1. Spirit Fanfics >
  2. The Strongest One: O Mais Forte >
  3. Crimson Star

História The Strongest One: O Mais Forte - Capítulo 3


Escrita por:


Capítulo 3 - Crimson Star


I


Carlos:- MEUDEUSDOCÉÉÉÉÉÉÉÉUUUUUUU!!!!!!!!!!!!!!!!!- gritava o rapaz em desespero, tendo em vista a altura em que se encontrava.


Carlos:- Como é que eu vou fazer pra aterrissar agora?!!!!!!- exclama o rapaz, que fechava os olhos, temendo encontrar na queda o seu fim.


Surge então uma figura no céu noturno que voa em direção ao rapaz que estava em queda livre. Essa figura então o agarra em pleno ar.


Shizuka:- Se importaria de me dizer o que tava fazendo?- diz a jovem mulher, que encara o rapaz, sem entender o que estava acontecendo.


Shizuka:- Cê não tem ideia do que tá acontecendo, né?


Carlos:- Nenhuma. Olha, tem uns caras que tão vindo atrás de mim! Eu não faço ideia do porquê! Eu mal cheguei aqui nos EUA! Não tive tempo de fazer nada!

Shizuka:- Não se preocupa com isso, eu dou conta deles! Agora se segura que eu vou pousar!- ao dizer isso, o rapaz que estava desesperado, segura-se firmemente em Shizuka.

Carlos:- Como.... Como foi que... Você conseguiu me encontrar?- tentava o rapaz estruturar uma frase, enquanto recuperava o fôlego que lhe fugia dos pulmões.

Shizuka:- Eu não sabia que era você. Percebi a manifestação de energia do Axel, e por isso vim até aqui, imaginando que ele estaria com problemas. Mas quando cheguei, avistei você a sei-lá-quantos metros de altura, prestes a cair.


Carlos:- Eu não entendi absolutamente nada.


Shizuka:- Me parece que você, por algum motivo, copiou a assinatura de energia de Axel. Mas isso não importa agora, temos companhia- disse Shizuka, enquanto entrava em postura de combate.


E então, o exército de soldados sombrios veio em direção a eles, e os liderando estava uma mulher que trajava algo semelhante a uma armadura. Tinha a pele morena e os cabelos eram curtos e cacheados.


???:- Preciso que você se afaste do garoto, sim? Tenho uns assuntos a tratar com ele - disse a mulher a Shizuka.


Shizuka:- Imagino que ele não tenha nada a tratar com você.


???:- Ora, onde estão os meus modos. Permita me recomeçar. Boa noite, sou Lady Narcissus, 3a líder das tropas Crimson Star.


Shizuka:- Ora, mas que surpresa, uma piranha com modos! Porque você não dá o fora daqui antes que eu quebre a tua cara?


L. Narcissus:- Isso não foi nada educado.


Shizuka:- Garoto, some daqui! Não quero te envolver ainda mais nessa confusão! Vai pra um lugar seguro, eu te garanto que vou acabar com isso rápido!


Carlos:- Mas como eu....


Shizuka:- SÓ VAI!!!!!!!


O rapaz então começou a correr feito um louco, na esperança de fugir de tudo isso.


L. Narcissus:- Esperem só mais um pouquinho.... Pronto, vão atrás dele!- disse a mulher, ordenando aos soldados que persigam e capturem o rapaz.


Shizuka:- Só por cima do meu cadáver! FLAME WALL!!!!- gritou Shizuka, então uma grande parede de chamas se ergue por trás dela para garantir que nenhum soldado chegue até Carlos.


L. Narcissus:- Huh, uma usuária das chamas. Que interessante. Quero ver como você vai se sair contra minha manipulação da terra!- disse a adversária, entrando em postura de combate.


Shizuka:- Uma piranha de terra? Tá aí, por essa eu não esperava.


L. Narcissus:- Vou fazer você se arrepender de suas palavras, sua cadela!


Então as duas começaram a se enfrentar. Shizuka, mestra das chamas azuis enfrentava L. Narcissus, usuária de terra dos Crimson Star. Narcissus envolveu seus punhos em pedras e formou com eles uma espécie de manopla e partiu pra cima de Shizuka. Com o punho envolto em rochas, desfere um golpe que rapidamente é aparado por Shizuka que usava apenas um dedo para segurar o ataque.


Shizuka:- Pensei que você fosse capaz de me divertir, de ser mais que um mero aquecimento. Mas parece que me enganei, nem pra aquecimento você serve - e com um simples peteleco, a manopla de rocha que Narcissus forjada se quebra diante de seus olhos, e ela é mandada pra longe pelo impacto.


Shizuka:- Essa é a diferença entre nossas forças. Sequer tive que usar meu elemento contra você.


L. Narcissus:- Não zombe de mim! Eu estou só começando! - e mais uma vez, parte pra cima de Shizuka, mas não obtém êxito algum. Refazendo a manopla de rochas, ela investe mais uma vez contra a manipuladora de chamas azuis, que apenas desvia dando um passo para o lado, e lhe desfere uma joelhada no estômago.


Shizuka:- Cê não passa de perda de tempo. Se eu fosse você, não levantaria. Não há vergonha em reconhecer a derrota.


L. Narcissus:- Uuuuuuggh!...

Shizuka:- Tem alguma coisa errada... Tá fácil demais isso aqui, e ela tá usando um padrão de ataque muito previsível... Essa não, Carlos!!!!

L. Narcissus:- Ué... O que foi?... Vai dar as costas a um inimigo? - diz Narcissus a Shizuka que estava prestes a correr ao encontro de Carlos.

Shizuka:- Não tenho escolha a não ser pôr logo um fim nessa besteira... Vou aproveitar que você não sairá daqui e perguntar: Porquê vocês estão atrás dele? E como vocês conseguiram o encontrar?

L. Narcissus:- Hmph... Como se eu fosse te dizer isso... Se quer tanto saber... Vai ter que arrancar essa informação de mim - responde a adversária, que lentamente se erguia do chão.

Shizuka:- Cê realmente quer fazer isso do jeito mais difícil? Fique sabendo, que eu vou conseguir a informação que eu quero nem que eu tenha que arrancá-la direto do seu cérebro! Supondo que você tenha um pra começo de conversa...

Enquanto toda essa confusão se desenrolava, cada vez mais o rapaz se distanciava de todos rapidamente, considerando que ele era muito rápido na corrida.

Carlos:- Essa tá sendo a pior noite da minha vida!!!! Tem maluco vindo atrás de mim, parece que eu sou um mutante ou sei-lá-o-quê, e pra variar eu acabei de me perder! Acho que eu não deveria ter saído da cama hoje....

???:- Olha só, o que temos aqui... Parece que você se perdeu, não é mesmo?- disse um dos servos da Crimson que foi de encontro ao rapaz para o interceptar.
Ele tinha um grande porte físico e em seu rosto havia uma cicatriz que passava de um lado a outro. De cabelos de uma certa tonalidade de dourado, usava um rabo de cavalo.

II

Carlos:- O que é que você quer comigo?!

???:- O que eu quero? Não, não... Não se trata do que eu quero... Se trata do que você vai fazer... Veja, eu não tenho tempo a perder e não tenho vontade de desperdiçar minha força em um verme ridículo como você. Então colabore, e venha comigo.

Carlos:- Tenho uma ideia melhor, porquê você não vai pro inferno?!


???:- O moleque tem a língua afiada... Quero só ver por quanto tempo...


Carlos:- Olha só, e-eu não quero problema com ninguém, e-eu só quero seguir meu caminho...


???:- Lamento dizer que isso é impossível.


Carlos:- Mas porquê?!


???:- Eu não tenho obrigação nenhuma de te responder. Mas vou refrescar sua memória, caso não se lembre. A alguns anos atrás, uma de nossas bases que estava localizada aqui perto foi destruída, atrasando e muito os nossos planos...


Enquanto isso, Axel ainda estava enfrentando a horda de inimigos que havia partido pra cima dele a tempos atrás.


Axel:- Droga! Quanto mais deles eu derrubo, mais deles aparecem! Tenho que dar um fim nisso rápido e ir atrás do Carlos logo, tô ficando preocupado com ele. Hora de lutar pra valer!!!!


Então o jovem de cabelos negros investe violentamente contra seus adversários, nocauteando um a um usando meros socos e chutes. Terminando o combate unilateral, ele corre em direção a Carlos, na esperança de ajudá-lo de alguma forma.


Não levou muito tempo para que Axel se encontrasse com Shizuka no caminho, que já tinha a situação de sua luta com Narcissus sob controle. Tanto Narcissus quanto os soldados já estavam fora de combate.


Shizuka:- Eu não queria ter que fazer isso, mas você não me deixou escolha!- diz enquanto ergue uma das mãos emanando energia, e toca a cabeça de Narcissus que já estava caída ao chão.


Shizuka:- Odeio fazer isso.... Geralmente eu acabo encontrando algo que não quero quando faço isso...


Axel:- Shizuka!!!!- grita o jovem que acena e se aproxima rapidamente.


Axel:- Shizuka, temos problemas! ... O que que cê tá fazendo sentada em cima dessa moça?


Shizuka:- Não é óbvio? Ela está com os Crimson, e estou pra vasculhar a mente dela e descobrir o que eles estão tramando. Se me dá licença...- dito isso, Shizuka toca a testa de Narcissus e começa a invadir sua mente e a vasculhar em suas memórias.


Shizuka:- Haaaaaaaahhhh!!!!!!!! Eu tinha esquecido que eu ficava com a sensação de ressaca toda vez que fazia isso....


Axel:- E então? O que foi que você viu?


Shizuka:- É pior do que eu pensava. Vamos rápido atrás do Carlos, que eu te explico no caminho - respondeu Shizuka, logo se pôs a correr com Axel vindo logo atrás.


Shizuka:- Lembra do que cê me disse antes? Do "choque" no aeroporto?


Axel:- E dá pra esquecer?


Shizuka:- Naquela hora, Carlos deve ter inconscientemente copiado sua assinatura de energia. Desde a última vez em que enfrentamos os Crimson, eles registraram o padrão da sua assinatura de energia.


Axel:- Mas como eles chegaram até aqui?! Eu não manifestei Hadou desde aquele dia!


Shizuka:- Cê não precisa manifestar pra emitir energia. Cê tá emitindo energia em um nível muito baixo pra ser detectado como anomalia. Agora cê deve estar emitindo a mesma quantidade de energia que uma pessoa normal, mas o Carlos não estava. Quando vocês ficaram próximos emitindo a mesma assinatura de energia, os Crimson puderam os encontrar.


Axel:- Isso ainda não explica o motivo de terem ido atrás dele!


Shizuka:- Cê já foi melhor de raciocínio, Axel. Eles querem vingança. Eles acham que foi Carlos quem destruiu a base deles, tendeu agora, ou quer que eu desenhe?!


Axel:- Ele vai pagar por algo que eu fiz?!!!


Shizuka:- Não se eu puder impedir!!!! Acelera o passo!!!!!!


Então Axel e Shizuka conseguiram chegar ao local onde Carlos se encontrava, mas já era tarde demais. Apenas restava no local, o óculos do rapaz, que havia caído no chão e rachado uma das lentes.


Axel:- E agora, o que a gente faz????!!!!! - pergunta aflito o jovem que em suas mãos segurava o óculos de Carlos.

Shizuka:- Vamos atrás dele, o que mais podemos fazer?

Axel:- Como o encontramos? Será que eles vão matá-lo??!

Shizuka:- Do mesmo jeito que eles o encontraram, vou sentir a energia que ele emite até encontrá-lo. Não o matarão por enquanto. Quando descobrirem que não foi ele quem destruiu a base, vão arrancar qualquer informação possível dele e o manterão vivo, para que cheguemos até ele.

Axel:- Eu só espero que você esteja certa...

Shizuka:- Não temos tempo para nos lamentar agora, Axel! Vai saber o que Carlos pode estar passando agora! Temos que salvá-lo! Vamos!

Terminada a conversa, a dupla acelera o passo o máximo que pode para poder alcançar e salvar o rapaz que havia sido capturado por engano. O coração de Axel era o que mais estava se afligindo com a situação.

Axel:- Eu deveria ter imaginado que isso aconteceria... Eu deveria ter imaginado que se eu deixasse de lutar, se eu tentasse ter uma vida normal, outra pessoa assumiria o meu lugar, outra pessoa sofreria no meu lugar. É tudo culpa minha... Que tola ilusão a minha...

Shizuka:- Ainda com o espírito inquieto? Cê ainda tá se culpando por algo que não fez, Axel? Ponha isso na sua cabeça: Cê NÃO TEM culpa NENHUMA do que tá acontecendo! Como cê poderia prever que essas desgraças aconteceriam? E ainda que pudesse prever, cê acha mesmo que poderia impedir que acontecessem? A vida não se trata de ficar sentado no chão lambendo as feridas e reclamando dos problemas, mas sim de seguir em frente mesmo quando tudo parece perdido. Agora, sugiro que você mantenha o foco porque a vida daquele garoto depende de você, tá me entendendo?

Axel:- S-Sim, eu entendi. Shizuka?

Shizuka:-?

Axel:- Obrigado.

Shizuka:- Não esquenta, tô aqui pra isso. Agora vamos.

III



Carlos:-.... Uuuuughhh.... Meu estômago tá doendo.... Agora eu me lembro... Aquele desgraçado... Tava falando um monte de asneira... E quando eu menos esperei... Ele estava na minha frente... E me deu um soco bem forte no estômago... Depois disso... Não lembro de mais nada... Mas onde... Onde é que eu tô, hein? Não consigo ver direito, os meus óculos... Meus óculos não estão comigo... Meus braços, estão presos?! Presos em quê, se eu não sinto nada?


???:- Boa noite, jovem rapaz. Está gostando das acomodações? - pergunta uma figura misteriosa que se aproxima lentamente do rapaz. Trata-se de um homem usando roupas finas em tons avermelhados, transparece um ar de elegância inabalável enquanto caminha, e possui um olhar sereno, de alguém que recém-despertou de um tranquilo sono da noite anterior.


Carlos:- Quem é esse cara? Não é o mesmo que me derrubou...Deve ser outro doente mental...



???:- Vejo que está sem palavras. Bom. Sabe, eu não aprovei o método que usaram para te trazer até aqui. Não é nada refinado. Particularmente, eu teria lhe enviado um convite. Se eu soubesse onde você mora, é claro.


Carlos:- Do que esse cara tá falando? Todo engomadinho...


???:- O que foi? Não sabe falar?


Carlos:- Me educaram... Me educaram a não... Falar com estranhos...


???:- Me admiro em ver que mesmo diante dessa situação, você ainda tenha algum senso de humor. Mas é bom saber que você foi bem educado. Seria horrível ter um oponente que não tivesse modos.


Carlos:- Esse cara fala muito. Por algum motivo, eu não consigo ver o rosto dele.


???:- E por falar em modos, quase me esqueço dos meus. Por ora, você pode me chamar de Sir Nightmare. É um prazer conhecê-lo... - se apresenta o vilão, enquanto estende a mão para que Carlos a aperte, em sinal de deboche.


Carlos:-...


S. Nightmare:- Agora é a hora em que você aperta a minha mão e me diz o seu nome, sabe? "Meu nome é Fulano de Tal, é um prazer conhecê-lo", entendeu? Vamos tentar de novo. Por hora, você pode me chamar de Sir Nightmare. É um prazer conhecê-lo...- mais uma vez estende a mão para Carlos em sinal de deboche, tendo em vista que as mãos do rapaz estão presas.


Carlos:- Desculpe... Se não estou em bom humor pra apresentações... Tô meio preso aqui, se é que me entende... - respondeu o rapaz, com um ar de desprezo.


S. Nightmare:- Não seja por isso - então, o elegante malévolo move a mão direita do rapaz ao encontro da sua, e a aperta.


S. Nightmare:- Agora sim, muito prazer. Quanto ao seu nome, não precisa se preocupar em me dizer. Vamos ter tempo de sobra para descobrir isso. Incrível, não é? São minhas esferas de estática. Graças a elas, posso manter você aqui, sem lhe causar o menor desconforto nos pulsos, diferente de algemas. Preciso patentear isso algum dia - terminando de falar, devolve a mão do rapaz a posição em que antes se encontrava, e caminha até uma cadeira que lá estava. Se assenta diante do rapaz, e mais uma vez, se põe a falar.


S. Nightmare:- O mundo está podre. Cheio de corrupção, violência, fome, injustiça... Nós estamos aqui para mudar isso. Tomaremos o poder daqueles que não sabem o usar, e com ele, criaremos um futuro melhor, conforme nossa vontade. Vou ser direto. Já faz alguns anos que uma base da nossa organização estava instalada aqui por perto. Subitamente, ela foi destruída e perdemos a maioria de nossas pesquisas e dados. Com muita sorte, conseguimos captar a assinatura de energia do responsável pela catástrofe e desde então, nós o procuramos incansavelmente - terminando de dizer isso, golpeia o rapaz com um soco no rosto.


Carlos:- Urrrrgh! I-isso é... É impossível... N-não faz nem... Nem dois dias que cheguei aqui...


Furioso por ter sido contrariado, Nightmare golpeia o rapaz novamente, dessa vez com um chute no estômago.


S. Nightmare:- Mentiras! MENTIRAS!!! - mais três vezes acerta o rapaz, que não pode se defender por estar com os braços presos.

S. Nightmare:- Pra quem você trabalha?

Por ter recebido tantos golpes, o rapaz ficou com dificuldade para falar. O fôlego lhe saía rapidamente de seus pulmões, e a dor preenchia seus pensamentos. Começou a se indagar que pecado terrível ele poderia ter cometido para merecer tamanha desgraça.

S. Nightmare:- Vou perguntar de novo. Pra quem você trabalha?

Carlos:- N-ninguém... E-eu não trabalho pra ninguém... E-eu já falei... N-não fui eu quem atacou vocês... Eu nem sei quem vocês são... Eu só... Eu só sou um estudante que... Que quer uma vida melhor... Eu... Eu só consegui vir pra cá... Por causa do intercâmbio...

S. Nightmare:- Hmpf. Você tem ideia do quanto essa base nós custou? Do quanto a falta dela atrasou nossos planos?! - concluindo a frase, friamente solta uma descarga elétrica no rapaz que não tem maneiras de reagir.

Carlos:- Graaaaaaaaaaaaaah!!!!!!!!!!!!!!!!!!Eu só quero que... Que esse pesadelo... Acabe...

Vítima da fria e cruel descarga de energia que sofrera, o rapaz perde a consciência.

S. Nightmare:- Acaso não te ensinaram que não se deve dormir quando alguém está falando com você?!! Não pense que vai escapar só porque está dormindo!!!- exclama em tom de deboche.

Ainda inconsciente, a alma do rapaz era capaz de transmitir toda a dor, angústia, a humilhação de não poder se defender e o desespero que ele estava sentindo por meio das lágrimas. Para ele, morrer ali, seria a pior coisa que lhe poderia acontecer. Não poderia ter a vida melhor que tanto buscava, não poderia realizar seus sonhos, não iria reencontrar sua família. Sofreria a pior das mortes: morrer sozinho.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...