bem no corredor, mas Hinata era tão boa em saber faze-lo se perder que ele fechou os olhos também e aprofundou o beijo. Ela o amava, ela disse, disse mais de uma vez, e ele não podia lutar contra aquilo, era quase como instinto de sobrevivência, se fazia seu coração bombear, ele a manteria lá, para não morrer, morrer em vida como Mikoto dissera, lutar contra o amor era morrer em vida. Profecias que se danem!

A língua dela o prendia como o próprio ensinara, ela movia de uma forma dominadora com ele ensinara, sugava avidamente como ele ensinara, e novamente  como ele ensinara também, ela ousou morder e chupar o lábio inferior e o bastardo gemeu em total aprovação e a prendeu contra si sentindo o pequeno e desejado corpo.

—  Desculpe interrompe-los - A voz de Kiba invadiu os pensamentos do bastardo que não eram nada limpos, e trouxe Hinata para a realidade - MAS ESTAMOS NO MEIO DE UM ATENTADO AO CASTELO!


Notas Finais


Ah olha a reconciliação ai meu povo!

Gostaram?
Ainda tem mais amorzinho eu prometo kk o Sasuke está euforico ao saber que é amado kkkkk
enfim, o que será que aconteceu com as outras? A véia não teve dó da neta só pra se ver livre de suspeitas


Convenhamos que a Hinata atazanando o Sasuke com os ventos foi engraçado haha
Agora sério, quando vocês querem que eu poste o próximo?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...