1. Spirit Fanfics >
  2. The Slytherin Princess - Irmã de Harry Potter >
  3. C A P Í T U L O - 4 - Verdadeiros Grifinórios

História The Slytherin Princess - Irmã de Harry Potter - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


Oie gente! Estou aqui trazendo mais um capítulo para vocês, então vamos deixar de enrolação, não é mesmo?

Boa leitura!

Capítulo 4 - C A P Í T U L O - 4 - Verdadeiros Grifinórios


Fanfic / Fanfiction The Slytherin Princess - Irmã de Harry Potter - Capítulo 4 - C A P Í T U L O - 4 - Verdadeiros Grifinórios

                    C A P Í T U L O - 4

                Verdadeiros Grifinórios

O Hallowen é um evento muito espetacular para comunidade trouxa. Nesse dia do ano, as pessoas podem se fantasiar para pediram doces nas casas da vizinhança. Mas para o mundo bruxo, a minoria pelo menos, acha que o evento é mais importante para rituais de sangue puro.

Mesmo que o desdém seja óbvio, por causa de Albus Dumbledore, o mundo bruxo celebra o Hallowen trouxa, fazendo com que as decorações sejam óbvias ao apoio à eles.

— Magnífico! — murmurou Daphne, olhando para o salão.

— É bem legalzinho mesmo. — disse Tracey.

Helena bufou, enquanto ela e as meninas marchavam para o salão principal.

— Olhe Theo, meu caro amigo. Três belas moças! — chamou Zabini, piscando para as meninas.

Tracey riu. — Olhem garotas! Dois idiotas! 

Daphne e Helena caíram na gargalhada para as caras de filhote abandonado de Zabini e Nott.

— Devo dizer, não sabia que vocês eram desses. — falou Helena, enfatizando a última palavra, ao mesmo tempo em que sentava na mesa das cobras ao lado dos dois garotos.

— Desses? Que desses querida? — perguntou Nott, se fazendo de inocente.

Daphne zombou, se sentando de frente para os três, Tracey logo a seguindo. — Só temos onze anos, sabe. — disse ela. — Se vocês têm mais que isso, podem ir para as veteranas comprometidas.

— Aí, credo! — gritou Zabini. — Aquelas ali são como urubu. Pegam qualquer um.

Helena riu. — Gente, que isso, coitadas. Elas só tem alguns problemas com seus noivos que não aguentam a pressão.

— Muito informada, não é Srta.Potter? — disse Nott, levantando as sobrancelhas.

— Sou amiga de uma Grengrass e de uma Davis, além do mais, eu leio tá. — retrucou ela, zombando.

Nott só balançou a cabeça, sorrindo de canto como sempre.

— Tá, conversa boa e legal, mas... — começou Zabini.

— Mas? — perguntaram as três.

— O que tem no corredor do terceiro andar?— perguntou ele, Nott assentiu, querendo saber também.

— Claro que esses idiotas sabem! — disse Helena, levantando as mãos para alto, atraindo a atenção de alguns. 

— Sério, Zabini? Se metendo onde não é chamado junto com seu amiguinho? — Tracey disse, olhando para o garoto em desafio.

— Você sabe que sim, Davis. — falou ele, piscando.

Daphne zombou. — Garotos intrometidos!

Logo o salão começou a se encher enquanto os dois meninos esperavam respostas do trio.

— Não vamos dizer! — sibilou Tracey, quase irritada. 

— Isso mesmo! — disse Daphne.

Helena somente assentiu enquanto olhava ao redor, até que seu olhar fixou na mesa da Grifinória, onde estava Harry, Rony, Neville e... nenhum sinal de Hermione Granger.

— Daphne, você viu Granger? — perguntou Helena para a loira.

— Hã... não, mas ouvi algumas grifinórias falando sobre o Weasley ter a chateado. — respondeu Daphne.

Helena balançou a cabeça e se levantou.

— Hey! Para onde você vai? — perguntou Tracey. — Não vai deixar a gente com esses dois tapados, né?

— Ei!! — protestaram os garotos.

Helena riu. — Eu só vou procurar a Granger, volto em alguns minutos.

— Boa sorte então. — disse Daphne.

— Agradeço! 

Então Helena começou a andar, pensando em um lugar onde as garotas iam para chorar, o que é uma resposta óbvia: o banheiro feminino.

— Granger! Granger? Você está aí? — chamou Helena.

— Vai embora! Eu não quero falar com ninguém!! 

— Ah vamos lá! Não vou ficar aqui a noite toda!! — disse Helena, entrando em uma das cabines do banheiro onde estava Hermione.

— Sai daqui Helena, por favor...

Helena nem se deu conta que não tinha corrigido Hermione por tê-la chamado pelo o primeiro nome, mas não se importou enquanto tentava trazer a garota para o salão principal.

— Não sei o que Weasley lhe disse, mas tudo é mentira. — falou Helena, olhando para a garota de cabelos espessos. — Vamos lá, você é forte, corajosa, tem muita inteligência.

Hermione choramingou. — Inteligência essa que faz as pessoas se afastarem de mim.

— Talvez. — Helena suspirou. — Hermione, você é a bruxa mais brilhante que eu já conheci, não deixe essas pessoas te menosprezarem nem te humilharem. Você vai se adaptar, igual a eu e Harry, nada é fácil, mas você consegue.

Hermione sorriu e abraçou Helena, que retornou o abraço timidamente. 

— Ok, ok, tá bom, tá bom. — falou Helena, se separando de Hermione. — Vamos para o salão?

— Sim!! 

Helena sorriu enquanto ela saía da cabine com Hermione, elas foram em direção a porta e a abriram, começando a sair.

— Que cheiro é esse? — perguntou Hermione, após alguns segundos, nem dando tempo de chegarem na metade do corredor.

— Urgh, eu não sei... — Helena olhou ao redor, procurando a fonte do cheiro, até avistar o que séria um trasgo no final do corredor do banheiro feminino.

— Ah não... 

— O que? — Hermione perguntou, e olhou para o trasgo de olhos arregalados.

Helena pegou na mão de Hermione, preparada para correr se necessário.

— Tive uma ideia. — disse Helena, após alguns segundos de dúvidas em sua cabeça.

Hermione olhou para ela. — Ela é estúpida e suicida?

— Sim. — ela suspirou. — Eu vou distrair o trasgo para dentro do banheiro, e você vai chamar um professor. — explicou Helena, olhando para Hermione, que balançou a cabeça furiosamente.

— Não, não... 

Helena colocou as mãos no ombro de Hermione e olhou nos olhos castanhos dela.

— Hermione, eu te imploro, faça isso antes que alguém se machuque. Por favor. 

Hermione assentiu derrotada.

Helena sorriu pequeno e ficou na frente de Hermione enquanto via o trasgo se aproximar.

— Ei coisa feia!! — chamou ela, pegando a atenção da criatura horrível. — Você sabia que você é mais feio que um Zumbi? Claro, se você souber o que isso é!!

O trasgo fez um som estranho, fazendo Helena perceber que ele entendeu o insulto. Ela olhou para trás, vendo Hermione correndo em direção ao próximo corredor.

— Bem... tente não morrer agora. — Helena suspirou, olhando novamente para o trasgo. — Vem me pegar sua coisa feia! Tenho certeza que sua mãe tem vergonha de ter tido você!!

O trasgo levantou o bastão de madeira em desafio e começou a correr em direção a Helena, que arregalou os olhos e entrou para dentro do banheiro.

— Ok, agora eu acho que isso foi uma ideia estúpida! — ela gritou, se vendo sem saída.

Então, por sorte ou azar do destino, ela começou a ouvir vozes do lado de fora.

— Ali! Helena deve está aí dentro! —  a voz de Hermione podia ser ouvida. — Por que a porta está trancada? O que vocês fizeram!!??

Helena correu para se esconder do trasgo enquanto tentava escutar a conversa.

— Peraí! Helena está aí dentro? — outra voz, que ela reconheceu como a de Rony, soou.

— Não ignore minha pergunta! — Hermione exigiu, irritada, antes de começar a responder. — Mas é claro que está! Ela distraiu o trasgo para eu fugir! E isso é tudo culpa sua!!

— Como eu ia saber que o que eu disse ia dar nisso tudo?!

— Parem já! — a voz de Harry soou, com tom de exigência. — Vamos salvar ela juntos.

Helena quis chorar com todo o azar.

Ela ouviu a porta sendo aberta e um grito de Hermione chamou sua atenção para ela sair do seu esconderijo, só que não deu tempo e o trasgo bateu com seu bastão nas cabines, fazendo Helena se agachar e tapar os ouvidos.

— Helena!! — Harry gritou, pulando no trasgo para distrai-lo enquanto Hermione ia correndo para Helena, que tinha machucado o pé e não conseguia andar.

— Rony! Faça alguma coisa!! — Hermione gritou, olhando para o ruivo, que assentiu rapidamente.

Wingardium Leviosa!! — Pronunciou ele, e o bastão de madeira subiu no ar, subindo, subindo, até virar lentamente e cair em cima da cabeça do trasgo, que cambaleou e caiu de cara no chão, fazendo um estrondo enorme.

— Ele... está morto? — perguntou Hermione, indo em direção a eles com Helena apoiada nela.

— Não, só desmaiado. — disse Harry, se levantando.

Helena olhou para os três, respirando pesadamente. — Vocês são verdadeiros grifinórios, estúpidos, corajosos e imprudentes, mas... obrigada por me salvar.

Harry, Rony e Hermione sorriram para ela, um sorriso que desapareceu quando os professores entraram no banheiro.

— Mas... o que está acontecendo aqui?!! — exigiu a Professora Minerva, olhando para todo o caos.

Os quatro estudantes trocaram olhares nervosos entre si.

— Se a gente falar que foi uma festa do chá, vocês acreditam?

Pela a cara que o professor Snape fez, parece que não.


Notas Finais


Oie denovo! Espero que tenham gostado do capítulo!! Me perdoem por quaisquer erros que tiverem aí, ainda vou revisar.

Dúvidas, dicas e etc... vocês já sabem, né? Coloquem nos comentários, que mesmo que demore, eu estarei lendo.

Até a próxima queridos!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...