História The Stalker! (jjk x pjm) Jikook - Capítulo 24


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bangatan, Bangtan Boys (BTS), Jikook, Jimin, Jungkook, Lemon, Yaoi
Visualizações 54
Palavras 2.475
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Ficção, Hentai, Lemon, LGBT, Mistério, Policial, Romance e Novela, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Isso vai e volta, por que eu continuo voltando?
Eu vou baixo e baixo, eu sou um completo idiota
Eu tentei de tudo, mas não consigo ajudar
Isto está em meu coração, mente e emoção.

I need U ~


# Capítulo para maiores de 18 anos. :)

Capítulo 24 - I need U


Fanfic / Fanfiction The Stalker! (jjk x pjm) Jikook - Capítulo 24 - I need U

Jimin Pov's

Ah, eu sempre soube que uma hora eu ia desistir e todo meu esforço de me manter afastado dele ia ser jogado no lixo. É impossível resistir a Jeon Jungkook, isso é um fato.

Mesmo depois de descobrir o seu segredo, de achar que nunca nós perdoaríamos por tantas mentiras, cá estamos nós juntos e ainda mais unidos.

Espero que eu esteja fazendo a escolha certa, espero não me machucar. Espero não o machucar.

Nós somos os opostos, eu nunca soube dar amor ou me apegar a alguém romanticamente falando, sempre fui de casos e de prazeres descomplicados, o que não é novidade para o Jungkook e nem tento esconder essa parte minha. Logo, ele está ciente de todos os riscos de querer se envolver comigo, de querer ter um relacionamento comigo. Espero que ele não se arrependa deste impulso, pois ele é a pessoa mais impulsiva que eu conheço. ~

Jeon Jungkook não pensa, ele toma tudo para si e arca com o que vier quando vier.

E o pior de tudo, o que eu mais temo é de o magoar. Ele não merece mais nada de ruim, o mundo já foi cruel o bastante com ele,  conosco na verdade.

Ao contrário de mim Jeon Jungkook nunca foi bom em receber amor, ele nunca teve uma família estável e o que ele viu foram pessoas distorcidas, então como duas pessoas que não sabem dar e nem receber amor podem ficar juntas?

Não importa mais, nada disso importa mais.

Aqui estamos nós, e ele é tão inexperiente e ainda assim ele arranca reações que eu nem mesmo sabia que possuía. E eu que já tive tantas transas na vida, sinto como se estivesse indo em direção a minha primeira novamente com o nervosismo a flor da pele.

Ah Jungkook, acho que no fim fomos feitos um para o outro. Fico feliz de saber, que não importa quem já tenha passado por nossas vidas, nós causamos exatamente o mesmo efeito um sobre o outro.

-Ji, você é passivo? -Ele para e me olha em confusão.

Deixo uma gargalhada escapar. Acho que nunca falamos tão afundo assim, sei que meu jeito autoritário às vezes é mal interpretado, apesar de que passivos podem ser os dominantes em um relação.

-Oi? Isso é momento de perguntar algo assim?- Eu estava sentado em seu colo sem camisa e ele vem e me larga essa.

-É uma pergunta totalmente plausível, que gostaria de saber para ver o rumo da situação. -Ele diz caindo na gargalhada também.

-Eu sou passivo, mas não me importo em ser ativo em algumas situações. Por mim relações sempre tem suas variáveis e é lugar para ser aberto e tentar, se libertar. E você Kook? Do que você gosta e do que não gosta? -Pergunto, com minha mente indo em outra direção.

Reparo que ele treme de leve, eu sou um idiota. Ele acabou de passar por uma situação de abusos, não posso nem imaginar situações em que ele deve ter sido posto, o que ele deve ter sido obrigado a fazer.

-Desculpe, Kook. Eu sou um idiota, nem pensei no seu lado. -Digo.

Quando vou me levantar ele me abraça com força. Então recua e retira sua própria camisa e volta a me abraçar sinto um arrepio subir por minha espinha quando nossas peles se tocam sem nada entre elas.

-Eu odeio contatos, odeio que me toquem e odeio me sentir vulnerável. Mas aqui com você sentindo sua pele quente contra a minha tudo que sinto é familiaridade e isso não faz nenhum sentido, é como se meu corpo estivesse onde ele deveria estar. -Ele diz.

Então passa a mão pelas minhas costas nuas e apoia sua testa em meu ombro.

-Hyung, eu nunca tive uma relação sexual boa. Nunca. Quando se tratava dos "trabalhos" que me mandavam fazer na maioria eu era o passivo e eu odiava cada momento, mas por vezes também fui ativo e o resultado foi ruim também. -Ele faz uma pausa pensando. -Já tive relações fora desse meio, mas eu era só um rostinho bonito a ser usado, então sexo é algo que não foi meu forte.

Olha esse rostinho falando de sexo, coisa mais adorável do mundo.

Me sinto sujo por um momento, com a vontade de querer depravar essa inocência e o puxar para o meu mundo.

Eu realmente sou uma bagunça e não mereço ele.

-Tudo bem, não pense isso de si mesmo. -Ele diz.

Que? Ele começou a ler mentes agora.

-O que? -Digo confuso.

-Você parece dividido, com a vontade de me proteger e com a vontade de me perverter. Tudo bem, eu não tenho medo. Sei que isso soa estranho, mas eu realmente não tenho medo de você, de qualquer coisa que acontece entre nós, você sempre foi a única constante para mim Jimin. -Ele diz sincero, me dando um beijo lento e demorado.

Aprecio seus lábios macios, seu gosto e sou atingido pelos seus sentimentos.

Se fosse outra pessoa eu provavelmente já teria corrido, mas não com ele.

-Você não faz ideia de como eu te quero, eu não faço ideia de onde todo esse desejo saiu de dentro de mim. Mas eu só consigo imaginar, como é estar dentro de você. -Jungkook diz em um tom rouco.

E quem diria que ele é só uma criança. 

-Jungkook, como você consegue ser tão intenso? Observo a profundidade de seu olhar, dá para ver suas pupilas dilatas de pura luxuria. 

Acho que eu o quero tanto quanto, quero sentir ele pulsar dentro de mim. Mas ele não precisa saber disso.

Me aproximo de seus labios sugando lentamente o inferior, logo pedindo passagem para ter contato com a sua língua, suspiro com o prazer que este simples toque me proporciona.

E assim o nosso beijo se tornou algo mais profundo, com uma necessidade de provação, do quando nós precisávamos sentir um ao outro. Puxei novamente seu lábio e ele gemeu em minha boca, apertando sua cintura levei meus lábios pela pele exposta de seu pescoço chupando e mordendo. Jungkook segurou meu quadril e impulsionou o seu contra o meu e senti nossos membros duros roçaram por entre o tecido de nossos jeans, com um gemido escapando dessa vez de meus lábios. Ele desceu sua língua pelo meu pescoço e mordeu meu maxilar e continuou seu caminho até parar em meu mamilos onde lambeu e o chupou enquanto com a mão brincava com o outro, então o mordiscou acabo por gemer em um misto de dor e prazer.

Então subitamente ele me levanta em seu colo invertendo nossas posições, me colocando sentado na poltrona e se ajoelhando entre minhas pernas.

A cena de Jungkook ajoelhado entre minhas pernas, claramente nervoso e ainda assim com desejo foi demais para mim, pressionei meus lábios para me conter, mas meu membro fisgou denunciando o quão hipnotizado eu estava pela beleza daquela cena.

Então ele abriu minha calça e desceu o zíper de minha calça de forma atrapalhada, sem olhar para mim.

-Hey, está tudo bem. Você não precisa fazer isso se estiver nervoso bebê. -Digo acariciando sua mão.

-Estou nervoso por achar que talvez eu não seja bom o bastante, você tem experiência e eu não. Tudo que fiz até hoje foi o que me mandaram fazer. -Ele diz incerto.

Então o ajudo a retirar a minha calça ficando só de boxer.

-Olhe para mim. -Então ele olha. -Eu poderia gozar só de olhar para a sua beleza, então não se diminua, por favor. E álias, você tem que pensar no que te faz bem, quero que você foque em fazer algo que te deixe confortável e que te faça se sentir bem também. -Digo.

Vejo ele sorrir de canto, e por fim puxar minha boxer para baixo libertando meu membro duro e necessitado com meses de negligência que não era típico em minha vida.

Então vi suas mãos envolveram meu membro e começar a estimulá lo, massageando a glande já úmida de pré-gozo, descendo por toda a extensão seguindo um ritmo lento.

-Se você não gostar me diga. -Ele diz com aquele rosto inocente. 

Então timidamente eu sinto sua língua tocar a glande e se mover de forma incerta.

Reviro os olhos, só pelo fato de eu estar dentro da boca de Jungkook.

Então o único barulho no quarto era o som obsceno de sucção e meu arfar a suas ações, Jungkook moveu sua língua e tentou me colocar o máximo que pode dentro de sua boca, mas ele quase engasgou, então ele voltou e tentou novamente testando seus limites e logo encontrando seu ritmo. 

Vê-lo engasgar com meu membro quase levou minha sanidade embora.

Me agarro a lateral da poltrona, pensando que não vou aguentar por muito tempo, não excitado como eu estou.

Sinto ele parar e chupar a parte interna de minhas coxas próximo a minha virilha, então ele coloca minhas pernas por cima de seus ombros e me puxa mais para a beira da poltrona. Sinto sua respiração em minha entrada e acabo me contraindo involuntariamente em antecipação.

Então sinto sua língua brincar contornando minha entrada e se forçando para dentro.

-Ah, Kook. Acho que fui enganado, você é muito melhor do eu esperava. Mas estou no meu limite.

-Você tem lubrificante Ji? -Balanço minha cabeça em negação, mas puxo seus dedos até meus lábios.

E os chupo com vontade, espalhando minha saliva da melhor forma que posso. Escuto-o arfar.

-Gostoso. -Ele diz. Então direciona seus dedos até minha entrada, massageando-a com seu indicador e então inserindo um dedo que logo é sufocado em meu interior, o deixando lá sem se mover, até me remexo e ele o retira o inserindo novamente com mais força.

-M-mais um. -Digo com a voz entrecortada. 

E assim ele insere dois dedos estocando os dentro de mim com mais força, os abrindo em meu interior tentando não ser esmagado, e logo a dor e queimação se transforma em prazer e seus dedos já não são mais o suficiente. 

-Jungkook, me fode. -Digo, manhoso.

Me levanto e fico de costas para ele apoiando minha perna esquerda na lateral da poltrona e com a outra firme no chão, inclinando meu corpo para a frente tentando encontrar apoio na poltrona e empinando minha bunda em sua direção, totalmente exposto.

-Me fode, agora. -Digo, no ápice de minha excitação. 

Escuto ele abrir sua calça e se despir por completo, mas então o silêncio domina. Inclino minha cabeça para trás para ver o que está acontecendo e o pego admirando minha bunda.

-Desculpe, você é incrivelmente bonito. Logo, esse momento se pede um tempo para se prestigiar. -Ele diz entre um sorriso, então sinto seus lábios deixar um selar na base da minha coluna. Sinto seus dedos traçar minha coluna delicadamente me fazendo arrepiar e me perder em seu toque, até que inesperadamente o senti se empurrar para dentro de mim de uma só vez, mas sem se mexer.

A ardência de o ter dentro de mim de uma vez me fez perder o fôlego por um momento e me fazer gemer em lamúria.  

Com sua mão esquerda ele segura meu quadril, sinto seus dedos se cravarem em minha cintura com força e com a outra mão ele a acomoda entre meus cabelos o puxando.

Me sinto dominado, deixo um gemido alto escapar. Sinto sua respiração em meu ouvido, então ele se retira de dentro de mim e estocar novamente de uma vez com força, até que ele faz isso vez através de vez se retirando por inteiro e voltando a me preencher por inteiro.

Ele está me provocando. 

-Você é um mentiroso. -Digo, entre dentes.

Ele puxa meu cabelo com mais força e sussurra em meu ouvido. 

-Shh, quieto. Não é assim que você gosta, Ji? -Ele diz em um tom que não reconheço.

-Pare de me provocar, Kook. -Digo.

Ele se retira sem me penetrar novamente, sinto seu membro brincar na minha entrada, colocando só a ponta.

-O que você quer Hyung, poderia repetir. -Ele diz sem aliviar a pressão em meus fios.

Maldido.

-Me come, eu sei que você quer.

Sua risada gostosa me atinge e eu sorrio em resposta, então ele voltou a me penetrar, mais rápido, indo mais fundo e com força. O único som era de Jungkook batendo contra a minha bunda sem folêgo, com nossos gemidos misturados em extâse.

Até que ele acertou a parte sensível de meu interior e meu corpo falhou e eu quase perdi as forças em minhas pernas com a sensação abrasadora, ele logo segurou minha cintura com mais força tentando sustentar meu peso, quando ele atingiu novamente e um gemido mais parecido com um choro preencheu o quarto, me agarrei com mais força cravando minhas unhas na poltrona tentando descontar um pouco das sensações que me atingiam.

Ele continuou me fodendo sem piedade, me atingindo no mesmo ponto vez atrás de vez. Senti sua respiração próxima de mim, seu gemido se tornando mais agudo e assim eu soube que ele estava próximo de gozar. Não distante senti a ponta de meus dedos formigarem e aquela sensação queimar dentro de mim, com aquele prazer tão profundo que quase se tornava insuportável.

-Ko-ok. -Digo com a voz falhada.

Entendendo o que eu queria dizer ele manteve o ritmo e senti sua mão segurar meu membro me masturbando no mesmo ritmo que ele me penetrava, até que logo ele gemeu de forma sôfrega atingindo seu próprio limite e gozando. Ele manteve um ritmo lento ainda me estimulando e acabei por atingir o meu ápice sem folêgo.

Jungkook se retirou de dentro de mim, deixando um beijo em meu ombro. Senti meu corpo inteiro tremer, com a sensação se alastrando por todos os meus membros e logo perdendo a força nas pernas, mas ele me segurou e me carregou até a cama.

Fico em silêncio tentando recuperar a minha própria respiração, enquanto ele vai ao banheiro se limpar e retorna com algo pra me limpar.

-Você me enganou. -Digo.

Ele sorri, enquanto passa o pano pela minha pele suja de gozo. 

-Só queria o surpreender, mas não estava exatamente mentindo. Só me senti mais incentivado dado ao fato de que era você e eu sempre o quis. -Ele mantém o sorriso no rosto.

Continuo encarando o teto com minha respiração finalmente estabilizando.

-Agora posso dizer, você é absurdamente enlouquecedor Park Jimin. Cada pedaço seu. -Ele diz me olhando.

Puxo o travesseiro e o coloco em meu rosto, atingido por uma vergonha que não me é comum.

-Hey, tudo bem. Não se esconda. -Ele ri.

Eu o puxo para se deitar ao meu lado, entrelaçando meu corpo ao seu.

-Shh, preciso dormir. Me sinto letárgico sempre após fazer sexo, então vamos dormir. -Digo já perdendo a consciência.

A última coisa que vejo é ele puxar as cobertas sobre nós e depositar um beijo em minha testa.


Notas Finais


Então...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...