1. Spirit Fanfics >
  2. The Soul Of Warrior >
  3. Abraço

História The Soul Of Warrior - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Não, esse ainda não é o cao especial safadas, esperem mais um pouco, está em produção >:3

Capítulo 1 - Abraço


(???? PoV's)


Você já se imaginou viver em um mundo, onde todos a sua volta possuem poderes que surgiram de repente em um aleatória do mundo? Bem, eu vivo nesse mundo, eu sei que pode ser algo bem repentino de se falar… Porém, não é algo simples, por isso vamos começar por onde tudo começou.


Há 40 anos, em Qing Qing, na China, um bebê com capacidade de gerar luz bioluminescente por todo o seu corpo nasceu, a partir daí apenas mais e mais crianças com habilidades únicas e totalmente distintas foram nascendo. 


Ao decorrer desses 40 anos, estudos foram sendo executados e mais pessoas com a estranha "condição física" foram nascendo. E agora, exatos 80% da população mundial possuem a "Condição Física" que foi datada há 3 anos atrás como um Pico de Evolução do Ser Humano as que atualmente são chamadas de Quirks, Individualidade, Peculiaridades, ou qualquer outra merda que você queira chamar.


Mas e os outros 20%? Ah, sim, esses né? Bem, essas são as pessoas que não atingiram o Pico de Evolução do Ser humano. Os chamados, Quirkless, ou como os idealistas metidos a picudos chamam, "A Ralé da Humanidade". Resumindo, as pessoas que nasceram sem qualquer habilidade especial.


Normalmente na sociedade os "Quirkless", como já era de se esperar são terrivelmente discriminados por todos, e em casos até bem comuns pela própria família. A discriminação começa com os adultos Sem Individualidades, com raras chances de arrumar emprego e as crianças… Os piores seres do mundo, pode achar que eu estou exagerando, mas acredite se quiser, mas esses malditinhos não param quietos com o Bullying quando se trata de um Quirkless. É impressionante a criatividade desses Gremlins no que deveria estar em um corpo humano de fazer mal a alguém entre muitas e muitas aspas """""""""''Diferentes""""""""".


E você se pergunta como eu sei disso? Considere experiência própria. Me chamem de Izuku Midoriya, tenho 14 anos, atualmente estou cursando o Nono ano do Ginasial e eu sou um Quirkless.


(Não por muito tempo…)


(Autor PoV's)


Em uma não tão bela tarde de Outono, podemos ver um certo garoto de sardas, tendo escuros e desgrenhados cabelos verdes igualmente aos olhos, vestindo um uniforme gakuran, sentado em uma carteira, batucando com um lápis uma folha em branco de um caderno logo em cima da mesa. Como de se esperar, o tal garoto das sardas era Izuku Midoriya, aguardando pacificamente a sua última aula do ano letivo que iria iniciar em alguns minutos, enquanto estava perdido em pensamentos corriqueiros.


Os ventos refrescantes da estação do ano passavam pela sala, algo que pouco importou Midoriya, que mantinha os batuques constantes no seu caderno, algo que incomodou os poucos alunos que estavam na sala, em especial um certo loiro de olhos carmesim. Que logo se levantou de sua carteira e foi na direção do esverdeado.


Izuku: O que você quer Bakugou? - Disse de modo frio, continuando as batucadas em seu caderno, o que não agradou nenhum pouco o chamado Bakugou.


Bakugou: O que eu quero?! 


Sem resistência nenhum do esverdeado, Bakugou arrancou das mãos de Midoriya os lápis o qual batucava o seu caderno, o quebrando ao meio deixando-se cair de sua mão, o que não foi surpresa para Izuku, tanto foi que puxou outro lápis do estojo que estava logo à frente do caderno, o que novamente não deixou Bakugou nada feliz, dando para se ouvir estalos vindos da sua mão.


Bakugou: TA ZUANDO COM A MINHA CARA DE-KU?!! - Bakugou já com seu rosto irritado, adotou uma face maligna com um leve sorriso sádico se estendendo dos seus lábios. - Acho que encher a sua cara de porrada vai te fazer pagar um pouco, não?!


Izuku: Foi você quem quebrou o meu lápis, quem deveria me pagar outro deveria ser você. - Retrucou Izuku. - Além do mais, acho que não é algo que te dê o direito de me bater, eu só peguei outro lápis. - Ele olhou de rabo de olho para Bakugou, que estava ardendo de raiva, prestes a explodir. - Puta explosiva. - Sussurrou o Midoriya.


Bakugou: O QUE VOCÊ DISSE SEU INÚTIL DE MERDA?!! 


O loiro puxou a gola da farda de Izuku, o levantando da cadeira, e preparando pra dar um soco de direita bem no meio da face do esverdeado.


Izuku: Você vai relaxar a gola desse jei… - Ele levou um soco na sua bochecha, o que resultou em uma marca de um punho estampada na sua pele morena. - Ai…


Bakugou: RESPONDE SEU FILHO DA PUTA!!


Midoriya sorriu sarcasticamente, massageando a sua bochecha que levou um soco, levantando lentamente o seu queixo.


Izuku: Eu falei… - Ele deu uma pausa. - Pu-Ta Ex-Plo-Si-Va. - Emitiu Midoriya, fazendo uma perfeita separação silábica, em compensação levando um jab certeiro no centro de sua cara, assim caindo no chão, sendo empurrado pela força do soco, juntamente a sua carteira que foi junto ao ter a costa colidida com o conjunto.


Como Bakugou poderia enviar Izuku juntamente a sua carteira em apenas um soco? Bakugou tem uma Quirk datada como Rank-A, que o faz gerar explosões pelas palmas de suas mãos a partir do seu suor, que possui nitroglicerina, um dos principais componentes das bombas. O que nos leva ao soco de Bakugou, que usou a sua explosão logo ao colidir seu punho com o rosto do Midoriya, que se encontrava sentado no chão, com a coluna no formato de um parêntese, apoiado a sua lumbar na borda da cadeira que havia batido ao cair.


Midoriya estava sangrando muito, pela sua boca e nariz, aliados a pequenas queimaduras causada pela explosão do loiro.


Bakugou: REPETE ISSO SEU MERDA!! 


O loiro e todos os presentes da sala arregalaram os olhos ao ver Izuku, se levantando com extrema dificuldade, porém se levantando. "Como?" Eles estavam se perguntando, em especial o loiro, que sabia do que suas explosões eram capazes, sabia que podia desmaiar até um adulto com constituição acima da média com um soco bem colocado, ou se apenas conseguisse derrubar alguém, ela estaria agonizando pela dor da sua coluna e o próprio soco, mas que não parecia estar acontecendo com Izuku, o que apenas deixava as pessoas em dúvida se o esverdeado tinha ou não uma individualidade. Em meio as dúvidas, os alunos vieram Midoriya se levantar completamente, com as mãos na sua lombar, sorrindo sarcasticamente.


Izuku: Essa doeu ein Katsuki, tenho que confessar. - Ele passou a manga da farda em sua boca, sujando a sua ponta de sangue, cuspindo em seguida dois dos seus molares. - Bem, mas se quiser que eu repita, não vejo o problema! - Indagou Midoriya, estalando a sua coluna. - Puta Explosiva! 


Nesse momento o sangue de Katsuki ferveu, fazendo uma veia saltar de sua testa juntamente ao estreitar das suas sobrancelhas. 


Katsuki: SABE O QUE VOCÊ FAZ SEU MERDA?!! - Gritou retoricamente, o que teve uma resposta indireta onde o esverdeado arqueou sua sobrancelha direita. - PULA DA PORRA DE UM PRÉDIO!! QUEM SABE VOCÊ RENASÇA COM UMA INDIVIDUALIDADE NA PRÓXIMA VIDA!! 


Midoriya tirou a sua expressão irônica, adotando uma cara séria. Diferente dos alunos que apenas assistiam o show, ficando horrorizados com o que o Loiro acabara de dizer, mesmo ninguém dali algum dia tenha respeitado Izuku, sabiam que aquilo não era algo que se diria, nem mesmo em um ato de fúria, Incluindo o próprio loiro sabiam das consequências que aquilo podia atrair. Mas o que poderia ser tão ruim? O esverdeado já sofreu coisas pior como o próprio linchamento de alguns dos Bully que implicavam com o próprio. Mas aquilo… Aquilo foi a gota d'água para Izuku. A frente dos seus olhos surgiu uma forte sombra,  enquanto lágrimas escorriam sutilmente pelas suas bochechas.


Izuku: VAI SE FODER BAKUGOU!! - Midoriya avançou contra Katsuki, o dando um soco com toda a sua força bem no maxilar do loiro, que caiu à beira de um desmaio no chão. - VAI SE FODER SEU MERDA!! - Em meio às suas frases os soluços se tornaram constantes. - EU JÁ OUVI CALADO O SUFICIENTE!! JÁ SOFRI DE MAIS PRA UMA PESSOA SÓ!!


Katsuki tentava se levantar, com muitas e muitas falhas.


Izuku: VOCÊ SÓ É UM DESGRAÇADO, INFELIZ SEM NADA MAIS PRA FAZER!! - Secou as lágrimas em seu olhos, passando sua visão para os alunos que apenas assistiam. - INCLUINDO VOCÊS!! - Ele soluça, saindo correndo dá sala, chorando e chorando muito, deixando Bakugou e os restantes na sala.


????¹: VOCÊ TEM IDÉIA DO QUE FEZ BAKUGOU?! - Gritou um dos alunos para o loiro.


Katsuki: Ele vai voltar, ele é covarde demais para fazer o que eu disse. - Ele se levantou, percebendo os olhares de desdém e ódio para si próprio. - O QUE FOI?! QUEREM QUE EU JOGUE VOCÊS DO 5 ANDAR?!! 


????²: Não ferra, seu merda!


Assim os alunos lá presentes foram se sentando nas suas respectivas cadeiras, volta e meia algum outro aluno chegava, perguntando sobre onde estava Deku, referindo-se ao esverdeado, recebendo as respostas diretas sobre o que Bakugou fez, deixados chocados e reflexivos sobre Katsuki, se realmente o loiro almejava ser um futuro heroi.


Agora… Onde estava Midoriya? em sua casa chorando, escondido em algum canto da escola? Nenhuma das atuais alternativas.


Com Izuku…


Midoriya se encontrava choroso e fortemente abalado, fungando muitas e muitas vezes, rasgando sua garganta gritando "morra Bakugou" ajoelhado, logo na beirada de um prédio. 


Izuku: Depois de tudo! Ter te ajudado na porra do lago! Ter te chamado de amigo! Você vem e fala isso pra mim?! - Perguntou retoricamente, tendo flashes de sua infância e no decorrer de sua vida, do Bullying, dos tantos psicólogos que sua mãe o levou, dás tantas porradas que ele recebeu, ele já não aguentava mais, e em meio dos seus devaneios gritou soluçando. - MORRA KATSUKI!! 


Ele continuou a chorar, se levantando de forma lerda e desvalida, estando em pé logo na beirada do prédio.


Izuku: Me desculpa mãe! - Midoriya tentou limpar as lágrimas que ficaram escorrendo. - Me desculpa pai! - Ele soluça. - Me desculpa Izumi! - Ele novamente soluça. - Eu não aguento mais.


Ele parou de secar suas lágrimas, deixando-as escorrer pelo seu rosto choroso, suspirando pesadamente, dando um passo para frente, começando a cair… A cair pelo que parecia ser uma eternidade, deixando as lágrimas voarem com a velocidade que o mesmo ia de encontro ao chão. Os segundos ficavam parecendo horas, e toda sua vida passava como um longa retrospectiva, vendo todos os seus erros, acertos, alegrias, tristezas, momentos de paz, momentos de raiva, arrependimento… Amizades perdidas… Sua família... E agora, ele estava a metros de distância do chão, prestes a ir de encontro a calçada.


Izuku: Me desculpem… 


Midoriya olhou para o chão, fechando os seus olhos, vendo um espaço negro, observando 4 esferas brilhantes. Piscando, falando em uníssono.


????¹²³⁴: Ainda não é hora de morrer!


Izuku: O que?! 


Midoriya abriu os seus olhos, sentindo seus joelhos no terraço do prédio, lacrimejando e tremendo.


Izuku: Por que eu ainda tô vivo?! POR QUE?!! 


Soluçou Midoriya, olhando para sua frente, se deparando com 4 figuras altas translúcidas à sua frente. O que o fez recuar.


Izuku: Q-QUEM SÃO VOCÊS?!! 


As quatro figuras ficaram em silêncio, e Izuku tremendo mais de medo, até ver uma das figuras se aproximar, se mostrando com uma armadura prateada, e vazia, o ser veio a se aproximar de Midoriya e se ajoelhar no chão, com os braços abertos, oferecendo um abraço para Izuku.


Izuku: RESPONDAM!! - Disse izuku com extremo medo, não recebendo nenhum resposta, apenas a aproximação da figura ajoelahda, que o abraçou de forma forte e aconchegante. - Por que?! Por que eu estou vivo?! Por que me salvaram?! - Izuku estava chorando incessantemente, retribuindo o abraço do ser translúcido, que se provou capaz de falar.


????¹: Você ainda é jovem garoto, seu suicídio não o levará a lugar nenhum… - Disse o homem translúcido que estava a abraçá-lo. 


Izuku: Eu não ligo! - Indagou enquanto soluçava. - Eu só queria acabar com o meu sofrimento, acabar com tudo de uma vez!! 


????²: Acabar com a felicidade da sua família? - Declamou um homem logo ao meio das outras duas figuras. - Você vai trair sua própria família? - Aquilo indignou Izuku, que apenas começou a chorar mais e mais. - Se você quer honrá-los por ser alguém sem poderes, treine até ficar forte o suficiente. 


Izuku: Como eu vou ficar forte?! Eu sou um inútil nessa merda de mundo onde todos têm poderes!


????²: Até agora estava todo corajoso chamando o tal Bakugou de Puta Explosiva, não? - O homem veio a se aproximar, ficando mais corcunda do que já estava, para fitar Izuku dando uma visão melhor de uma capa vermelha cobrindo seus olhos com uma imensa barba. 


Izuku: Como você sabem disso? - Izuku fungou, sentindo-se afastado pelos ombros pela armadura que o abraçava.


????¹: Você vai saber logo logo.  - Aquelas palavras aconchegaram o coração do esverdeado. 


????³: Garoto. - O maior das 4 figuras chamou a atenção de Izuku. - O que você faria, se pudesse ser mais forte?


Izuku: Por que essa pergunta? 


????³: Apenas responda.


Izuku: Tudo que esteja ao meu alcance. - Ele enxugou as lágrimas que estavam escorrendo, colocando uma expressão determinada.


????³: Sua resposta é objetiva. - O homem veio a se aproximar, agachando-se logo ao lado da armadura prateada que nesse meio tempo veio a se levantar. - Eu gostei de você garoto. - O ser ergueu sua cabeça, intimidando Izuku com os seus olhos vazios e pele de tonalidade cinza, ostentando uma coroa enferrujada, com cabelos esvoaçantes que estavam ligados à coroa. - Gostei. - O homem pôs a sua mão no ombro de Midoriya, mas logo a tirou.


????⁴: As almas dos lordes queimam em mim, e futuramente queimarão em você, Pequena Chama. -  Indagou o outro ser, com vozes ecoantes, recitando algo parecido a uma metáfora.


Izuku: Isso foi uma metáfora? - Perguntou Midoriya, sorrindo nervosamente.


????¹: Ele fala assim normalmente Garoto. Mas o que você precisa saber é algo importantíssimo. 


Todos os seres fizeram uma fileira, ficando lado a lado, à frente do esverdeado que observava as enormes figuras com admiração.


????¹²³⁴: Você é o futuro guerreiro, que salvará o mundo de seus males, e acabará com toda a vilania, almejará a paz mundial, e conquistará o coração do público com a sua bondade, frieza, inteligência, táticas e força. Tu não serás um simples herói, será o mais forte e eterno herói de todos.  - Logo após isso, os 4 seres foram ficando mais e mais translúcidos, virando pequenas esferas brilhantes. Uma azul, outra vermelha, outra dourada e por último uma laranja, avançando em alta velocidade no peito de Izuku.


Izuku: O que…? O que aconteceu… - Midoriya começou a sentir a sua visão ficar turva e um forte enjoo veio à tona. - Mas que merda… - Ele cai desmaiado no chão.


.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.



ASSIM ACABA O PRIMEIRO CAP DESSA MINHA NOVA FIC, AMO VCS SEUS LINDOS, OS PRÓXIMOS ESTÃO POR VIR!! 










Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...