História The Size Of The Moon - Capítulo 52


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Baki, Chiyo, Chouji Akimichi, Deidara, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hanabi Hyuuga, Hidan, Hinata Hyuuga, Hyuuga Hiashi, Inari, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Jiraiya, Juugo, Kabuto, Kakashi Hatake, Kakuzu, Kankuro, Karin, Kiba Inuzuka, Kisame Hoshigaki, Ko Hyuga, Konan, Konohamaru, Kurenai Yuuhi, Kushina Uzumaki, Maito Gai, Mikoto Uchiha, Minato "Yondaime" Namikaze, Nagato, Naruto Uzumaki, Obito Uchiha (Tobi), Orochimaru, Pain, Rock Lee, Sai, Sakura Haruno, Sasori, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Shino Aburame, Shizune, Temari, TenTen Mitsashi, Tsunade Senju, Yahiko, Zetsu
Tags Drama, Época, Gaaino, Hinasasu, Irmandade, Lilith, Misticismo, Narusaku, Reign, Reinado, Sasuhina, Shikatema
Visualizações 516
Palavras 8.239
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Terror e Horror, Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi! Oii! Oiii!
Sempre dois capítulos por semana então, hoje é segunda, vamos começar ;)

Já já respondo todos os comentários blz? Obrigada por tudo sz


— É uma longa distância a percorrer...dos lábios de uma mulher para os ouvidos de um homem. - Minato

Capítulo 52 - Noble Blood.


Fanfic / Fanfiction The Size Of The Moon - Capítulo 52 - Noble Blood.

 

Sangue Nobre

 

 

Hinata repousava a cabeça no peito de Sasuke, o coração dele batia descompassadamente e a respiração estava tão acelerada quanto a dele. Ele realmente estava arrependido e provou isso de um jeito bem prazeroso, ela teve uma grande explosão de sensações que até agora suas pernas tremiam, mole como nunca. Foi uma das melhores noites com ele, jamais desvalorizando as outras. Sasuke era um homem ardente, ela mais que ninguém sabia disso. Quando ela recuperou forças para dizer algo, o dia já estava amanhecia lá fora, deslizando os dedos pela extensão do abdômen do bastardo, ela resolveu falar.

— Meu amor? - A voz fina saiu um pouquinho falha.

— Meu amor - ele respondeu com a voz um pouco mais rouca, se acalmando de vez.

— Aquilo que você disse mais cedo...- ela ficou rubra mas Sasuke não a apressou. - Sobre seu coração...e eu...

— O que tem? - Ele agarrou a mão dela impedindo o carinho pois estava começando a fazer cócegas - Sempre achei que esse tipo de diálogo era para homens tolos, mas eu não me senti um tolo dizendo a você.

— Ve-verdade? - ela deixou a timidez tomar conta e até gaguejou. - então você realmente tem esses sentimentos?

— Sim - ele beijou o topo da cabeça dela, acolhendo ela ainda mais em seu calor - era só isso que lhe atormentava? 

— Na verdade, há mais uma coisa... - Ela se deitou mais sobre o corpo masculino e sustentou seu queixo no tórax dele, fazendo os olhares tão distintos se cruzarem e lerem a expressão um do outro - Naquele dia, quando Orochimaru morreu, Sakura soube de nossos segredos, mas ela não é o tipo de pessoa que fofoca ou mesmo deixa escapar detalhes assim, pelo menos quando se trata de suas melhores amigas.

— Você já me disse isso antes, benzinho - ele suspirou e deixou sua mão acariciar a pele nua das costas dela - Onde quer chegar?

 — Ela se acertou com Naruto, mas...Ela não quer esconder nada dele, entende? - ela tentou e fechou os olhos pedindo por sorte a qualquer divindade, já que não pôde decifrar olhar sério do marido.

— Oh, você sugere que ela conte sobre paganismo ao marido - Sasuke revirou os olhos. 

— Ele é seu irmão. Precisa saber sobre você.

— Ele é o príncipe! - advertiu levemente exaltado - Lembra-se do que aconteceu com Lee? Aliás, você já parou para pensar porque ele não sabe sobre minha origem? sobre esse maldito selo marcando minha pele? Foi um alerta de papai, não contar a ninguém.

— Só acho que ficaria menos complicado, não precisa ficar assim - disse frustrada - Eu sempre disse que é melhor dizer seus segredos as pessoas que você confia. Eu não contei para as meninas porque você não deixou, e nenhuma delas fazia ideia, mas agora a própria princesa sabe, ficaria só entre nós...Posso garantir Sasuke, esconder as coisas de quem amamos nos faz pagar preços muito caros, você não acha?

Oh sim, ela sempre aconselhou Sasuke a contar o plano de Minato a Naruto, ou a revelar a verdade quando eles tinham brigado. Pensou por um momento em como seu pai resolvia as coisas facilmente...Mais gente saber sobre ele ter descendência dos selvagens ia contra as ordens do rei, isso respondia a questão. Não e ponto.

— Caro pagaremos numa fogueira, se qualquer um deles não reagir bem a isso...Papai nunca quis arriscar, mamãe também não. Então não seremos nós a fazer isso, e espero que Sakura não seja mesmo um risco para nós - Disse, viu o semblante dela cair em decepção e acariciou o rosto dela - não podemos arriscar, benzinho, logo agora que vamos evitar os pagãos...

— Pelo menos prometa-me que vamos ajuda-los se Gai ou qualquer outro alguém perigoso ameaça-los - pediu temerosa mas Sasuke sorriu e roubou-lhe um selinho.

— Sim Milady, agora vamos aproveitar o pouco tempo que temos e dormir - Ele sugeriu e ela sorriu se aconchegando no calor do corpo dele, e sentindo suas costas serem sutilmente coberta de carinho.


__x__
 

O sol já aparecia na janela quando Naruto despertou, oh Cristo! Ele passou um dia e uma noite inteira com Sakura. A maior parte do tempo ele dormiu por estar ainda em recuperação, seu corpo mal tinha reagido a vida e ele derramou todas as suas forças entre as coxas dela, por quantas vezes? Poucas ainda, pela situação em que se encontrava. Mas ela...ela não o rejeitou nenhuma vez, até pediu por mais. Valeu a pena ter perdido a lua de mel inteira por aquele único dia. Sentiu a respiração quente ao lado alcançar seu rosto, caçou ela com o olhar e lá estava, um par de esmeraldas observando-o com um brilho...ousaria dizer, apaixonado.

— Isso é um sonho? - pronunciou rouco, pois ela costumava ficar de costas para ele, e vestida, hoje o calor da pele desnuda escoava chegando a dele, tão perto.

— Então nunca me acorde - ela sussurrou beijando-o no rosto. - Bom dia...

— Bom - ele buscou os lábios dela rapidamente só para constar que era a realidade - dia. Minha flor, minha princesa, minha mulher - ele puxou ela, toda eufórica, pra cima de si e buscou com os dedos pela lisa barriguinha - mãe de meu filho.

— Meu amor, quando iremos contar a todos? - ela sorria levemente rubra, mas amava como ele a tratava.

— Hoje a noite, vamos aproveitar que a maioria dos nobres estarão no salão - ele sorria enquando sentia a barriga dela, a novidade havia deixado-o tão contente. Um filho...

— Vai se levantar? - Um brilho de preocupação sombreou os olhos verdes dela.

— Eu não aguento mais ficar na cama, parece que dormi por mil anos, me sinto um inútil - reclamou tocerndo os lábios mas sorriu sacana. - Fiz coisas com você que um homem cansado jamais conseguiria...

— Oh! Seu príncipe descarado! - Ela fingiu irritação mesmo corada, ah e a gargalhada dele era algo que ela adorou ouvir. - Está bem, mas se você se sentir cansado dema--

— Shii - ele retirou a mão da barriga dela e logo o dedo indicador a interrompia - Não ficarei,acredite, não se preocupe tanto comigo, e sim com você... Lembrei-me que você esteve indisposta algumas vezes.

— É algo normal para as grávidas  - tranquilizou-o - mas prometo me cuidar.

— Está bem - pegou uma mão dela para beija-la - Estive pensando em algo - Comentou e Sakura juntou as sobrancelhas - O nome do nosso bebê...

— Ah,teremos tempo para isso, seu bobo - ela abriu um sorriso encantador.

— Eu sei, eu sei. É que... eu sempre pensei em pôr um nome de algum rei de grande relevância, sabe?

— Hum, entendi - ela soltou uma risada - como o rei lendário Arthur?

— Arthur? - Naruto fez uma careta.

— O rei nobre que tirou sua espada de uma pedra, provando a todos sua honradez e que tinha direito ao trono. Você nunca ouviu falar das histórias dele, Naruto? - ela franziu o cenho 

— É claro que já ouvi falar Sakura - ele assentiu seriamente - e na maioria delas, ele era chifrudo. 

Sakura gargalhou se deixando cair sobre o peito dele, sem dúvidas, ele era como pai em certos aspectos. Sentiu ele pentear seus longos cabelos com os dedos e apreciou fechando os olhos.

— Pensei em alguém mais sábio, mais inteligente, como papai...Ou melhor, como um rei de verdade - sussurrou. - Solomon...o que acha?

— Acho interessante, mas e se for uma menina?

— Eu não sei, escolha você - ele levantou a cabeça para poder beija-la, e rapidamente trocou as posições - hã, o que você acha? - disse entre beijos.

Sakura não respondeu, e nem quis, deixou-se ser beijada, era impressionante como seu corpo reagia ao  toques de Naruto, ele se apresentou muito mais voraz do que antes, e ela muito mais entregue, as vezes se sentia uma devassa mas ele a tratava como uma verdadeira amante, os conselhos que Tsunade deu sobre se comportar na cama não serviram para nada. Ele mesmo havia sussurrado no ouvido dela no dia da consumação " Se você gostar, não se incomode em esconder os gemidos" com uma audácia que na época deixou-a totalmente revoltada e corada. Se assustaram com o som da tranca da porta.

— Bom dia! - Kushina entrou sorridente no quarto sem se importar com o constrangimento de Naruto  que rapidamente saiu de cima de Sakura - Como vai a trindade feliz?

— Não, não entre aqui! -  Ele buscou cobrir a si e a esposa, e ela coitada, corou como camarão. A Rainha não ligou e comentou do outro lado do quarto erguendo as mãos para o céu em pura felicidade.

 — Pai, Mãe e um filho em gestação! Ohh eu espero que seja um menino! - pediu aos céus de mãos fechadas para logo em seguida completar  - Haverá tempo de sobra para meninas depois.

— Ah sim, você já sabia, não? - Naruto ergueu uma sobrancelha se lembrando dela ter ajudado Sakura.

— Na verdade até eu estou me perguntando isso - Sakura olhou seu marido pelo canto dos olhos - Como é possível, apenas Hinata sabia...eu não contei para mais ninguém, queria que você soubesse primeiro.

— Eu...- A rainha achou melhor não citar Shion - Konan notou o seu comportamento, tem andado enjoada, e a cintura fina hã? As minhas servas tem observado a água de seu banho desde a semana passada, você não imagina como elas ficaram feliz em me dizer que não havia indícios de--

— Você mandou espiões? - Sakura disse em tom de revolta e Naruto revirou os olhos e se deixou afogar nos travesseiros - Para ver...algo tão...pessoal?!

— Eu fui discreta, até esperei você contar a Naruto. - Kushina sorriu se aproximando da borda da cama. - esperem só até Minato saber, ele dará pulos de alegria! E Tsunade...Oh ela irá me odiar por eu saber primeiro que ela!

Sakura gargalhou imaginando, e Naruto escondeu o riso se concentrando no sério.

— Mãe! Manteremos segredo até a noite, quero dar a notícia a todos eu mesmo - Ele alertou a rainha.

—  Mas nem pense em demorar. Alem de um membro a mais na família real, o herdeiro é a entrega das terras do oeste de vez, finalmente! - ela sorriu com um brilho no olhar - Eu posso jurar que escutei um mosteiro inteiro dizer um " Aleluia" a alguma distância daqui.

Enquanto a rainha falava o casal torceu a cara, coçou a cabeça, e suspirou frustrado com política citada logo cedo, e quase riram com a última frase, mas não deu tempo, pois a rainha bateu duas palminhas e chamou surpreendendo os dois.

—  Entrem! - Dois servos carregando um baú entraram, e mais duas servas logo atrás com bandejas, a rainha seguiu até eles explicou abrindo o bau - Alguns tecidos asiáticos para um bom vestido quando a barriga crescer, os daqui costumam ser mais pesados.

Naruto queria se fundir a cama e se livrar daquele incômodo, já Sakura entre o espanto e a curiosidade assistia as explicações sobre roupas para disfarçar a barriga quando começasse a crescer, e trajes durante a gravidez do sexto ao nono mês.

— E comida! Para ajudar no desenvolvimento do bebê é claro! - ela empurrou as servas com a bandeja na direção da cama - Nosso pequenino tem que nascer sadio. Mas você tem que ter cuidado, vamos começar com frutas e sucos, porque pela manhã as mulheres grávidas tem mais enjoos, principalmente quando o prato é muito gorduroso. Mas coma, coma bastante...

—  Eu...não darei conta de comer todas essas coisas - Ela olhou para a pequena tigelinha branca cheia de morangos que Kushina lhe estendia. - eu vou ficar gorda, Kushina. 

 — Sua forma certamente irá sumir, então engula tudo que puder fortalecer meu neto - Ela indicou com o olhar que Sakura pegasse um morango e deixou a tigelinha do lado dela - irei conversar com a minha linda inimiga para ela indicar quais chás aliviará os enjoos, e acalmará seu espirito quando estiver muito tensa.

— Eu... estou tentada a gostar de sua mãe - Sakura sussurrou mordendo um morango, quando a rainha foi despachar os servos. Naruto soltou uma risada e roubou o morango dela - Ei! Devolve!


__x__

 

A rainha só os deixou após ser chamada na sala do trono, tinha certeza que Minato iria reclamar daquela pendência, mas nada iria tirar sua alegria. Assim que entrou o rei sorriu, e saiu de seu trono até ficar bastante próximo dela, roubando seu folego sempre com aquela pose nobre e sua coroa...Ele beijou sua testa e alisou sua face.

—  Está radiante hoje, minha querida - ele observou passando os dedos pelo lindo colar de perolas no pescoço dela contrastando seus trajes vermelhos - Nem mesmo o sol se compararia e esse seu olhar, ou as chamas de seu cabelo refletidos a luz do dia - ela enrubreceu quando ele olhava seu penteado gracioso.

— Meu marido está me fazendo muitos elogios hoje, ainda que eu tenha acordado sem ele ao meu lado em nosso leito conjugal - Foi mais uma reclamação do que uma frase orgulhosa, mas ela sabia que ser chamada significava algo - Por que você não começa com a tempestade e depois me mostra a calmaria?

—  Não teria graça - ele se afastou e bateu duas palmas, um servo trazia uma pequena extensão de veludo nas mãos, por cima dela, uma joia simples pousava, um crucifixo - Eu mandei trocar a corrente, antes era um cordão, mas uma rainha merece algo mais caro como ouro. Ainda sim é algo tão barato...

—  Para...para mim? - ela juntou as sobrancelhas. Ele não costumava lhe presentear se não fosse datas especiais.

—  Sim. - ele analisou o presente, a pequena e fina cruz sobre o veludo macio - Mamãe usava, antes de morrer ela disse para mim dar para ...minha amada mulher, eu realmente achei que você merecia após os acontecimentos do baile.

—  Presumo que agora não mereço mais - ela ergueu o olhar espantando a gota de esperança.

— Kushina, a corrente é larga porque ela usava em volta da cintura - ele ignorou o comentário e pegou o presente e colocando no lugar - Não tenho coragem de mudar isso, ficará lindo quando sua saia balançar no movimento de suas lindas pernas. Você gosta?

—  Minato, por que está dando para mim? - ela questionou verdadeiramente confusa quando viu o presente bem preso, mas folgado em sua fina cintura - Sua amada é Mikoto, todos sabemos.

—  Bom...diante de Deus e do resto do mundo minha mulher é você - Ele justificou - use mais vezes, ficou lindo.

—  Isso é um verdadeiro milagre? - ela questionou semicerrando o olhar - ou você está tentando se desculpar por algo? Uma prisão talvez.

—  Querida, um pedido de desculpas de minha parte é raro, tal qual o próprio milagre - ele voltou ao seu lugar e mandou um sorriso - Sente-se e vejamos quem...deve se desculpar aqui.

Kushina não disse mais nada, segurou o crucifixo fortemente e se dirigiu a seu lugar. Para seu azar, Gai foi chamado, Obito e Kakashi o acompanhava e os homens que a rainha havia disponibilizado ao sobrancelhudo.

—  Como você explica isso? Após a tentativa contra Sasuke, o comandante Gai ganha todos esses homens misteriosamente.

—  Ele não tem nada a ver com isso - Kushina se obrigou a defende-lo - Os guardas agiram sob meu comando, pois Konan lhes enviou uma mensagem. Não sabe que Sakura fez o favor de me consolar naquele lugar nojento? E não tente descontar na princesa, ela só queria o meu bem. Ou em Konan que apenas seguia ordens.

—  Eu chego a duvidar - Minato se recostou no trono. - mas suponhamos que isso tenha acontecido...Explique os homens dado a Gai...sem meu conhecimento, na minha maldita ausência Kushina!

Kushina queria dizer a primeira desculpa que veio a mente, mas sabia que Gai já tinha sido testado e agora era vez dela, qualquer palavra que não coincidisse com o comandante do rei entregaria a traição do homem e ela tinha prometido ajuda-lo. Encarou Gai perdida, e ele entendeu decidido salvar sua própria pele.

—  Majestade como eu disse a rainha ficou muito grata por eu tentar ajuda-la a comer aquela comida, ela apenas gost--- Kakashi o segurou pelo pescoço pegando o comandante desprevenido.

—  Você só fala quando o rei se dirigir a você. - Relembrou sem deixar qualquer  emoção na voz transparecer. 

—  É exatamente isso - A rainha falou - Ele...me ofereceu um consolo quando meu próprio marido me deixou naquele lugar.

Minato coçou a cabeça um tanto irritado, sua simples e precisa estratégia se foi, trocou olhares com seus alunos um tanto pensativo. Obito encarou seu rei por um instante sabendo que aquele olhar significava algo.

—  Pois bem, espero que sua gratificação seja retirada agora, pois esses homens são seus mas eles estão sendo pagos para ouvirem somente as ordens de Obito, ou você quer trocar um dos meus pupilos pelo meu segundo comandante, Kushina?

Ela encarou seu marido surpresa, certamente estava pondo à prova o segredo deles, mas ela gargalhou com aquela hipótese. Como dito antes, Gai jamais chegaria aos pés do pupilo do rei, ou mesmo Iruka ou Yamato ou qualquer outro soldado em boa posição.

—  Querido, não proponha coisas absurdas - Ela encarou o seu homem de confiança - Nenhum outro homem substituirá Obito - disse sem dar importância aos sentimentos de Gai. Pois sim, ele se sentiu zombado - Lamento Gai, meu rei foi bem claro que não gostou disso, o homens voltarão a obedecer Obito e a mim. Mas serei grata até o dia de minha morte pela sua gentileza.

—  Mas...mas majestade, você...você não pode fazer isso - Gai disse em tom baixo, embora descontente - eles são ótimos obedientes e me ajudam bastante a achar os pagãos que matou Lee. Não pode!

—  Eu sou sua a rainha! E você é meu súdito! - ela levantou seu tom odiando ser contestada. Gai abaixou a cabeça em sinal de total respeito.

—  É claro que ela pode fazer! - Minato fuzilou seu comandante com o olhar e ele estremeceu temeroso - Ela pode tudo, com tanto que esse tudo tenha minha aprovação, não é meu  bem? - Ele esticou sua mão e Kushina a pegou sorridente.

— Sim - ela garantiu.

—  Agora...- o rei acariciou a mão de sua esposa e continuou - Continuará suspenso de suas funções por hoje, e qualquer destes homens que ousar seguir suas ordens ainda, serão devidamente castigados. - ele se dirigiu a eles - vocês entenderam?

Todos assentiram, até mesmo Gai, a contra gosto, suas veias tremiam de tão quentes de raiva. A rainha sempre saia ilesa, mesmo que ela tenha mandado matar o filho do rei e admitido sem nenhuma sombra de arrependimento, e Minato ignorava isso tudo querendo achar os culpados que tiveram coragem de colaborar com ela e descontar tudo neles. Ele lhe tirou os homens por pura maldade, Gai apostava que foi a pedido de Obito, encarou seus dois colegas e eles deram de ombros. A felicidade estampada na cara daquela cobra ruiva por uma misgalha de carinho do rei era algo que chegava a ser patético! Não ficaria assim...Não mesmo!


__x__

 

Sasuke estava mais tranquilo no treinamento hoje, ele foi chamado de Lorde e no café da manhã recebeu obrigações para adiministrar um condado e Deus o perdoasse pois ele rasgou todas as anotações de Danzo e disse que recomeçaria do zero. Perdeu a primeira parte do treino distribuindo funções e dinheiro a seus homens e ele particularmente não se importava, o homenzinho estava emburrado pelo atraso de Sasuke e torceu sua cara num expressão horrível assim que ele apareceu. Mas o bastardo agiu tranquilamente no dia de hoje, sem cuspir regras de batalha ou zombar dos erros do rapaz, mesmo assim o recruta ainda odiava Sasuke, por tudo que ele fez ontem, após a dama sair, ele deixou o pobre como um farrapo de tão surrado.

—  Escute - ele suspirou e mostrou a espada - Eu disse que você tinha que usar a espada como defesa, mas, não confunda, espada é para atacar...E esteja preparado para matar pelo nosso rei, por Konoha.

O homem apenas revirou os olhos, era muito fácil falar para quem foi treinado desde pequeno pelo próprio general, foi o que ele ouviu dizerem. Costumavam ocultar sussurros sobre Sasuke, muitos o invejava mas estranhamente tinham um tipo de respeito e jamais os recrutas ouviram qualquer palavra que desrespeitasse o homem. Mas o que aquele cara tinha?

—  Sasuke! - uma voz animada atraiu a atenção para si, oh Deus era o príncipe de Konoha! - Você não sabe de uma novidade.

—  Além de você está de pé? - Sasuke caminhou até ele ignorando a reverencia que todos faziam para Naruto - soube de uma sobre você ter excercítado seu corpo demais ainda ontem - eles gargalharam juntos e Sasuke sussurrou - Irmão.

—  Irmão - Naruto sussurrou tocando no ombro dele. O bastardo sorriu para o príncipe - Tive que fazer um esforço. - sorriu sacana. - Me resolvi com minha esposa, e você, como tem passado com Hinata?

—  Entre o amor e o orgulho - ele sorriu de canto.

—  E esses homens? - O loiro cobrou.

—  Iruka...os deixou ai, Gai e Obito andam ocupados - Sasuke revirou os olhos - Veja, Chouji está treinando o recruta de Tenten, parece que sua esposa reclamou a presença da dama de ferro.

—  Sinceramente Tenten parecia um soldado quando entrou no quarto - O loiro comentou - Ah, e aquele ali? O baixinho...

Os recrutas de Chouji pediram arrego e o gordinho foi beber agua perto do muro, eles se juntaran ao de Sasuke e observaram com certa curiosidade os dois homens conversando como amigos de longa data. Naruto olhou na direção deles e Sasuke chegou perto de seu ouvido dizendo algo, o príncipe juntou as sobrancelhas e riu disfarçadamente, e depois foi a vez de Naruto aproximar seus lábios da orelha de Sasuke e então os dois não evitaram gargalhar.

— Lá está o filho do rei, parece que sabemos porque Sasuke se gaba - Um deles comentou.

— Ele próximo do príncipe - Outro indicou com o olhar

—  E ganhou o condado de Naka, ouvi rumores que há pouco tempo ele é chamado de Lorde. - o primeiro comentou

—  E antes disso ele era chamado de que ? - perguntou, o homenzinho.

Não deu tempo responder, um repentino grito assustou a todos com o aviso.

—  Ajoelhem-se diante do rei!

Mais do que imediatamente, todos os soldados e guardas dobraram seus joelhos ao mesmo tempo e abaixaram suas cabeças, os recrutas não ficaram para trás, não baixaram muito a cabeça para conseguir ver a figura loira em seus trajes de linho nobre e uma coroa na cabeça, acompanhado pelo general e pelo comandante. Eles seguiram direto para onde o príncipe estava, e o grupo de recrutas viram Sasuke e Naruto ainda de pé trocarem sorrisos cúmplices, e então eles se ajoelharam e fizeram um movimento gracioso com a mão

—  Ohh meu grande rei - O príncipe disse entre risos.

 Ohh Vossa Majestade - Sasuke ainda conseguiu não rir, mas sua voz de deboche era magnífica.

— Ora vejam só - Minato revirou os olhos diante da pirraça dos filhos e puxou-os pelos cabelos - Meus meninos tem grande humildade em seus corações, não acham?

—  Oh! - O homenzinho exclamou num sussurro - querido Deus...

—  Ele era chamado de bastardo - Por fim, seu colega respondeu. E enquanto Kakashi os repreendia, o recruta continuou - Ele não é muito  conhecido fora da corte, mas dentro dela ele é notorio, diria até que é um destaque pelo relacionamento com o príncipe. Mas ele é filho da amante favorita

—  O filho da amante...Bastardo de merda! - praguejou baixinho.

—  Dizem que a rainha o trata como seu, e por  isso Sasuke não é desrespeitado constantemente. Há uma pena de esquartejamento para quem o fizer, o rei os protege desde sempre. - o recruta continuou vendo o rei conversar alegremente com os filhos enquanto todo o resto permanecia de joelhos - embora saibamos que ele não precisa de nenhuma proteção, não é?

—  Agora sim eu quero mata-lo, esnobe de merda! - O homem estava revoltado.

 — Você ouviu o que eu disse?! Esqueça qualquer vingança que planeja para debilita-lo, olhe bem em volta dele, as pessoas que o cerca - estão eles olharam naquela direção mais uma vez e Sasuke tinha uma intimidade com o príncipe que mais nenhum soldado passava - somos apenas recrutas contra a elite, cara, gente que não damos conta.

—  Kiba disse que ele é considerado o melhor soldado - o outro entrou na conversa pela segunda vez - Se quer fortalecer seu ego, ganhe ao menos da dama de ferro e eu digo...não será fácil.

Ali morreu a revolta do homenzinho, sabendo que mesmo sem a família Sasuke era páreo para ele e o rei virou-se para os soldados com um pequeno sorriso no rosto.

—  Levantem-se - ele ordenou e todos o fizeram, Sasuke e Naruto se colocaram de um lado do rei e Kakashi e Obito do outro - Eu vim aqui porque hoje há boa música e comida para os nobres mais tarde, como sempre, mas minha rainha insistiu em ser algo maior..então, soldados de posições importantes estão convidados. E é só isso, continuem suas atividades

Alguns homens fizeram um barulho aparentemente animado, enquanto outros estavam frustrados logo se ocupando com seu dever.

—  Por que Kushina quer uma festa? - Sasuke sussurrou e Naruto revirou os olhos sabendo muito bem, a rainha era uma joia rara.

—  É uma boa pergunta - Minato virou-se para os filhos - ela insistiu, disse que eu iria gostar. Sinceramete eu espero que ela tenha desistido de te matar, porque seria a situação ideal para envenenar seu copo - se dirigiu a Sasuke como se aquilo fosse apenas detalhe.

—  Ela não tem motivos para isso - Naruto afirmou olhando de canto para o irmão - Não mais. - Sasuke remexeu os ombros incomodado.

—  Era sobre isso que eu queria falar com vocês dois, venham - O rei chamou e se dirigiu para fora da área de treinamento, lá foram os quatro, os demais permaneceram. 

Alcançaram um pátio, naquela ala os nobres podiam ser vistos aqui e acolá, algum guarda ou outro, estava tranquilo. O rei começou parando naquele espaço para conversar.

—  Eu queria falar sobre o que resultou no desentendimento de antes, todos sabemos que não era minha intenção pôr Sasuke no trono. E sim deixar os dois preparados para o futuro.

—  Pai-- - os dois rapazes quiseram falar mas o rei se adiantou

—  Eu quero que vocês saibam, que mesmo assim traições virão, da família...ou de qualquer outro lugar e nada pode ser colocado acima da irmandade de vocês.

—  Pai, essa foi sua...pior estratégia! - Naruto incrivelmente o repreendeu - Você fingiu uma situação que não existia porque simplesmente não podia exigir mais de mim com simples palavras. E você Sasuke...Você concordou com ele por que? Me acha fraco demais, irmão?

—  Eu...- Sasuke desviou o olhar e devolveu a frase - Não mais, irmãozinho

—  Foi um pedido de pai para filho - Kakashi se intrometeu e o príncipe o fuzilou com o olhar

—  E você e Obito sabiam deste absurdo e mesmo assim deixaram acontecer?

—  Já disse que foi a minha maneira de ter ver mais focado, use o seu ponto fraco como fortaleza, foi assim que eu sobrevivi a cada batalha do seu avô e as minhas próprias. - Minato justificou. - só assim você e seu reinado se manterão.

Naruto não pôde acreditar, será que nenhum dos outros 3 homens a sua volta nunca contestaram isso?

—  Eu sinto falta de seu lado terno, meu pai, seu ensinamentos sobre família. E saiba que me mantarei firmes graças a eles! - afirmou e encarou-os por um segundo - Nunca ocorreu que poderiam apenas conversar comigo? Ao menos me explicar o ponto de vista de cada um...Que eu poderia compreender?

—  Eu não quis lhe machucar mais - o rei parou na entrada do salão e eles também - Você é meu filho e me doeu cada segundo. - Confessou e Naruto sacudiu a cabeça sentindo uma forte emoção.

—  Eu não sabia se você acharia tudo pior ainda, Hinata me aconselhou a fazer isso - Sasuke revelou - disse que por sermos irmãos você me entenderia, mas eu confesso que as palavras delas  se perderam no ar. Se eu ao menos soubesse...

—  As mulheres e sua sabedoria - Kakashi comentou arrancando risos.

— Uma maldição em palavras doces. - Obito falou pela primeira vez.

—  Bom - O rei endireitou a pose - é uma longa distância a percorrer...dos lábios de uma mulher para os ouvidos de um homem. Agora, eu quero dizer que...fico feliz que vocês tenham se resolvido, e que estou muito aliviado de não ter que enterrar nenhum de você dois, pois sai daqui preocupado com Sasuke e voltei desesperado por Naruto. 

Os meninos assentiram e os pupilos do rei sorriram, o rei suspirou aliviado por o assunto está resolvido, certamente não da maneira como deveria que seria pedindo desculpas, mas ele era o rei, oras!

— Vamos sair numa caçada, para nos desculpar melhor, fazendo o que os homens fazem em tempos de paz - Obito propôs.

—  Ah Deus ouviu minhas preces - Sasuke falou baixinho e Minato semicerrou o olhar considerando a ideia.

— Paz? Mas e Suna, a água e Portugal? Gaara tinha me pedido ajuda, ajuda de Konoha...pai - Naruto relembrou.

—  Suna quer água e Konoha quer aquela terra - Minato balançou a cabeça repetindo pela milésima vez - Gaara é só uma marionete nas mãos de Kankuro,  o que eu disse mesmo sobre seu coração bom? Se ele quiser o bem daquela gente, primeiro nos dará o que queremos, e só ai...seremos um bom Oásis. O que acha?

—  Acho melhor enviarmos alguém que nos informe se eles não morrerão de sede até Kankuro decidir isso ou conseguirão ajuda em outro lugar. - Naruto disse respeitosamente, mas seu olhar exigia. -  Não foi você que nos ensinou sobre as amizades? Manter e sempre conseguir outras, pode funcionar mas não só com a gente. 

—  Boa, filho! Muito boa! Sasuke lhe passou a lição hã - Minato sorriu de canto e Sasuke assentiu, ora mas o príncipe estava um homem maduro! - E como você acha que deve ser esse alguém? - Ele abraçou seu filho pelos ombros lhe exigindo uma resposta a altura.

—  Alguém discreto, inteligente e totalmente fiel a Konoha - Naruto respondeu naturalmente.

—  Uhum - Minato concordou apreciando aquela conversa - E você sabe quem é o cara mais inteligente e leal a nós?

—  Shikamaru? - Naruto arqueou a sobrancelha.

—  Meu garoto! - Minato quase pulou de alegria, e o clima de satisfação moldou sorriso discretos nos outros três homens ali presentes - Temos que dar a missão a ele, o quanto antes. Aliás você fará isso Naruto.

— Eu?

—  Sim, não foi você quem deu a ideia? - O rei pôs as mãos na cintura.

—  Hum-hum - Obito interrompeu.

—  Ele está na Grande Vila, fugindo de seus compromissos - Kakashi informou. - O duque Nara nos avisou.

—  Eu vou atrás dele - Sasuke se ofereceu - vocês tem pressa, não? 

—  Sim, ache-o e arraste-o até Naruto, diga que é uma missão oficial. - O rei disse antes de sair - A Caçada fica para daqui a dois dias, quando eu estiver totalmente recuperado da  surpresa que Kushina me dará esta noite...Que Deus nos proteja!

Naruto sorriu vendo seu pai seguir para seus deveres e seus dois velhos pupilos ao seu lado, o rei sabia que a rainha não pedia coisas atoa, certamente estava esperando algo ruim para não se assustar mas temia mesmo assim, mas logo sorriria de alegria quando soubesse que seria avô.

—  Seu sorriso cínico é porque você conseguiu provar a papai que é bom em estratégias? Ou tem algo mais? - Sasuke o despertou, e ele sorriu para o irmão.

—  Ande logo irmão! - Ele abraçou Sasuke pelos ombros e o induziu a caminhar em direção aos estábulos - precisa voltar o quanto antes para saber o porque de mamãe pedir uma festa.

—  Receio que seja algo bom - Sasuke zombou e Naruto apenas abriu seu largo sorriso.

Sasuke pegou o primeiro cavalo disponível e pediu para um serviçal colocar a sela. Os dois homens observaram impacientes.

—  Vasculhe a Grande Vila, e por favor... - Pediu o loiro, esperançoso. Minato tinha um brilho de orgulho no olhar quando os deixou - Ache ele.

—  Não se preocupe irmãozinho, o trarei aqui, ele aceitará a missão, você ficará feliz, papai ficará feliz, e teremos os olhos mais inteligentes de Konoha em Suna - Sasuke bateu no braço do loiro levemente e o servo lhe trouxe o cavalo.

—  Tenha cuidado - Naruto pediu enquanto Sasuke montava

—  E eu não tenho sempre? - Sasuke sorriu antes de puxar as rédeas
Naruto observou ele cavalgar rapidamente e um guarda gritar para abrirem os portões. 

—  Se sempre quer dizer nunca - Sussurrou antes de ir se ocupar também.


__x__

 

A diversão no salão havia começado, a música mais calma que no dia do baile, menos velas, danças cortesas e boa comida acompanhada de um bom vinho e a cerveja não tão aceita pelos nobres. Naruto estava bem vestido e preparado para ir lá e dar a notícia, mas antes tinha que convencer Shikamaru.

—  Perdão, eu acho que não ouvi direito - O preguiçoso se remexeu na cadeira - O príncipe Uzumaki quer que eu vá até Suna em busca de informações sobre os passos deles...

—  Eu fui claro demais para alguém esperto como você - Naruto cruzou os braços, naquela sala estava apenas ele, Sasuke e Shikamaru.

—  E o Rei apoia sua decisão? Oh isso é bem a cara dele - O homem soltou um grande suspiro. - Isso é espionagem! A pena por isso lá é tortura até a morte.

—  Sabemos muito bem o que é, Naruto está lhe entregando a missão, você deve apenas decidir, se vai recusar como filho de um lorde, ou aceitar como um soldado leal a Konoha. - Sasuke intercedeu, já estava ficando tarde e ele ainda precisava por uma roupa mais padrão para os  nobres.

—  Está bem - No fim ele concordou. - Prepararei minha retirada o quanto antes - Shikamaru se levantou e soprou uma vela que tinha perto da porta - Ficarei longe de Temari, parem de me olhar com essa desconfiança.


 Hinata tinha o figurino mais leve do que os das amigas, elas tinham o azul como destaque mas o vestido de Hinata era menos cheio e rendado, e dessa vez ela estava usando um adorno mais luxuoso no cabelo, Sasuke tinha deixado de presente dentro da caixinha de joias dela com um bilhete dizendo:  "Você usava um parecido no baile, estava na hora de lhe dar um presente que você possa ostentar por ai, minha condessa

Era uma headband linda, a corrente de prata enfeitada com algumas pérolas de marfim. Hinata adorou aquilo e quis agradecer decidindo usar hoje mesmo, aproveitando a comemoração de Sakura, mas ele sumiu o dia todo, ele quase nunca era pontual em situações assim.

 Ino queria matar Sakura por ela ter escondido o segredo delas e Tenten fingia uma revolta, mas abraçou Sakura realmente feliz.

—  Quis me casar achando que algo aconteceria a ela, bem, aconteceu- Ino comentou só para Hinata e Tenten -  ai vem ela, a primeira mãe entre nós! - elas riram baixinho quando Sakura e Naruto surgiram entre os nobres de mãos dadas graciosamente.

—  Shii, ela pediu para ser eles a darem a notícia - Tenten a repreendeu, seu coque deixava a mostrar seu conjunto de joias, um colar de perolas e brincos também. O marido havia dado antes de viajar até a terra das Cerejeiras. - Eles não estão mais apaixonados? Parece que a benção surtiu efeito total.

—  Falando em benção, Hinata, quando você e Sasuke terão uma? - Ino indagou deixando Hinata rubra dos pés a cabeça - Do jeito que você comenta, da a impressão de que vocês quase quebram as paredes do quarto, eu quero um homem assim também

—  Oh Sa-Sasuke...e eu...não resolvemos ainda - tentou calar a boca da amiga para não atrair a atenção de ninguém naquela conversa ali - não fale assim, outras pessoas podem ouvir...

—  Pois que ouçam Hina! - Exclamou num sussurro - essa é a chance de mostrar para essas ladies vadias que você e o bastardo bonitão vivem algo romântico atualmente.

 Elas seguiram o olhar de Ino e em um canto do salão haviam moças lançando olhares invejosos na direção das damas da princesa.

—  Atualmente? - Hinata repetiu a palavra sentindo o tom de provocação e Ino soltou uma risadinha.

—  Todos percebem quando vocês se desentendem, ele fica mais mal-humorado que de costume. - Tenten disse - Ontem mesmo, sei que ele quase matou um recruta e hoje ele o tratou muito melhor.

—  Nós... tivemos uma conversa - Hinata justificou - ele estava irritado por umas coisas, mas não justifica ele me tratar com hostilidade.

—  Que coisas? - as amigas deixaram seus olhos brilharem de curiosidades

—  De-depois eu conto - engoliu um seco, não podia comentar sobre paganismo ali.

E graças a Deus Kushina apareceu por ali, toda elegante com suas joias e um lindo crucifixo preso na cintura, destacava em seu vestido vermelho. Ela devia adorar essa cor.

—  Eu sempre vejo vocês perderem os sorrisinhos lindos quando notam minha pessoa -Ela disse cumprimentando-as com seu veneno - vocês combinam ou é casual?

— É algo casual quando se trata de você, tudo é casual, Kushina - Tenten tentou ser educada o máximo possível.

 Sakura largou a mão do marido para se juntar a elas e a rainha não perdeu a chance 

—  Oh, lá vem ela, logo agora que eu estava começando a gostar de você - disse sorridente e as meninas reviraram os olhos.

—  Bem - Sakura sorriu para as amigas levemente rubra - Logo ele dirá, está conversando com o rei. Estou tão feliz, meninas, parece que nada pode atrapalhar esse sentimento!

—  Se alguém fizer isso, sou capaz de usar meus punhos para machuca-lo - Tenten afirmou.

—  Mas nem todas tem força como Tenten, eu posso tentar destruir a pessoa que causa infelicidades usando meu charme. - Ino arrancou risadinhas.

—  Você? charme? - Kushina a analisou de cima para baixo - Sim, eu consigo ver isso - zombou e Ino perdeu a graça. - E você Hinata? O que fará se alguém tirar a felicidade da princesa camponesa no dia de hoje? Pedirá a meu marido que mande decapita-lo? ou dirá a Sasuke para fazer algo pior? Porque você certamente tem charme.

Ela parecia jogar suas frases incômodas nas damas porque criou alguma afinidade com Sakura desde que ela era mãe, e algum camponês tinha que ouvi-la, oras! Hinata apenas tomou um longo gole de vinho e disse a si mesma que não responderia nada. Conseguindo um silêncio absoluto das quatro a rainha endireitou os ombros e antes de sair tomou o cálice da mão de Sakura.

—  Oh minha querida, você já bebeu mais taças do que uma grávida pode tomar. 

E levou a bebida consigo deixando todas sem reação.  Ino franziu o cenho ainda observando a rainha antes de comentar algo

—  Diga de novo que nada pode atrapalhar sua felicidade.

— Espere, espere - Tenten pediu - ela quer seu bem? ou o seu mal?

—  Acho que as duas coisas - Hinata sussurrou e Sakura revirou os olhos - Naruto sabe onde Sasuke está?

—  Ele disse que foi fazer algo e já está descendo - Sakura segurou suas mãos e sorriu. - E essa joia em seus cabelos? Foi ele que deu? Está adorável em você.

Por um breve momento elas riram e conversavam baixinho, até uma voz de uma pessoa que não deveria estar ali chamou a atenção das damas, Hinata e Sakura gelaram.

— Posso ajuda-las, senhoras? - Disse a ruiva sorrindo e estendendo a bandeja para elas - um doce de baunilha, ou algum paõzinho açucarado.

Ino e Tenten pegaram um sem dar atenção, afinal, servo era servo, mais quem estava ali não era uma simples criada, e sim Karin.

— E-eu não estou com fome - Hinata respondeu rapidamente.

—  Doces me causam um embrulho estranho na barriga - Com certeza Sakura era melhor atriz que Hinata, mas o sorriso dissimulado de Karin não havia sumido.

Hinata entrou num certo desespero vendo Karin servir os demais nobres, alarmada com aquela mulher ali ela e Sakura trocaram olhares.

—  O que deu em vocês? - Tenten questionou.

—  Sa-sasuke - Ela soltou o nome buscando por todos os lugares mas não o viu em lugar algum.

— Nos ajudem meninas - Sakura pediu - Precisamos acha-lo.

—  MEUS CAROS NOBRES - A voz do rei chamou a atenção pelo salão e a música parou juntamente com as conversas paralelas. - Meu filho quer um tempo para lhes falar. 

O coração de Sakura martelou, Naruto estendeu a mão em sua direção e ela sentiu seus passos leves seguirem até ele, se esquecendo de qualquer problema que tenha surgido ela segurou a mão do marido e sorriu alegremente quando este fechou os dedos sobre os seus gentilmente.

—  Eu gostaria de anunciar algo a todos, algo que transbordou meu coração de alegria! - Ele disse firme, em sua expressão a felicidade podia ser notada - Minha amada esposa está esperando um filho!

As exclamações de surpresa entre as pessoas foi se espalhando, e depois cochichos. Minato arregalou os olhos e abriu o sorriso mais verdadeiro desses últimos anos. 

—  Deus ouviu minhas preces! - Tsunade juntou as mãos agradecendo a Deus.

— Bendito seja Deus por nos dar tamanha alegria! - Kushina exclamou.

—  Finalmente - Minato disse - Finalmente! Meu garoto! Um brinde para comemorar o herdeiro do casal - ele propôs erguendo as taças - Esse filho fortalece a aliança que temos com a Terra das Cerejeiras e também garante que a linhagem de minha rainha continue e estejam certos que será apenas o primeiro, logo meu filho encherá esse castelo de criancinhas. Um brinde a isso! Um brinde!

Os nobres brindaram erguendo as taças todas direcionadas a Naruto, que sorria erguendo a sua a todos que podia, Sakura sorria como nunca antes. Hinata abriu um leve sorriso, mas fechou as mãos e abriu freneticamente, nervosa enquanto Ino e Tenten sussurravam sobre Sakura ao seu lado.

—  Estou aqui - A voz de Sasuke surgiu do outro lado e ela imediatamente procurou a mão dele. - Calma, minha deusa, eu explico depois o que está havendo. Depois que eu brindar com meu irmãozinho pelo pirralhinho que ele fabricou - sorriu sacana

—  Sa-Sasuke... - Ela tirou-lhe o riso e implantou preocupação na face - Há alguém aqui que não deveria estar...Karin... 

Não foi difícil acha-la, estava junto com outros servos em um canto do salão segurando uma bandeja, olhando diretamente para eles, com uma cara enciumada 

—  Droga! - praguejou - Primeiro eu preciso que você se acalme - acariciou a mão dela e beijou - Ela não faria nada antes de nos dizer o que quer. Darei um jeito nisso, agora vamos aproveitar a festa, hum? 

Ela assentiu se acalmando, queria abraça-lo mas seria um gesto muito afetivo em meio a tantos nobres. Então tentou achar conforto no calor da palma da mão dele.

— Essa joia fica linda em você, gostou do presente? - Sussurrou no ouvido dela.

— Eu amei, meu amor, obrigada - ela sorriu sincera - Mas ainda uso o colar para aquecer-me nas horas frias sem você - Os dois sorriram maliciosamente e Sasuke desejou tira-la dali e ama-la como nunca antes.


Depois Ino, Tenten, Hinata e Sakura foram dançar com os demais, a dança cortesa e a troca de pares. Sasuke observou sua esposa por um tempo sorrir alegre quando trocava de pares e fazia passos coletivos, apenas vê-la sorrir foi o suficiente para ele não arranca-la das mãos daqueles homens. Foi quando ele viu a cabeleira presa de Karin sair do salão pegando o destino da cozinha, fechou o semblante e foi atrás.

O corredor estava escuro e vazio, ela alheia aos passos atrás de si, ele foi rápido e a puxou bruscamente para trás da primeira coluna que viu. Karin soltou um leve grito e quase deixou tudo que tinha nas mãos, mas seu rosto se iluminou ao sentir o perfume de Sasuke, sorriu quando encarou seus olhos negros.

— Sasuke! Voc--- Sasuke tapou a boca dela com a mão.

—  Você enlouqueceu?! O que diabos está fazendo aqui? Me dê um bom motivo para não me arrepender de ter deixado você viver? - rosnou, e soltou a boca dela com um brilho perigoso no olhar, a ruiva tremeu.

—  E-eu apenas procurei um modo de viver...Antes mesmo não gostando eu tinha o que comer com Orochimaru, uma vida ruim, eu sei. Mas procuro melhorar, e qual melhor lugar do que na corte? - ela justificou - perto de você.

Sasuke franziu o cenho.

—  Por que você me olha assim? Como se me conhecesse? 

—  Porque eu te ajudei! Quando estava preso na caverna, traumatizado pela dor do ritual que ele fez em você...Eu...quis te ajudar. Você só não se lembra, aposto que Hinata tirou  suas lembranças. Devia odia-la Sasuke...e mata-la como fez com Oro--

—  Hinata não tem nada a ver com isso! - Ele disse em tom irritado - Eu apenas não me lembro de muitas coisas desses momentos assombrosos, e preferia não lembrar. Então não venha até mim procurando por palavras de agradecimento.

—  Eu não procuro por isso. Quero ficar por perto, me sinto como você. Uma bastarda. - revelou com o olhar marejado surpreendendo Sasuke - Eu sou filha do antigo rei, Sasuke, sou meia-irmã da rainha e ninguém que sabia disso permaneceu vivo, meu pai matou todos e seus guardas jogaram eu e minha mãe aos pagãos, e quando eles vieram, minha mãe me ofereceu como escrava em troca de liberdade a um bruxo. Eu nunca mais a vi...eu não fui...querida...Mas somos parecidos, apesar de mal vistos temos Sangue Nobre correndo em nossas veias

—  Está enganada! - Sasuke se recuperou da surpresa e se manteve sério - Eu não sei o que você sente, não tenho ideia, e nem chego a me importar. Eu faço parte da família do rei querendo os nobres ou não, papai nunca deixou a opinião dos outros se valer mais do que a sua própria. Diferente de você eu sou querido, por meu pai, por meu irmão e pela minha mãe, pelas pessoas que me cercam e o amor deles não é porque gotas de sangue nobre correm em minhas veias, e sim por causa do que realmente sou. Diga o que realmente veio fazer aqui? O que quer? Contar sobre nossos segredos a corte?

Arrancou Karin de seus pensamentos e questionou, tirou dela tudo que ela realmente acreditava. E ela chorou em silêncio, mas Sasuke não se comoveu. 

Tudo que ela sabia sobre Sasuke não poderia ser dito, Itachi e Mikoto estavam preparados para desmenti-la se necessário, e se aproximar de Minato era algo impossível para uma serviçal novata como ela, e ela não suportava enfrentar a presença da rainha, a odiava por ser ela ali com Minato, por ter tido a chance de nascer legitama. Não, Karin não veio ali para ameaças ou chantagens, veio só para ver Sasuke mais vezes...uma pequena misgalha de sua atenção, tentar conquista-lo aos poucos, e um dia separa-lo de Hinata por tê-lo feito esquecer-se do único momentos que tiveram tão juntos. 

" Essa é a razão para você provocar Lilith?" - Suigetsu questionou debochado, quando ela decidiu revelar porque conseguiu um emprego na corte - " Uma lembrança perdida do Uchiha?"

Mas valia a pena!

—  Eu já disse - ela engoliu um choro.

— Se estiver mentindo...- Sasuke ameaçou enforca-la, ela sustentou a fúria dele com um olhar firme -  Bastarda ou não você só está viva por um pedido de Hinata. Ao menor sinal de ameaça...Mato você!

Largou a mulher lá mesmo, aquele olhar que ela tinha era irritante! Voltou para o salão para ver sua adorável esposa, os dois foram brindar com Naruto e Sakura, Minato e Mikoto, Kushina e Tsunade, um brinde ao próximo herdeiro de Konoha que desabrocharia na barriga de uma Haruno

Karin viu  essa cena, confirmando todas as palavras de Sasuke, ele ela querido...pela família, e ela era uma mal-amada.
 


Notas Finais


Mais tretas. Quem vê a rainha assim nem diz que ela era uma cobra.

Vamos lá...

👑 - Há várias histórias em torno da lenda do rei Arthur que com ajuda do Mago Merlim viveu muitas aventuras, muitas delas fantasiosas demais, mas uma delas é a lenda da Espada Escalibur, normalmente ela ficava presa numa pedra ou bigorna e a regra era que só o mais nobre dos homens conseguiria tira-la. Já na posse do trono britânico o rei tinha seus mais confiaveis homens, chamados de Cavaleiros de Távola Redonda, bem...parece que não eram tão confiaveis assim, já o que seu melhor cavaleiro e a rainha eram amantes e inclusive essa traição foi o que causou a queda do reino e também a destruição da amizade entre os cavaleiros. E é disso que o Naruto tava falando.

👑 - Naruto compara o Rei Salomão com o Pai, promíscuo e sábio - Acho que citei lá no capítulo No Man's Land.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...